sábado, 15 de Maio de 2010

Os dois caminhos de vida da lenda Quando eu era pequenino nunca imaginei que a vida humana, fosse tão dura e, cruel em todas as comunidades. E idades e, eu em menino imaginava a vida humana como um mar de rosas perfumadas e, bem arranjadas. E hoje em dia só o que vejo é pessoas enjoadas e, muito mal desempenhadas e, sem amor nem graça. Eu em menino aprendi a andar e, a falar e, a fazer bem e, a fazer mal. Mas sem eu poder protestar e, se pose-se um pé na argola eu ainda levava na minha tola e, com grandes ordens dos gabarolas. Ec sem se quer eu saber ler e, ainda muito menos escrever e, desde muito pequenino que os meus pais me torceram o pepino. E sem se quer saber cantar o nosso hino mas sabendo mencionar ou até um dia me poder administrar e, sem ser a cantar o hino nacional. E eu em menino não sabia aquilo que queria para mim mesmo e, ainda muito menos eu conhecia aquilo que havia de bom ou de mau na natureza. Mas eu de amor ouvia falar e, que para mim era mesmo muito desconhecido. Mas que fica bem em qualquer lugar que aja amor e, paz para partilhar. E eu comecei a ouvir contar as lendas dos antigos ou dos primitivos e, que o amor tem que ser um grande motivo. E sem mim se quer as compreender as lendas dos primitivos e, que eu hoje muito as duvido. E tudo foi depois de muito eu ter aprendido e, de viver com gente muito mal agradecidas. E quanto mais eu sabe lhas as lendas dos oprimidos e, sem se quer saber o que era as lendas de bem, ou de mal para mim mesmo ou para mais alguém. E a todos os meus amigos de infância e, que eu não os consigo esquecer e, a uns pela positiva e, a outros pela negativa. Mas como os meus amigos de infância não existe igual e, eu com eles e, elas e, eu aprendi a fazer o bem ou a fazer o mal. E eu em menino entrei para a minha escola primária. E o pior disso tudo é que tinha que ser uma diária e, em companhia de gente que se tornaram uns canalhas. E nós nascemos livres mas de pequeninos nos obrigam logo os nossos horários a cumprir e, a disciplina a seguir e, a executar e, quer esteja bem ou esteja mal. E eu ora com mais jeito para aprender umas coisas ou ora menos para aprender outras mas tudo se foi resolvendo. E em criança leva-se grandes lições para a vida eterna e, que fica na terra de bem ou de mal. Mas desde sempre a mim me ensinaram a falar a palavra de deus e, em primeiro lugar foi os meus pais e, depois todas as pessoas com que eu convivia. e eu cheguei a uma altura da vida a perguntar a mim mesmo e, o que é deus será o invisível ou será o permanente e, absorvente de todos os males malignos, que possam existir á face da terra. E eu em menino tive um sonho maravilhoso e, que eu guardei durante vinte e oito anos e mais alguns uns meses. E eu sem provar as coisas boas ou más não podia vir a saber e, o que era bom ou o que era mau. Mas muita gente me tem dito tu eras mesmo muito ruim rapaz. Mas o meu pai sempre me disse ruim rapaz e, vai ser muito bom homem. E eu hoje em dia ainda não sei em que grupo eu estou inserido se no grupo de homens de bem ou se estou no grupo de homens de mal. Mas meu deus e, eu vivo sozinho na sua doutrina. E, se calo consinto meu deus e, se eu não me calo sou penalizado ou até mesmo muito mal tratado ou marginalizado meu deus. E em menino me foram ensinando a mim e o que eu não queria para mim mesmo e, que também eu não o quisesse para mais e, ninguém. e os meus pais sempre me deram os princípios deles e, eles fossem bons ou maus. Mas foi aquilo que lhe ensinaram a eles e se eu até uma certa altura da vida não sabia o que era bom ou o que era mau. Mas foi porque eu não tinha vivido ou aprendido e, o que era bom ou era mesmo muito mau. E até eu ter sido muito agredido e, quer por os meus pais e, quer por as minhas professoras e, depois de eu ter tanto fugido e, á frente das vassouras. E de mim tanto ter pedido a deus amor e, paz. E para que deus me pode-se ter socorrido de tantas guerras involuntárias que vinham de todos esses canalhas. E como eu em menino e, ia levando tareias. Mas eu em menino ainda era tão feliz meu deus e, com grandes contras tempos e, quer físicos ou monetários da minha família. Mas que eu ainda sorria e, não havia ninguém e, que me pudesse vir advertir de tanta alegria. E vivendo na minha rua e, ora descalço ou ora calçado e sem eu ser de nada obcecado na vaidade ou na minha própria elegância. Mas que grandes momentos que eu tive na minha infância. Mas quando se perde alguém da nossa infância também se perde um bocado da nossa vida. E á momentos que tudo passa mas á aqueles momentos e, que tudo fica. E na escola obrigavam a mim a acreditar em tudo aquilo que eles acreditavam. E que eu tinha que me esforçar para aprender tudo aquilo que me ensinavam. E se não teve-se inteligência para poder aprender á primeira e, tinha que preparar-me para ser admoestado, ou envergonhado pela minha professora. E tu não vês que eles ou elas aprenderam á primeira a lição e, que tu ainda não conseguiste desenvolver nem se quer uma boa oração. E sem que teve-se alguém para me dar a sua permissão. E ninguém nasce com alguma devoção e, seja lá naquilo que for ou é nos transmitidos ou somos persuadidos para tal. Ou para praticarmos o bem ou para praticarmos o mal. Mas como deus não existe igual e, para se viver no caminho da verdade não se pode embrenhar pelos ouvidos. E seja homem ou seja mulher e, só conseguem ser honrados se forem determinados em saberem tudo aquilo que querem para eles. E não podem fazer caso de qualquer conversa ou seja falsa ou verdadeira. E porque as pessoas são e, é mesmo umas grandes ordinárias e, que possam existir ou haver no meio dessa canalha. E que essa canalha só o que vivem é no atrapalha. E quando mais eles movem a palha e, em dias de muito vento ainda mais os atrapalha. E eu agora presentemente e, até posso ser um homem muito rude. Ou no meu escrever ou no meu falar. Mas tudo isso e, eu aprendi no meu passado e, quer teve-se sido bom ou mau foi a maior escola de vida que eu poderia ter. E tem sido o meu passado que me tem ensinado. E quanto mais se fala mais se erra. E eu em menino não era assim e, porque eu não sabia o que era o bem e, nem eu sabia o que era o mau. Mas eu depois quando cheguei á minha face de adulto. E na minha face da maturidade e, eu com a graça de deus foi alterando e, mim mesmo. E tudo o que eu achava errado. Mas á quem me diga mas tu em menino eras tão meigo e, brincalhão com a gente todos e todas. E até tu eras um grande espertalhão e, sem dizes algum palavrão e, sem teres alguma devoção. E em rapaz havia horas do dia que nem se quer eu me movia e, de mora a Pavia e, nem se quer eu levava um dia. E quanto mais demora mais depressa eu me vou embora. e nos dois caminhos que me foram ensinando ou eu próprio por os meus meios os fui aprendendo. E que eu hoje em dia cheguei a uma grande conclusão que é muito mais fácil haver vontade e liberdade e alegria e felicidade. E que isso acontece quando se vive a vida com toda a nossa verdade e, sem ficar com algum peso de consciência. E só assim é que se consegue assentar os dois pés no mesmo sentido. E que é de amar e, respeitar sem qualquer desigualdade. E sem ter que ser em qualquer idade. E nos meus princípios de vida os meus pais diziam filho tu tens que aprender a respeitar as pessoas mais velhas do que tu filho. E eu hoje já consegui chegar a uma grande conclusão de vida e, com a graça de deus. E é que eu hoje em dia já tenho muitas pessoas mais novas do que eu. E se eu não as respeitar a elas. E isto é com toda a minha certeza que elas um dia mais tarde também não me irão respeitar a mim mesmo. E se não for logo na próxima oportunidade que eu lhes dê. Mas eu em criança gostava tanto de me imaginar e, a mim mesmo. E em todo o meu futuro e, de um homem de bem e, que só deus o poderia saber e, ainda muito mais ser deus a desenvolve-lho. E eu nunca me imaginei e nem sequer, a mim mesmo um homem mau ou de mal porte. E tudo por muitas e, varias razões e, em primeiro lugar e, todos os meus princípios de criança e, que todos eles viveram dos meus pais e, que são pessoas de amor e, paz. Ou eles tenham muita cultura ou tenham eles muito pouca cultura. Mas eles sempre me quiseram dar o melhor a mim mesmo e, fazia tudo o que podiam para me ajudarem e, fosse naquilo que fosse. Mas eu hoje em dia e, estando em desacordo em algumas decisões deles e, quer politicas ou religiosas. Mas eles é que são os meus pais e, eu até posso escolher todo esse meu caminho ou quer político ou religioso. Mas escolher os meus pais ou as famílias deles e, isso e, eu não o posso fazer e, porque foi aquilo que deus me deu e, com toda a sua graça e, com todo o seu amor de deus. Mas eu hoje já os consigo compreender e, que tudo aquilo que a eles lhe ensinaram e, eles me transmitiram a mim mesmo. E os meus pais tiveram a infelicidade de virem noutra época e, eles passaram fome e, muitas necessidades. E viveram em guerra politica durante muitos anos e, em uma ditadura fascista e, salazarista. E isso faz uma enorme revolta no ser humano e, eu tenho essa experiencia politica ou religiosa nos meus pais. E se nós todos seres humanos e, não pedimos a ninguém para nascer e, nem para morrer. E porque será que desde logo de menino e, todos nós vamos ter que ter e, todas as nossas obrigações e, até nos querem obrigar e, é a ter as nossas devoções. E os nossos pais começam a dizer e, a falar, não faças isso filho que isso que tu estás fazendo agora é errado. E eu em menino não compreendia isso do certo ou do errado. Mas hoje felizmente ou infelizmente e, eu tive que aprender e, com os meus próprios erros. E ficar a saber o que era certo ou errado. Mas eu não nasci e, foi para vir a ser descriminado e, na minha própria terra e, nem amaldiçoado. Ou sendo eu prejudicado para bem de terceiros ou de pessoas gananciosas ou maldosas. Mas a vida é mesmo assim e, eu também tenho tido os meus próprios erros. E que são de ser um homem e, do mais honesto que possa haver ou existir e, de eu falar a verdade na cara das pessoas e, toda a pura da verdade. E enquanto eu em menino e, até poderia ter sido tímido ou envergonhado. Mas hoje em dia sou um homem revoltado e, com todos os meus erros do passado. E uns por minha própria culpa e, outros por culpa do que me ensinaram ou que me obrigaram a fazer de mal perante deus. E é como se costuma dizer e, eu não nasci assim mas fizeram aos poucos assim. Mas mesmo nas minhas horas e, do meu maior sofrimento. E ainda me vem á minha mente as boas recordações de todos os meus bons amigos e, de verdade e, que eu tinha na minha infância. E muitas das vezes e, quando todas essas boas recordações me vem á mente. E também me vem as minhas lágrimas e, aos meus olhos e, apertos no coração. E tempos que já passaram e, que eu já não os posso mudar e, em nada meu deus. Mas eu agora no meu presente e, posso mudar e, em tudo aquilo que eu esteja errado ou tenha errado. E tudo isto por uma grande e, simples razão e, que eu aprendi a amar deus de verdade e, a viver por amor a deus. E que me pôs na terra e, que me criou e, que me tem protegido de todos os meus erros e, me tem perdoado. E depois de tanto eu o ter ofendido meu deus do coração. E quando eu em bebé não sabia falar e, como é que eu poderia sobreviver e, sem ter um cordão umbilical. e hoje na minha reflexão e, tirei toda esta minha conclusão. O amor dos pais é uma coisa muito forte e, que é o nosso princípio de vida ou o nosso cordão umbilical. Mas eu também já tirei outra conclusão. E desde que isto está escrito nas escrituras e, que o mal dos pais pode ir para os sua descendentes e, até á quarta ou quinta geração. E eu fico pensando para mim mesmo e, que deus me livre a mim e, aos meus futuros filhos que não tem culpa alguma e, de todos os meu erros. E se deus paga o meu mal perante outros possíveis meus descendentes e, não estão sendo justos. E eu contesto perante si meu criador e meu deus e, que faça toda a sua justiça dos meus erros e, que seja perante mim mesmo e, não perante todos os meus possíveis descendentes. E eu em menino não tinha estes exemplos de vida. Mas hoje em dia e felizmente que já os tenho e, que eu ainda sou um vivente no meio dos seres humanos. E também já tenho todos estes exemplos de vida e, uns são bons e outros exemplos são maus. Mas com toda a sua graça meu deus e, que me tem dado toda esta minha oportunidade de vida real. Mas eu em pequeno e, se eu errava era inconsciente de todos os meus erros e, porque eu não podia saber o que era bom ou o que era mau. Mas em adulto e, todos os meus erros e, eu os tenho pago e a muito bom ou mau preço. E que tem sido a preço de ouro ou de prata ou de cobre. E todos os meus erros que eu já tenho cometido e, uns com consciência e outros erros sem consciência. E também eu os tenho pago e, na minha própria carne e, osso e, nervo. E também os tenho pago na minha mente e, que muitas das vezes me tem causado muitos danos psicológicos e, que muitas das vezes tem sido irreparáveis para eu poder viver no meu dia-a-dia. Mas uma coisa e, lhe vou eu perguntar meu deus. Um bebé pode nascer com problemas de saúde e, isso não sendo justo para a própria criança meu deus. E porque essa criança nunca pecou e, também não sabe o que é o erro. E tu meu deus que és misericordioso e, bondoso perante todo o ser humano justo. Não podes vir a permitir uma selvagem desse meu deus. E que essa selvagem me parece igual ao mundo dos hipócritas meu deus. E uma criança quando vem a este mundo é para ser feliz meu deus. E isso não está acontecendo meu deus e, á tanta criança inocente a morrer com fome e, em guerras e, em danos causado por a própria natureza meu deus e, meu criador. E se tu te estas vingando em inocentes não estas sendo de nada justo meu deus. E eu até posso vir a pagar por todas estas minhas palavras ou por todos os meus erros perante si meu deus. Mas eu em adulto tenho sido um pecador e, ora com consciência e, ora sem ter alguma consciência do que era o pecado meu deus. Mas eu em criança não era pecadora ou uma outra criança qualquer e, seja ela de que cor for, E também essa criança não é pecadora meu deus. E eu tenho todas as minhas boas recordações de criança e, eu até poderia ser um menino muito velhaco ou muito atrevido ou muito brincalhão. Mas se eu fazia algum tipo de mal perante si meu deus. E era porque eu via fazer o mal aos mais velhos do que eu, ou era incumbido por eles e, para fazer tal criminalidade meu deus. E esta é uma recordação que eu tenho de criança e, que nunca me passa da minha cabeça. Eu andava brincando com os meus amigos de infância e, por qualquer motivo nós andávamos á pancada uns com os outros. E ao fim de alguns minutos e, nós já tínhamos o nosso problema resolvido meu deus. Mas em adulto e, quando se anda á pancada e, já nada disto acontece de se ter o problema resolvido meu deus. E se o problema é menor. Mas se houver palavras amargas ou caluniadoras e, vamos criando um ódio a esse ser humano. E que muitas das vezes nem pode existir alguma palavra para se comentar essas atitudes ou gestos meu deus. E se eu não escrever assim ou meditar perante si meu deus. E eu não estou sendo justo e, perante si meu deus. E depois de eu já ter tido tantos problemas e, tantos exemplos e, uns meus e, outros de outros seres humanos. E eu quando eu vejo certas e determinadas pessoas selvagens e, só aquilo que eu me apetece fazer. E é vir á minha casa e, levar a minha espingarda e, acaba-lhe com a maldita das vidas deles. Mas eu também sei que não posso fazer isso e, porque tu é que cá os poses-te e, tu meu deus que os leves. Mas eu sou revoltado a este ponto. E tudo porque eu nunca me ter metido nas vidas deles meu deus. E eles perseguem constantemente e, sem eu lhe fazer mal a eles e, a nada e nem a ninguém e, meu deus. Mas quando eu era menino e, os meus pais me ensinaram a falar a palavra de deus. Mas infelizmente os meus pais não sabiam ensinar-me e, era todas as suas leis de deus o criador e, único permanente em todo o universo. E em primeiro lugar e, o meu pai nem foi á escola por necessidade de ganhar algum sustento para ajudar a criar os irmãos dele. E como é que os meus pais me podiam ensinar se não as sabiam para eles próprios. e como é que os meus pais me poderiam ensinar e, todas as leis de deus. E eu hoje em dia para as saber tive que fazer um estudo no ser humano. E que foi para depois poder chegar a deus. E eu agora ainda lhe digo e, que foi um estudo do mais lindo que possa existir e, que eu alguma vez tive. E os meus pais desde pequeno e, ainda hoje e, para ser mais claro, sempre me deram este ensinamento a mim mesmo. Filho quando chegares em qualquer lado ou local fala sempre na palavra de deus. E que é para as outras pessoas te receberem bem e, quando tu te vieres embora filho faz a mesma coisa e, usa sempre a palavra de deus. E tu meu filho pratica o bem em qualquer lado e, que é para tu poderes viver em paz e, amor em qualquer local. E vê bem com quem tu acompanhas meu filho e não venhas tu a cair nas mãos de má gente. E se houver alguém a provocar-te ignorai e, a todas essas pessoas de muito má porte meu filho. E que muitas delas e, é preciso nós termos muito cuidado com elas meu filho. E que essas pessoas passam e, é a vida a desencaminhar-te para o mau caminho meu filho. Mas quando o meu pai ou a minha mãe me falavam assim e, eu ainda me revoltava com eles e, sem eu ter razão. E porque eu ainda não tinha a experiencia de vida que tenho hoje meu deus. e depois de eu ter aprendido os dois caminhos na minha vida. E foi o da vida eterna e, foi o da morte meu deus. E eu hoje em dia e, até já posso ter perdido muitos amigos e, uns em vida e, outros que deus os tenha levado para debaixo da terra. Mas uma coisa é do mais certo que possa existir e, não existe amigos iguais e, aos meus amigos de infância. E que para mim mesmo fazem parte da minha própria família meu deus. E eu ainda lhe digo mais isto e, é uma alegria quando eu os encontro e, que só eu e, você meu deus o sabemos. E a alegria que eu tenho dentro de mim mesmo quando os vejo e, falo com alguns deles ou delas. E quando eu vejo coisas da sociedade em que eu estou inserido e, ver adultos a desencaminhar inocentes para o mau caminho. E isto é com toda a minha certeza que só o que me apetece fazer é pegar-lhe nos colarinhos e, dar-lhe uns muros. E se muita gente pensa que eu não sou homem para o vir a fazer e, ai estão a enganar-se a eles próprios meu deus. Mas eu também aprendi e a ser e, sou um homem muito coerente e, de eu próprio saber que não me devo meter e, aonde não sou chamado. E eu sempre ouvi este provérbio ao meu pai, filho e, tu não vás a festas e, nem a casamentos e, nem baptizados e, sem seres convidado meu filho. E tu hoje filho és e, amanhã pai serás meu filho. E eu em bebé não nasci dependente de absolutamente nada e, nem de álcool ou drogas. E se eu o fiz mais tarde e, foi porque vi fazer a outros seres humanos e, a uns mais velhos do que eu e, a outros mais novos do que eu. E todos nós no principio de uma dependência e, ninguém vai para lá sozinho. E tem que haver alguém a puxa-lho para todo esse mau caminho. E quando existe alguém com mais experiencia que nós e, nos aconselha e, nós ainda lhe dizemos. E o que é que você tem a ver com a minha vida e, se eu der cabo dela você não tem nada a ver com isso. E eu estou-lhe a pedir alguma coisa ou algum dinheiro ou estou fazendo mal a alguém por eu ser um dependente. E eu hoje cheguei a uma conclusão e, que eu era muito pobre e, muito mal agradecido. E é muito mas mesmo muito difícil e, alguém aceitar o seu próprio erro. E aqui está aquela passagem da escritura e, que é a coisa mais real que possa existir em todo o universo. Hipócrita é mais fácil ver o alqueire nos olhos do teu irmão, do que tu teres uma trave nos teus próprios olhos hipócrita. E isto é a pura da verdade e, que ninguém mesmo aceita o seu próprio erro. E que ninguém gosta de ser caluniado, mas toda a gente calunia a vida do próximo. E eu em menino não fazia nada disso e, porque é que depois em adulto e, eu segui todo esse mau caminho meu deus. E tu meu deus e, estas sempre presente nas minhas boas palavras e, em todas as minhas boas. Mas se eu tive más acções. E tu meu deus porque nunca me impedistes de eu fazer tais crueldades meu deus bondoso e generoso. E Porquê é que você me deixou errar tanto meu deus. E se eu em criança era tão humilde e, depois de eu ter chegado a adulto, me acusam de ser um homem do mais rebelde que possa existir á face da terra. E isso hoje em dia não sendo verdade de eu estar a seguir esse mau caminho meu deus. E porque eu sigo o meu caminho e, que é o da verdade segundo após segundo e, sem eu estar a incumbir e, seja aquilo que for e, a que quer que o seja meu deus. E tudo isto meu deus porque eu não aceito a mentira e, nem a desordem na sua própria casa meu deus. E que tem sido uma casa desalinhada e desorganizada meu deus. E que cada um tem puxado para eles próprios e, tudo aquilo que lhe mais convêm meu deus. E a vida humana tem se degradado constantemente e, sem haver alguém obediente ou temente a todas as suas leis de um único deus e misericordioso. E porque é que tu meu deus e, não escolheste alguém que vive na hipocrisia. E para ser esse ser humano a revelar toda a verdade a toda a humanidade. E tu meu deus tiveste que me escolher e, logo a mim que não gosto de nada de dar nas vistas de ninguém e, nem nas falas de ninguém. Mas eu em criança e, em toda a minha juventude e, era mesmo muito ingénuo. E porque eu não sabia diferenciar e, quem me queria o bem ou quem me queria o mal. Mas quando eu foi crescendo e, foi aprendendo nas minhas lições de vida de bem ou de mal. E foi a minha própria vida e, a que eu levei e, quer teve-se sido boa ou má. Mas foi aquela que eu vivi e, foi essa própria vida que eu vivi que me foi ensinando. E o que era o bom caminho e, o que era o mau caminho. E que até foi aprendendo e, a viver na minha própria ignorância. E que para mim foi a melhor forma que eu tive de combater todo o tipo de mal ou do meu mau caminho. E foi assim que eu arranjei a forma para combater as guerras que me iam fazendo desde a minha infância. E sem eu ter que de andar ou estar á bofetada ou á pancada ou em discussões com ninguém. e ainda muito menos ter que estar a dar sermões ou a ouvi-lhos de pessoas que só me tem feito mal. E desde toda a minha infância e, eu muitas vezes tenho feito esta pergunta a deus. E se eu não tenho aonde cair morto e, porque é que essas pessoas me invejam ou me perseguem sem eu fazer mal a nada e, nem a ninguém. E a minha educação foi sempre muito massacrada e, em certas e determinadas situações que eu tinha na minha própria vida. E de certas e, determinadas pessoas me quererem dar alguns sermões. E sem serem meus pais e, Nem meus familiares mais chegados e, ora eles tivessem razão e ora eles não tivessem razão. Mas eu já tive algumas profissões e, em princípio eu não sabia e, nem percebia a prostituta fina de nada daquilo que estava fazendo. Mas eu foi me ajeitando e, é como se costuma dizer e, a necessidade é mestra de ensino. E foi quando eu cheguei a uma conclusão e, que ninguém nasce ensinado. E que ninguém nasce perfeito. E que ninguém pede para vir a este mundo. E porque em toda a minha vida tem sido uma vida de sermões. E é logo assim que se começa a andar ou a falar e, a partir dai começamos a levar e, com cada sermão. E eu ainda hoje em dia e, faço esta a pergunta a deus e, a mim mesmo. E se a vida humana tem sido infinita e, porque é nunca houve alguém a seguir todas as suas leis meu deus. Mas eu sempre fui educado assim e, também a mim sempre me disseram. E que eu tinha que temer a deus. Mas se deus é amor de verdade e, porque é que eu o tenho que temer. E se deus é bem e, é aquilo que eu pratico vinte e, quatro horas após vinte e quatro horas. E é a verdade é o bondoso, é o maravilhoso e, é o misericordioso. E eu no meu decorrer dos anos foi aprendendo tudo isto e, á minha própria custa. Amar e respeitar dá saúde e, faz crescer e, quer e, o seja de corpo e, quer e, o seja de mente e, quer e, o seja psicologicamente. E sem que eu tenha que estar a ser temente e, seja lá á aquilo que for. E é como eu costumo dizer e, quem não deve não teme. E por isso tudo e, eu posso deitar-me e levantar-me com o amor de deus e, a sua graça de deus. E porque estou de toda a minha consciência tranquila. E que eu estou no caminho de deus e, porque aprendi a amar de verdade e, a respeitar de verdade. E sei que eu estou a seguir todas as suas leis meu deus. E sem eu estar a persuadir ninguém para o mau caminho meu deus. E nos meus princípios de criança e, eu era tão feliz e, tão amigo do meu amigo ou da minha amiga. E depois em adulto eu fui perdendo toda a confiança e, em tudo e, todos. E que eu fui obrigado a recorrer a deus constantemente e, por eu viver no meio de tanta mentira meu deus. E é como se costuma dizer e, nasces na mentira e, morre-se na mentira. Mas deus não é mentira e, é a maior realidade que possa existir e, em toda a humanidade. Mas o meu pai e, quando eu lhe mentia e, por alguma razão e, ele ainda por cima me arriava porradas. Mas ele tinha toda a razão e, porque ele o fazia e, era para o meu próprio bem. E é como aquele provérbio e, de pequenino é que se torce o pepino. E se eu segui o mau caminho e, nunca na vida foi por culpa dos meus pais. E porque eles sempre me quiseram ver a verdade daquilo que eles sabiam. E apesar e, do meu pai ser um analfabeto e, eu desde muito pequeno ser muito irrequieto. Mas não façam e, é de mim mesmo e, um objecto ou um palhaço e, que eu até posso ter a cara de um homem muito engraçado. Mas eu tenho sido e, é muito atraiçoado e, por pessoas em que eu não devia sequer e, era de ter confiado a minha palavra de verdade e, de amor e, de confraternização. e porque eu e, sou hoje em dia um ser humano e, que aprendi a distinguir o que é o bom caminho ou o que é mau caminho e, graças a deus. E que deus me conserve e, com todas estas minhas decisões da vida eterna. E porque a vida é a coisa mais maravilhosa que possa existir na vida de qualquer um ser humano. E a mim e, de tudo me tem feito para me tirarem e, a minha própria vida e, por eu não acreditar na mentira que existe em toda a comunidade religiosa. E eu até posso ser e, um homem muito pobre de capital ou financeiramente. Mas de eu próprio ser um ser humano e, muito rico e, em amor de verdade e, pronto para poder partilhar e, em qualquer lugar que me aceitem na minha forma de eu estar na vida. E quando eu em pequeno e, ouvia falar em amor e, sem eu sequer saber dar o valor o que essa palavra poderia querer dizer. E foi o amor que me apareceu na minha vida. Ou foi o amor que vez a minha transformação de um homem rebelde a tudo na vida. E porque eu vivia a hora o momento e, sem eu ter algum pressentimento e, do que era o amor de verdade. Mas também havia alguém e, que me chamava de um marginal e, o que eu queria era usar e, abusar das outras pessoas. E que isso hoje em dia e, se eu o fiz no meu mau passado e, com toda a minha verdade e, que isso também não é verdade de eu querer usar e, abusar de quem quer que o seja. E porque eu e, com toda a graça de deus e, o que eu não quero para mim mesmo e, também não o quero para mais ninguém. E ainda muito menos para quem eu amo realmente de verdade. E com todos esses meus erros aprendi felizmente a amar a minha companheira de verdade. E os meus amigos ou minhas amigas de verdade e, eles todos podem ter toda a minha certeza. E de quando eu lhes dou a minha palavra e, seja naquilo que for. E se eu não cumprir com quem quer que seja e, é porque não depende só de mim mesmo. E tanto que eu procurei por ela e, mais todo o amor dela. Mas também lhe digo mais e, entre mim e, ela e, ninguém vai poder meter a sua colher. E porque ela é um amor de mulher e, ela sabendo o homem que eu era e, ela abdicou de toda uma vida. E para se poder dedicar e, a um homem aonde não tem absolutamente nada na vida monetária como se costuma dizer. E ela pode ficar a saber desde já e, se ela fechar os olhos de dia ou de noite e, o que ela poderá ver nada. E então e, é tudo aquilo que eu tenho. Mas com toda a minha certeza e, que eu tenho e, é muito amor de verdade, para lhe poder dar e, também eu lhe o poder receber dela. E é como eu sempre ouvi dizer e, por detrás de um grande homem e, tem que haver um grande amor de verdade. Mas também tem que haver e, uma grande mulher que sabe o que é amar realmente de verdade. E eu quando a procurei a ela e, foi com toda a minha honestidade e, sinceridade e, mais a minha verdade. E sem nunca eu lhe ocultar e, absolutamente de nada do que foi a minha vida passada e, mais a que eu tenho no meu presente. E ainda agora eu e, aqui estou escrevendo e, eu me estou lembrando e, de todos os meus sonhos de criança. E ora eu sonhava acordado e, ora eu sonhava a dormir. Mas não foi a dormir e, que eu me cheguei ao pé da mulher mais linda e, mais maravilhosa que os meus olhos já viram até hoje. E eu exclamei e, por todo o amor de deus que eu tenho. Mas que mulher interessante que eu tenho á minha frente e, é mulher para eu poder casar. Mas isso tudo e, foi muito bem acordado e, com muita vontade e, de calar a boca e, a todos os meus perseguidores, ou a todos os meus caluniadores. E não existe na vida humana e, como o amor de verdade e, que eu uma vez e, lhe disse a ela. E que o meu melhor amigo ou amiga que eu tinha e, que era o meu amor de verdade. E existem tantas coisas que me preocupam a mim, na sociedade em que se vive. E algumas que eu nem sequer lhe vejo algum remédio e, maldito do tédio ou do ódio que existe no ser humano. E á outras coisas que me preocupam muito a mim mesmo meu deus. E que são os desastres ecológicos da natureza. E se tu meu deus és misericordioso e, bondoso e, porque é que tu tens que fazer sofrer tanto os inocentes meu deus. E nos desastres ecológicos ou ambientais e, morrem tanta gente inocente meu deus. E sem sequer saberem o que é o bem ou o que é o mal meu deus. E se tu meu deus se estas revoltado com toda a nossa forma de estar na vida meu deus. E eu só te peço uma coisa e, do mais simples que possa existir á face da terra meu deus. E é que tu meu deus e, que tu sejas justo no peso e, na medida. E não pague o justo pelo pecador meu deus. E eu também já fui criança e, eu em criança não sabia distinguir o que era o bem ou o que era o mal meu deus. E também o que era o pecado mortal meu deus. E morre tanta criança em mortes de acidentes ambientais e, ecológicos meu deus. E sem elas serem nem vistas e, nem achados meu deus. E como é que você pode permitir essas brutalidades meu deus. E se isso for de si meu deus e, você não está sendo justo com esses seres humanos inocentes. E que um dia esses seres humanos poderiam vir a ser uns grandes homens ou umas grandes mulheres meu deus. E eu com toda a minha sinceridade perante si meu deus. E eu só lhe peço justiça perante tudo e, todos os que estejam no mau caminhamos meu deus. Mas isso não tem acontecido na vida actual meu deus. E isto é muito simples meu deus e, que nunca venha a pagar o justo pelo pecador meu deus. E como eu já lhe meditei antes meu deus. E se eu não for justo que me ensine todo esse caminho de si meu deus e, da verdade e, do amor de verdade e, da paz meu deus. Mas que você tenha e, é muita caridade e, piedade dos inocentes meu deus. E porque uma criança não sabe aquilo que faz meu deus. Mas um adulto só não se arrepende de todo o mal que comete, se ele próprio não quiser meu deus. Mas uma criança é completamente inocente meu deus. E se você está revoltado com toda a humanidade e, eu também estou revoltado consigo meu deus. E porque isso não tem acontecido dos injustos pagarem pelos seus próprios erros. E porque um ser humano quando vem a esta vida e, é para ser totalmente feliz meu deus. E porque é que você lhe dá tanto sofrimento desnecessário meu deus. E que você meu deus e, que me perdoe se eu estou sendo um homem muito duro no que eu lhe estou transmitido a si meu deus. Mas eu também sou humano e, vivo no meio dos humanos e, sei quais são as nossas necessidades diárias meu deus. E eu sou um homem de carne e, osso e nervo e, infelizmente e, eu sei o que é o sofrimento de uma criança e, de um adulto meu deus. E você em adulto pode-me castigar e, por todos os meus erros ou os meus pecados meu deus. Mas quando eu era criança você não tinha esse direito de me ter feito sofrer e, de me castigar meu deus. E o que me aconteceu a mim mesmo de ter problemas de saúde acontece a outra criança qualquer meu deus. E a falta de saúde tem faltado e, acontecido a imensas crianças sofrerem sem saberem o que é amar ou respeitar meu deus. Ou uma criança não sabe o que é estar no caminho da verdade e, no caminho de deus. E quando eu hoje em dia e, paro para poder reflectir e, em tudo aquilo que eu passei desde toda a minha infância meu deus. E que até me dá vontade de chorar e, até chegar á minha face de maturidade. e eu quando falo em maturidade meu deus e, quero dizer que eu já podia ser adulto na opinião ou na ordem publica e não ter chegado á minha face de maturidade meu deus. E de eu próprio não ter consciência do que era o bem ou do que era o mal meu deus. E eu agora vou-lhe fazer outra pergunta meu deus. E se foi você também que criou o maldito do mal sobre a natureza e, sobre o ser humano meu deus. E se foi você que o criou e, faz tanta falta quanto a fome meu deus. E é como se costuma dizer e, o mal de uns para o bem de outros próprios meu deus. E tudo aquilo que eu vejo debaixo do seu sol e, é completamente uma gritara desafinada meu deus. E ainda o pior que existe debaixo do sol e, é que cada um puxa o seu ramo para se agasalhar meu deus. E o seu sol é só um e, cada povo tem o seu uso e, tem também o seu fuso meu deus. E cada um povo reza as suas sentenças e, nas suas praças publicas. E sem haver ou terem a sua permissão de decidirem ou de atribuírem os seus dotes meu deus. Mas eles querem atribuir os seus dotes e, a quem lhe mais convêm a eles meu deus. Mas eu ainda hoje em dia e, se fujo às leis de esses selvagens meu deus. E eles ainda me perseguem e, me querem internar num manicómio meu deus. Ou eles ainda o que querem é prenderem meu deus. E sem eu fazer mal a nada e, nem a ninguém e, tudo isso por eu amar realmente de verdade a mulher mais linda que eu alguma vez vi debaixo do seu sol meu deus. E por isso é que eu me confesso a você meu deus. e eu de tudo aquilo que eu tenho visto debaixo do seu sol. São é guerras e, desordens e, em todas as suas casas religiosas que proclamam o seu nome meu deus. E sendo tudo isso desnecessário para a vida humana meu deus. E eu agora vou-lhe dar a si e, um grande exemplo de vida real meu deus. Eu em pequeno poderia me revoltar com os meus pais ou com quem eu mais gostava meu deus. Mas tudo ao fim de algum tempo e tudo isso passava meu deus. Mas todos eles pensavam que eu tinha que ser um dependente de todos esses ser humanos meu deus. E que eu tinha que viver a vida toda e, á maneira deles meu deus. Mas eu cheguei a uma altura da minha vida e que eu me revoltei e, absolutamente com eles todos meu deus. E porque se eu nasci para ser livre meu deus. E se eu não estava a ser livre e, tinha que ser por culpa de alguém meu deus. E que esse e, alguém e, que me poderia a querer estar a oprimir e, por bem dele próprio meu deus. Mas eu quando tenho a minha vontade de fazer todas as minhas necessidades e, ninguém me pode oprimir meu deus. E eu tenho que as fazer e, aonde eu quer que esteja meu deus. E porque é que eu não posso tomar todas as minhas decisões. E se eu quero viver toda a sua vida e, todas as suas leis meu deus. E que é para se você quiser me dar toda a sua vida eterna meu deus. Ou então se eu quiser morrer e, quando você quiser meu deus. E quando eu me recordo e, de quando eu era pequeno. E que eu era muito envergonhado e, quando eu praticava a maldade mais ruim que possa existir á face da terra meu deus. E que era e, é a maldita da mentira e, como eu e, hoje em dia e, na minha maturidade de um homem adulto a todos os níveis. E quando eu me revolto e, com tudo e, todos se for preciso. E por causa da maldita da mentira meu deus. E hoje em dia eu tenho uma grande certeza na vida de um homem humilde. E de eu ter aprendido á minha custa e, de eu saber os dois caminhos e, o mundo religioso ou o mundo real de deus. E eu agora já consegui compreender e, porque é que existe e, em todas as palavras e, de um lado está o bem e, do outro lado está o mal. E porque existe a verdade e, que é o caminho de deus. E a mentira e, que é o caminho das religiões. Mas eu e a algum tempo atrás eu não conseguia compreender e, toda esta sua decisão meu deus. E que você e, em tudo na vida e, deu sempre duas hipóteses de escolha na vida humana e, a qualquer um cidadão e, de ser ele próprio livre de escolher e, de tudo aquilo que ele quer para ele ou a vida eterna ou a morte meu deus. E á aquele ser humano que vive e, tenha a sua gratidão e, que lhe pede a sua opinião de vida meu deus. E que seja a correcta E não a errada meu deus. Mas com tudo aquilo que eu me deparo constantemente e isso tem acontecido comigo e, de ser o meu próprio povo a faze-lo. E quando a mim mesmo me fazem tanta desigualdade ou descriminação. E por eu próprio não aceitar as doutrinas das sociedades religiosas deles meu deus. E que são coisas completamente inadmissíveis que essas pessoas me fazem meu deus. E quando você me deu todas as suas leis meu deus. E a primeira lei que você me deu e, foi esta e, que era para eu não fazer excepção de ninguém meu deus. E de ser eu próprio a decidir todo o meu caminho e, de eu ser justo no peso e, na medida e, em todas as minhas decisões meu deus. E eu em principio e, ainda fiquei muito obscuro e, de algumas decisões suas meu deus. Ou eu e, até houve uma certa altura e, que eu não as compreendia todas as suas leis meu deus. Mas eu hoje em dia e, com toda a sua graça e, que eu sempre me esforcei para ir ao seu encontro e, de também de me esforçar para poder compreender tudo aquilo que você meu deus, me queria transmitir. E como você sabe e, que eu tenho a minha namorada ou a minha própria mulher meu deus. E eu e ela e, nunca nas nossas vidas se metemos na vida alheia meu deus. E também nunca persuadimos a ninguém meu deus. E para eles ou elas e, seguirem ou quer seja, o bom caminho, ou o mau caminho meu deus. E porque é que na comunidade e, em que eu vivo e, que e eles e elas me querem inserir na mentira dessas comunidades religiosas meu deus. E sem eu aceitar nem as leis políticas e, nem as leis religiosas que eles têm meu deus. E que para mim são e, simplesmente a maior mentira terrestre meu deus. E eu quando lhe falei a si meu deus e, em vida alheia. E é esta a razão do meu lamento perante si meu deus. E todas as pessoas com quem eu convivi a minha vida inteira e, houve umas que casaram. E outras namoraram e, outros até já se divorciaram e, sem que eu nunca me ter interferido e, em nada na vida deles meu deus. E porque é que essa canalha se anda a interferir na minha vida meu deus. E quer com subornos e, quer com maldições ou perseguições meu deus. E se eu tenho escrito tudo aquilo que você me tem meditado comigo e, para o bem de toda a humanidade meu deus. E essa seita atrapalhada ou eles são é uma seita desgraçada meu deus. E está na hora de pensar e agir e, eu e o meu mal eu ter que admiti-lho meu deus. E de muito eu tenho sido prejudicado por eu ter confessado toda a minha verdade. Mas com deus e, eu me tenho aconselhado em todas as minhas decisões quer físicas quer psicológicas. Mas quando eu era pequeno e, eu nunca queria admitir os meus próprios erros. E porque eu muitas das vezes ainda não sabia o que era errar meu deus. Mas quando eu fui crescendo e, o meu pai me foi dando nas orelhas. e eu fui obrigado a ir abrindo os meus próprios olhos e, de eu ir aprendendo e, que eu com a maldita da mentira e, que eu não me conseguia safar e, em parte alguma da vida meu deus. Ou mais cedo ou mais tarde e, a verdade viria ou vem sempre ao decima meu deus. Mas eu e, quando era pequeno e, que eu pulava e, saltava e, na minha própria rua e, que eu brincava e, com os meus amigos de infância. E que eu e, que lhe dizia-lhe sempre e, a eles todos e, que a minha namorada iria ser uma mulher de Viana do Alentejo. E que se iria chamar Ana e, que iria ser um amor de verdade entre mim e, ela. E eu agora vou-lhe contar todo o meu sonho real de criança e tal e, qual como foi. E quando eu tinha os meus quatro anos de idade aproximadamente e, eu tive este sonho. E que por fim acabou com um grande pesadelo. E que era para eu nunca vir a descobrir esse sonho um dia sem ter chegado á hora devida. E que era para mim um dia vir a poder combater todo o mal que me faziam a mim e, a todo o mal que existisse no planeta. E que eu tinha que encontrar a mulher dos meus sonhos e, que era para eu poder enfrentar tudo aquilo que me aparece-se á minha frente e, sem medo e, nem receio e, fosse daquilo que fosse e, que deus iria estar sempre comigo. E que eu também não poderia vir a fazer caso de qual queres conversas caluniadoras. E também não poderia haver alguém e, nem ninguém e, que se me e, pode-se vir a meter-se no meu bom caminho. E deus também me disse e, se eu revela-se o meu sonho de criança. E que eu não o poderia vir a fazer totalmente em criança. E se eu o visse-se em criança e, que o meu sonho nunca se iria realizar. E que eu assim nunca iria encontrar o meu o amor de verdade. E deus mete-me medo e, se eu viesse a descobrir o José António tirava-me os meus olhos e, que era com um garfo. e eu tive tanto medo quando era criança e, que eu consegui guardar todo o meu sonho de criança vinte e oito anos e mais qualquer coisa. Mas eu hoje em dia já o posso comentar ou relembra-lho e, que com a graça de deus. E que eu estou a conseguir realiza-lho todo o meu sonho de criança. E eu hoje em dia e, passo algumas dificuldades e, porque eu sou um homem pobre. E também tenho a infelicidade de estar reformado por invalidez. E que eu tive de abdicar todo o meu trabalho para eu vir a poder conseguir realizar todo o meu sonho de criança. E eu fui reformado por os meus médicos me apontarem uma doença crónica. Mas uma coisa é muito certa e, eu com a graça de deus aprendi a amar-me e, a mim próprio. E aprendi a amar de verdade e, a todas as pessoas que me respeitem de verdade. E eu hoje em dia e, posso o dizer e, em qualquer parte do planeta. E que eu encontrei a minha própria felicidade e, graças a deus. E que eu encontrei o meu amor de verdade e, com a graça de deus. E eu com o amor de deus consegui realizar totalmente o meu sonho de criança. E que eu vim a conseguir encontrar a mulher dos meus sonhos de criança. E consegui encontrar a minha Ana e, tal e, qual como eu a vi no meu sonho de criança. Mas eu hoje em dia e, cheguei a uma grande conclusão. e que a vida humana não pode ser vivida em sonho ou em ilusão meu deus. E nem sequer em admiração de obras feitas por a mão humana meu deus. Mas sim com fé de verdade e, a único deus invisível para quem não o queira ver ou aceitar. Mas que está sempre permanente e, dentro de nós e quer nós queiramos aceitar ou não. Mas é a pura da verdade e, eu agora vou-lhe dar um exemplo de vida real de todos nós. E todos nós fazemos projectos de vida e, para o hoje ou para o amanhã, ou para o depois. Mas existe sempre qualquer coisa que falha nos nossos projectos. E quer nós sejamos crentes em deus ou não. E será porquê meu deus que todos os nossos projectos são uns falhados. E já alguém alguma vez viu o futuro ou conseguiu distinguir o bem do mal. Mas o trigo do joio todos os agricultores sabem diferencia-lho meu deus. E é porque o futuro é invisível é inquestionável é imperatório é inadmissível e, aceitar todos os nossos erros do passado. Mas isso para foi o meu abre olhos e, todos os meus erros do passado ou até todos os meus erros do meu presente meu deus. Mas se não existir fé no próprio ser humano também não pode existe amor de verdade. E os meus pais sempre me educaram assim, filho e, tu não andes em brigas e, nem em guerras meu filho. Mas vive sim em paz e, em amor e, lealdade às leis do nosso deus. E se tu vires e, com os teus próprios olhos que qualquer pessoa e, seja ela de que cor for e, que tu vejas que não serve para tua própria companhia. E tu fazes uma coisa filho ignorais-lha e, desvia-te dela e, menospreza como se faz a um cão abandonado meu filho. E olha meu filho e, mais vale um segundo em paz e, em amor do que uma vida em guerras. E mais vales viveres um segundo á tua maneira do que uma vida inteira á vontade dos outros filho. E tu sabes filho que as nossas próprias companhias e, muitas das vezes desgraçam a nossa própria casa. E as más companhias muitas das vezes desgraçam famílias inteiras meu filho. E quando existe um grupo e, se forem só dois e, é tudo um mar de rosas filho. Mas se existir o terceiro num grupo e, eles já vão fazer excepção e, de um deles filhos. E olha filho e, os teus melhores amigos e, são sempre os teus pais e, nunca te esqueças filho e, disto que o pai te diz. e os meus pais sempre me disseram isto e, no meu pior momento da minha vida. E que eu mais precisei e, nem que não fosse de um bocadinho de solidariedade ou de compreensão. E sabem uma coisa eu só os tive a eles praticamente. E que isso para mim foi o mesmo de os meus falsos amigos me darem uma facada pela costas. E eu nunca na minha vida tinha imaginado um mundo desta forma. E agora depois de tudo passado e, quando eu vou ao meu imaginário e, de eu assentar os dois pés no chão e o mundo me ter ruído aos bocadinhos. Mas eu agora também lhe digo e, se eu não teve-se tido todo este meu sofrimento na minha vida. E eu se calhar não poderia vir a assentar os meus pés no chão e, assenta-lhos no mundo real. E velho hoje em dia e, conforme eu o vejo. Mas também vejo e, é tanta falsidade e, dos meus amigos e, das minhas amigas. E devem saber e, porquê destas minhas frases e, sem serem de nada imaginarias. Mas do mais real que possa existir á face da terra. E o meu pai sempre me disse esta frase, olha filho os nossos amigos viessem-se e, é quando nós estamos mal. E não é quando nós estamos bem filho. E se tu tiveres dinheiro tens amigos ou amigas. Mas se não tiveres dinheiro és desprezado e, por tudo e todos. Mas também houve uma certa altura da minha vida e, que eu não aceitava de nada destas conversas dos meus pais. Mas hoje em dia e, depois de eu ter passado e, por tudo isto na minha pele e, eu agora dou-lhe mais que razão aos meus pais. E o grande erro dos meus pais e, foi quererem induzir e, a mim mesmo e, uma disciplina ou uma doutrina falsa e hipócrita. E quando eles os meus pais me falavam na palavra de deus e, sem os meus pais saberem o que eram todas as suas leis de deus. E era muito ingrato e, da parte deles. E quando eles me queriam levar parta aquilo que eu não aceito. E isso tudo foi mesmo depois de eu ter chegado a adulto e, eles fizeram de tudo para me levarem para a doutrina deles, ou para a cor política deles. E é como se costuma dizer e, eles estavam a errar e, sem eles terem alguma consciência daquilo que estavam fazendo. E vocês sabem o porquê de eles estarem a errar e, é que eu nunca lhe pedi para eu vir a este mundo. E eles são duas pessoas tão diferentes de mim e, embora eles sedem os meus pais. Mas isto é a pura da minha verdade. E que eles também nunca tiveram a oportunidade, que eles me deram ou que eles me tem dado e, graças a deus. E nós como crianças e, começamos logo a errar e, é á nossa nascença e, a partir dai somos uns inconscientemente que ai andamos. E eu agora e, já estou conseguindo estar a compreender e, porque é que deus vai fazendo a sua justiça. E que vai fazendo a sua justiça até á nossa quarta ou quinta geração. E depois de eu ter tanto protestado consigo meu deus. E eu só tenho um remédio e, é se você quiser aceitar. Mas eu lhe vou pedir as minhas sinceras desculpas e, o meu perdão e, também por todos os meus erros meu deus. E eu também lhe vou pedir o perdão de todas aquelas pessoas que se queiram converter e, a todas as suas leis meu deus. E que seja feita a sua justiça e, é perante toda a humanidade meu deus. E porque você meu deus está acima de tudo aquilo que é feito por a mão humana. E porque tudo aquilo que é feito por a mão humana e, se você quiser meu deus. Em um segundo faz tudo em pó meu deus. Mas eu em criança não sabia amar e, nem sabia respeitar e, tudo isto e, me foram ensinando meu deus. Mas o amor e, ninguém nos pode ensinar meu deus. E temos que ser nós a encontra-lho e, é como eu tenho ouvido dizer e, a sorte é dos audazes meu deus. E que não ficam deitados á beira da sombra do sol meu deus. Mas fazem-se á vida e, vão ao encontro da sua própria felicidade meu deus. E é como tudo na vida meu deus. E o bem está ao pé do mal e, em tudo na vida existe os dois caminhos meu deus. E uns de asfalto ou de alcatrão ou de terra batida ou de calçada. Mas existe e, em tudo na vida e, uma solução para o nosso próprio arrependimento meu deus. E de sermos nós próprios e a vermos e, aonde está o homem de bem e, aonde está o homem de mal meu deus. E á aquele que não diz nada a ninguém e, á aquele homem que gosta de se exibir e, em publico. E até muito persuadir e, de levar outros seres humanos a cometerem o seu erro meu deus. Mas esse homem que está no mau caminho nunca quer e, não querer admitir o seu próprio erro meu deus. E ainda muito menos esse homem querer contribuir para o bem publico de todas as comunidades e, sem se envolver em algum interesse monetário. E eu só o que espero e, é quando todas as pessoas terminarem de ler tudo isto que eu lhe estou escrevendo. E que venham a compreender aonde está a verdade. E se é minha ou se é a de todas as comunidades religiosas e orgulhosas. E a vida humana é linda e, é quando existe amor e, carinho e, fidelidade e, compreensão. E também poder-mos ter a nossa compreensão. E também sabermos dar e, o nosso braço a torcer e, é quando nós estamos errados na vida humana e, aquela que nós levamos. e eu também quando lhe falei da felicidade de criança e, sem eu saber distinguir e, aonde existia a verdade ou aonde existia a mentira. E eu agora ainda lhe digo que quando eu vejo as crianças a brincar e, que me apetece fazer o mesmo. E é de ir brincar com elas meu deus. Mas as nossas comunidades religiosas não aceitam as leis de um homem e, que sabe aquilo que transmite a qualquer pessoa meu deus. E todas essas comunidades religiosas não querem aceitar todas estas leis e, é tudo por uma impura inveja. E de eles terem alguma compreensão e, aonde existe a razão. Mas eles de um homem rico tudo eles aceitam e, até de eles serem gay. Ou de eles andarem-se prostituindo e, em praças publicas meu deus. Mas tudo aquilo que possa vir de um homem pobre. E então eles por tudo ou por nada e, é tudo criticado meu deus. Ou até mesmo esse homem pobre acaba por ser desprezado. E porque esse homem pobre não tem nada para lhe poder dar a eles e, a não ser boas conversas ou boas acções dele próprio meu deus. Ai meu deus e, a tanta gente e, que eu tenho carregado ao meu colo meu deus. E que eu tenho tratado e, com toda a minha gentileza e, simpatia e respeita-lhos de verdade meu deus. E eu estando sempre ao lado deles e, nos piores momentos deles meu deus. E eles me andarem e, é a trair e, é pelas costas meu deus. E ainda eles e, quando se chegam ao pé de mim e, me dizem e, a tão amigo e, como é que tu estás. E eu e, muitas das vezes e, só aquilo que me apetece eu fazer lhe e, é dar-lhe uma carga de porradas meu deus. E porque de amigos eles não tem e, é de nada meu deus. E isto é a minha forma de eu estar e, pensar na minha vida meu deus. Mas os amigos conhecem-se e, é em qualquer parte onde aja respeito de verdade de uns pelos outros meu deus. Ou eles são e, é amigos do interesse deles e, meu deus. Mas eu quando era alcoólico ou era toxicodependente e, eu ai nessa altura tinha muitos amigos meu deus. Mas era quando eles não tinham e, era dinheiro ou então não tinham e, era droga meu deus. E que era para eles consumirem e, matarem a sua própria ressaca meu deus. Mas agora na minha forma de sentir na minha própria carne meu deus. E são as pessoas mais falsas que possam existir á face da terra meu deus. E que eu quando os vejo e, é muito pior do que eu ver alguém e, com muita fome meu deus. E isto é com toda a verdade e, é um autêntico repúdio que eu tenho a todas essas pessoas que me chamam de amigo meu deus. E sem eles me respeitarem a minha forma de eu estar na vida meu deus. E ainda por cima eles andam a perseguirem e a fazerem maldições meu deus. E quando eles se chegam ao pé de mim e, é com a mentira pegada meu deus. E aonde estará a verdade deles meu deus. Estará no ónus deles ou na vagina delas meu deus. e eu meu deus e, nunca imaginei na minha vida e, de os amigos serem conforme tem sido para mim meu deus. Mas quando eu mudei a minha atitude e, de deixar de ser um homem impuro e, para eu começar a viver o melhor que um homem pode viver meu deus. E que é amar e, respeitar e, até e que não seja depois de morto meu deus. Mas eu sempre ouvi dizer isto meu deus. E se tu queres ser bom, morre-te ou vai-te. E eu agora e, quando fico meditando consigo meu deus. E eu cheguei á melhor conclusão que eu posso ter tomado meu deus. E mais um segundo na vida consigo meu deus. Do que eu ter que viver uma vida na mentira e nas desordens e, nas calúnias quer verbais ou físicas meu deus. E como tu meu deus e, não existe igual como amigo de verdade. E porque tu és o pai da verdade meu deus. E feliz a minha hora e, que você me libertou de todas essas dependências gananciosas meu deus. E eu estando na vida e, sem eu viver a verdade e, praticar o bem. E eu não poderia ser um homem de bem meu deus. E eu sempre lhe pedi a si meu deus. Para você me fazer num homem de bem meu deus. E você meu deus me dar toda a paciência e, compreensão e, a sabedoria real que venha de toda a sua verdade meu deus. E que você meu deus e, que até pode-se ter escondida toda essa sua sabedoria e, que seja a da vida eterna meu deus. Mas uma coisa e, eu lhe vou eu dizer e, pedir e, que você venha a fazer justiça e, perante todas as pessoas que vivam na falsidade meu deus. E eu quando me refiro á falsidade dessas pessoas e, é que eu sempre as tratei bem meu deus. E eu sempre fui muito directo e, sincero com elas e, eu sempre as respeitei meu deus. Mas depois de eu tanto me ter lamentado a si meu deus. E é porque eu tenho estado no mundo sozinho e, eu de tanto eu tenho lutando e, contra tudo e contra todos meu deus. E somente sozinho e, eu usando todas as suas boas acções e, a sua palavra meu deus. E tudo por o meu amor a si meu deus seja grande e, imenso e, seja sincero meu deus. E porque eu só o tenho tido a si meu deus e, que só você é e, só você e, é me tem protegido de tantas tragédias e, desgraças e, de tantos tormentos meu deus. E que me tem causado na minha própria terra meu deus. Mas ainda existem e, á muitas coisas e, a mim que me estão ainda no oculto ou no segredo dos deuses, meu deus. E eu como sou um homem e, que gosto de perguntar e, tudo aquilo que eu não sei meu deus. E a quem me possa ensinar e, é que eu estou sempre disponível para aprender e, ainda muito mais e, tudo aquilo que venha de si meu deus. E com todo o respeito que eu tenho por si meu deus e, eu peço-lhe que você me diga o que é o apocalipse na terra meu deus. E depois de eu ter tanto estudado o apocalipse e, se é o fim da mentira religiosa meu deus. E se é essa mentira que existe á face da terra meu deus. Ou se essa mentira vem também dos cientistas meu deus. Ou se o apocalipse é o fim da morte de todo o ser humano meu deus. E de todo aquele ser humano que se arrependa de praticar o mal meu deus. E que seja esse ser humano que venha adquirir a sua própria imortalidade meu deus. E é que eu depois de tanto eu ter sofrido e, de tanto eu ter vivido e, em tristeza profunda meu deus. E eu fui ganhando um gosto por viver meu deus. E que eu muitas das vezes nem tenho palavras para eu as transpor em publico meu deus. Mas eu e, quando lhe pedi a sua sabedoria e, não foi com um fim lucrativo meu deus. Mas sim de muita humildade e, de poder ser eu a ensinar o caminho da salvação a todo o ser humano meu deus. E que queira ele próprio adquirir a sua própria imortalidade meu deus. Mas como nas nossas vidas de humanos e, não existe de nada mais triste que a nossa própria morte meu deus. Ou as tristezas que a morte causa a todas as gerações meu deus. E porque é que tu meu deus e, não dás a paz e, o amor de verdade a todo o ser humano meu deus. Ou teremos de ser nós os humanos a adquirimos toda a nossa paz e, de sermos nós a adquirimos todo o nosso amor de verdade meu deus. E eu vou-lhe dar um exemplo de guerra é que eu muitas das vezes nem na minha própria casa consigo estar em paz meu deus. E quando eu falo de amor e, paz e, eles ainda me acusam de eu não querer seguir as leis deles e, meu deus. E porque a doutrina dos meus pais é completamente diferente do que é a minha e, a sua meu deus. E porque os meus pais andaram a vida toda deles atrás da banda meu deus. E eu com a sua graça e, eu aprendi a seguir e, todo o seu caminho de amor e, paz e felicidade meu deus. E eu sou um ser humano e, como outro qualquer e, que eu tenho todos os dias e, as minhas necessidades de sobrevivência e, que são de igual modo a outro ser humano qualquer meu deus. E como é que os outros seres humanos e, que são como eu e, conseguem andar a fazer guerras a outros inocentes e, como eu também sou um inocente meu deus. E eu agora já estou um pouco compreendendo o porquê da sua revolta e, com todo ser humano meu deus. Mas os inocentes e, os justo e, não tem culpa alguma por os erros dos outros meu deus. e depois de eu já ter presenciado e, a tanto sofrimento e, tristezas dos inocentes meu deus. E não será possível você meu deus e, dar-me uma vida e, não é preciso uma vida de grandes riquezas meu deus. Mas que a minha vida seja e, é tranquila de corpo e mente meu deus. E sem que eu tenha que estar e, é a presenciar e, aos maus desaforos públicos e, que vem de toda uma sociedade rebelde e, a todas as suas leis meu deus. E de ser eu próprio e, a escolher e, a todo o meu caminho e, quer politico meu deus. Ou de ser eu próprio e, um homem e, sem eu ter religião alguma meu deus. E de ser eu e, a acolher e, qualquer pessoa que se queira redimir a todos os actos impuros e, religiosos meu deus. E é que eles os religiosos usam a sua palavra meu deus. Mas usam também as más acções deles ó meu deus. E será que esses seres humanos e, todos esses seres humanos e, que praticam todas as suas más acções diárias e, nocturnas meu deus. E eles não devem e, é de ter coração e, ainda muito menos eles terão e, é amor no coração deles e, meu deus. E também eles não terão e, é amor por eles próprios meu deus. E também não devem e, é de ter amor por o próximo meu deus. E á tanta coisa e, que é inacreditável e, para quem vive na sua própria persuasão meu deus. Mas eu e, cada dia que passa e, eu tenho ido e, é adquirindo e, toda a sua confiança e, toda a sua tranquilidade meu deus. E sem eu ter que ter e, alguma responsabilidade por alguém meu deus. E porque eu pago e, é por os meus próprios actos e, não pelo dos outros meu deus. Mas existe e, tantas coisas e, que me causam algum transtorno ou algum tormento meu deus. E isso acontece e, é quando eu vejo pessoas responsáveis e, por certas e, determinadas instituições e, eles e, elas andarem a persuadir e, a quem está no seu caminho meu deus. E isso tudo que eles e, elas fazem perante a minha pessoa e, a minha mentalidade meu deus. E torna-se inadmissível e, eu ter que estar a aturar certos e, determinados desaforos e, quer sejam pedagógicos ou burocráticos meu deus. E que vem de pessoas e, sem terem alguma humildade meu deus. Ou eles próprios terem o seu poder de reflexão perante si meu deus. E tudo aquilo que lhe interessa na vida deles e, é as dependências deles meu deus. E mais as suas próprias ganâncias e, que vem da hipocrisia deles meu deus. E sem eles terem algum discernimento do que é a verdade ou a mentira ou o bem ou o mal meu deus. Mas coisa sim e, tudo aquilo que lhe interessa e, a eles e, ai sabem eles tudo meu deus. E assim é que eles se pronunciam meu deus e, venha a nós o seu reino meu deus e, o próximo que vá para o inferno meu deus. E eles ainda comentam e, porque é que tu não queres aceitar aquilo que nós mais gostamos meu deus. E tudo aquilo que eles fazem e, é andarem e, a fazer mal ao próximo meu deus. E andarem com a sua palavra meu deus. Mas sendo uma das maiores mentiras deles e, sem eles terem fé alguma em si meu deus. E a mentira deles está em todo o sítio que eles permaneçam meu deus. E isso para mim é a coisa mais ridícula que possa existir á face da terra a mentira meu deus. E porque eu já escrevi e, já lhe a transmiti e todas estas leis divinas meu deus. E o que eu não quero para mim e, eu também não o quero para mais ninguém meu deus. E seja ele branco ou amarelo ou encarnado ou preto meu deus. Mas é sim um ser humano e, que tem as mesmas necessidades que eu tenho meu deus. E você meu deus sabe que quando eu sou persuadido e, por todas essas pessoas inconscientes do que é a verdade ou do que é a mentira meu deus. E que eu me revolto com eles próprios meu deus. e porque aonde existe a verdade existe a razão meu deus. E eu quando me entreguei a si meu deus de corpo e, mente presente e, foi para você meu deus. E poder transmitir e, tudo o que á no oculto meu deus. E ser eu e, com toda a sua verdade e, a revelar toda a verdade do que tem sido o ser humano meu deus. Ou do que é o ser humano realmente meu deus. Mas uma coisa e, eu lhe garanto e, eu lhe pergunto meu deus. E porque é que você não escolheu um orgulhoso ou uma orgulhosa e, para fazerem e, perante toda a humanidade meu deus. E tudo aquilo que eu e, o meu amor de verdade e, tudo o que nós os dois estamos fazendo e, com toda a sua graça meu deus. Mas quando eu era menino e, se me dissessem a mim e, que as vida humana tinha de todas estas coisas e, eu nem sequer eu queria acreditar meu deus. E porque quando se é educado na mentira e, no meio de tanto mal e, depois de se chegar a adulto e, reconhecer-se que estamos no mundo errado meu deus. E não é nada fácil viver-se na verdade e, para qualquer ser humano e, que nunca soube o que foi a verdade e, ainda muito menos o que é realmente o amor de verdade, meu deus. E á tanta coisa na vida humana e, que estão no oculto e, que só deus o sabe. E porque os ricos é que querem imperar e, em todo o lugar meu deus. E eu nunca lhe pedi nada a si meu deus e, qualquer coisa que fosse e, que eu não teve-se no meu direito e, de um cidadão qualquer vulgar meu deus. Mas também eu lhe tenho pedido toda a sua dignidade e, na hora do julgamento de qualquer um ser humano meu deus. E que qualquer um ser humano e, que seja justo nas suas leis meu deus. E que não venha a pagar por os erros dos outros meu deus. E eu sempre ouvi dizer isto aos mais velhos meu deus. E desde que eu era pequeno e, que é muito mais fácil e, nós aprendermo-nos o mal do que nós aprendermo-nos o bem meu deus. E ainda outra coisa meu deus e, tudo aquilo que eu via fazer quando eu era pequeno e, eu também o queria fazer e, quer fosse bom ou quer fosse mau meu deus. E porque é que eu tinha e, toda esta intuição de pequenino meu deus. E depois com o decorrer dos anos e, eu fui levando lições de vida e, ora daqueles que diziam ser meus amigos ou ora aqueles que eram os amigos da onça meu deus. E a vida de criança é mesmo muito ingrata e, se tu não te calas ou não paras já parado ainda levas que se a farta meu deus. E eu agora vou-lhe fazer uma pergunta e, a si meu deus. E se á alguém e, esse alguém fica bem e, quando leva um sova meu deus. Ou se esse alguém consegue ser feliz e, quando está ensinando a fazer o mal e, a quem quer que o seja meu deus. E com toda a sua consciência tranquila e, do que está a ensinar que é mal ou que é o mau caminho meu deus. E eu hoje em dia e, com toda a sua graça e, cheguei a adulto e, eu próprio tenho algumas experiencias e, que são minhas meu deus. E que me servem de lição para mim meu deus. E sem eu ter e, algum orgulho de mim próprio e, do que foi de eu ter feito mal a quem quer que seja inconscientemente meu deus. Ou de eu próprio e, ter sido um mau homem e, para quem quer que seja meu deus. Mas as outras pessoas que andam a praticar as suas más acções e, não terão o seu próprio arrependimento meu deus. E eu não sou o único homem e, que existe á face da terra e, que se tenha arrependido e, de todo o mau caminho meu deus. E isto até me faz lembrar e, uma lenda que eu ouvi contar aos mais antigos meu deus. E houve um senhor e, foi convidar e, uma prima irmã desse senhor e, que era para ela se quisesse ir e, a um baile na casa dele. E essa dita senhora e, respondeu-lhe desta forma a esse senhor e, então á lá homens. E o senhor respondeu-lhe não, á lá é burros meu deus. E com tudo isto e, eu fico a pensar e, para mim próprio e, se a senhora não teria razão da sua própria resposta meu deus. E se todos nós os adultos e, já temos tantos exemplos ruins na vida humana meu deus. E é como se costuma dizer e, tudo passa e, tudo se esquece meu deus. Mas isso de tudo se esquecer não é a verdade meu deus. E eu tenho e, é essas experiencias todas e, em mim mesmo meu deus. E quando se é criança e, não se tem experiencia alguma ó meu deus. Mas nós próprios ó meu deus e, quando chegamos a adultos e, depois de isto tudo de ter passado ou de eu ter estado no bom caminho meu deus. Ou de ter seguido por caminhos que nunca os devia ter seguido e, que era o mau caminho meu deus. Mas eu só consegui ver e, tudo isto e, foi depois de eu ter tido toda a minha experiencia de vida passada meu deus. E foi para eu poder fazer toda a minha reflexão meu deus. Mas também não pode haver arrependimento e, sem que eu teve-se errado meu deus. E porque é que você meu deus e deixa nascer crianças com problemas de saúde meu deus. E se elas ainda nunca erraram meu deus. E se você tiver alguma culpa disto tudo que eu me referenciei meu deus. E você não está sendo justo meu deus e, é com essas crianças meu deus. E está pagando o inocente e, o possível justo meu deus. E por os outros pecadores meu deus. E isso tudo está sendo uma grande crueldade e, perante quem e, ainda nunca errou meu deus. E sem você meu deus e, estar a fazer a justiça e, perante quem o deve fazer ou seja feita por quem você o deve fazer meu deus. E é como os traficantes de droga meu deus. E enquanto houver trafico de estupefacientes e, á consumidores meu deus. E essas pessoas e, ainda não tem exemplos suficientes do mal que as dependências fazem e, a toda a sociedade em que se vive meu deus. E eu escrevo assim e, é porque eu já cometi todos esses erros meu deus. E eu nessa altura não tinha a mesma consciência que tenho hoje em dia meu deus. E de ser eu próprio e, a ver e, todos esses meus próprios erros meu deus. E que eu cometi em certa altura do meu passado meu deus. E em primeiro lugar e, eu estava a cometer um grande erro perante mim mesmo meu deus. E porque eu estava a viver e, sem amor algum a mim mesmo meu deus. E como é que eu e, nessa altura da minha vida e, eu poderia viver e, com alguma fé a si meu deus. E se você meu deus e, me está mantendo ainda vivo e, é porque você tem todo o seu reconhecimento e, é de quem se tenha arrependido e, de todo o tipo de mal, ou de todo o mau caminho, meu deus. E a maior ingratidão e, com que algum ser humano possa viver e, é sem reconhecer todos os seus próprios erros meu deus. E todos os seus pecados cometidos perante si meu deus. E eu estou-me confessando e, é a si meu deus. E eu só o que eu espero e, é que você me dê todo o seu perdão meu deus. E porque quem Fala e, medita a verdade perante si meu deus. E merece todo o seu perdão meu deus. E porque está sendo justo e, é por assumir e, perante si meu deus. E todo o seu arrependimento meu deus. E não é como essas mulheres e homens que cometem o seu próprio adultério e, é constantemente meu deus. E não assumem o seu próprio pecado meu deus. E eu hoje em dia e, posso até ser e, um homem e, muito revoltado meu deus. Mas muitas pessoas e, até me poderem dizer e, a mim mesmo e, como tu mudas-te. Mas eu só lhe posso responder e, é desta forma meu deus. Mas se eu estava e, a ver que estava mal e, eu tinha que continuar mal meu deus. E que era para eu poder fazer a vontade e, a quem nem sequer merece ter o meu ver meu deus. Mas uma coisa e, eu lhe vou pedir meu deus. E é que você me livre e, de eu ter que julgar e, a quem quer que seja meu deus. Mas que você meu deus e, me dê toda a sua liberdade. E de ser eu próprio e, a escolher e, todo o meu caminho meu deus. Ou de ser eu a escolher o caminho da morte meu deus. Ou de ser eu a escolher o caminho da vida eterna meu deus. E que você me faça de mim e, um homem honrado e, que não embrenha pelos ouvidos meu deus. E como eu tenho tido e, uma vida e, de muitas dificuldades meu deus. E quer físicas ou de saúde ou financeiras meu deus. M as eu fiz isto tudo e, foi para provar e, a toda a humanidade que você é real meu deus. E é verdadeiro meu deus e, que eu tenho e, é realmente e, um amor verdadeiro meu deus. E que eu não troco o meu verdadeiro e, seja lá por aquilo que for ou seja dinheiro ou que seja já por aquilo que for meu deus. E em você meu deus e, me dando saúde e, liberdade de ser eu próprio e, a escolher o meu próprio caminho meu deus. E quer seja o bom caminho ou quer seja o mau caminho meu deus. Mas fui eu que o escolhi e, não me deixei levar e, por as conversas de ninguém meu deus. E enquanto se vive numa sociedade caluniadora e desorganizada e, tudo por culpa do orgulho desvairado de pessoas humanas de nome meu deus. Mas sem elas terem alguma consciência do que é fazer o bem ou o que é fazer mal meu deus. E eu quando me pronunciei nos dois caminhos meu deus. Mas eu e, de tudo o que eu tenho feito e, é para que você me liberte e, de todo o mau caminho meu deus. Mas quando eu era pequeno e, que eu me deixava-me levar e, por um qualquer canalha e, sem eles e, nem eu e, termos e, alguma consciência e, do que eu estava fazendo meu deus. Mas eu e, hoje em dia e, graças a si meu deus e, que eu me tenho e, muito empenhado e, muito me tenho endireitado e, até me tenho desviado de todos esses canalhas meu deus. E sem eles ainda hoje em dia e, eles saberem o que é a verdade da raça humana meu deus. E todos eles e, o que tem e, é uma impura vaidade e, inveja e, que existe e, em toda a humanidade meu deus. E tudo vem por culpa das nossas próprias educações meu deus. Mas hoje em dia e, eu já aprendi e, a desenvolver-me e, sem que eu tenha que estar e, às obediências dos meus pais e, dos meus tutores meu deus. Mas a vida humana é a coisa mais linda que possa existir á face da terra e, é quando se ama realmente com toda a verdade e, é a si meu deus. E porque você meu deus é, o amor verdadeiro que existe em toda a humanidade meu deus. E o amor verdadeiro que se tem e, tem que se respeitar e, em qualquer idade meu deus. Ou em qualquer personalidade e, de um ser humano qualquer meu deus. E o que é e, uma personalidade de um ser humano e, sem que ele e, nunca tenha errado meu deus. Mas eu quando nasci e, eu ainda não tinha feito e, a minha personalidade meu deus. E desde sempre que eu ouvi falar no destino meu deus. Mas o destino é feito por nós ou é feito por você meu deus. E como eu já passei tanta infelicidade na minha vida meu deus. Mas eu em criança e, eu não sabia sequer e, o que era amor ou amizade ou infelicidade ou felicidade meu deus. E se nunca eu e, teve-se errado e, eu alguma vez poderia saber e, o que era o bem, ou o que era o mal meu deus. E ouve um dia e, que eu lhe fiz esta pergunta meu deus. E foi você que criou os dois caminhos da vida humana meu deus. Mas se você é misericordioso e, bondoso para todo o ser humano que tenha o seu próprio arrependimento meu deus. E que você é misericordioso e, bondoso e, para todo o ser humano que siga o seu bom caminho meu deus. Mas quando eu era criança e, eu não sabia e, o que era o seu bom caminho meu deus. E nem depois de eu ter chegado a adulto e, eu não sabia o que era o seu bom caminho meu deus. E eu é que me teve que fazer e, á sua vida e, sua disciplina meu deus. E fui eu próprio e, é que teve que procurar o seu bom caminho e, da salvação da vida humana meu deus. E nunca houve ninguém na vida humana e, antes de mim mesmo meu deus. E que o teve-se procurado e, com toda a verdade e, amor e, paz meu deus. E quando eu lhe falo meu deus e, se nunca ouve homem algum e, em toda a humanidade meu deus. E a procurar o seu destino e, o seu amor de verdade meu deus. E é que tudo isto e, vem desde a minha infância e, de eu procura e, seguir o meu destino meu deus. E desde sempre e, que me ensinaram para que eu nunca na minha vida cobiçar e, fosse aquilo que fosse de outro ser humano meu deus. E para que eu nunca me meter e, em vida alheia meu deus. E porque quem se mete em vida alheia e, está metendo o seu nariz e, aonde nunca é chamado a mete-lho meu deus. E ainda por cima de tudo isso está fazendo adultério perante si meu deus. E desde sempre e, que você me deu esta lei meu deus. E que o adultério é a maior sujidade que existe e, em toda a humanidade meu deus. Mas quando eu era pequeno e, eu olhava para as mulheres mais velhas que eu e eu meu deus. E eu nessa altura da minha vida não sabia que eu estava cometendo adultério meu deus. Mas hoje em dia e, eu já aprendi e, a viver e, com toda a sua graça meu deus. E tudo aquilo que eu não quero para mim mesmo e, que eu também não o quero para mais ninguém meu deus. E eu também já aprendi e, tudo isto e, que acontece nas vidas reais de todo o ser humano meu deus. E o adultério acontece e, em todas as comunidades e, quer elas sejam politicas ou sejam religiosas meu deus. E que também não é nas riquezas e, que se vem os nossos amigos ou as nossas amigas meu deus. Mas os amigos ou as amigas e, vem-se e, é quando nos dão paz e, amor e, respeito e, por todas as nossas decisões que nós tomamos meu deus. E quer elas sejam decisões politicas ou sejam elas decisões religiosas meu deus. Mas uma coisa é o mais certo e, que possa existir e, á face da terra e, isso vejo eu e, é com os meus próprios olhos meu deus. E que os políticos e, os religiosos e, nunca na vida deles e, fizeram de nada para porem paz no planeta meu deus. E é como se costuma dizer meu deus. e filhos de burros não podem sair cavalos meu deus. Mas podem sair e, é fotocopias ou consternes e, muito idênticos aos seus antepassados meu deus. E se queres ver e, uma boa educação numa criança e, olha-o para o bom exemplo do pai meu deus. Mas se tu queres ver uma má educação numa criança e, olha para todos os maus hábitos e, maus exemplos do pai ou da sua própria família meu deus. E é como se costuma dizer e, quem sai aos seus não desonera meu deus. E como eu já escrevi antes e, que quando eu era pequeno e, tudo aquilo que eu via fazer ao meu pai e, que eu também o queria fazer meu deus. E eu agora vou-lhe contar uma historia verídica e, sem ser algum conto meu deus. E porque a lenda de Jesus é um conto meu deus. E quem conta um conto aumenta um ponto meu deus. E foi por isso que a lenda de Jesus foi a maior mentira que existe e, em todo o universo meu deus. E em primeiro lugar meu deus é que ninguém queria ver Jesus vivo meu deus. E que era para ele não vir a descobrir toda a mentira das mulheres casadas ou comprometido meu deus. Ou de todas aquelas que viviam ou vivem no adultério meu deus. E que elas não vivem e, por amor a alguém e, nem vivem para o bem de ninguém meu deus. Mas sim elas vivem e, é por uma indisciplina do que é o bem ou do que é o bom meu deus. E elas nem são para elas próprias e, nem para os seus próprios filhos delas e meu deus. E elas fazem isso tudo para poderem conservar toda a sua própria mentira e, que está implantada e, em todo o universo meu deus. E foi por isso meu deus e, que tu deste a serpente de fogo a Eva meu deus. E foi por culpa de uma mulher, que existe o pecado mortal no mundo meu deus. Mas isto a mim causa-me algum transtorno e, um tormento muito grande meu deus. E porque eu também fui gerado e, amamentado numa grade mulher meu deus. E que foi a minha sagrada mãe e, que tem sofrido tanto para me poder criar e, educar meu deus. Mas tanto morre a mulher e, como o homem e, como morre o jovem e como morre o velho meu deus. E porque é que tu meu deus e, tiveste que criar o pecado mortal no mundo humano meu deus. Ou foi para você poder castigar e, tanto o homem de bem meu deus. Mas você meu deus e, tanto castiga o homem de bem como castiga o homem mau meu deus. Mas quando eu me tenho referenciado e, em justiça meu deus. Mas será que nunca ouve ninguém justo em toda a humanidade meu deus. E tudo aquilo que eles não queiram para eles, mas de tudo fazem e, para o próximo ter desgraças e, que é para eles se poderem rir com a infelicidade do próximo meu deus. Mas quando eu nasci meu deus e, eu já nasci com ódio aos homens maus e, às mulheres más meu deus. Mas tanto eu ou como outra criança qualquer e, é gerada e, no amor dos seus próprios pais meu deus. E eu sempre ouvi dizer isto e, seja menino ou seja menina ou seja lá aquilo que for meu deus. Mas desde que venha na graça de deus e, que deus lhe dê saúde e, amor e, para se poder criar e, em amor e, paz meu deus. Mas na comunidade e, em que eu estou vivendo e, não acontece de nada disso meu deus. Ou eu tenho que estar a pagar o meu próprio mal uma vida inteira meu deus. Ou você meu deus e, não fará justiça perante toda a humanidade que esteja vivendo nas injustiça meu deus. E quando eu vejo e, com os meu próprios olhos injustiças praticadas e, por outros seres humanos como eu meu deus. e que tem as mesmas necessidades que eu tenho meu deus. E que é de viverem com amor e paz meu deus. E eles andarem e, a fazerem guerra a mim que sou um homem de amor e, paz meu deus. E por eu não querer aceitar as leis religiosas deles meu deus. E isso não é uma injustiça do mais malvado que possa existir e, perante toda a humanidade meu deus. E só por eles viverem na ganância e, no ódio e, na mentira e, nas maldades pegadas meu deus. E eu só lhe peço a si e, para que você meu deus e, olhe lá do seu bom lugar e, que venha a fazer justiça meu deus. E para quem você o deve vir a fazer meu deus. E que nunca venha a pagar um justo ou um inocente e, por o mal dos outros todos pecadores meu deus. E quando eu era pequeno e, também eu já era pecador meu deus. E esta pergunta veio-me e, muitas vezes á minha cabeça meu deus. E depois de eu ter estudado e, tudo aquilo que eu tenho estudado meu deus. E eu só consegui tirar esta conclusão meu deus. E se eu nasci no pecado e, tudo aquilo que eu fiz até me arrepender e, de todo o mal meu deus. E foi um pecado mortal pegado meu deus. E sem eu ter e, alguma consciência do eu estava fazendo meu deus. E porque é que você meu deus e, me permitiu a mim e, eu fazer tantos pecados mortais meu deus. E você meu deus e, me tem mantido vivo e, se você quisesse fazia-me num sopro meu deus. E eu houve uma vez e, eu ainda lhe disse a si meu deus e, que para você me fazer sofrer da forma que eu estava sofrendo meu deus. E sem eu fazer mal a nada e, nem a ninguém meu deus. E que mais valia eu morre do que viver a sofrer meu deus. E quando se vive num sofrimento causado e, por outros seres humanos que o fazem simplesmente para se poderem rir do mal que causam aos outros meu deus. E é mesmo muito ingrato e, alguém viver com o mal dos outros meu deus. Ou eu estar e, sendo persuadido e, ofendido por eu não admitir a mentira deles meu deus. E é uma coisa do mais malvado que possa existir á face da terra meu deus. E sem eu poder fazer justiça pelas minhas próprias mãos meu deus. Se não eu e, estou e, é entrando e, no mau caminho dessas pessoas todas de muito má porte meu deus. E sem elas terem e, alguma consciência do que é o bem ou do que é o mal meu deus. Mas quando eu lhe falei e, em amor verdadeiro e, todas as pessoas me censuraram a mim meu deus. E seria porquê meu deus. É que nunca teria existido alguém e, na vida humana e, a amar realmente de verdade meu deus. E eu hoje e, já com toda a minha responsabilidade e, de eu saber o que é realmente amar de verdade meu deus. Mas eu fui manipulado ou até apunhalado e, por as pessoas com que vivia nessa altura da minha vida meu deus. Ou com quem eu convivia ou até muito e, eu me divertia meu deus. E só por eu lhe dizer e, que eu já tinha encontrado o meu amor de verdade meu deus. E que eu iria lutar e, para o poder ter ao meu lado e, com a minha melhor arma meu deus. E que é eu amar e respeitar de verdade meu deus. E tendo eu e, em consideração e, a todas as pessoas que tem estado envolvidas no meu bom caminho meu deus. E isto tem estado a ser e, um caso de vida ou de morte meu deus. Mas eu hoje em dia e, com todo o seu amor de verdade meu deus. E eu já tenho a minha certeza do que é o amor de verdade meu deus. E é a maior riqueza e, que algum ser humano possa ter na sua própria vida meu deus. Mas foi com grandes dores e, sofrimentos e, sacrifícios e, de muita boa gente e, que me tem acompanhado e, em toda esta minha caminhada da verdade meu deus. E do amor e da compreensão e, aonde possa existir a paz e, que tanta pessoas tem fugido á verdade e, para deixarem de viverem em paz meu deus. Mas sim elas viverem e, é em guerras e, tudo e, simplesmente por viverem num orgulho desvairado ou amaldiçoado por eles próprios meu deus. E de eles fugirem e, á pura da verdade e, de eles próprios saberem e, aonde existe a verdade meu deus. E sem haver amor de verdade no próprio ser humano e, não se chega á nossa própria justiça meu deus. Mas sem haver amor verdadeiro e, alguma vez poderá haver justiça meu deus. E alguma vez poderá haver verdade e, em algum ser humano que não viva a verdade meu deus. E que não ame de verdade a ele próprio e, a si meu deus. E sem algum ser humano ter amor de verdade e, como poderá alguém a vir a encontrar a sua própria felicidade meu deus. E haverá alguém e, que tenha a coragem e, de conseguir chegar e, ao pé de si meu deus. E de lhe pedir todo o seu perdão e, de ter todo o seu arrependimento do mal meu deus. Ou alguém sem arrependimento poderá vir a conseguir a praticar e, só o bem perante si meu deus. E sem esse alguém amar de verdade e, praticar o bem de verdade e, sem cobrar nada a ninguém meu deus. Ou alguém e, partilhar com alguém e, o melhor que possa existir e, que há meu deus e, que é amor de verdade entre um homem e uma mulher meu deus. E que os dois corpos se unem num só corpo meu deus. E que se num só pensamento e, num só espírito e, numa só alma meu deus. E eu e, muitas das vezes fico pálido e, é comigo próprio meu deus. E quando eu vejo as pessoas a falarem de amor de verdade e, elas próprias andarem e, é a fazer mal e, a outras pessoas que tende as mesmas necessidades que elas próprias têm meu deus. E como é que alguém e, pode vir a falar de amor de verdade e, se anda cobiçando a mulher do próximo meu deus. Ou a mulher do próximo se anda cobiçando o homem da outra mulher meu deus. E como é que alguém consegue ser feliz e, andando fazendo mal a outro ser humano e, que sabe tudo aquilo que quer para ele próprio meu deus. E eu hoje em dia e, eu sou um homem e, muito magoado e, chocado e, por muitas coisas que existem incoerentes meu deus. E que isso tudo vem de pessoas e, que são e, é mesmo muito mal dizentes meu deus. E sem elas próprias terem e, alguma testemunha e, que quer que seja e, que é para que elas poderem e, justificar ao mundo e, aonde existe o amor de verdade meu deus. E seja aqui ou ali ou aquilo que for meu deus. Mas que você meu deus e tenha toda a sua compreensão e, onde possa existir o amor de verdade meu deus. Mas eu fico e, é muito triste e, é com certas e determinadas coisas que me acontecem a mim mesmo constantemente meu deus. e que é de eu ser caluniado por pessoas orgulhosas e maldosas meu deus. E que elas ainda dizem e, em praça publica e, que eu ando e, com esta ou com aquela meu deus. E isso tudo sendo falso e, inadmissível meu deus. E porque eu aprendi e, com toda a sua graça e, com todo o seu amor meu deus. E a respeitar a mulher para quem eu vivo e, para quem eu faço de tudo meu deus. E que é para eu poder estar com ela a meu lado e, aonde quer que seja meu deus. e porque eu e, com toda a sua graça e, eu aprendi e, a respeitar-me a mim próprio e, a si meu deus e, á mulher que eu amo de verdade ou a qualquer pessoa que me respeite a mim e, ao meu amor de verdade meu deus. E sem haver humildade e, como é que poderá haver o perdão a outros seres humanos meu deus. Ou como é que poderá haver compreensão e, sem haver amor de verdade meu deus. Ou de nós vermos e, aonde existe o homem de bem ou a mulher de bem meu deus. E quando existe amor de verdade e, entre dois seres humanos existe o perdão meu deus. Mas se não existe amor de verdade e, entre dois seres humanos e, isto é com toda a minha certeza meu deus. E que não pode existir o perdão desses dois ser humanos meu deus. E ainda muito menos esses dois seres humanos e, eles poderão ter e, é a compreensão meu deus. E de onde pode existir o bem ou o mal meu deus. Mas sim e, o que existe e nesses dois serdes humanos é o orgulho próprio deles meu deus. E se existe o orgulho e, é porque esses dois serem humanos vivem e, é no próprio fanatismo meu deus. E que esse fanatismo seja lá daquilo que for meu deus. E isto é a forma que eu tenho de ver as coisas e, de eu próprio pensar nessas coisas todas meu deus. E muita gente me diz a mim e, tu estarás certo ou errado. Mas eu não sou deus, mas sim vivo e, é para o meu deus. E se eu estou errado em algum pensar meu e, você meu deus e, me ensina e, todo o seu bom caminho meu deus. E que é o caminho da justiça e, da vida eterna meu deus. E eu adoro as pessoas que me adoram a mim meu deus. E eu amo quem me ama a mim de verdade meu deus. E eu respeito e, a quem me respeita a mim meu deus. Mas quando eu lhe falei a si meu deus e, se de todo o fanatismo que existia e, quer ele seja daquilo que for meu deus. E é mesmo uma coisa e, da pior espécie que possa existir perante toda a humanidade meu deus. E porque é que você meu deus e, tem mantido a mentira e, o fanatismo em toda a humanidade meu deus. E que tem sido toda a sua vida eterna meu deus. E eu muitas das vezes e, fico a pensar para comigo mesmo meu deus. E se eu serei o único ser humano e, que se tenha arrependido de todo e, qualquer tipo de mal meu deus. Ou se haverá mais alguém ainda e, que eu desconheça meu deus. E que se tenha também arrependido de todo e qualquer tipo de mal meu deus. Mas eu e, sempre ouvi pronunciar esta frase meu deus e, que a verdade adie vir sempre ao decima meu deus. e que o bem vence sempre o mal meu deus. Mas eu hoje já cheguei a uma conclusão meu deus e, enquanto existe um ser humano bom e, a estudar o bem para toda a humanidade meu deus. E a viver a sua própria verdade meu deus. Mas todo o resto da humanidade e, vive é na mentira e, a estudarem o mal meu deus. E como é que você meu deus e, pode permitir tanta ruindade e, em toda a humanidade meu deus. Mas eu agora lhe vou perguntar e, uma coisa muito melindrosa meu deus e que é sobre uma crença qualquer e, que possa existir á face da terra meu deus. E que eu também as tenho que respeitar e, a todas as crenças e, opiniões ou outras decisões de todos os outros seres humanos meu deus. Mas quem é que respeita a minha crença meu deus. Mas quanto é que todos os meus antepassados e, não davam para poderem ver e, tudo aquilo que você meu deus. E hoje em dia lhe mostra tudo á vista desarmada meu deus. E sem que ninguém tenha e, é que pagar e, para verem e, seja lá aquilo que for meu deus. E tudo graças a si meu deus e, que é o único e, o maravilhoso e, o autentico deus que existe e, em toda a humanidade meu deus. E muito querido e adorado mas tudo o resto e, por mim tem sido desprezado e abandonado meu deus. E até eu ser e, é um homem e, muito necessitado meu deus. Mas a minha maior necessidade e, que tem existido e, é de justiça meu deus. E como é que você meu deus e, tem permitido tantas injustiças e, tantas fome e, tanta sede e, tantos rancores e, tantos ódios meu deus. E tanta mentira existente e, em toda a humanidade meu deus. Mas quando eu e, lhe falei e, em crenças meu deus e, é que em toda a vida humana e, as crenças tem sido postas e, em qualquer estado e, á força de armas ou de maldades pegadas e, por seres humanos que só pensam neles próprios meu deus. Mas como é que você meu deus e, pode permitir e, tanta criminalidade e, em toda a humanidade religiosa meu deus. Mas o arrependimento e, de um qualquer ser humano e, que possa existir e, é a coisa mais linda que possa existir e, perante você meu deus. E sem haver arrependimento meu deus e, como é que é possível e, algum ser humano converter-se e, a todas as suas leis meu deus. E isto tudo do arrependimento e, é porque nunca existiu e, algum ser humano na face da terra e, a vive-lhas todas as suas leis meu deus. E se todas as suas leis e, são o amor verdadeiro meu deus. E porque é que em toda a humanidade e, em primeiro lugar está o maldito do dinheiro meu deus. E o interesse próprio ou monetário e, está sempre bem patente e, em todas as comunidades religiosas meu deus. E foi por que elas nunca se interessaram e, nem por o amor e, nem pela paz de toda a humanidade meu deus. E ainda muito menos elas se interessaram e, por o bem de alguém ou pela verdade de quem quer que seja meu deus. E em toda a minha vida e, eu ouvi falar e, no seu maior mandamento meu deus. E que é o mandamento do amor e, que é subsistente e, perante tudo e, todos meu deus. Mas á tanta coisa e, que a mim mesmo e, que me incomodam meu deus. E que é de eu estar a presenciar o amor falso vivido e, em toda a humanidade meu deus. E isto agora e, é como eu presencio o amor vivido e, em toda a humanidade meu deus. E que é uma impura diversão e, de estarem a brincar e, com os sentimentos de outras pessoas que tem as mesmas carências que elas tem meu deus. E que isso perante a minha própria pessoa, é a maior ingratidão que possa existir perante mim meu deus. E que é de eu estar e, a presenciar e, a certos e determinados desaforos e, que são feitos por outros seres humanos que só vivem na impura ilusão ou da impura fantasia e, do que é o amor verdadeiro meu deus. Mas o amor não é uma impura distracção na humanidade meu deus. Mas sim e o amor é prazer de viver e, é alegria de se estar com quem se ama de verdade meu deus. E sem haver prazer e, não pode existir alegria de viver e, ainda muito menos haver felicidade de se viver meu deus. Mas o amor verdadeiro e, quanto mais se tem e, mais se quer ter meu deus. Mas quando eu encontrei o meu amor de verdade e, eu fiquei e, foi parado no tempo e, foi para eu poder reflectir e, até muito mais o sentir e, a penetrar no meu coração meu deus. Mas sem deus e, alguém consegue encontrar a sua total felicidade meu deus. Mas se deus é amor de verdade e, em todo o ser humano que seja humilde e, dedicado a deus eterno e, pacifico. Mas eu e, em tudo aquilo que eu li nas escrituras. E que deus é contra a qualquer guerra e, a qualquer ser humano que seja desordeiro e interesseiro meu deus. e porque deus é o mais perseverante e, constante e, que tanto anda na boca de todos os seres humanos. Mas tanto a palavra de deus anda na boca dos homens de bem e, como também anda na boca dos homens maus meu deus. E se deus é o justiceiro e, em todas as suas decisões e, também deus dispensa qualquer uma opinião e, de qualquer um ser humano. Mas porque e, em todo o universo e, á um só deus e, sem que algum ser humano e, possa alterar e, seja qual for a sua lei e, que foi imposta por deus. E foi e, desde a formação e, de o primeiro homem Adão e, da primeira mulher a Eva. E foi por culpa de todos os seres humanos e, que ninguém sequer que quisesse seguir as suas próprias leis meu deus. E foi por isso de ninguém querer seguir as suas leis que existe o pecado mortal meu deus. E que o nosso próprio pecado e, vai até às nossas quartas ou quintas gerações meu deus. E sem que aja e, nem que pôr e, nem que tirar nada das suas leis meu deus. Mas se fosse á vontade de cada um e, para uns era agua no Nabão e, sol na eira meu deus. Mas também a vida humana e, não é feita de guerras meu deus. Mas sim de muito amor e, muita paz e, muitas alegrias meu deus. E sem que tenha que haver e, algumas dependências exuberante ou exploradoras e, perante toda a humanidade meu deus. Mas eu como tenho feito e, de tudo um pouco e, que foi para aprender a amar e, a respeitar de verdade meu deus. E que a melhor forma que eu encontrei na minha vida e, sem ter que fazer excepção de pessoas e, foi eu ignorar e, todo o ser humano que ande em guerras e fanatismos escandalosos meu deus. Mas se eu não estiver certo e, em todas estas minhas decisões meu deus. E você me ensine e, todo o seu caminho da verdade e, do amor meu deus. E que é para eu poder vir a encontrar a minha paz total meu deus. E em vida e, não é depois de morto meu deus. E eu lhe peço e, por todo o amor e, que eu tenho por si meu deus. E você meu deus e, me torne imortal que eu adoro as suas leis e, a sua disciplina meu deus. E sem que eu tenha e, é que estar inserido e, numa sociedade ou numa comunidade de homens falsos e, de mulheres falsas meu deus. E eu só lhe peço e, que você meu deus e, me ensines e, todo o seu caminho da imortalidade meu deus. E eu ainda lhe vou dizer e, mais isto meu deus. E é depois de eu ser e, tanto atormentado e, desprezado e abandonado e, por tudo e todos meu deus. e até pelos meus próprios pais e, até pelo meus familiares meu deus. E até aquelas pessoas que eu mais amo e, também elas me armam guerra meu deus. E isso tudo por eu não aceitar as disciplinas deles e, as doutrinas deles meu deus. E isso é muito ingrato e, por tudo aquilo que eu tenho passado meu deus. E tudo aquilo que eu tenho sofrido meu deus e, é aquilo que só eu e, você o sabemos meu deus. E por isto tudo é que eu me confesso e, é a si meu deus. E porque de momento e, eu não confio em alguém ou não confio em ninguém meu deus. Para eu lhe poder dizer sequer e, como é que eu estou a sofrendo meu deus. E como você o sabe meu deus e, todas aquelas lágrimas que tenho chorado meu deus. E tudo por culpa de eu amar realmente de verdade ao meu semelhante meu deus. E sem eu sequer lhe poder dizer a ela e, que a amo de verdade meu deus. E de tudo aquilo e, que existe de bom ou de bem ou que seja justo e, que eu e o quero fazer e, é com ela com a mulher que eu amo de verdade meu deus. E ainda por cima e, á pessoas e, que se dizem ser minhas amigas e, que me andam e, é apunhalando e, é pelas minhas próprias costas meu deus. Mas eu e, quando estou escrevendo e, todas estas minhas palavras e, é com todas estas minhas dores e, lamentações de eu não ter alguém sequer para poder desabafar meu deus. E quando eu estou meditando consigo e, é porque eu já não aguento mais a minha própria dor meu deus. E se você me permite e, de eu lhe dizer e, que eu sou um ser humano e, como você meu deus sabe como eu sou. E você sabe tudo aquilo que eu não quero para mim e, que eu também não o quero para mais ninguém e, meu deus. E se você meu deus e, aja que eu mereço sofrer desta forma e, como eu estou sofrendo meu deus. Mas e, se o amor não é ódio e, porque é que tanta gente me odeia a mim meu deus. E é por eu ser pobre e, eu ser honesto e, hoje em dia e, de eu viver e, só com aquilo que é meu ou com aquilo que me dá o meu deus. Mas e se eu não der amor de verdade e, o que me darão a mim e, em troca meu deus. E será o ódio e a vingança e, a maldita da mentira meu deus. Mas haverá alguém que consiga conquistar outra pessoas com a mentira meu deus. Ou mais tarde ou mais cedo e, a verdade vem sempre ao decima meu deus. E se eu já conquistei alguém meu deus. E foi com toda a minha verdade e, a que possa existir no mundo meu deus. E isto é com toda a minha sinceridade meu deus. E com o decorrer dos meus anos de vida e, eu foi adquirindo a minha própria maturidade meu deus. Mas eu e, em menino e, eu não tinha e, era alguma maturidade de vida meu deus. Mas foi você e, que me a foi dando e, com todo o seu amor honesto e perfeito meu deus. E acima de tudo meu deus e, foi a você e, em primeiro lugar e, que eu aprendi a amar de verdade meu deus. E como você também sabe e, que eu até com a minha própria obesidade tive que lutar meu deus. E para mim e a poder vencer meu deus e, tive que abdicar e, de muitas coisas do mau caminho meu deus. Mas foi a partir desse momento e, a partir dai e, que eu aprendi a amar-me a mim mesmo meu deus. Mas foi também e, para depois e, eu poder amar de verdade o meu semelhante meu deus. Mas em toda a minha vida percorrida e, eu tive sempre, imensas dificuldades e, em certas e determinadas coisa meu deus. E porque é que a minha vida e, foi sempre tão difícil para mim mesmo meu deus. E em toda a minha vida e, eu senti em mim mesmo e, quando eu estava a ser bem olhado, ou quando me estavam a dar maus-olhados meu deus. E porque é que as pessoas e, dão coisas tão ruins meu deus. A outros seres humanos que tem as mesmas necessidades que eles e as mesmas carências deles meu deus. E se todos nós e, temos todos as mesmas necessidades e, para poder-mos ser felizes meu deus. E como é que foi possível e, você meu deus e pôr coisas de tão ruins e, de tão más na vida humana meu deus. Mas não foi para você meu deus e, fazer o mesmo que a maioria dos seres humanos faz meu deus. E que é gozarem e rirem do mal dos outros meu deus. E eu fico muito triste e, é quando vejo alguém gozar e, com os sentimentos de outra pessoa qualquer e, que sabe e, por tudo aquilo que luta e, por tudo aquilo que quer para o bem de toda a humanidade meu deus. Mas eu e quando pratico e, alguma coisa de mal ou de errado e, eu arrependo-me e, porque é que eu o fiz meu deus. E as outras pessoas e, também elas não terão o seu arrependimento meu deus. E que é de fazerem mal ou de andarem e, a fazer o mal a outros seres humanos que são como eles meu deus. Mas quando eu ando e, pratico o bem e, eu ai sim e, consigo deitar-me e, na minha própria cama e, de ter toda a consciência tranquila meu deus. E que eu pratiquei o bem e, que eu fiz boas acções meu deus. Mas quando eu erro ou pratico mal e, eu ai e, fico e, é com um grande peso na consciência meu deus. E porque é que eu fiz isto e, que eu não o devia ter feito meu deus. Mas quando eu ando e, vivo a verdade e, ando no caminho de você meu deus. E quando eu reconheço os meus próprios erros e, que erro praticamente todos os dias meu deus. e depois de eu ter tempo para poder reflectir e, a primeira coisa que eu faço e, é pedir-lhe o meu perdão por eu ter errado meu deus. e também eu quero e, é pedir o meu perdão e, com as pessoas que eu tenha errado ou que eu possa e, é já anteriormente e, ter errado com quem quer que seja meu deus. Mas e o resto da humanidade e, não procederá desta forma que eu procedo e, que é de me arrepender de praticar o mal meu deus. Ou será o próprio orgulho do ser humano e, que não os deixa ver que estão mal e, que estão errados meu deus. E eu aqui fico e, é muito triste, mas mesmo muito triste e, desiludido e, é com todo o ser humano e, que não reconhece o seu próprio erro ou seu próprio mal meu deus. E após de eu ter tido e, todo o meu reconhecimento e, do meu próprio erro ou do meu próprio mal meu deus. E isto é a coisa e, mais certa e, que possa existir á face da terra meu deus. E se eu tenho os meus sentimentos e, de ser eu próprio a ver e, aonde é que pode estar o meu próprio erro ou o meu próprio mal meu deus. Mas se as outras pessoas são como eu e, será que elas nunca se arrependem e, do seu próprio mal meu deus. E do mal que possam fazer e, a quem quer que o seja meu deus. Ou do mal que estão fazendo a inocentes e, a pessoas de bem meu deus. E eu agora gostava de lhe poder fazer esta pergunta meu deus. E se essas pessoas e, elas próprias terão e, é algum sentimento e, do que é o bem ou do que é o mal meu deus. E elas ainda dizem que eu sou e, é um homem e, sem ter algum sentimento e, do que está bem ou do que está mal meu deus. Mas como é que eu poderia e, saber o que é amar de verdade e, se eu não teve-se sentimentos meu deus. E como é que eu próprio e, poderia ter chegado alguma vez a este seu mandamento meu deus. e tudo aquilo que não presta para mim e, também não pode prestar para mais ninguém e, se eu não quero o que não presta para mim e também eu o não quero e, é para mais ninguém e, tudo aquilo que não presta meu deus. E se eu próprio e, não viver e, todo este mandamento e, em todo o lugar e, que eu possa estar meu deus. E como é que posso estar no seu bom caminho meu deus. E eu sabendo mesmo e, que você meu deus. E é contra tudo aquilo que seja o mau caminho meu deus. E você também sabe meu deus e, que a mim mesmo e, já me fizeram testes á minha mente ou á minha personalidade meu deus. E que era para os senhores doutores ou as senhoras doutoras verem e, se eu era e, um homem com consciência meu deus. E você sabe o meu porquê disto tudo meu deus. E é que eu e, entreguei-me todo a si e, foi de corpo presente meu deus. E que era e, é para você meditar e, tudo comigo e, todo o caminho da salvação e, que é para todo o ser humano e, que se queira converter e, a todas as suas leis e, chegar á sua própria imortalidade meu deus. E eu e, ainda fico e, é mesmo muito triste e, é quando eu oiço dizer aos cristãos meu deus. Mas Jesus nunca errou e, se ele nunca errou e, como é que poderia ensinar o que era o bem ou o que é bom caminho meu deus. Mas se não houver e, é a pura da verdade e, em todo o lugar e, que possa existir amor de verdade e, paz meu deus. E como é que poderá haver felicidade e, no próprio ser humano meu deus. Mas se eu não viver e, com todo o meu amor de verdade e, como é que eu posso chegar e, é a ter a minha própria felicidade meu deus. E se eu não viver com amor de verdade e, em todo o lugar meu deus. E eu sou e, é um Zé-ninguém e, que anda ai á face da terra e, é por ver andar os outros seres humanos meu deus. E se eu vive-se sem amar de verdade e, era o mesmo de andar atrás da banda meu deus. E é o mesmo de viver e, sem eu ter algum objectivo de vida meu deus. E é o mesmo de eu não ter encontrado o meu amor-próprio e, de eu ter a minha própria auto-estima meu deus. E se eu não viver com convicções e, do que é o bem ou do que é o mal meu deus. E como é que eu poderei encontrar o meu amor de verdade meu deus. Ou de eu ter a minha própria personalidade meu deus. E como é que eu posso ter a minha própria personalidade e, se eu não souber dizer o não e, aonde eu o tiver que dizer ou aonde eu o tenho que dizer meu deus. E como é que eu e, poderei dizer o sim e, aonde o tiver que dizer ou aonde o tenho que dizer meu deus. Mas se eu tiver a viver oprimido e, eu nessa altura e, não estou sendo feliz meu deus. Ou se eu tiver oprimindo alguém e, com toda a minha certeza e, que eu estou fazendo e, é alguém infeliz meu deus. E como é que eu posso ser justo e, é comigo próprio meu deus. E que é para eu depois poder ser e, é justo e, é com todas as outras pessoas que eu possa estar a oprimir meu deus. Mas também todas as pessoas que me possam estar a oprimirem meu deus. E também elas não podem ser justas e, nem com elas e, nem com ninguém meu deus. E quando um qualquer ser humano é injusto e, vive e, é a partir dai e, é num mundo de ilusões meu deus. E se para mim mesmo e, a ilusão é a maior mentira que pode existir á face da terra meu deus. Mas se eu tiver vivendo na opressão e, eu estou vivendo e, é com medo meu deus. Mas eu fico e, é com um grande arrependimento ou então fico e, é com um grande sentimento de culpa meu deus. E porque é que eu errei e, com fulano ou com beltrano meu deus. E se todo o ser humano quando nasce e vem a este mundo e, é para ser feliz meu deus. E porque é que você meu deus e, consente tanta maldade no ser humano meu deus. E que é feito de todo o género e, ridículo e, que é feito por pessoas ambiciosas meu deus. E que essas pessoas ambiciosas e, por um copo de vinho e, elas são capazes de se venderem a elas próprias meu deus. Mas se eu tiver e, é vivendo e, com medo e, seja lá daquilo que for meu deus. E eu nessa altura estou é pecando e, estou também é praticando o mal meu deus. E aonde houver medo á maldades e, á mentiras e, á ruindade e, sujidade meu deus. Mas se eu estou vivendo o seu mundo e, eu ai tenho e, é que me sujeitar e, a tudo aquilo que você me queira dar meu deus. Mas eu só lhe peço e é uma coisa muito importante meu deus. E que você me livre e, é de todo o mal que possa existir em todo o universo meu deus. e que tudo o que eu só quero e, é viver e, é em paz e amor de verdade meu deu e se eu lhe estou pedindo a si meu deus e, o bem e o bom meu deus. e porque é que você já me tem feito sofrer duma forma destruidora meu deus. E tanto que eu tenho sofrido e, sem ter alguém e, para lhe poder dizer basta pára e, chega que eu estou sofrendo horrivelmente meu deus. E se eu tudo aquilo que eu quero e, para todos os meus inimigos e, é amor e paz meu deus. E que você meu deus e, me deis a sua liberdade e, de ser eu a escolher e, todo o meu bom caminho meu deus. E sem eu ter que estar e, é a depender de ninguém meu deus. E desde que eu nasci e, que eu tive que viver e, foi uma vida de dependências meu deus. E se eu estou vivendo ainda numa vida de dependências meu deus. E não basta de eu já lhe ter dado toda a sua honra e, as suas graças e, que foram para si meu deus. E foi por você me ter libertado e, de todas as dependências tóxicas meu deus. E se eu ainda tenho e, é que estar e, é dependendo e, de perseguições e maldições constantes e, de outros seres humanos maus meu deus. Mas como eu fico feliz e, é quando eu vejo e, revejo e alguém que nos acolhe e, que nos compreende e, que nos ama de verdade meu deus. E quando eu cheguei e, a uma certa altura da minha vida e, eu a duvidar e, que houve-se alguém e, que ama-se de verdade e, como eu amo de verdade meu deus. Mas hoje e, eu presentemente e, cheguei e, a uma grande conclusão e, da vida presente meu deus. E que também existe e, é mesmo muito boa gente e, que também quer e, é tudo aquilo que eu quero meu deus. E que é amor e, sexo e, prazer de verdade e, que é para poder vir a encontrar e, a sua própria paz interior e, exterior meu deus. Mas como é que eu poderia e, era ser feliz e, se eu não teve-se de recolher o fruto do amor de verdade que eu plantei e, com toda a minha verdade meu deus. Mas para mim mesmo e, não existe de nada mais importante e, é do que eu ficar realizado sexualmente após o meu acto sexual meu deus. Mas ainda eu fico e, é muito mais feliz depois de eu saber que tudo aquilo que eu fiz foi uma obra de arte meu deus. E que é para eu poder ficar e, com toda a minha consciência tranquila e, que a mulher que eu amo de verdade e, que ficou mesmo muito realizada e, ainda muito mais do que eu e, foi sexualmente e, no interior e, no exterior meu deus. E é como eu li nas escrituras e, que deus gosta ainda muito mais de dar do que de receber meu deus. Mas quem é que não fica feliz e, é quando vê alguém que nos olha e, com um desejo sexual inesquecível meu deus. E esse alguém e, mais tarde querer realizar e, todo o seu sonho de mulher e, todo o seu desejo sexual com quem ama de verdade meu deus. E eu como homem e, como sou um doido varrido e, é por sexo real e amor real e prazer real e, tudo isso acontece no acto conjugal e, quando existe amor de verdade meu deus. Mas sem haver prazer e, desejo de ambos e, não se poderá dizer e, eu hoje sou um homem realizado meu deus. E quer economicamente ou quer sexualmente meu deus. Mas o sexo é a semente da esperança e da salvação e, de uma qualquer relação de amor verdadeiro meu deus. E sem que ter ser feito a troco de qualquer dinheiro meu deus. Mas sim tem é que ser feito e, com muito amor de verdade meu deus. E tem que haver e, é muito desejo sexual da mulher da mulher que nos quer ter meu deus. E de eu ter e, é muita tesão e, que é para eu e, a poder vir a realizar e, em todos os seus sonhos de mulher meu deus. Mas eu e, com toda a minha humildade e, até o posso dizer meu deus. E que eu sei e, é quando uma mulher me está desejando a mim sexualmente meu deus. E nessa altura o meu pénis fica e, é mesmo muito erecto e furioso meu deus. Mas porque é que muitas das vezes não lhe querem fazer e, é a sua própria vontade meu deus. e porque é que será meu deus e, que até no desejo sexual e, eu tenho que estar e, é a ser e, é mesmo muito oprimido meu deus. Aí meu deus e, como eu tenho chamado por si e, em todas as minhas horas de angústia e, de aflição meu deus. Mas como é que eu tenho e, é estado e a ser escorraçado e, sem ninguém estar do meu lado meu deus. E sem eu estar a dar e, algum motivo de injustiça e, perante quem quer que o seja meu deus. Mas como é que você meu deus e, pode estar e, é a permitir e, tanta incredulidade dos hipócritas meu deus. E eu esforçando-me e, de todo o meu amor por si meu deus. Mas com tudo isto e, que é para eu poder estar a dar e, é a ver e, como a justiça e, adie vir sempre ao de cima meu deus. Mas á tantas horas do dia ou tantas horas da noite e, que eu me sinto e, é mesmo muito rebaixado meu deus. Ou será e, é tudo isso e, é por eu ser e, é um homem muito apaixonado meu deus. E de tudo de bem e, eu o tenho feito e, que é para eu poder vir a chegar e, até ao pé de si meu deus. E que é para você meu deus e, me poder vir é a perdoar e, de todo o mal que eu possa ter praticado perante si meu deus. Mas quando eu olho e, vejo e, é tanta injustiça a ser praticada e, é em praças publicas meu deus. E que isso a mim próprio e, só me dá e, é a vontade e de eu e, nunca mais eu os poder a vir e, é a olhar nos olhos deles meu deus. Mas você meu deus e, também você o sabe e, todo o meu porquê meu deus. E de onde vem toda esta minha revolta ou desta toda minha revolta meu deus. Mas você também sabe e, que eu vivo e, é para mim mesmo e, para si meu deus. Mas eu também vivo e, é para quem viva todas as suas leis de verdade meu deus. E porque eu abdiquei e, foi de viver e, para quem quer que seja meu deus. E esse quer que seja, que viva outras doutrinas falsas e, vingativas meu deus. E foi assim desta forma que eu compreendi tudo aquilo que eu estudei das suas leis meu deus. Mas se eu não tiver no caminho certo e, que venha você meu deus á terra e, ensinar-mo por favor meu deus. Mas se eu estou no caminho certo ou se é assim que eu deveria continuar a viver meu deus. Mas também e, se eu não tiver certo ou em algum dos meus actos e, que você meu deus me ensine e, me repreenda e, que é para eu poder vir a caminhar e, é em todo o caminho do bem e da verdade meu deus. E que é também para eu poder vir a ter o meu amor de verdade a meu lado meu deus. E quer que seja de dia ou quer que seja de noite ou na cama ou no carro ou onde quer que eu esteja meu deus. E que eu possa ter e, é o meu amor de verdade e, sempre como a minha melhor companhia meu deus. Mas como você meu deus e, também o sabe e, que de tudo de mal e, o tem feito e, que é para me porem contra quem eu amo realmente de verdade meu deus. E isso tudo tem sido feito e, por muitas pessoas a quem eu sempre as tratei bem meu deus. Mas como é que algum ser humano e, pode vir a viver tranquilo e, estando a fazer mal a outro ser humano que precisa de tudo aquilo que ele precisa e, que é para poder sobreviver durante o dia e, durante a noite meu deus. Mas eu lhe peço e, é por tudo deste mundo e, eu viver sem eu ter que ter e, é alguma dependência meu deus. Mas o amor não é uma dependência e, nem amar de verdade e, também não é uma dependência meu deus. Mas eu também sou um homem muito responsável e, nem tenho medo de dizer ou de escrever ou de eu um dia vir a publicar e, que eu sei felizmente e, com toda a sua graça e, com todo o seu amor meu deus. E que eu amo realmente de verdade e, é uma mulher do mais lindo que eu alguma vez pensei que pode-se existir á face da terá meu deus. E ela é tão bonita e, tão bela e, tão maravilhosa e, que eu fico e, é muitas das vezes e, sem palavras meu deus. Mas eu fico e, é com muito boas acções e, quer em privado e, como em publico meu deus. E nas praças publicas da minha aldeia e, existe uma grande diversão da população em geral meu deus. e que é de andarem a caluniarem e, a vida do próximo ou da próxima meu deus. E todos eles tendem esses grandes exemplos em nuas próprias famílias, ou esses grandes espelhos e, nas suas próprias casas desorganizadas e, marginalizadas meu deus. Mas eu fico e, é muito triste e, é quando eu vejo alguém e, andar a caluniar a vida do próximo ou da próxima ou a perseguir o caminho do próximo ou a fazer mal ao próximo meu deus. Mas também existem e, outros grandes exemplos e, na minha própria terra meu deus. E que é de os ricos serem louvados e, admirados e, são protegidos por tudo e, todos meu deus. Mas pelo contrário os pobres são postos de parte de toda uma comunidade maledicente meu deus. Mas também as outras pessoas e, ainda dizem, esse é pobre e, não tem nada para nos poder dar ó meu deus. Mas esse tal fulano rico tem muitas coisas para nos poder dar e, até o próprio ânus dele ó meu deus. E ele ainda tem muito mais para nos poder dar maus exemplos meu deus. E os maus exemplos desse fulano rico são constantes e, em qualquer praça publica que ele resida meu deus. e ele ainda diz e, comenta, eu sou rico mas o pobre é que me mete os cornos meu deus. E eu respondi-lhe, mas eu não faço o trabalho sozinho e, nem com a mulher do vizinho meu deus. Mas sim e, tudo aquilo que possa vir a fazer e, é com queira vir-se a redimir-se e, a todas as suas próprias leis meu deus. Mas também e, toda as pessoas sabem e, que eu estou e, é muito cansado e, é de ser muito marginalizado e, desprezado meu deus. Mas isto tudo acontece na minha própria terra e, sem eu sequer executar alguma maledicência e, seja com quem quer que o seja meu deus. Mas sim de eu ter a minha certeza e, do que você é real meu deus. E de eu me esforçar para poder viver e, é todas as suas leis meu deus. Mas agora e, esses tal fulano e, andar me e, é a querer pôr os dedos nos olhos meu deus. Mas isso é que eu não posso e, é autorizar e, nem isso sequer é possível e, é de eu deixar-me pisar ou até de eu me deixar rebaixar a tudo aquilo que eu tenho já dado e, de eu ter todas as minhas provas dadas meu deus. Mas você meu deus e, também o sabe e, que eu lhe jurei a si e, á mulher que eu amo de verdade e, ama-lha e respeita-lha a vida eterna meu deus. Mas você também sabe e, tudo aquilo que eu não quero para mim mesmo e, que eu também não o quero para mais ninguém meu deus. Mas por eu amar de verdade á mulher mais linda que alguma vez vi e, não é eu andar a praticar o mal e nem a fazer o mal e, aonde quer que seja meu deus. Mas sim e, eu estou a seguir o seu maior mandamento e, que é o do amor e respeito e, em todo o lugar que eu possa estar a ensinar e, toda a sua disciplina meu deus. Mas isto tudo que eu me acabei de referenciar e, é com toda a minha compreensão absoluta do que é a vida humana e, quer seja diária ou quer seja na vida nocturna meu deus. Mas esse tal fulano e, ainda comenta e, como tu és irrepreensível e tão agressivo e, tão explorador e, é de toda a verdade meu deus. e sem tu teres e, é algum ressentimento de culpa e, que é de toda uma comunidade de ingénuos e, de caloteiros e, de burlistas e, de fabricadores de enganos nas suas próprias bocas e, ó meu deus. Mas em que mundo em que eu tenho vivido e, em que eu estou vivendo meu deus. Mas quando você meu deus e, deu todas as suas provas a Moisés e ao seu povo meu deus. Mas nesse momento mesmo e, eles se conseguiram e, se extraviaram meu deus. E porque é que nunca existiu e, alguém interessado e, a seguir e, todas as suas leis meu deus. Mas é muito mais preferível e, seguir a todas as leis da hipocrisia meu deus, e os hipócritas ainda dizem e, as nossas doutrinas é que são as leis puras meu deus. Mas as doutrinas da hipocrisia são estas meu deus e, que é de andarem a prostituírem-se e, com falsos deuses e, de andarem a viverem á procura de ruindades nas casas de uns e outros ó meu deus. Mas quando alguém lhe fala em amor e, eles ainda lhe dizem tu estas é um grande maluco meu deus. Mas vai-te e, é curar-te e, que tu és, é um pedinte que andas por ai ó meu deus. Mas hoje em dia e, eu ainda lhe podia responder e, era desta forma meu deus. Eu sou um pedinte mas não sou um ladrão e, nem um caluniador e, nem um desertor e, nem um destruidor de toda a verdade meu deus. Mas quando eu lhe falei e, nas suas próprias leis e, que você meu deus deu a Moisés. Mas isto é a minha conclusão da vida presente e, que existe na sociedade em que eu vivo ou nas comunidades religiosas e quer elas sejam as cristãs ou as muçulmanas ou as budistas meu deus. Mas isto é a coisa mais certa e, que possa existir á face da terra meu deus. E que as suas leis não interessam a ninguém e, sejam elas cristãs ou muçulmanas ou budistas meu deus. Mas isto tudo e, por uma simples razão meu deus. E que é a ganância e, o egoísmo que existe em todo o ser humano meu deus. Mas tudo aquilo que existe de bom e, eles querem para eles meu deus. Mas tudo aquilo que eles não querem para eles meu deus. Mas tudo aquilo que eles não querem para eles. Mas nadam a fazer isso tudo ao próximo ou aos próximos meu deus. Mas você meu deus e, também o sabe que quando eu lhe disse e, lhe pedi o meu perdão, de todos os meus erros do meu passado e, que eu lhe disse e, foi a si meu deus. E que você me livra-se de eu ter que julgar e, a quem quer que fosse meu deus. Mas como eu não tenho e, absolutamente ninguém para eu poder sequer e, dizer que me dói aqui ou que me dói acolá meu deus. E é como eu sempre digo e, que estou e, é mesmo sozinho no mundo de deus e, da verdade e, do bem meu deus. E o que eu estou e, é rodeado de selvagens e, de ignorantes de toda a verdade e, de todo o bem e, de tudo o que é o bom á face da terra e, que é amar realmente de verdade meu deus. Mas quando você meu deus e, deu o seu primeiro mandamento a Moisés e, lhe disse a ele e, que o amor de verdade tem que se saber respeitar de verdade meu deus. Mas não é a odiar o próximo que se deve viver meu deus. Mas sim e, ama-lho como se ama a si próprio meu deus. Mas eu tenho a maior infelicidade de uma vida minha e, que é mesmo muito ingrata meu deus. E é que eu dediquei e, toda a minha vida a amar realmente de verdade meu deus. Mas será por eu me amar realmente de verdade e, a mim mesmo e, ao próximo meu deus Mas será por eu viver todo esse seu mandamento que eu sou tão odiado por as outras pessoas meu deus. E sem elas terem e, alguma razão para isso meu deus. Mas eu e muitas das vezes e, nem sei se hei-de dizer o bom dia ou a boa tarde às pessoas da minha terra meu deus. Mas eu e muitas das vezes e, fico é pensando para mim mesmo e, o que é que eu fiz para as pessoas me odiarem da forma que me odeiam meu deus. Mas isto é uma afirmação minha e, que é mesmo real meu deus. Mas eu não sei e, muitas das vezes como é que eu hei-de lidar com o próximo meu deus. Mas se isto tudo não for real e, que você me dê o seu castigo que eu mereça meu deus. Mas eu e, muitas das vezes e, fico pensando e, se eu sou rejeitado por tudo e, todos e, é por eu não querer aceitar as doutrinas das outras religiões meu deus. Mas sim e, aquilo que eu quero e, é viver e, todas as suas leis de verdade meu deus. Mas como você meu deus e, também vive sozinho e, se será por isso que eu também terei que viver sozinho e, a vida eterna meu deus. Mas eu e amando de verdade e, sem eu saber se tenho atendimento no amor meu deus. Ou até e, o seu consentimento e, que é para um dia e, eu poder ter o meu casamento e, em amor e paz meu deus. Mas eu e, muitas das vezes e, fico com o porquê e, de toda uma vida humana meu deus. Mas porque é que tem que haver guerras e, fomes meu deus. Mas você meu deus e, também sabe toda a minha verdade e, o que eu tenho e, é passado e, muita fome de sexo e, de muitas boas companhias e, a todo o longo do dia e, da noite meu deus. Mas você meu deus e, também sabe e, que eu só tenho vivido e, é consigo mesmo e, aos longos dos dias e, das noites meu deus. Mas mesmo assim e, passando tudo aquilo que eu tenho passado e, ainda consigo dizer a qualquer um ser humano e, que mais vale um segundo na minha vida e, em sua companhia meu deus. Do que ter que estar na companhia de qual quer um cidadão que não me respeite na minha forma de eu estar na minha própria vida meu deus. Mas quando eu pressinto o bem e, eu nessa altura fico muito emocionado consigo meu deus. Mas o pior e, é quando também se pressinto o maldito do mal meu deus. Mas enquanto existe um ser humano e, a estudar o bem e, para toda a humanidade meu deus. Mas também existe e, é o resto de todas as comunidades e, a estudarem mas é o mal meu deus. Mas nas minhas horas de angústia e, de sufoco e, de aperto no meu coração meu deus. Mas isso tudo de ruim e é o que todo o ser humano e, me tem dado e é uma grande desilusão na vida religiosa meu deus. Mas isto é uma grade resolução minha meu deus. E o próprio ser humano e, até no seu próprio amor e, vivem e, é no seu próprio cinismo meu deus. Mas porque isso tudo e, é de tão ruim no ser humano meu deus. E que ninguém mas absolutamente ninguém e, quer o mal para eles ou para os deles meu deus. Mas para o próximo e, não acontece de nada disso meu deus. Mas quando você deu esta lei a Moisés meu deus e, que ninguém mesmo e, referencia-se o seu nome em falso meu deus. Mas todo o ser humano usa e, abusa do seu próprio nome meu deus. Mas como é que você meu deus e, permite tanta maldade no próprio ser humano meu deus. E das maldades nasce e, vem o próprio ódio do ser humano meu deus. E o procedimento do ser humano é este meu deus. Eu não tenho nem amor e, nem paz e, porque eu próprio não fiz nada para isso acontecer meu deus. Mas tu também não adies ter e, nem amor e, nem paz meu deus. Mas e, porque á tantos sacanas na vida humana meu deus. Mas a vida humana e, quando é feita e, com a verdade e, amor e, amizade sincera e, a vida humana é bela e, é maravilhosa meu deus. Mas não é de nada orgulhosa a vida humana meu deus. Mas como é que alguém e, consegue ser orgulhoso e, no próprio mal e, que pratica perante outro ser humano meu deus. E isso faz-me uma revolta que só eu e, você o sabemos meu deus. Mas como é que alguém e, consegue chegar ao pé de alguém e, a armar ciladas e, fazei-lhe guerras meu deus. Mas quando você disse a Moisés e, para ele amar o próximo e, como se amava a ele meu deus. Mas eu agora e, consegui chegar a uma grande conclusão meu deus. E que não existe ninguém mesmo que eu conheça presentemente e, que saiba o que é o amor de verdade meu deus. Mas o amor de verdade e, é uma coisa e, do mais lindo que possa existir entre dois seres humanos meu deus. Mas o amor é perdão quando existe a verdade meu deus. E o amor é também fidelidade quando as pessoas se sabem pôr no seu devido lugar meu deus. Mas o amor e, também é muita paciência quando se ama e respeita de verdade meu deus. Mas o amor também é e, muita compreensão quando se sabe quando se vive a verdade ou se vive a mentira meu deus. Mas o amor é feito e, com verdade e, humildade das pessoas que se amam de verdade meu deus. Mas também no amor e, existe muita dedicação um ao outro e, a tempo inteiro e, não a tempo indeterminado meu deus. Mas quando se ama de verdade e, também existe muita opinião e, muito brio no casal em comum meu deus. Mas no mundo actual presentemente dos homens e mulheres desonestas meu deus. O amor para eles é um impuro divertimento de brincarem e, muitas das vezes com os sentimentos de outras pessoas injustamente meu deus. E de eles andarem e, é a brincarem e, aos maridos e às mulheres e, que ora estão e, é em paz e, que ora estão e, é em guerra um com o outro meu deus. Mas que isso tudo e, a mim mesmo e, que muitas das vezes e, que dá-me um repudio inadmissível e, é de eu ver com os meus próprios olhos e, tanta infidelidade nos actos conjugais entre marido e, mulher meu deus. E ainda por cima e, como essas pessoas vivem o amor e, fazem do amor uma grande ilusão e, constantemente a viverem a maldita da mentira meu deus. E que isso para mim e, é o mesmo de estarem e, a brincarem com a mente de cada um ou de cada uma meu deus. Mas quando alguém luta e, com coragem e, com uma única arma e, que é de amar de verdade meu deus. E ainda por cima esse ser humano é gozado e, por tudo e todos meu deus. E como é que o ser humano consegue ser tão ruim uns para os outros ó meu deus. E sem esses seres humanos e, que gozam e, é com a vida de uns e, outros e, de eles terem e, é absolutamente de nada algum sentimento afectivo por alguém meu deus. E como as pessoas usam e, abusam e, de quem ama de verdade meu deus. Mas o amor não é uma fraqueza do próprio ser humano meu deus. Mas sim e, é uma certeza de se poder chegar á vida eterna meu deus. E de se ter saúde de corpo e mente meu deus. Mas amar de verdade e, é ter confiança absoluta em quem se ama de verdade meu deus. Mas o amor é uma certeza que se tem e, quando se transporta toda a verdade para quem se ama de verdade meu deus. Mas o amor não é uma incógnita e, nem uma incerteza do ser humano meu deus. Mas é saber e, de tudo aquilo que sequer ter e, em comum e, com quem se ama de verdade meu deus. Mas o amor é também ter prazer sexual e, em comum meu deus. Mas o amor não é egoísmo entre quem se ama de verdade meu deus. Mas o amor também não é uma desigualdade sócia entre quem se ama de verdade meu deus. Mas o amor é a maior alegria e, a maior felicidade que possa existir no próprio ser humano meu deus. E o amor é para se ter e, em toda a vida eterna meu deus. Mas o amor é inseparável no próprio ser humano meu deus. Mas o amor é a maior força que possa existir no próprio ser humano meu deus. E que nos dá vontade de vencer e, a todos e, quais queres obstáculos que nos possam aparecer nas nossas vidas meu deus. Mas o amor e, é carne e osso entre o homem e, a mulher meu deus. Mas o amor também traz e, é paz no próprio ser humano meu deus. Mas é com o nosso amor e, que se consegue e, é vencer e, qualquer tipo de guerra que nos possam vir a fazer os homens maus e, as mulheres más meu deus. Mas como é que alguém e, esse alguém vive absolutamente em guerra e, esse alguém ainda consegue falar de amor e paz meu deus. Mas como é que alguém e, ainda tem a possibilidade de viver em amor e, paz e, se esse alguém e, vive e é andando em perseguições abstractas e racionarias meu deus. E como é que esse alguém e, ainda consegue falar em amor e, e, paz e, sem esse alguém viver em tranquilidade absoluta e, esse alguém ter confiança na mulher e, que esse alguém ainda diz que ama de verdade meu deus. Mas se o amor é a maior esperança de vida e, de qualquer um ser humano que seja justo e, ame de verdade meu deus. Mas é como e, certas e determinadas pessoas e, ainda conseguem dizer que são pessoas de bem meu deus. Mas esses alguinha e, andarem e, a fazer e, de tudo aquilo que você sabe meu deus. Mas será e, que essas pessoas e, elas terão e, é alguma consciência e, do que é amar realmente de verdade meu deus. Ou será o que todas essas pessoas e, que andam ai no mundo e, por ver andar as outras pessoas todas meu deus. Mas esses alguinha e, eles só fazem as guerras e, que é para procuram e, é só os seus próprios interesses económicos ou monetários e reaccionários meu deus. Mas você meu deus e, também sabe o porquê e, de toda esta minha grande revolta meu deus. Mas se houver alguém e, a viver o fanatismo e, seja lá de tudo aquilo que for meu deus. E esse alguém ou esse ser humano e, ele conseguirá alguma vez na vida e, poder amar realmente de verdade e, sendo essa pessoas uma injusta perante tudo e todos meu deus. Mas se o amor de verdade e, é a maior justiça que algum ser humano possa viver no planeta terra ou em todo o universo meu deus. Mas como é que esse alguém e, sendo injusto e, ele alguma vez na vida e, ele pode vir a amar de verdade alguém meu deus. Mas se esse alguém e, ele for um racionaria e, como poderá ele amar e, alguém de verdade e, quer seja e, aonde for esse alguém e, ele vai e, é com o fanatismo plantado meu deus. Ou então e esse alguém e, vai e, é com alguma coisa planeada meu deus. Mas aonde existe o fanatismo e, existe também a maldade e, o cinismo e, tudo o que fazem é planeado constantemente por imbecis á verdade meu deus. Mas também e todas as pessoas que vivam no maldito do fanatismo e, elas também vivem e, é na pobreza de amor e paz meu deus. Mas e, é tudo por uma simples razão meu deus e, é que todas essas pessoas e, só o que eles vêm e, é os alqueires nos olhos do próximo e, não conseguem ver as travem que tem nos deles meu deus. E sem elas terem justiça nas suas decisões meu deus. E como é que todas essas pessoas e, elas poderão ser e, é pessoas de bem meu deus. E estando elas e, é a viverem a maior ruindade e, que existe á face da terra meu deus. E como é que alguém dessa raça maldita de fanáticos e, pode alguma vez vir a falar de amor e paz e, com quem quer que seja meu deus. Mas todos nós e, temos ai presentemente e, esse exemplo dado e, é por todos os grandes chefes religiosos ou políticos meu deus. E de tudo fazem mas menos viverem em amor e paz meu deus. E todos esses grandes chefes religiosos e, eles ainda tem a espontânea vontade ou liberdade de expressão e, de eles dizerem e, é deus é que é o grande responsável por tudo aquilo que possa existir á face da terra ó meu deus. Mas como é que e, todos esses seres humanos e, eles conseguem se e, é tão ruins no meio de todas as comunidades e, quer eles sejam religiosas ou politicas meu deus. Mas tanto faz e, eles serem cristãos ou eles serem os muçulmanos ou eles serem os budistas ou eles serem os judeus mas implantaram e, foi as suas crenças e, á lei das armas ou á lei das forças meu deus. e em toda uma vida religiosa e, essa vida religiosa e, foi sempre feita com guerras meu deus. E foi sempre todos esses grandes senhores religiosos que as fizeram meu deus. Mas esses senhores e, ainda tem a coragem de dizer e, que as guerras são santas e, que são feitas para poder haver paz entre todos os homens ó meu deus. Mas como é que todos e, esses seres humanos e, que vivem em guerra e, com gente inocente meu deus. Mas como é que eles todos e, ainda conseguem e, é ser tão responsáveis pelo mal ou eles serem uns irresponsáveis e, do mal que possam causar e, a toda a humanidade meu deus. Mas todos esses senhores e, eles tem de tudo e, do que é de ruim meu deus. Mas o que eles tem menos e, é a compreensão e, de onde pode estar o bem ou de onde pode estar a verdade meu deus. Mas eu agora e, vou. Lhe escrever e, por a minha própria sabedoria de vida meu deus. Mas se eu e, tiver aqui no meu canto e, sem falar com ninguém e, sem eu me meter com ninguém e, como é que eu poderei fazer mal a quem quer que seja meu deus. Ou de eu estar a fazer guerra e, contra quem quer que seja meu deus. Mas se eu também aprendi e, foi a respeitar e, a opinião do próximo ou a respeitar a crença do próximo meu deus. E eu também aprendi e, foi a conviver e, com o próximo que me saiba respeitar a mim mesmo meu deus. E eu também aprendi e, foi a amar de verdade e, a quem quer que seja que me ame a mim mesmo de verdade meu deus. E eu também aprendi e, foi a respeitar e, a sua própria natureza meu deus. E as suas próprias leis meu deus. Mas como é que esses beltranos e, eles tem a coragem e, de me caluniar e, a mim mesmo e, em praças publicas e, estando eu aqui acomodado no meu canto meu deus. Mas como é que esses beltranos e, eles tem a sua própria responsabilidade e, de me quererem e, é de me julgar em praça publica meu deus. E que eu é que sou o responsável e, de eles próprios e, não terem e, alguma vontade de eles amarem de verdade e, a quem quer que seja meu deus. Mas quando o próprio ser humano e, tem a sua consciência tranquila e, do que o amor verdadeiro meu deus. Mas deve-se e, é de respeitar e, em qualquer idade e, respeitar qualquer uma personalidade que tenha amor de verdade meu deus. Mas quando o ser humano chegar nessa altura própria do ser humano e, ai sim ele consegue encontrar-se a ele próprio e ter a sua consciência tranquila que deve amar verdade meu deus. Mas o amor de verdade deve estar patente e, em todo o lugar que aja amor de verdade e, que é para se poder trocar com quem se ame de verdade meu deus. Mas também e, como você sabe meu deus e, que na vida presente e, em toda a humanidade e tudo aquilo que o próprio ser humano faz e, é de trocar a verdade com a mentira meu deus. Ou então em fez de dar amor de verdade mas pelo contrario e, ela dá e, é o ódio e, a quem esteja no caminho da verdade ou no caminho do bem meu deus. E eu e tudo aquilo que eu vejo na raça humana e, é tudo menos o bem e, a verdade e, ainda muito menos amar de verdade e, a quem quer que seja meu deus. Mas como quando se nasce e, se é educado ou por o bom caminho ou por o mau caminho meu deus. Mas eu quando nasci não sabia ainda sequer e, aonde estava o bem ou onde estava o mal meu deus. E porque é que nunca tinha existido e, antes de mim mesmo e, alguém a amar de verdade meu deus. Mas os cristãos e, dizem eles próprios e, que Jesus de Nazaré que nunca tinha errado na vida dele meu deus. Mas eu tenho errado e constantemente meu deus. Mas sem eu sequer fazer mal a nada e, nem a ninguém hó meu deus. Mas como é que eu poderei e, vir a pagar o mal que é feito de dia e de noite e, por outras pessoas e, sem elas terem e, alguma consideração e, do que é amar realmente de verdade meu deus. Mas quanto é que não davam todos os meus antepassados e, para eles poderem ver e tudo aquilo que hoje em dia podem ver á vista desarmada meu deus. Mas tudo graças e, é a si meu deus e, a todo o seu amor de verdade que existe no ser humano que você escolheu para ser o seu servo de dia e, de noite na terra e, em todo o universo meu deus. Mas sem haver e, algum amor de verdade em algum beltrano meu deus. Mas como é que esse beltrano poderá ser feliz meu deus. E sem esse beltrano ter as suas boas acções meu deus. Mas como é que algum beltrano e, ele poderá encontrar o seu próprio bom caminho meu deus. Mas também haverá e, algum beltrano e, a fazer mal a outro ser humano e, que esse ser humano esteja no seu bom caminho meu deus. Mas a vida maldita e, de todos os beltranos e, que andam por ai e, Á face da terra meu deus. Mas não passam mais esses beltranos e, é de umas almas penadas meu deus. Ou uns demónios que só aquilo que eles estudam e, é a mentira pegada e, em toda a sua comunidade de beltranos meu deus. Mas como é que um beltrano e seja ele preto branco ou amarelo e ele próprio consegue chegar a uma comunidade e, com a sua própria mentira inexplicável que ele tem perante tudo e todos meu deus. Mas quando esses beltranos e, eles estão de bolsos cheios de dinheiro e, ai aparecem e, é mesmo muitos costureiros e, que é para lhe poderem ir, mas é e, ao seu próprio mealheiro meu deus. Mas que vida desonrada e, que todos os beltranos tem meu deus. E uns são uns grandes orgulhosos e mal feitores e, todos querem e, é serem doutores meu deus. Mas então outros e, deixam é ir e, ao seu próprio mealheiro e, tudo aquilo que fazem e, é por amor ao seu mealheiro meu deus. Mas sem eles terem e, é alguma penitencia e, até alguma clarividência, mas estão e, é sempre em grande evidencia e, só o eles que vivem e, é nas suas próprias dependências meu deus. Ou então estão e, é sempre num grande ponto de intercomunicação ou então estão e, é sempre a chamarem a sua própria atenção meu deus. Mas tudo aquilo que eles tem e, é ainda dignidade ao seu semelhante e, muito menos e, é eles terem amor algum e, no seu próprio coração meu deus. Mas todos eles os beltranos e, tudo aquilo que eles tem e, é de honrados é a sua própria personalidade meu deus. Ou até estão e, é mesmo muito mal habituados ou então foram foi muito mal ensinados ou educados meu deus. Mas isto tudo e, é como eu costumo dizer e, tudo vem desde o nosso principio, ou se tem um bom caminho, ou se tem um mau caminho meu deus. Mas que vida maravilhosa e, que todos os beltranos tem guerras e, fomes e, desordens na ordem publica meu deus. Mas também uns e, são e, é enxovalhados e, por as suas próprias acções e, que eles pregam e, é mentiras que parecem e, é as suas grandes orações diárias e, nocturnas meu deus. Ou então e, são e, é uns grandes desgraçados na opinião publica e, muito mais na ordem publica meu deus. Mas outros também andam e, é mesmo muito pernoitados e, ainda muito mais arreliados e, sem serem de nada eles uns acomodados às suas leis meu deus. Mas eles os beltranos e, são e, é uns grandes sábios na ordem publica meu deus. Mas é em eles praticarem e, as suas grandes patifarias meu deus. Ou então os beltranos vivem e, é em grandes orgias e, quer anais ou sexuais ó meu deus. Mas uns e, são e, é empurrados para cima de uns e outros meu deus. Mas outros e, são e, é mesmo muito apunhalados por todos esses maus beltranos meu deus. Mas outros também vivem e, é mesmo e, muito desassossegados ó meu deus. Ou então os beltranos passam e, é a sua própria vida e, que é a deles e, é mesmo e, muito embriagados ó meu deus. Mas o pior e, disto tudo e, na vida dos beltranos e, é que são e, é mesmo muito e, uns grandes drogados meu deus. Mas aonde existe o amor dos beltranos e, existe também a sua boa fama ó meu deus. Ou então os beltranos e, andam e, é á procura e, de algum bom fulano e, que ele vivas e, é no seu próprio ninho meu deus. Mas sem o beltrano e, dever algum bom testemunho da sua boa vida quotidiana meu deus. Ou então e, algum beltrano ser absolvido na vida eterna ó meu deus. Mas a merca das dores de ouvidos dos beltranos e, faz-me recordar e, alguns e grandes momentos meus e, que foram passados e, foi na vila alentejana de Viana meu deus. Mas como é que é possível e todos esses beltranos e, viverem e, eles falarem de dores de barriga ó meu deus. Mas eles próprios os beltranos e, andarem e, é a fazer mal e, a alguns bons fulanos, ou até alguns bons beltranos meu deus. E eu agora e, vou ver se consigo e, é descrever e, toda a minha forma de pensar e, do agir e, acerca de todos os maus beltranos ou até de todos os maus fulanos meu deus. Mas não é possível e, haver felicidade e, em algum ser humano e, ele vivendo com ódio a outro seu semelhante ó meu deus. ou então e, todos esses beltranos e, todos esses fulanos e, são e, é todos mesmo e, uns grandes ignorantes e, de toda a verdade que possa existir e, em todo o ser humano consciente do que é o bem e do que é o mal ó meu deus. E eu até posso ser e, um grande ou um pequeno pecador meu deus. Mas eu não faço mal a nada e, nem a ninguém ó meu deus. Mas como é que todos esses beltranos e, conseguem dizer e, que eu próprio lhe tirei toda a coragem de eles viverem meu deus. Mas se eu sou e, é um homem e, que tem todas as mesmas boas necessidades que eles tem meu deus. E que é também para eu poder ter toda a minha felicidade na minha vida eterna meu deus. Mas eu agora e, vou dar e, um grande conselho e, a qualquer um ser humano meu deus. E que ele próprio se queira tornar e, um homem ou uma mulher de bem meu deus. Mas todos vocês os beltranos e, os fulanos e, não façam de nada nas vossas vidas que não seja por amor de verdade e, seja em tudo aquilo que for ou que vocês fizerem meu deus. Mas que grandes vidas e, que tem e, todos os beltranos meu deus. Mas tudo aquilo que eles fazem e, nas suas próprias vidas e, é excomungarem e, a vida de todos os indígenas meu deus. Mas com toda a minha verdade e, eu só vivo e, é mesmo por amor de verdade meu deus. E nem que não seja e, eu ter que amar alguém de verdade e, que viva no outro extremo da minha vida de indígena meu deus. Mas com um grande amor e, sem que ele tenha que estar na sua própria gema meu deus. Mas com uma grande atmosfera e, que existe e, tudo roda e, á roda de uma esfera meu deus. E ai de nós se não fosse e, toda a nossa boa atmosfera meu deus. Mas o que não falta ai e, no nosso mundo da atmosfera e, é grandes feras e, uns são animais e outros são beltranos canibais meu deus. Mas o meu amor de verdade e, vem de uma raça e, mesmo muito animal racional e, que quanto mais eu lhe toco e, mais ela me diz ai meu amor que estou mesmo muito perdida ou então eu já fui foi muito bem achada e ainda muito mais meu amor e, que eu estou e, é muito bem acompanhada ó meu deus. Mas com toda a minha certeza e, que todos os canibais e, são eles e, é mesmo e, uns grandes desorientados ou endiabrados meu deus, ou então são e, é todos e, muito bem aperfeiçoados e, em tudo aquilo que eles fazem e, até de fabricadores de enganos nas suas próprias bocas meu deus. Mas tudo aquilo que eles gostam e, é de lhe mexerem nas suas partes traseiras meu deus. Mas quando alguém lhe toca nas partes traseiras e, que fica por baixo das algibeiras traseiras meu deus. Mas em mim quem mexe e, é na parte dianteira e, quem mexe também é sempre a minha boa companheira meu deus. E é sempre também a minha boa namoradeira e, não existe amor para a vida inteira e, sem ter uma boa companheira ó meu deus. E não existe amor sem haver responsabilidade de ambas as partes meu deus. ou até de eu ter e, toda a minha própria habilidade na minha parte dianteira meu deus. Mas eu posso-lhe dar e, todas as minhas graças a si deus que me educou e, que me criou e que me acarinhou e, em todas as minhas horas de desespero meu deus. mas não existe e, é amor e, como o primeiro e, nem que venha caído do Ribatejo ou até já tenha passado o rio Tejo meu deus. mas eu sou e é do alto Alentejo e, em tudo na minha vida e, eu tenho tido tempo e, para fazer um pouco de tudo meu deus. brincar e, conservar o meu amor de verdade no seu devido lugar meu deus. e sem eu ter que a estar e, é a incomodar ou a maltratar meu deus. Mas em toda a nossa vida e, eu tenho estado e, é a estudar e, que é para eu á noite me poder acomodar meu deus. e muito mais me poder juntar e, conversar e, se querem saber e, muito mais e, só o que tem que vocês fazer e, é o mesmo que eu fiz meu deus. e é amar e respeitar de verdade e, em todo o lugar que aja a palavra de deus e, que seja empregue com fé e dignidade ao seu nome divino meu deus. e eu é que venho e, de uma vida marginalizada e, mais na companhia da minha eterna namorada meu deus. Mas eu ando e, é com toda a minha espontânea verdade e, sempre á procura de alguém e, com grande qualidade e, sem eu lhe procurar a sua idade meu deus. mas quando eu nasci e, já existia este provérbio. Mas quem torto nasce e, tarde ou nunca se vai endireitar meu deus. Mas todos os meus caminhos e foram dar e, em eu amar de verdade meu deus Mas como eu me sinto e, bem e comigo próprio e, é quando eu sei e, que estou de toda a minha consciência tranquila meu deus. E que eu sou um homem de bem e, sem dever alguma lamentação anormal e, que eu sou e, é um homem e, muito fora do normal meu deus. E sem ser necessário de eu ter de sobreviver e, ás suas obediências de orações e, de grandes sermões e, de quem quer que o seja meu deus. Mas tudo aquilo que posso fazer e, é de eu lhe poder e, é de agradecer e, toda a minha sobrevivência e, porque me libertou de todas as suas dependências meu deus. E sem de nada eu lhe dever a si meu deus e, porque eu revoguei a tudo aquilo que não seja seu ó meu deus e, meu único criador e, depois de eu ter sido e, um grande transgressor e, de você meu deus ter sido o meu único grande defensor de todos os indígenas meu deus. Mas como é que algum indígena e, consegue andar e, até caminhar e, lhe devendo e, tudo nas vidas deles a si meu deus. E quer que seja tudo das suas próprias vidas e, quer familiar ou económica ou burocrática e, o que eles são e, é mesmo pessoas antipáticas meu deus. Mas tudo isso e, só pode vir de pessoas muito más e, umas católicas ou outras umas grandes diabólicas meu deus. Ou então os indígenas e, são e, é mesmo e, muitos maus tipos meu deus. Mas de tudo aquilo que não lhe convêm a esses indígenas eles não o sabem meu deus. Mas ainda e, de tudo aquilo que eles deviam saber e, não o sabem meu deus. Mas e você meu deus e, sabe o porquê do que eles não sabem nas suas leis e, mandamentos meu deus. Mas de tudo aquilo que é de ruim e, isso eles sabem tudo meu deus. E a ganância acima de tudo e, já por eu estar a falar no seu próprio egoísmo meu deus. E ainda mais o maldito interesse económico ou monetário de cada um desses maus indígenas meu deus. Mas tudo aquilo que eles são e, é uns feiticeiros de gema meu deus. Mas você também sabe meu deus e, que todos esses indígenas e, andam neste mundo e, com uma grande espiritualidade idolátrica ou apostólica ou reaccionária de descriminarem a quem seja justo meu deus. Mas todos os indígenas vivem e, é com uma grande ocasionalidade de vida exploradora e, anti-racista e, ainda me falam e, em viverem e, em plena democracia meu deus. Mas os indígenas e, tudo tem de bom e, até o are de maus meu deus. Mas os indígenas e, tudo tem mas menos a falta da sua própria personalidade e, de serem pessoas de bem meu deus. Mas os indígenas são e, é pessoas e, muito interessantes e, de você meu deus ver e, rever e, que eles até acreditam na forma deles viverem meu deus. Mas a vaidade dos indígenas e, está em primeiro lugar e, a gula em segundo lugar e, vão descendo degrau a degrau e, sem terem alguma qualidade de personagem e, quanto mais personalidade de vida meu deus. Mas os indígenas e, tem e, é mesmo e, uma muito má imagem e, até pode não ser física meu deus. Mas de exterior ou interior e, vivem com tudo mas menos com o seu próprio amor meu deus. Mas a própria vida dos indígenas e, é de se meterem e, é na vida e, de quem esteja e, no seu bom caminho meu deus. Mas quando e, algum desses indígenas e, me aparece e, ao pé de mim e, eu fico logo e, é todo erguido e, com todos os meus sentidos ligados e, sem eu ter e, algum chapéu na minha própria cabeça meu deus. Mas os meus cabelos e, ficam e, é de em pé e, á muita gente da família dos indígenas e, que me querem dar e, é todo o seu pé meu deus. Mas enquanto os chapéus deles e, se vem e, é á distancia e, com toda a vaidade dos indígenas meu deus. Mas todos os indígenas que só o que eles vivem e, é na ignorância e, de todo o homem de bem meu deus. Ou de quem ame de verdade e, ao seu semelhante da mesma forma que se ama a ele de verdade meu deus. Mas em certas alturas da minha vida passada e, com toda a minha experiencia de vida adquirida na minha vida de segurança de bares e, discotecas meu deus. Mas o melhor e, que todos esses indígenas e, podem vir a fazer e, é de porem e, tudo aquilo que é deles no prego meu deus. Mas as mulheres deles e, o querem e, é molhar o prego comigo ó meu deus. Mas porque será e, que tudo isso acontece na vida dos indígenas meu deus. Ou é muita falta de habilidade e, no seu próprio pénis ou no seu próprio espírito santo como todos eles dizem meu deus. Ou então elas gostam e, é mesmo de pessoas muito desequilibradas ou equilibradas meu deus. Mas tudo aquilo que eu tenho feito e, é preciso e, é ter muita coragem ou muito amor para eu poder dar e, também eu poder vir a receber ó meu deus. Mas tudo isso da coragem será ou tem sido e, por eu ter praticado e, é o bem e, em todo o lugar que eu tenho passado meu deus. Mas também por onde eu tenho estado ou por onde eu tenho entrado meu deus. Mas muitas das vezes e, tem sido por buracos e, muito apertados ó meu deus. Mas todos os indígenas e, por onde eles passam e, gostam e, é de se estarem e, é a bandear meu deus. Mas sem os indígenas e, saberem e, o que é o amor de verdade e, aonde eu possa estar presente meu deus. Mas os indígenas e, dão e é grandes banhos e, a quem vá e, é em todas as suas conversas de caluniadores meu deus. Mas quando eu os oiço e, que eles estão feitos caluniadores e, que até de eu estar a ouvi-lhos a falar e, que a mim me parecem e, é uns grandes magistrados meu deus. Mas sem os indígenas e, foi de terem sequer estudado e, foi para poderem vir e, a ser advogados ou do bem ou do mal meu deus. Mas como eu me sinto bem e, comigo mesmo e, é quando alguém me toca e com toda a sua verdade ó meu deus. Mas os indígenas e, também se sentirão e, bem com eles próprios e, é de estarem e, é a viverem no mal e, na mentira meu deus. Mas se isto tudo e, que eu lhe estou mencionando ó meu deus. E que você me leve ou então me traga e, é todo o meu amor e, que eu tenho plantado e, é com toda a sua verdade meu deus. Mas também existe e, é tanta verdade oculta na vida dos indígenas meu deus. E que eu e, muitas das vezes e, prefiro e, é de estar e, é meditando e, é consigo próprio meu deus. Mas também pensando e, agindo e, em todo o seu torno ó meu deus. E do que eu ter e, é que estar e, é a viver e, presentemente e, ao pé de algum mau indígena meu deus. Mas não é e só na raça dos indígenas e, que existem e, pessoas muito ruins meu deus. Mas em todas as raças e, á quem queira o bem de todos e, reparta todo o bem que lhe fazem meu deus. Mas também existe em aquelas raças e, que pagam e, é o bem que lhe faz e, com o seu próprio mal meu deus. Mas com toda a minha experiencia de vida ou é grande ou é pequeno meu deus. Mas é tudo aquilo que eu tenho passado na minha vida meu deus. E que é de um homem que tem tido e, é mesmo muito sofrimento meu deus. Mas tudo tem sido e, é por eu amar de verdade ao seu próximo e, com todo o meu respeito ao próximo meu deus. E tenho e, é andado sempre e, é á procura de eu poder resolver e, todos os meus obstáculos que me aparecem diariamente ou durante as minhas horas de descanso durante a noite meu deus. Mas com a sua graça meu deus e, eu tenho conseguido ter todo o meu bom senso e, que é de saber ouvir e, a opinião do próximo e, que é para o próximo poder ouvir a minha opinião meu deus. Mas eu e em tudo na minha vida e, o que eu faço e, é para eu poder ser um homem justo meu deus. E que é para eu poder combater e, todos os homens rebelde a todas as suas leis meu deus. Mas também que você meu deus e, me ajude e, é a combater e, todo o tipo de mal que me apareça pela frente meu deus. Mas também para eu poder e, é de proceder e, é com toda a sua justiça meu deus. Mas também e, em tudo na vida que eu me meta ó meu deus. E quer os bons tipos gostem ou não meu deus. Ou quer os maus tipos e, eles ficarem ofendidos comigo e, é por eu ser e, um homem do mais justo que alguma vez pisou o planeta terra meu deus. Mas se eu também sou justo e, até com a mulher que eu amo totalmente de verdade meu deus. E quanto mais e, com todos esses maus tipos que se andam a meter na minha própria vida meu deus. Mas eu também e, muitas das vezes e, só aquilo que me apetece fazer e, é justiça e com as minhas próprias mãos meu deus. Mas também sou consciente e, que a partir dai e, eu estava e, era sendo um homem injusto meu deus. Mas se foi você meu deus e, que cá os meteu e, que seja você meu deus e, que os leve e, é para muito bem longe de mim meu deus. E sem eu ter arrependimento algum e, de qualquer homem ou mulher e, que seja ou tenha sido injusta ou injusto comigo meu deus. Ou com quem quer que seja justo na face da terra meu deus. Mas também a mim e, se eu não for justo e, em alguma decisão que eu tome meu deus. E que você meu deus e, me dê todo o seu castigo devido e, que eu o mereça meu deus. Mas se eu for um homem justo e, você meu deus e, me liberte e, me livre de todo o tipo de mal que exista á face da terra meu deus. E a mim e a quem quer que seja e, que mereça toda a sua absolvição e, todo o seu perdão meu deus. E porque é e, muito triste e, se for eu o único e, a merecer ter e, toda a sua absolvição e, todo o seu perdão meu deus. E o que era da minha vida e, sem eu ter e, alguém em quem eu pode-se confiar todos os meus momentos bons e, também todos os meus maus momentos meu deus. E se eu não confia-se em ninguém e, eu nunca poderia vir a revelar e, todo o seu segredo do caminho da vida eterna meu deus. Mas como existem bons tipos e, compreensivos e, sem serem de nada agressivos meu deus. Mas também existem os maus tipos e, que são orgulhosos e, agressivos meu deus. Mas também existem os malteses e, que são e é mesmo e, homens muito desequilibrados e, muito desorientados e, até no anoitecer e, quanto mais ainda no amanhecer meu deus. Mas do amor de verdade e, lhe está e, é bem presente e, na sua própria mente e, no seu próprio corpo do maltes meu deus. Mas muitas das vezes e, a vida do malteses e, é mesmo muito dura e muito atormentada e, de muito sofrimento meu deus. Mas tudo isso e, é causado e, por os indígenas e, que fazem parte de todos os maus tipos que andam á face da terra meu deus. Mas todos esses fulanos e, também fazem parte de todos esses beltranos meu deus. E a vida desses fulanos e, é de atormentarem e, a vida do maltes meu deus. Mas sem eu ser e, algum burguês mas, sou filho de bons camponeses meu deus. Mas eu como um maltes e, tenho e, é uma grande responsabilidade e, é perante todas as suas leis divinas meu deus. Mas tudo aquilo que eu procuro e, é a minha mulher e, que seja divina meu deus. Mas tem que ser aquela e, que me der e, toda a sua prova divina e, de amor verdadeiro meu deus. Mas também não pode ser e, só da minha parte que tem que haver amor verdadeiro meu deus. Mas também tenho que ser e, é mesmo amado realmente verdade meu deus. E porque o encante e, não pode ser só de um homem meu deus. Mas também de uma mulher e, que seja justa e, perante todas as suas leis divinas meu deus. Mas no dia e, que eu deixar de ser um bom maltes e, passo a ser e, um bom tipo meu deus. E sem eu ter e, alguma responsabilidade do mal que todos esses seres humanos possam causar a eles próprios meu deus. Mas até e, no livro das feitiçarias deles e, está muito bem mencionado que aquele livro não serve para fazer mal a ninguém e, nem a nada meu deus. Mas sim ser feito e, com a sua fé divina e, de ter todo o arrependimento e, de todo o mal que possam ter causado e, a quem quer que o seja meu deus. Ó meu deus e, como eu e estou mesmo muito triste e, muito decepcionado e, com algumas pessoas inconscientes do que são as doutrinas e, quer católicas ou quer cristãs meu deus. Mas como poderá ser possível e a toas essas pessoas inconsistentes e, poderem receber e, todo o seu bem divino ou todo o bem que pode vir de si meu deus. Mas se todas essas pessoas estão voltadas ou se voltam para as obras feitas pelas suas próprias mãos meu deus. Mas algumas dessas obras estão em praças públicas em exposição e, algumas são penduradas por pregos e outras estão em exposição nos umbrais das portas deles meu deus. Mas como é que é possível e, ainda por cima e, todas essas pessoas fanáticas e, elas adorarem as obras feitas por as suas próprias mãos meu deus. Mas essas pessoas e, ainda me vem dizer a mim e, nós é que estamos no caminho da vida eterna meu deus. Mas nós é que estudamos e, todas as doutrinas e, quer a doutrina católica ou a doutrina cristã meu deus. E todas as outras doutrinas são uma pura mentira que existem á face da terra meu deus. Mas todos nós os cristãos é que estamos no caminho da verdade e, da salvação meu deus. Mas eu fico a meditar perante si meu deus. Mas como é que o fanatismo religioso consegue ser tão ruim e, perante tudo e, todos meu deus. Se o fanatismo trás o egoísmo e, a ganância e as maldades que são pegadas e, efectuadas pelas suas próprias mãos meu deus. Mas todas as suas estátuas e, elas tem olhos e, tem imagens de seres humanos meu deus. Mas não conseguem andar e, nem ver e, nem ouvir e, nem falar meu deus. Mas todos os senhores dessas leis e, eles ainda conseguem andar e, em todas as praças publicas mas é feitos charlatães meu deus. Mas onde é que está e, é o estudo e, de todas essas pessoas que dizem estar no caminho da verdade e, da salvação meu deus. E sem eles nem os dez mandamentos saberem meu deus. E quanto mais e, todas as suas leis divinas meu deus. Mas como é que você meu deus e, permite e, a todas essas pessoas e, elas andarem a me perseguir e, constantemente com todas as suas feitiçarias meu deus. E sem eu sequer dizer e, a quem quer que seja, para vir a seguir e, todas as suas leis divinas meu deus. Mas que é também e, para eu não vir a seguir e, todo esse mau caminho e, que essas pessoas seguem meu deus. Mas eu e, simplesmente e, só o que lhe peço meu deus. E é amor e paz e, que é para eu poder viver com a saúde que você meu deus e, que me queira dar. E que é para eu poder viver e, com toda a sua alegria meu deus. E que é também para eu poder ter o meu bocadinho de felicidade meu deus. E que é para eu não estar a viver e, é como todos esses católicos vivem meu deus. E que para mim são a maior vergonha que existem á face da terra meu deus. Mas quem tem vagar e, de ver um pouco de televisão e, também pode ver o que são os grandes pastores ou os grandes monges ou os grandes bispos ou até o próprio papa meu deus. E tudo o que eles fazem e, é usar e abusar das filhas ou dos filhos dos próximos meu deus. Mas para todas essas pessoas e, está em primeiro lugar a pedofilia meu deus. Mas que está e, é mesmo muito bem patente e em todas essas instituições e, que são feitas para ajudarem e, a quem precisa meu deus. Mas todas essas pessoas e, elas usam e abusam e, é de quem precisa meu deus. Mas como é que alguém e, que tenha a sua consciência tranquila e, no seu devido lugar e, que não se apercebe logo meu deus. E quem tem a vida desgraçada e, é quem precisa de um abrigo ou de um pouco de comida ou de um pouco de carinho e, que não o tem meu deus. Mas que muitas das vezes tem que fazer e, certas e, determinadas coisa e, porque elas são obrigadas meu deus. E até elas terem de dizer eu acredito nisto e, é porque algumas pessoas desse mau calibre e, é quem me tem estado a ajudar na minha sobrevivência meu deus. Mas eu tenho e, é isto tudo e, muito bem guardado e, é de tudo aquilo de mal que me tem estado a fazer meu deus. Mas existe algum ser humano e, que possa viver sem amor de verdade e, sem sexo real meu deus. Mas se o sexo e, é a melhor coisa que possa existir entre dois seres humanos que se amem de verdade meu deus. Mas como é que poderá e, ser possível e, haver outros seres humanos e, andarem a oprimir a mim que amo de verdade e, a outras pessoas que querem o mesmo que eu quero e, que é amar e respeitar de verdade meu deus. Mas mesmo assim e, sem eu saber e, aonde possa a vir existir e, toda a fidelidade do ser humano meu deus. Mas também existe uma grande amabilidade e, em todas as raças humanas meu deus. E até mesmo em raças que me tem querido ver morto meu deus. Mas também existem outras pessoas dessa raça e, que me querem é ver e, é por elas a dentro e, com todo o meu pénis erecto por elas a dentro meu deus. e que eu e, muitas das vezes e, nem sei sequer bem e, o que hei-de fazer á minha própria vida meu deus. Mas com isto tudo e, uma coisa é do mais certo que possa existir meu deus. E é quando o meu pénis fica teso e, todo emproado ou desembainhado meu deus. E a partir dai o que o meu pénis quer e, é de ficar todo acarinhado e, ejaculado meu deus. Mas isto agora e, também é a minha forma de pensar e, de eu estar na vida humana meu deus. Mas será possível e, haver alguém a viver no bom caminho e, sem ter amor de verdade e, sem ter sexo de verdade meu deus. Mas será possível e, alguém ter sexo e, sem ter prazer sexual meu deus. Mas se o prazer sexual e, é o grande fruto do amor de verdade meu deus. e quanto mais amor se tem e, muito mais amor se quer ter meu deus. Mas o amor e, pode ter-se e, nem que não seja e, em qualquer uma das esquinas ou até mesmo ao pé da esquina das vizinhas meu deus. Mas eu na arte do sexo e, tanto faço o sexo ou por baixo ou por cima ou cima de qualquer uma mulherzinha e, que queira que eu lhe o meta e, sem ter que pedir a alguma vizinha meu deus. Mas também e, o que é preciso e, é ter que haver e, uma enorme vontade sexual e, de ambos meu deus. E que é também para eu poder partilhar a minha arte de acariciar e, que é para eu depois me poder consolar e, contentar e, sem que eu tenha que estar a inventar meu deus. Mas também sem eu ser preciso e, é de eu ter que estar a rezar a si meu deus. Mas sim e, é de eu estar e, é a realizar e, todo o meu fruto do meu amor que eu tenha plantado com toda a minha verdade meu deus. Mas eu plantei o meu amor de verdade e, foi com todas as minhas boas acções e, quer diárias e, quer nocturno meu deus. Mas a minha ultima boa acção que fiz e, já lá vai e, é mesmo muito tempo meu deus. Mas foi numa altura e, que eu encontrei alguém e, com a mesma boa disposição com que eu estava meu deus. e foi de ter sexo e, até eu poder e, até eu de o deixar de ver e, que foi para eu poder sobreviver e, sem eu sequer de meu amor me ter esquecido e, tanto no amanhecer como no anoitecer meu deus. Mas Ai meu deus que tanto mal que me tem feito e, que me fazem e, ora durante o dia e ora durante a noite e, sem eu sequer fazer mal a nada e, nem a ninguém meu deus. Mas tudo por uma simples razão meu deus e, é por eu estar e, com toda a sua verdade e, aonde quer que seja ou aonde quer que eu vá meu deus. E sem eu andar atrás de ganâncias ou de vaidades absurdas e, sem eu sequer cobiçar ou invejar e seja aquilo que for meu deus. Mas nesta minha vida de solidão e, o que eu tenho passado meu deus. E tem sido muitos maus bocados e, tudo por causa de pessoas obcecadas a um fanatismo de privatização e, sem elas terem e, é algum amor no seu próprio coração meu deus. Mas com toda a minha experiencia de vida e, eu fui obrigado a ir aprendendo a sobreviver e, sem ninguém eu ofender meu deus. Mas muito e, simplesmente e, eu me aprendi e foi a defender meu deus. Mas foi também e com toda a sua honra divina e, de me esperarem e, a todas as esquinas para me apunhalarem pelas costas meu deus. Mas sem mim sequer e, lhe dar e, alguma má prova na minha vida presente e, seja daquilo que for meu deus. Mas só o viver e, de todas essas pessoas e, é de andarem a fazer mal e, a quem anda no caminho do bem e da verdade meu deus. E sem eu andar a paparicar as conversas de quem quer que seja meu deus. Mas sim de eu andar e, é a ensinar e, a divulgar e, todo o seu bom nome em todo o lugar meu deus. E por eu dizer e, em todo o lugar e, que a vida humana sem si deus e, que não existe vida humana. Mas o que existe e, é de tudo aquilo e, que se pode ver hoje em dia e, quer nas casas de uns e, outros e, quer na própria televisão e, quer aonde quer que seja meu deus. Mas só aquilo que se vê e, é ódios e, guerras e invejas e cobiças meu deus. Mas também e, porque é que será e, que outras pessoas andam a invejar a minha própria vida meu deus. E é de eu ser um pobre e, que não tem aonde cair morto meu deus. Mas com isso tudo e, que eu e, muitas das vezes e, fico a meditar consigo meu deus. Mas as pessoas de má portem e, são e é mesmo e, umas grandes optariam meu deus. e porque andam e, é invejando a vida de quem não tem de nada para lhe poder dar e, a não ser amor e amizade e paz e ensinar todo o caminho da vida eterna meu deus. Mas também não posso e, é de ser eu a dizer-lhe e, olhem lá que vocês estão no mau caminho meu deus. Se não eles ainda me podem dizer, mas eu sou rico e, tenho um pouco de tudo e, tu não tens nada e, se não fossem os teus pais já tu tinhas e, era morrido á fome. E por aqui e, já você meu deus e, pode ver e, o que é a raça humana meu deus. Mas de tudo aquilo que eles não querem para eles próprios de mal meu deus. Mas fazem de tudo isso á vida do próximo e, só por eu adorar a único deus e que é a você o real e, o único que existe em todo o universo meu deus. Mas que é a deus que eu amo de verdade e, se deus é o amor de verdade. Mas que é também e, de eu e, me amar-me e, é a mim mesmo de verdade e, de eu também amar o próximo como me amo a mim mesmo verdade meu deus. Mas como é que alguém e, me pode vir a falar e, em amor verdadeiro e, estando esse alguém e, constantemente e, a viver na injuria meu deus. Mas isso é como eu costumo dizer, mas não quereres para ti mesmo, mas queres para mim e, isso não é de seres humanos justos meu deus. Mas porque e, quando se ama alguém realmente de verdade, não se faz e, é absolutamente nada e, a não ser e, é com um bom fim e, que é em se estar e, com quem se ama de verdade meu deus. E não é andando e, a provocar e, certas e determinadas situações de muito má portem, que se ama de verdade meu deus. Mas eu e, já muitas vezes o disse e, foi a si meu deus. E que muito mais vale um segundo na minha própria vida em paz do que eu ter que estar ao pé de alguém que não me respeite a mim e, a si meu deus. E quanto mais de eu ter que vir a viver e, com alguém que me seja infiel meu deus. A qualquer um dos meus bons princípios meu deus. E á quem o diga e, que as mulheres é que são o sexo mais fraco meu deus. Mas isso para mim e, não é absolutamente e, de nada verdade meu deus. Mas você e, sabe porquê das mulheres não serem o sexo mais fraco meu deus. Mas as grandes qualidades das mulheres e, a mim e, só aquilo que me tem feito e, é injustiças atrás de injustiças meu deus. Mas elas não querem coisas desonestas para elas ó meu deus. Mas para mim e, elas de desonestidade e, me tem feito um pouco de tudo meu deus. Mas eu também e, fico e, é muito triste e, com tudo aquilo que eu mais quero das mulheres e, que é de amor verdadeiro de mulher meu deus. E que eu e, muitas das vezes e, nem sei se lhe hei-de confiar e, seja lá aquilo que for meu deus. E porque também elas e, já me desiludiram tanto e, que só você e, eu o sabemos meu deus. E eu e, ainda nem sei bem e como é que eu posso amar realmente de verdade uma mulher meu deus. Mas quando eu li as suas leis e, depois de eu ter reflectido e, ai tirei a minha conclusão e, porque é que você meu deus e, tinha atribuído o pecado mortal á mulher. E eu ainda fiquei e, com algumas duvidas na altura e, porque o mal não era só da mulher meu deus. Mas hoje em dia e, cada dia que passa e, ainda ando mais desiludido com as mulheres meu deus. Mas vou ficando e, é pensando e, será que alguma mulher me possa amar de verdade meu deus. E como eu a amo realmente de verdade a ela meu deus. Mas também e, se houver alguém e, a amar uma mulher e, conforme eu amo meu deus. E é porque está absolutamente no caminho da vida eterna meu deus. Mas também á imensas formas de amar ou então de caluniar ou até mesmo muito pior e, é de injuriar meu deus. Mas eu agora e, já me vou entendendo e, o porquê de tanto mal no próprio ser humano meu deus. Mas agora e, depois de entender o porquê de tanto mal no próprio ser humano meu deus. E se eu pode-se ninguém me via sofrer a mim e, da forma que eu tenho sofrido meu deus. Mas todo o meu sofrimento e, é simplesmente e, por eu andar no seu bom caminho meu deus. E que é também de eu amar e, respeitar e a quem quer que o seja de verdade meu deus. Mas como é que poderá e, ser possível e, elas as mulheres e, falarem em amor verdadeiro, a um homem e, elas andarem a viver com outro, ou com outros meu deus. Se quando eu aprendi a amar-me a mim mesmo e, foi também porque o aprendi a amar a si mesmo meu deus. E sem eu ter qualquer una condição de eu o amar de verdade meu deus. Mas como eu sou e, é mesmo muito persuadido por pessoas anormais e, sem elas terem e, alguma consciência do que é o bem ou do que é o belo ou do que é o lindo e o maravilhoso meu deus. Mas também sem eu ser de nada orgulhoso meu deus. Mas de tudo e, o tenho feito de bem e, que é para ter humildade e, é a todas as suas leis meu deus. e ainda lhe digo e, é muito mais e, é a quem quer que seja meu deus. Mas que muito mais vale na vida humana e, um ser humano humilde do que qualquer um ser humano orgulhoso meu deus. E eu agora e, vou ver se consigo descrever e, o que é um ser humano orgulhoso meu deus. Mas o orgulho e, trás tantas coisas de ruim a uma sociedade e, que eu muitas das vezes e, fico sem ter palavras para as poder vir a descrever meu deus. Mas isto é tudo aquilo que vejo num ser humano orgulhoso meu deus. E em primeiro lugar e, eles ainda dizem, eu tenho e, toda a minha consciência de que estou errado meu deus. Mas também não poço e é vir a dar e, é o meu braço a torcer e, que estou errado, se não ainda me podem vir e, é a gozar comigo meu deus. Mas tu eras aquele que dizias e, que nunca te vinhas a rebaixar ao teu idealismo meu deus. Mas agora e, até tiveste e, foi que te rebaixar e, aos pés de quem está no caminho da verdade ó meu deus. Mas o orgulho para a minha forma de ver vida é uma ditadura que não tem tido fim e, em todas as comunidades e, quer elas sejam as religiosas ou as comunidades politicas meu deus. Mas a partir de se estar a viver o orgulho e, seja lá de tudo aquilo que for e, as próprias pessoas o tenham o orgulho meu deus. Mas também elas tem e, é um grande idealismo de fanatismo e, preconceitos ou então tem é mesmo um medo terrível e, é de virem a ser descobertos e, é do mal que possam estar causando e, é com o seu orgulho e, a outras pessoas de bem e, inocentes meu deus. Mas eu agora e, vou ver se consigo ser e, é muito mais aberto e, com toda esta minha escrita directa a todo o ser humano orgulhoso meu deus. E os cristãos dizem, a nossa doutrina, é que é a verdadeira e, é que é a boa para todas aquelas pessoas que acreditam nela meu deus. Mas também já não é boa e, para quem não crê nela meu deus. E os comunistas dizem, o meu partido é que é o defensor do pobre e, de quem trabalha meu deus. Mas eu também sou pobre e, eles ainda nunca me defenderam e, em alguma causa minha meu deus. Mas ai que eu hoje já tenho a minha maior infelicidade da vida e, que é de ser reformado. Mas então se aquele partido é de quem trabalha. Já não é o meu partido ó meu deus. Mas se eu também não vivo a doutrina dos mortos. Mas sim a doutrina dos vivos meu deus. Mas então eu estou sendo desprezado e rejeitado por todas essas comunidades religiosas meu deus. E porque qualquer uma religião e, o que elas vivem e, é no mundo dos mortos meu deus. Mas com todas estas minhas palavras e, ainda conseguem ter a coragem e, de dizerem e, em qualquer uma praça publica e, que eu é que lhe tirei a coragem que eles tinham e, a todos os homens meu deus. E eu não lhe quero pedir muito meu deus. Mas que você deixa á terra e, venha você julgar e, toda esta minha causa meu deus. Mas eu também sou um ser humano e, que também preciso e, é de viver e, com algumas das coisas que eles vivem meu deus. Mas o sol e, quando você o faz nascer e, é para todos meu deus. E você também não faz excepção de pessoas meu deus. Mas todo este meu tema que me estou referenciando e, é porque em todas essas comunidades que eu me referi e, todas essas pessoas o fazem meu deus. Mas todas essas pessoas e, são e, é umas impuras racistas e, até por elas verem e, toda a verdade que possa existir e, com os seus próprios olhos meu deus. Mas elas são tão orgulhosas que conseguem conservar toda a mentira e, que tem sido infinita meu deus. E de elas também serem conservadoras e, do seu próprio mal meu deus. Mas o maldito do orgulho que existe no próprio ser humano que são capazes de dizer que o cego vê meu deus. Mas tudo isso é por causa do seu próprio orgulho e, com ele criam um ódio de morte a outras pessoas inocentes meu deus. Mas com isso tudo e, ainda muito mais e, por causa do orgulho deles meu deus. Mas com o orgulho próprio do ser humano e, existem tantas maldades neles e, em cada um do ser humano que tenha o orgulho meu deus. Mas com o orgulho vivem também com uma teimosia de pedra dura e que até lhe dá a maldita da azia meu deus. E sem elas terem e, consciência alguma e, do que é o perdão a outro ser humano que já se tenha arrependido de todo o mal meu deus. Mas um orgulhoso e, também nunca vai dar o seu braço a torcer de que está errado ou que tenha pecado perante si meu deus. Mas de tudo faz e, é para um dia e, se vir a esquecer e, de todo o mal que tenha causado a outros seres humanos inocentes meu deus. Mas eu também e, sendo um homem muito humilde consigo meu deus e, tenho e, é tudo muito bem presente na minha mente e, sem eu ter e, alguma falha no meu esquecimento meu deus. Mas eu e, tudo aquilo que faço na minha vida e, é só com o seu consentimento meu deus. Mas também um orgulhoso e, ele poderá alguma vez a vir a encontrar o seu próprio amor de verdade meu deus. Mas eu quando conheci o meu amor de verdade e, ela já era adulta meu deus. Mas tudo aquilo que eu lhe disse a ela e, foi isto meu deus. Eu sou consciente e, que tu és uma boa mulher e, que também já és uma adulta e, eu sei que algumas coisa de errado que tu tenhas e, que eu não te as poço alterar em ti meu deus. Mas eu só te peço e, é uma coisa meu amor e, é que tu não deis pretexto a ninguém meu amor. Mas tu sabes porque é que eu te digo e, tudo isto meu amor. E é que de tudo um pouco e, tem feito para nos afastarem um do outro meu amor. Mas se tu viveres e, tudo aquilo que eu te vou ensinando e, é muito mais fácil para mim e, se é também mais fácil para mim e, também é para ti meu amor. Mas uma coisa e, eu te vou pedir mais meu amor e, vamos os dois juntos e, pedir todo o nosso perdão de todos os nossos pecados e, de todos os nossos erros e, é a deus o criador de todo o universo e, todo o amor de verdade, que possa existir entre nós os dois meu amor de verdade. Mas vive e, é antes com humildade do que com o orgulhoso meu amor. E não vás atrás de conversas dessas pessoas orgulhosas meu amor. E porque é muito mais fácil um pobre entrar no reino de deus do que um orgulhoso, passar por um buraco de uma agulha, meu amor e, meu deus. Mas também não é e, tu a viveres contra a minha vontade que se cria o nosso amor e, com toda a nossa verdade meu bem mais precioso que existe á face da terra. Mas tu também sabes e, que tudo aquilo que eu não quero para mim e, que também não o quero para mais ninguém. E quanto mais para ti meu amor. E tu sabes muito bem por tudo aquilo que tenho passado para poder vir a realizar toda a minha conversa com alguém da tua terra meu amor e meu deus. Mas eu hoje em dia ainda te digo e, muito mais isto meu amor e, não é só de palavras e, nem de acções que o ser humano vive. Mas sim também com muito amor de verdade e, muita paz e, sem nós termos deus dentro de nós e, é mesmo muito impossível e haver alguém e, a encontrar a sua própria tranquilidade meu amor. Mas quando existe orgulho próprio e, poderá haver paz em algum ser humano meu amor. Mas olha e, muito bem e, tudo isto que eu te vou dizer meu amor, um orgulhoso nunca na vida dele reconhece o seu próprio erro e, como poderá ele vir a reconhecer o seu próprio pecado meu deus. Mas isto é a forma que eu tenho de ver o viver do orgulhoso. E ele para mim vive nesta forma, eu tenho tudo isto de riqueza, Mas não seu bem quando é que eu irei morrer. Mas também não sei para quem irei deixar a minha riqueza. Mas tudo isto da minha riqueza e, foi fruto do suor do meu trabalho e, do meu empenho. Mas deus e, só o que ele fez e, foi dificultar-me a minha própria vida e, foi o tempo todo e, ora ele me dava muito calor e, ele ora me dava muito frio. e muitas das vezes vinham aquelas grandes tempestades e, destruíam tudo aquilo que eu tinha arranjado. Mas eu agora e, é que começo a ficar e, mesmo consciente sobre tudo aquilo que eu li dos provérbios de Salomão. E que um homem trabalha uma vida inteira e, tudo aquilo que ele arranja, mas cá o deixa e, muitas das vezes nem sabe bem e, para quem o vai deixar. Mas algumas vezes pode ser até para os seus próprios filhos. Mas outras vezes nem isso acontece e, vão ficar e, é para os filhos da mulher. Mas a não ser e, tudo aquilo que um homem come e, bebe e, goza. Mas de resto tudo cá fica e, ao deus dará e, muitas das vezes nem se sabe bem para quem vai ficar tudo aquilo que se arranjou. Mas eu hoje ainda lhe vou dizer e, muito mais e, até tudo aquilo que se come e bebe e, que também cá fica ó meu deus. Mas todos aqueles homens que se venham a arrepender e, de todo o tipo de mal. Mas com certeza e, que vão encontrar a sua própria paz interior. e já Sócrates o dizia e, que era para o julgarem e, com toda a justiça e, que ele já se tinha arrependido de todo o mal. Mas tudo aquilo que diziam e, a respeito dele, era apenas uma calunia pegada e, que ele preferia ser julgado com justiça. Do que ele ter que fugir e, á verdade ó meu deus. Mas tudo aquilo que ele dizia e, é mesmo muito certo e, todo o homem que viva a fazer o mal e, a quem quer que seja e, que nunca vai encontrar a sua própria felicidade. Mas se um homem nasce e, é para ser feliz, mas porque é que todos e, fogem e, á sua própria felicidade meu deus. Mas é e, tudo por uma simples razão. E é muito mais fácil viver-se na intriga e, na mentira do que na verdade. E é muito mais fácil viver-se com dinheiro do que sem dinheiro. Mas o dinheiro e, a mentira e, a intriga não é a felicidade meu deus. Mas se não houver saúde no ser humano e, ainda muito menos pode haver felicidade. E aqui é que está e, o grande ponto de partida para qualquer um ser humano. Mas tem que haver respeito para quem criou e, foi todo o universo. Mas temos e, é que se dedicar e, constantemente e, a todas as leis do criador. E que só existe um em todo o universo e, que é o deus do amor e, da verdade e do bem e, da paz. Mas como é que pessoas orgulhosas e, o conseguem dizer em praças publicas e, que são pessoas devotas e, á sua própria religião meu deus. Mas os grandes chefes delas e, não lhe ensinarão que não se deve fazer mal a nada e nem a ninguém meu deus. Mas olhe e, muito bem meu deus e, eu tenho imensas razões de queixa dessas pessoas todas. Mas como eu lhe pedi e, para você meu deus e, se mexer do seu bom lugar e, vir pisar a terra que eu piso e, que é para você meu deus e, poder vir julgar e, todo este meu caso de vida ou de morte meu deus. Mas se for eu e, que tiver errado e, em todo o meu caminho e, que você meu deus e, que me castigue e, com toda a sua justiça divina meu deus. Mas se eu tiver e, no seu bom caminho meu deus e, que você me acompanhe e, de dia e, de noite. E é porque eu estou e, é sendo mesmo muito injustiçado e, por todas essas pessoas devotas meu deus. Mas mais uma coisa e, eu lhe vou pedir meu deus e, que você quando me vier a julgar a mim mesmo e, a todas essas pessoas e, que você seja justo e, no peso e, na medida meu deus. Mas também nem tudo ao mar e, nem tudo á terra meu deus. Mas que seja feita e, é a sua justiça e, em toda a terra e, aonde tiver que ser feita justiça meu deus. Mas isto também eu lhe vou pedir e, de todo o meu amor do coração que eu tenho por si meu deus. e é porque eu estou e, é mesmo muito cansado e, farto e, é de ser subordinado por todas essas pessoas obcecadas para o mal meu deus. Mas se você meu deus e, soube-se e tudo aquilo que eu sofro e, por tanta maldade causada por todos esses seres humanos devotos ao mal meu deus. Mas o próprio orgulho e, que é deles e, é que os faz ser assim e, como eles são e, tão ruins meu deus. Mas é tão doloroso e, perante tudo e, todos que só quem tem presenciado a tudo isto e, é que o pode vir a contar toda a verdade meu deus. Mas que contem a verdade como é e, não puxem a brasa á sardinha deles ó meu deus. Mas é mesmo muito triste e, eu ter que estar a desabafar e, com o meu computador. E porque estou sozinho no mundo e, não tenho absolutamente ninguém para poder estar a trocar todas estas minhas palavras meu deus. Mas também e, se houver alguém neste mundo e, que seja justo e, que me ajude a defender e, todo este meu caso. Mas só com a pura da verdade meu deus. Mas eu e, ainda nem sei bem e, como é que todas essas pessoas e, o conseguem dizer e, que eu é que lhe tirei a coragem de eles viverem meu deus. Mas eu e, o que não tenho feito e, é caso da mentira deles mas sim de seguir e, é a toda a sua verdade meu deus. Mas como é que todas essas pessoas devotas e, conseguem andar e, em todo o lugar que aja amor de verdade e, paz e, eles andarem e, é com a mentira perante tudo e, todos meu deus. Mas também e, quando eu oiço e, alguém e, a dizer. Mas ai e, que sofrimento o meu e, que é tão grande meu deus. Mas esse alguém andando e, é a fazer o mal e, a outro ser humano. E as únicas armas que o outro ser humano tem e, é o corpo dele para se poder defender meu deus. Mas se houver alguém e, que um dia venha a ler e, tudo isto que eu lhe estou escrevendo. E se eu tiver e sendo aborrecido e, em algum tema e, eu lhe peço as minhas desculpas. Mas é que tudo isto é, a pura da verdade meu deus. Mas se também eu e, não tenho absolutamente ninguém para eu poder desabafar e, seja lá aquilo que for do meu grande sofrimento e, que é de eu amar e, respeitar de verdade meu deus. Mas o pior de tudo na vida e, é de quererem emburrar ou culpar um inocente do mal dos outros meu deus. Mas de tudo isto e, essas pessoas devotas ao mal e, elas a mim e, é só tudo aquilo que me tem feito a mim meu deus. Mas sem elas abdicarem e, unicamente do que quer que seja e, para elas participarem para o bem de toda a humanidade meu deus. E sem elas terem ou estarem e, é sempre pegado e, a viver o fanatismo religioso ou politico e, de tudo aquilo que lhe convêm a elas meu deus. Mas isso tudo acontece para elas protegerem e, é a mentira deles ó meu deus. Mas também sem eu ser visto e, nem achado no mal deles e, nem em absolutamente de nada disso que elas chamam a devoção meu deus. E eu terei que estar e, é a sofrer as maldades deles e, que tem sido a minha vida inteira meu deus. Mas quando alguém e, é devoto e, a todo aquele tipo de mal desgraçado da devoção meu deus. Mas não pode é ser e, de qualquer um inocente e, que tenha e, é que viver e, todas as suas conveniências meu deus. Mas e é mesmo muito pior do que quando eu era um dependente do álcool ou da droga meu deus. E se eu me arrependi e, de todos esses males meu deus. Mas eu terei que sofrer os desaforos e, é de toda essa gente devota e, que é de elas me caluniarem e, de me prejudicarem constantemente e, sem eu ser visto e, nem achado e, em absolutamente de nada que aconteça nas vidas deles meu deus. E se você meu deus e, se o soube-se e, toda aquela revolta e, que vem dentro de mim e, é quando todas essas pessoas devotas e, quando elas se chegam ao pé de mim meu deus. Mas quando se chegam ao pé de mim e, é com uma mentira pegada e, de elas estarem e, é a caluniarem a mim e, seja lás a quem quer que o seja meu deus. E o que é preciso e, é os outros seres humanos e, darem-se bem comigo meu deus. E que eu muitas das vezes e, sou mesmo obrigado e, é a viver na solidão e, que é para eles não prejudicarem e, é a todas as outras pessoas que se deliam bem comigo meu deus. E é tudo e, simplesmente por todas essas pessoas devotas e, elas serem e, é mesmo pessoas muito ruins e, até para elas próprias e, quanto mais para alguém que tenha toda a verdade para toda a humanidade meu deus. Mas se eu lhe fosse falar de amor de verdade e, a qualquer uma dessas pessoas devotas e, elas ainda me diziam, tu tens mas é que te ires curar e, o que tu estás e, é mesmo um apanhadinho meu deus. Ou então ainda me diziam e, ainda muito pior e, o que tu és e, é mesmo um desgraçadinho e, que andas ai e, que ninguém te liga meu deus. E toda essas pessoas devotas e, elas te menosprezam ó meu deus. Mas e tudo isto meu deus e, é por eu seguir e, só unicamente e, é a todas as suas leis meu deus. Mas também de nem eu e, é de fazer caso e, de alguma lei dessa hipocrisia meu deus. Mas foi sim e, de eu lhe jurar a si meu deus e, a morte a mim mesmo e, se eu algum dia na minha vida e, sequer se eu pensa-se e, fosse aquilo que for de ruim para mim mesmo ou para quem quer que o fosse meu deus. E que muito mais vale eu ter que estar sozinho e, só com você meu deus. E se eu algum dia e, teve-se que reverenciar a qualquer uma das suas leis. E muito mais-valia e, que você meu deus e, que me mata-se e, era logo nesse instante meu deus. Mas todas aquelas leis e, que eu revogo e, é as da hipocrisia meu deus. Mas como é que todos esses, os hipócritas e, eles podem vir a falar e, de amor e paz e, eles andando a fazer mal a inocentes meu deus. Mas como é que alguém pode vir a falar, em amor de verdade e, se o amor de verdade é praticarmos o bem de verdade e, seja com quem quer que seja e, aonde for meu deus. Mas como é que alguém e, pode viver em paz e, não praticando só o bem e, com quem quer que seja meu deus. Mas todas essas pessoas devotas não pensam assim. Mas elas ainda o dizem e, é em qualquer lado meu deus. Mas para nós e, em primeiro lugar nas nossas vidas e, está as nossas tradições meu deus. E se eu não soube-se o que era as tradições deles meu deus. E em primeiro lugar para eles todos e, está o orgulho desvairado deles meu deus. e a seguir está as condições financeiras de qualquer um cidadão meu deus. E depois está a ganância das dependências deles ó meu deus. E depois como é que alguém dessa gente devota e, me pode vir falar a mim mesmo e, em amor de verdade meu deus. Mas se o amor de verdade e, não é capricho algum e, nem devoção alguma meu deus. Mas sim e, é amor de todo o coração e, de todas as nossas boas acções meu deus. Mas como é que alguém devota á mentira e, pode falar em amor do coração meu deus. E se em primeiro lugar nas vidas deles está as vaidades das suas tradições e, do exibicionismo em praças publicas meu deus. E eu quando encontro alguém e, a pedir alguma ajuda monetária e, ainda não lhe vou dizer mais e, que não acha ninguém devotas que não lhe ajude meu deus. Mas olhem e, eu agora vou escrever e, é tudo aquilo que eu tenho passado na minha própria pele meu deus. Mas ai de mim mesmo e, se eu algum dia tiver que pedir um copo de agua e, a quem quer que seja dessas pessoas devotas meu deus. E eles dizem logo e, então tu não sabes aonde fica a torneira ou então tu não tens pernas para ir á fonte busca lha meu deus. Mas embora e, todas essas pessoas devotas e, elas não simpatizem comigo, tudo muito bem meu deus. Mas agora elas andarem a fazer mal e, isso é que é mesmo muito ingrato meu deus. E embora eu tendo um passado e, muito desastroso ou muito duvidoso ou então foi mesmo muito penoso meu deus. Mas eu nunca na minha vida e, eu quis o mal de alguém ou de ninguém meu deus. Mas todas essas pessoas devotas e, elas tem que mentalizar e, é numa coisa meu deus. E é terem respeitar e, a qualquer uma crença e, que qualquer um ser humano tenha e, seja ela real ou seja ela e, uma pura fantasia religiosa meu deus. Mas em tudo na vida humana e, não passa e, absolutamente de nada e, de uma fantasia, ou de uma mera ilusão da vida humana meu deus. E é desde e, toda a nossa criação humana meu deus. Mas e é porque e, é que tem que ser assim e, é toda a nossa vida humana de sofrimento meu deus. E desde o nosso sofrimento e, até e, às nossas dores e, que todos nós nascemos e, foi das dores e, do sofrimento de nossas mães meu deus. E até ao nosso próprio esquecimento prematuro e indubitável de todos os nossos erros e, de todos os nossos pecados meu deus. Mas quando foi criado o primeiro ser humano e, também foi logo nesse instante criado o erro e, o nosso pecado meu deus. Mas porque é que você meu deus e, é o criador dos sete céus e, dos sete mares e, de todo o universo e, permite de tudo aquilo de mal, que aja no próprio ser humano meu deus. Mas também e, começa logo e, é por o ser humano não amar e, nem respeitar o próximo e, quanto mais a si meu deus. Mas como é que você meu deus e, também permitiu e, que toda a mentira do ser humano e, se extinguir-se de séculos para séculos e, de gerações para gerações meu deus. E isto agora e, é toda a minha forma de eu estar presente no meio de todos os seres humanos e, quer eles sejam justos ou quer eles sejam injustos meu deus. Mas também será e, que você meu deus e, não criou logo a justiça no ser humano desde a sua criação meu deus. Mas todo o ser humano e, aponta o dedo ao próximo meu deus. Mas também se esquece e, é todos os seus alqueires e, que eles têm e, é nos seus próprios olhos meu deus. Mas eu também e, ainda hoje em dia e, ainda tenho que estar a pagar e, é por todos os meus erros do passado meu deus. Ou até dos erros dos meus antepassados meu deus. Mas de tudo aquilo e, que eu tenho lido nas escrituras bíblicas ou no alcorão e, não existe e, é absolutamente de nada a favorecer a vida humana ou aquela e, que todos os homens de hoje têm em dia meu deus. Ou então serei eu e, que estou e, é em todo o vosso caminho meu deus. E que é o da salvação e, da encarnação da alma e, é no meu próprio corpo humano meu deus. E é que eu hoje em dia e, presentemente e, não vejo e, é absolutamente ninguém e, é a seguir e, a uma qualquer das suas leis e, que quer que seja meu deus. Mas também e, quando eu vejo e, é alguém a dar e, seja lá aquilo que for meu deus. Mas também está pedindo e, é em troca e, nem sequer que não seja e, é a sua própria amizade meu deus. Ou então a sua própria irrealidade da sua vida e, que é aquela e, que todos esses serem humanos orgulhosos levam meu deus. E que é também e, de eles serem seres humanos e, é do mais injusto e, que possa haver ou existir entre todos os homens meu deus. E eles nem sequer sabem ouvir e, seja lá aquilo que for meu deus. E quanto mais eles andarem a fazer o bem e, é a alguém meu deus. Mas na vida humana e, presentemente e, que se vive e, é em todo o universo e, que também está e, é dividida e, é em seitas ou quer elas sejam politicas ou quer elas sejam religiosas meu deus. Mas tudo aquilo e, o que lhe interessa e, é para todos esses seres humanos meu deus. E é de eles viverem e, é as suas tradições e, eles nem sequer olham para o lado se estão no caminho do bem ou da verdade meu deus. Mas tudo aquilo que lhes interessa e, é de onde elas possam e, é de ir buscar e, é algum dinheiro justo ou então injusto meu deus. Ou então e, é de eles á pala das suas tradições e, então e, eles assim e, é que conseguem adquirirem e, é o seu próprio prestigio e, numa comunidade e, quer ela seja digna ou quer ela seja indigna meu deus. Mas de tudo aquilo e, que existe de maravilhoso e, para todas essas comunidades e, é o seu próprio orgulho desleal e ingrato e, é para qualquer uma das suas leis meu deus. Mas todas essas pessoas e, só se chegam ao pé de mim e, é quando precisam e, seja lá daquilo que for meu deus. E tanto faz ao pé de mim ou como de outro ser humano e, desde que lhe tenham e, é alguma coisa para lhe poderem tirar meu deus. Ou então tem que haver o interesse do intermédio e, que é até poderem vir a negociar meu deus. Mas como é que é possível e, em todos os seres humanos e, só se viver nos interesses económicos meu deus. E não se viver como se deve viver no verdadeiro amor meu deus. Mas eu e também nem sei bem e, se tem sido e, é por eu ter sido tão discriminado e, por toda uma sociedade de autoritários ou se será por eu próprio ser pobre meu deus. Mas é com isso tudo que eu tenho passado e, que me leva a escrever e, a pensar desta forma meu deus. E que é tudo aquilo que eu lhe estou transmitindo e, que é tudo aquilo que me vem ao meu pensamento meu deus. Mas também e, se eu sou um homem e, com um grande sentimento profundo da verdade e, do que é o amor verdadeiro e, também tenho a infelicidade de saber e, o que é sofrimento de um homem sozinho meu deus. Mas também e, quando um ser humano como eu e, que muitas das vezes se sente a mais numa sociedade abusiva a todas as suas leis meu deus. Mas que eu e, também fico e, é mesmo muito comovido e, por tudo aquilo que eles me fazem nas suas acções impuras e, que é de uma sociedade de interesseiros e, que só e, em tudo aquilo que eles pensam e, é mesmo no dinheiro meu deus. Mas também como eu e, sou consciente e, que o dinheiro não é a minha felicidade e, nem a de ninguém meu deus. E também tenho que ser muito coerente e, que toda a minha felicidade e, só pode estar e, é em eu amar realmente de verdade e, é a quem eu tenho que amar de verdade meu deus. E como eu já lhe escrevi antes e, um homem sozinho e, é incapaz de mover Roma e Pavia ao mesmo tempo meu deus. Mas também quando se vive de consciência tranquila e, de tudo aquilo que me interessa e, é de eu estar e, é com o meu amor verdadeiro meu deus. E sem ter que ser a custo de qualquer um dinheiro meu deus. Mas sim de eu ter que provar e, é a mim mesmo e, a quem eu amo de verdade e, que você meu deus é real e, nem existe igual em todo o universo meu deus. Mas também vou ter que provar e, é a todo o ser humano e, que o dinheiro não é felicidade, mas sim o amor de verdade meu deus. Mas também e, como eu me referi e, em sofrimento e, não posso deixar de mencionar e, foi por eu ter aprendido a amar de verdade e, que também aprendi e, foi a viver e, foi com o meu próprio sofrimento e, foi de ter que viver e, na minha própria solidão meu deus. e apenas tendo todos estes meus momentos de inspiração e, que é de eu poder transpor e, tudo isto que eu aqui tenho escrito e, que é de um homem de puro amor verdadeiro por deus. Mas também por quem eu tenho e, é que amar de verdade meu deus. E até eu próprio e, aprendi a menosprezar e, tudo aquilo que não esteja no seu bom lugar meu deus. Mas como existe e, é tanta maldade e, é em todo o ser humano e, que viva no seu próprio orgulho e, de serem muito más pessoas meu deus. Mas como é que poderá e, alguém sendo mau para outro ser humano e, poder dizer e, é de boca aberta que também sabe e, o que é amar realmente de verdade meu deus. E sem nunca ter cativado ninguém com a verdade ou até plantado o seu próprio amor-próprio meu deus. E quanto mais ter plantado o seu amor de verdade em alguém meu deus. E eu agora e, vou ser do mais sincero e, que possa existir entre todos os homens meu deus. Eu quando procurei a mulher que eu amo de verdade e, foi só e, simplesmente com toda a minha verdade meu deus. Mas por isso e, eu tenho e, é tudo aqui e, muito bem explícito do que é amar realmente de verdade meu deus. Mas eu e quando cheguei ao pé da mulher que eu amo de verdade e, que eu admiro com toda a minha humildade meu deus. E também não foi sequer e, com algum objectivo de alguma maldade meu deus. e porque tudo aquilo que eu não quero para mim mesmo e, também não o quero para ela meu deus. Mas eu e, também e, nunca na minha vida eu cheguei ao pé dela e, a dizer-lhe que toda a minha vida era um mar de rosas e, quer no presente como também no meu passado meu deus. E que eu tinha um passado e, que era muito contestado e, muito ruim para mim mesmo e, muito perverso e, muito doloroso e, com muito sofrimento meu deus. E também não me cheguei e, ao pé dela e, a dizer-lhe e tu tens que vir e, é a fazer e, tudo aquilo que eu te mando fazer e, se não levas uns patins meu deus. Mas não foi absolutamente de nada disso meu deus. Mas foi sim e, com a pura da verdade e, só simplesmente com toda a minha verdade meu deus. Mas eu também lhe dê e, foi toda a minha liberdade e, de ser ela a escolher e, todo o caminho que ela quisesse seguir para ela meu deus. E eu disse-lhe a ela e, que ela só tinha dois caminhos a seguir e, um caminho que era o da morte como todos os seres humanos que vivam todas as suas tradições religiosas meu deus. Mas que também tinha o outro caminho a seguir e, que é o da vida eterna meu deus. Mas para seguir todo o caminho da vida eterna e, tinha também que seguir e, a todas as leis de deus. e eu ainda lhe disse mais isto e, foi para ela assentar os seus dois pés no chão e, se pôr frente a um espelho e, que visse tudo aquilo que ela não quisesse para ela e, que também não o quisesse para mim e, nem para mais ninguém meu deus. E se ela esteve-se interessada em viver para mim e, conforme eu vivo para ela e, que era para ela não ir em conversas de ninguém e, nem sequer daquela que a deu á luz meu deus. E que era para ela poder vir a ser a primeira mulher e, em todo o planeta e, a poder dizer que amava de verdade a um homem pobre. Mas que tinha o mesmo amor por ela que ela tinha por ele e que viviam os dois um para outro e, com toda a verdade dos dois e, que viviam os dois com o mesmo pensamento e que é para o bem de toda a humanidade meu deus. Mas sem se fazer o bem e, a quem quer que seja e, como é que alguém e, pode ter todo o seu pensamento tranquilo e, limpo meu deus. Mas que também o diz e, que não faz mal a nada e, nem a ninguém meu deus. Mas ele é assim e, tudo aquilo em que ele vive e, é em desordens e, em pensamentos atribulados e, ele quer é estar e, em todo o lado mas ele Acaba e, é sem ninguém para ele e, o poderem olhar meu deus. Mas também existe e, é um homem e com grande coragem e, sem que aja alguém para o poder vir a envergonhar meu deus. Mas existe alguém e, com todas as suas más acções praticadas e, aonde quer que ele esteja meu deus. Mas também e, sem haver e, nem uma única pessoa e, que já faça caso da sua própria conversa meu deus. Mas e de tudo aquilo que ele fala e, é censurado por tudo e, todos e, é por ele dizer tanta mentira pegada e, que passa já toda a sua vida arreliado e, anda sempre encostado e, ora dorme de em pé ou ora ele dorme acordado e, passa toda a sua vida sobressaltado e, ai meu grande ladrão que eu estou e, é sendo assaltado ou então estou e, é sendo encornado. Mas ai de mim e, de outro que vou ser desmascarado e, vou passar toda a minha vida abandonado. E ora por infelicidade que deus me deu ou ora por toda a minha grande culpa. E que foi de pôr um grande ladrão dentro da minha casa. Mas quem é que me manda a mim pôr dentro da minha própria casa e, um antigo toxicodependente meu deus. Mas tudo isto e, é ainda e, muito pior do que eu ter uma grande dor de dentes meu deus. Mas que se lixe e é de tudo na minha vida e, vamos mas é lá beber mais uns copitos e, que isso ainda e, é tudo aquilo que me dá alguma alegria meu deus. Ou então e, é de eu ser e, é um homem e, é mesmo e, com muita pouca sorte meu deus. Mas ai de mim mesmo e, de tudo eu tenho feito e, é para eu ser e, é um homem respeitado e, é por tudo e, por todos meu deus. Mas agora e, lá aquele mendicante e, dizer-me a mim mesmo e, o que é a vida humana. Mas eu e, é que sou e, é um super dotado e, é de entendimento. Mas agora e, vamos mas é beber e, é umas cervejolas e, é á estação. E agora estão lá umas gajas com quem eu já andei. Mas que azar o meu e, ele descobre tudo e, sabe de tudo e, ai que os meus santos e, eles todos e, eles me valam. E que até agora a este momento e, eles ainda nunca me falaram. Mas de tudo e, daquilo e, que eu nunca me esquece e, é daquele pardal. E ainda às vezes e, me vem dizer e, quando que ele faz as suas coisas de casa e, ele mete então um avental. E depois vai para a rua e, é de avental. Mas aquele pardal ou aquilo e, ele não merece mas é aquela agua que ele bebe. E então e, vocês não vejam bem e, que ele até foi reformado. E dizem que ele tem uma doença crónica tem mas é os canos do cú dele. Mas tudo isto são lamentações e, é de uma pessoa que não tem absolutamente de nada razão alguma. E que é para ele vir a poder abrir e, é a sua própria boca na minha presença. Se não eu vou dizer-lhe e, é toda a verdade e, daquilo que ele é e, como um ser humano desprezado por tudo e, todos ai meu deus. Mas eu e com o meu próprio desprezo e, foi a tudo aquilo que seja injusto e, é nas suas leis meu deus. Mas foi também desta forma e, que eu me fui tornando e, foi um homem de palavra meu deus. Mas também e, sem haver e, absolutamente ninguém e, querer me cobrar a mim e, seja lá aquilo que for de injusto presentemente meu deus. Mas tem sido e, é tudo um mundo problemático e, que hoje em dia me tenho afastado deles e, tem sido com toda a sua graça meu deus. Mas também de eu fazer e, até mesmo muitos sacrifícios e, que é para me poderem chamar de um homem de palavra meu deus. Mas se eu não teve-se toda a minha coragem tranquila e, eu alguma vez poderia dizer e, em qualquer parte do planeta e, quem não deve não teme meu deus. Mas também e, quando qualquer um ser humano e, pratica o bem e, esse próprio ser humano não deve absolutamente nada a ninguém meu deus. Mas como eu consegui demonstrar aqui e, um pouco do que é as calunias que me fazem e, é durante as horas de labuta e, ordinárias e, que vem dessas pessoas meu deus. E o que elas são e, é mesmo e, umas grandes ordinárias meu deus. E eles ainda dizem mas nós temos e, é muitas horas e, é tributárias meu deus. Mas que também vem e, é de grandes canalhas meu deus. Mas como eu e, hoje presentemente e, consegui descrever e toda a pura da verdade e, é para quem possa vir a ler todo este meu texto meu deus. Mas eu não me refiro e, é absolutamente a ninguém e, que seja inocente e, que ande de cabeça baixa meu deus. Mas que ande e, é de toda a sua consciência tranquila e, sem ter que andar a perseguir o fulano ou o beltrano ou o indígena meu deus. Mas sim e, eu tenho e, é andado e, é com aquela boa palavra que me ensinaram a mim e que foi tudo aquilo que eu aprendi a amar e a respeitar de verdade meu deus. E que é a palavra de deus que me está presente em todo o lugar que eu vá ou que eu esteja meu deus. E eu não sou como os cães e, que fogem com medo dos foguetes das festas dos ignorantes de toda a verdade meu deus. E que é aquela que possa existir e, é entre um homem e, uma mulher e, que é a mais linda historia de amor verdadeiro entre ambos meu deus. Mas também será por isso e, que todas essas pessoas e, que fazem parte dessa classe social e tributaria e, que nos invejam ou que nos amaldiçoam ou que nos perseguem ou que nos caluniam ou que nos fazem mal meu deus. e é durante o dia e, é durante a noite que nos fazem mal meu deus. Mas como é que alguém e, que possa andar de consciência tranquila e, andando a criticar e, é a tudo e, a todos meu deus. Mas se todas essas pessoas e, assentarem e, é os vossos dois pés no chão e, virem e, é aonde está a verdade e, a razão e, sem ter que estar a lamentar-se em praça publica e, que tem um grande problema na família dele meu deus. E que é da sua própria mulher amar a outro homem ou com a verdade dela ou então com o desejo dela meu deus. Mas como é que alguém pode falar e, é em amor verdadeiro e, sem ter sequer dado uma única prova de amar e, é a alguém de verdade ó meu deus. Mas quando alguém ama de verdade e, sacrifica e, é a tudo aquilo que esteja errado e, é entre ambos e, segue todo o caminho da justiça meu deus. Mas sem encontrar a deus de verdade e, como poderá ou haverá alguém e, que possa a vir amar e, a respeitar de verdade meu deus. Mas tem-se que respeitar e, é desde o mais pequeno ao maior e do mais novo ao mais velho meu deus. Mas também e, se houver alguém e, a viver nas suas próprias maldades pegadas e, esse alguém poderá ser respeitado por quem ou por alguém meu deus. Mas sem haver respeito e, é por tudo e todos e, como se poderá ser um homem de bem meu deus. E sem se praticar todo o bem e, é do fundo do coração e, sem se estar a viver a bondade do nosso criador. E que é de amar e, respeitar com todas as nossas forças e, quer elas sejam psicológicas ou mentais ou físicas meu deus. e como eu o amo a si meu deus e, é com toda a minha humildade que eu tenho como ser humano meu deus. Mas eu vejo e, é tão pouca gente e, com alguma caridade e, tanto faz em aldeias ou vilas ou até nas grandes e, pequenas cidades meu deus. Mas todo este mal de todas as comunidades e, tem vindo e, é de mocidade em mocidade meu deus. e eu já tive e, foi algumas mulheres e, de varias idades e, até de algumas para a eternidade e, algumas desde o meu tempo da minha mocidade meu deus. Mas também tem sido e, é com uma grande amabilidade humana, ou então com toda aquela habilidade e, que deus me deu. E que até ele me recebeu e, não me ofendeu. Mas tudo deus me entendeu e, muito bem me recebeu e, sem ser eu um jubileu e, ainda muito menos um Tadeu. Mas de tudo e, eu o tenho feito e, é para meu amor me compreender e, até ela me acarinhar e, ainda muito mais ela me desejar de todo o seu amor. Mas eu e, ora ando depressa ou eu ora ando devagar e, ora a dormir ou ora a dormitar ou então ora acordado mas é mesmo bom e, é quando se está a sonhar e, no meu amor eu pensar e, ainda muito mais eu está-lho a imaginar e, como é bom eu saboreai-lho meu deus. Mas o meu amor e, eu o tenho preservado e, sem eu e, nunca o ter desprezado e, ainda muito menos eu telho abandonado meu deus. Mas quanto mais eu o tenho e, muito mais ainda eu o quero aconchegado e, ao meu lado e, sem ter que ser privado de nada e, de meu amor eu me estou recordando e, mais tarde e, eu estou abraçando meu deus. Mas também é desde a minha infância que eu o estou guardando e, até na minha pior altura de extravagância meu deus. Mas também e, quando eu e, tenho o meu amor e, até me chegam as ânsias e, sem ser em horas de extravagancia meu deus. Mas também tem sido e, é com toda a minha grande elegância e, sem eu ter que estar e, é a viver e, a maldita da ganância meu deus. Mas tem sido e, toda a maldita de toda essa ganância e que nos leva para todo o nosso lado errado e, até para a própria cova meu deus. Mas também e, até de eu ser e, um homem e, muito bem aconselhado e, foi desde toda a minha infância meu deus. E que foi que eu comecei e, como moço de mandados e, sem ter que usar algum cajado meu deus. Mas em tudo na minha vida e, de tudo aquilo que eu estou já mesmo farto e, é de eu ser e, é mandado meu deus. Mas tudo aquilo que eu quero na minha vidas e, é de eu ter e, é toda minha liberdade de ser humano meu deus. E é de ser eu próprio e, a escolher e, é todo o meu bom caminho meu deus. E ora eu tenha que andar a pé ou ter que andar e, é ao pé-coxinho e, ora tenha e, é que ser mais depressa ou ora tenha que e, é a acelerar e, de meu amor e, eu me estou a lembrar meu deus. E de tudo aquilo e, que me interessa na minha vida e, é de eu poder a vir a chegar e, é a todo o bom lugar meu deus. Mas também e, onde aja amor e paz e, é sempre bem-vindo e, é em todo o lugar e, que aja e, é mesmo muito amor de verdade meu deus. E que é para depois se poder vir a declarar e, meu amor está a chegar. E que é para depois se poder vir a realizar e, do meu sonho eu me estou a recordar e, sem mais nada eu me interessar e, a boa hora do dia ou da noite está a chegar e, com o meu amor eu me vou realizar e, deus que me vá acompanhar em todo o bom lugar. Mas desde muito novo e, que eu comecei a ser e, foi um grande homem da noite e, sem eu sequer poder dizer e, o meu grande amor não é da noite artística e, nem de vaidades desvairadas e, depois de eu ter pegado e, em tanta mulher muito bem apreciada e, algumas até divorciadas meu deus. Mas sem eu ter e, é que estar e, é constantemente e a repetir e, a minha própria sobremesa e, eu já comi e, em tanta mesa meu deus. Mas foi depois de eu ter feito e, tanta despesa e, algumas até com um grande sabor da sobremesa e, com algumas de umas empresas e, sem elas estarem e, a serem de nada subsidiadas mas ai que eu já estou agarrada e, sem estar em alguma garraiada meu deus. Mas também e, depois de tantas mulheres e, elas estarem endividadas e, sem elas e, nem ninguém me dar absolutamente nada e, a não ser e, a minha própria namorada meu deus. E sem ela ser uma mulher divorciada mas muito bem presenciada meu deus. Mas ela a partir de agora e, vai estar e, é mesmo muito bem acompanhada e, sem o meu amor me oprimir e, sem ela consentir e, apenas o que ela quer e, é admitir e, sem me demitir e, sem eu lhe mentir meu deus. E ela não faz o mesmo que outras pessoas me fazem e, ainda muito menos me persegue de estrada em estrada e, como fazem algumas mulheres casadas e, outras até estão quase divorciadas meu deus. Mas sem eu ter nada combinado e, o pior ainda que me acontece hoje em dias e, é que sou um homem e, muita vez mandado ao trabalho e, sendo eu um reformado e, sem ser algum moço de forcado ou um jovem irresponsável ou um velho ditador e, muito menos um doutor meu deus. Mas sim e, aquilo que eu vivo e, é a meia-idade da vida corrente e, o que eu tenho e, é tudo muito bem presente meu deus. Mas também e, depois de eu ter tido e, um grande passado de grandes magoas e, até nas entre aguas e, quanto mais entre as pernas de alguma mulher casada e, sem ela ser uma mulher realizada e, ela apenas estando sendo e, é mesmo muito penalizada e, foi desde que eu andava na minha motorizada e, á procura de encontrar a minha namorada ou alguém sem ter alguma parte do seu próprio corpo paralisada e, depois de eu ter sido tanto marginalizado meu deus. Mas com todos os meus erros de vida e, é que eu tenho ido aprendendo e, é a sobreviver meu deus. Mas também e não é viver que custa mas é a sobreviver e a todas as maldades pegadas que me fazem meu deus. Mas foi sim e, com todos os meus erros que eu aprendi a saber viver com todas as suas leis meu deus. E muito mais ainda meu deus e, aprendi também a saber perdoar e, a absolver e, a quem eu tenha a minha autoridade para eu e, o poder vir a fazer meu deus. Mas sem a vossa autorização eu não sou absolutamente ninguém para o poder vir a fazer meu deus. Mas só tu meu deus e, é que me podes dar e, é todo o seu perdão e, toda a tua absolvição e, que tu meu deus me tragas o meu amor do coração. Mas sem um ser humano qualquer e, ter um pingo de consciência e, como pode esse ser humano viver toda a sua ciência meu deus. Mas tanto que eu tenho estudado e, ainda de nada eu dei em aprendido e, apesar de eu ser e, é um homem e, é mesmo muito ofendido e, é por seres humanos sem terem e, é alguma consciência e, do que é o bem, ou do que é o mal meu deus. Mas também e, sem de nada eu ter prometido e, de nada me está esquecido meu deus. Mas em tudo aquilo e, que eu faço na minha vida e, tem tudo um grande sentido e, que é de um sentimento profundo e, de o meu amor e, eu nunca me ter esquecido e, ainda muito menos me passa do meu esquecimento e, sem haver algum arrefecimento e, tenho e, é um grande pensamento meu deus. Mas um dia e, eu espero poder ter o meu próprio casamento e, sem eu ter e, absolutamente ninguém e, é a impedir e, é todo o meu grande divertimento meu deus. E é com a mulher do meu casamento e, vou lhe dar e, é um grande presente de casamento meu deus. Mas também e, sem eu ter e, é algum mau pressentimento meu deus. Mas que grande mulher e, é aquela que eu tenho para poder ter e, é uma grande vida, depois do meu casamento meu deus. Mas em tudo aquilo e, que eu só lhe espero e, é sem haver desespero algum e, até vai haver e, é um grande entrincheiro e, tudo eu tenho. Mas muito menos e, é o maldito do dinheiro e, sem eu ser e, é de nada interesseiro meu deus. Mas de tudo e, na vida humana e, se faz e, é pelo dinheiro e, sem haver alguém e, a impedir e, até eu me poder vir ou a despir. Mas um dia também e, só aquilo que eu espero e, é de eu me poder vir a sorrir e, sem haver alguém a querer me agredir. Mas sem de nada e, eu consentir e, tudo faço e, sem eu ter e, é grandes falas. Mas até eu me vou deitar e, sem estar a delirar mas um dia e, eu espero me poder vir a levantar e, sem eu ter alguém na minha vida e, para eu lhe poder vir e, é a falar-lhe mal e, ainda muito menos de eu ter que me vir a desculpar. Mas aonde é que tu tiveste e, o que é tu fizeste e, ainda hoje tu me o disseste e, ó meu grande amor do coração e, está sempre e, é em grande actividade e, sem eu ter estado na sociedade. Mas tudo aquilo que ela faz e, é com uma grande claridade e, eu já andei de mocidade em mocidade. Mas tenho andado sempre e, é á procura e, é de alguém e, com uma grande piedade ó meu deus me valha. E que eu já estou encurralado e, eu só já o que quero e, é de estar com ele entalhado ó meu deus. Mas eu e, tudo aquilo que quero e, que estou pensando e, é estando com ele todo entalhado e, é por mim a dentro meu deus. Mas ai e, é que vou saber e, o que é ser realizada sexualmente e, por o homem que eu quero meu deus. E não é como tu e, que só aquilo que tu sabes fazer e, é mal e, é a quem eu quero ter de verdade por mim a dentro ó meu deus. E como tu estás tão lindo e, tão bonito e, que quando eu te vejo e, até me cresce a agua na minha boca e, quando tu também estas comigo e, que cresce o teu pénis por mim a dentro. E que até dá vista aos cegos e fala aos mudos ó meu deus. Mas o que eu já não consigo e, é viver e, sem estar a pensar e, é em estar contigo e, é a ter relações sexuais e, para mim e, tanto faz e, que seja por cima ou por baixo e, é como tu quiseres e, o que é preciso e, é eu estar abraçada a ti meu amor de verdade. E depois de eu ter sofrido e, é toda esta minha cruz e, que tem sido e, com o maldito deste homem e, que nem cobrir sabe meu deus. Mas então a maldita da língua dele e, é uma caluniadora em qualquer parte e, só o que passa e, é a dizer mal do meu amor ó homem maldito e que diabos te levem. E é para muito bem longe de mim e, que tudo aquilo que eu quero na minha vida e, é estar e, é com aquele homenzarrão e, que todo ele é um bonachão e bonitão ó meu deus. Mas então ele é e, um grande descarado e, quando ele pegou na minha mão e, me a pôs no pénis dele a minha mão ó meu deus. Mas de tudo isto eu tenho e, já eu fiz com aquele homem de verdade meu deus. Mas isto tudo e, só pode vir e, é de pessoas e, que estão e, é mesmo muito necessitadas e, é por terem sexo de verdade e, de serem realizadas de verdade ó meu deus. Ou então cá para mim mesmo e, todas essas pessoas que pensam assim e, estão e, é sendo mesmo e, é muito oprimidas e, é por pessoas mesmo muito invulgares ó meu deus. E sem essas pessoas terem e, é alguma consciência e, do que é amar realmente de verdade ó meu deus. Mas quando eu e, me apercebo bem e, no mundo em que eu estou vivendo de ódios e traições e vinganças e, eu fico e, é mesmo muito triste ó meu deus. E tudo por uma simples razão e, é quando eu falo a verdade e, a quem quer que seja e, eles ou elas e, ainda me respondem. Mas tu está e, é mesmo maluco e, um apanhadinho de um todo ó meu deus. E depois as mulheres deles ainda me perseguem e, é como cadelas aluadas ou cheias de cio meu deus. E que eu e, muitas das vezes e, nem sei bem e, é aquilo que eu hei-de fazer e, se é de lhe despir as cuecas, ou se é só e, é de lhe as desviar para o lado e, lá vai o meu pénis a perder e, é todo o seu sentido e, que é como aqueles dias de trovoada e, que é para aonde elas pendem ó meu deus. Mas sem existir amor de verdade e, como é que alguém pode ser realizado sexualmente meu deus. E tanto faz no homem como na mulher e, se é a melhor coisa e, que possa existir e, é entre um casal. E é haver uma boa relação e, quer ela seja sexual ou como mental. Ou então e, que tenha ser e, é tudo num ambiente e, muito pacifico meu deus. Mas como eu e, tenho passado e, é tantos dias na minha vida e, é em inteira solidão e, sem haver absolutamente ninguém a querer me dar a sua própria mão ó meu deus. E o que é eu lhe e, tenho feito de tão mal ó meu deus. Mas será por eu viver nas feitiçarias e, é perante o homem de bem e, que é o seu escolhido e, que é o seu predilecto e, é por isso tudo e, é que eu tenho que estar a passar e, é por toda esta minha vergonha ó meu deus. Mas até a minha própria mulher e, ela me quer deixar para ir ter e, é á cama do meu maior inimigo ó meu deus. Mas o que é que esse homem tem de tão especial ó meu deus. E também já não existe nem cão nem gato e, que não adore e, é aquele maldito daquele homem obeso. Mas ai e, agora ele e, já não é um obeso ó meu deus. Mas ele agora tornou-se e, foi num atleta de fama e, ele tem cá uma grande dedicação para o desporto que é uma coisa parva ó meu deus. Mas tudo aquilo que ele não tem e, é consideração alguma e, é por todo o bem que eu lhe fiz ó meu deus. Mas dantes quando ele precisava de mim e, que era para poder ir comigo a qualquer lado e, ele vinha-me logo dizer. Josué vê lá se tu podes ir comigo aqui ou acolá. Mas agora ele passa por mim e, até vira a cara dele para o lado e, é a mim e, á minha mulher ó meu deus. Mas ele ainda é e, muito pior do que um bicho e, aquele maldito tirou-me toda a minha vontade de viver ó meu deus. E até a minha mãe e o meu pai que deus os tenham ele me os matou ó meu deus. Mas eu agora e, vou-lhe fazer, mas é o mesmo e, é aos pais deles. E vocês já viram bem como está a mãe dele. Ela esta e, é mesmo uma apanhadinha e, eu não entro com ele e nem com a serradura. Mas eu vou-lhe fazer e, é ainda e, muito mais a vida negra e, do que lhe já a fiz até aqui ó meu deus. Mas ai que aquele homem e, é um ingrato e, não reconhece e, é a quem lhe faz bem. Mas ele agora diz então e, que é um anticristo. Mas o que ele é e, é aquilo que eu cá sei um malandro um ladrão que se fartou de roubar os pais e tudo aquilo que os velhotes dele juntaram a vida toda, ele esfarrapou tudo ó meu deus. Mas mais tarde e, é que se vão colhem as peras. Mas tu és um maldito e, ainda muito mais e, és um maldito de um racista e, um grande ignorante. Mas eu não sei e, como é que a minha mulher está maluca e, o que é que ela vê naquele homem ó meu deus. Será que a ferramenta dele é milagrosa ou então ele tem e, é um grande tacanho de carne. Que ela até se ouve ao fim da rua quando esta a ter as ilusões dele ó meu deus. E ela então e, ainda me diz e, que muito mais vale ele todo nu do que eu carga do de ouro. Mas aquele maldito que é um irreversível maldito que existe é face da terra. E ainda por cima ele diz e, é de boca aberta e, que é um homem sem ter alguma religião. Ó Josué para um bocadinho que tu esta é mesmo um desgraçadinho. E estas metido e, é num trinta e um e, que tu nem sabes bem e, do que ele te é capaz de fazer. Aquilo é um homem para tudo. E se calhar até é. A minha mulher diz que ele faz tudo na cama a uma mulher e, que só ele é que a realiza sexualmente e, como mulher também ó meu deus. Mas aonde é que eu estou metido ó meu deus. Mas eu estou e, é metido e, é no fado dos trinta e um ó meu deus. Mas eu estou sempre e, é á espera e, de ele dar algum motivo. Mas o maldito daquele homem e, que é para eu ainda o poder caluniar e, ainda muito mais e, até de o poder acusar e, prende lho, mas a guarda não lhe faz nada e, é porque tem mas é medo dele e, aquele maldito e, és um maldito ó meu deus me valha. Mas ele também não dá motivo algum e, nem pretexto a ninguém para eu e, o poder estar a caluniar da forma que tenho estado fazendo ó meu deus. Aonde é que tu estas a meter e, é a gente todos Josué. Mas não sou só eu e, é o meu primo Manuel José e, mais a minha família toda também estão todos metidos neste barco naufragado. E era muito melhor eu nem sequer ter nascido e, á minhas nascença e, eu devia e, era de ter logo morrido do que eu ter e, é que estar a passar e, é por toda esta minha vergonha ó meu deus. A minha própria mulher e, não quer ter absolutamente nada comigo e, ela então ainda me diz e, que tudo aquilo que ela vê na vida dela e, que é a nudez daquele selvagem e, que aquele selvagem não tem perdão algum. E as outras pessoas ainda me dizem mas tu então não vês Josué. E que aquele homem é um justo e, como ele nunca existiu ninguém á face da terra. Mas ele rouba-me tudo e, ainda por cima ele é que é o bom e, eu é que sou o mau ó meu deus. E agora ainda me vieram dizer e, se a gente todos não formos á da mãe da serradura. E que ele nunca vai dar o perdão dele a ninguém. Mas aonde é que tu ouviste ele dizer isso. Bom e, ele não disse por palavras mas disse por meditação. Ó Josué e o que tu és e, é um grande mentiroso e aldrabão. E tu e a tua prima Maria Isabel e, vocês os dois tem estado e, é a usar a gente todos. Mas vocês adiem ver bem e, é quando o homem for a qualquer lado e, se o rui neves não vai logo atrás dele. E embora ele vá de bicicleta ou ele vá de carro e, vocês vão logo atrás dele e, é a maior vergonha que existe á face da terra. E se o homem respeita a gente todos e, a gente todos não o respeitamos ele e, como ele nos respeita. Mas ele respeita mas é uma ova, ele a mim e, já me chamou um pouco de tudo e, foi de cara a cara. E ele até diz e, que eu e o meu primo Manuel José somos gays. E é verdade ou é mentira ai meu deus. E aonde é que a gente todos estamos metidos. Mas nós metemos-me e, foi com o homem errado e, á hora errada e, no local errado. Mas agora e, o que é que vocês querem e, que a gente façamos. Mas a gente e, temos lhe feito e, é um pouco de tudo e, àquele homem maldito. Mas agora e, nós vamos e, é ter que assumir e, é tudo aquilo que lhe temos feito. Mas isso é que eu não faço e, eu vou ler lhe o livro e, é até á hora da minha morte. E eu agora já sei e, que nunca vais passar e, é da sépia torta e, que eu agora vou ser e, é gozado e, é por tudo e todos. E então ó Manuel José e, tu também andavas ao cheiro da serradura e, sem ela nuca te ter dado algum pretexto. Mas ela e, nem me deis um pretexto a mim e, nem a ninguém. E quando ela andava lá em Viana de bar em bar a trabalhar e, depois de ela ter deixado o cachola. E ainda alguém pensava bom agora é que lhe vamos deitar as unas. Mas aquele gajo sem lá ir gastar um cêntimo enroscou-se com ela a vida toda. Então agora e, tu queres fazer o quê, ele já sabe que só ele é o único homem á face da terra. E também já sabe que é o único homem que tem tesão. Mas agora e, sopas do cu para dono e, ai dona que já não ganhas para a dona. Mas adies lixar-te que adies ganhar para o susto ai meu deus. Mas todos nós e, já estamos e, é fartos de dar, mas não é esmolas e, a quem precisa, mas sim de darmos dinheiro mal dado e, é aquelas videntes malditas ai meu deus. Mas nós também não fazemos e, é absolutamente nada para mudarmo-nos e, tudo aquilo que esteja errado em nós. Mas vocês e também adiem ver bem e, que cada vez que se chegam ao pé daquele homem e, que ele é uma perfeição. E vocês vão e, é com as vossas maldições. Mas isso é porquê, tem inveja dele e, é por ele ser todo bom. e como é por fora e, é também por dentro e, eu não sei bem e, se não é ainda melhor por dentro do que por fora. E vocês só aquilo que fazem ó homem e, é mesmo um mal do pior que possa haver e, tanto fazes tu e, como toda a tua família. E eu estou a passar e, é por toda esta cruz e, é por tua culpa e, mais da puta da tua tia maldita ó meu deus. Mas quando é que vocês e, pensam em deixar de ler o livro aquele homem e, de vocês irem á das videntes para elas fazerem macumba àquele homem perfeito. E que ele sabe e, o que é amar uma mulher de verdade e, não é como vocês que são uns gays que andam por ai. E o teu primo rui então diz, mas ai e, que é tão bom levar no ónus, ai meu deus. E aonde é que tu tens metido a gente todos e, tu não vês que o homem sabe tudo aquilo que vocês lhe fazem. E ainda a noite passada foi uma vergonha. E passam o tempo a combinar tudo aquilo de mal que lhe adiem fazer. E anda o homem bom de bicicleta e vocês andam mas é de carro e, é a ler aquele maldito daquele livro. E ainda hoje mal o homem abalou para Viana para ir tratar da vida dele com o pai dele e, assim abalou a puta da tua prima pascoa e, a seguir foi logo aquele drogado atrás dele. E vocês não velem que não é a fazer mal ao homem que vocês mudam alguma coisa nas vossas vidas ó meu deus. Mas que eu tudo aquilo que quero e, é de estar nos braços daquele homem santo. Mas aquele homem é que é santo e, se ele não quer absolutamente nada da igreja católica. E nem das nossas tradições e, que são a dos cristãos. E ele ainda escreve e, ainda diz e, que é tudo uma mentira as tradições dos religiosos ó meu deus. Mas ai e, todos os meus santos me valham. Mas tem que ser e, é os de pedra e, os de madeira. Mas o que eu quero e, é de estar e, é com aquele tacanho de carne e, é por mim a dentro e, ai é tão bom e, tão maravilhoso e, tão gostoso e, bem dito sejas meu deus. E é quando eu estou e, é com ele todo por mim a dentro e, eu até perco todo o meu ver ó meu deus. Mas dá-me cá uma coragem de viver e, sem poder existir alguém para me poder oprimir. E de eles todos me andarem controlar e, é isso que todos vocês fazem. E só aquilo que fazem e, é andarem a perseguir o homem de bem e, sem ele fazer mal a ninguém. E ainda hoje de manhã aquela bela. Mas só se for de nome porque de resto não tem mais nada de bela. E até aquele pão sem sal do teu tio Adriano e, esta manhã foi com feitiçarias até á casa do meu amor. E embora vocês queiram ou não e, aquele homem é que é o meu amor de verdade. E é aquele homem e, é que entra por mim a dentro e, é cada vez que ele queira e, tanto faz ser de dia ou de noite. E eu ainda te digo mais uma coisa, ele é tão bom e, que eu nunca sou capaz de lhe dizer que não e, tu estas a ouvir bem e, tudo isto que eu te estou dizendo. E aquele malvado e, tu estas a ouvir és um malvado que andas ai á face da terra e, que dás cabo da vida da gente todos e, ainda és protegido por a guarda nacional republicana. E eu sei lá as vezes que já o fui acusar e, o que é que eles lhe fazem nada. E até as próprias leis estão do lado daquele marginal e, ainda agora tu me dizes que aquele selvagem é um super dotado de entendimento. E se ele nem a carta de condução é capaz de tirar. E é um super dotado mas é os canos do cu dele. Mas olha lá bem, mas dos canos do cu dele e, só aquilo que de lá sai e, é as necessidades dele. Mas agora do teu e, entra e é o pénis do macarrão. E sim é a sim como eu te estou dizendo, tu e ele são os dois uns gays. E eu ainda te digo mais, tu até me metes nojo e, que nem banho tomas e, só aquilo que cheiras e, é ó maldito do álcool. E é como aquela tixerte que os rapazes fizeram com a fotografia do depósito da água. E sabes aquilo que lá estava escrito, para evitares a ressaca mantende sempre bêbado. E é tudo isso que tu és um gay e, um bêbado e, um mentiroso do maior que possa existir á face da terra. Mas agora também diz então, que quando o meu amor for andar de bicicleta e, que lhe passa por cima. Mas se ele te paté os pés e, tu nem sabes aonde é que te adies meter. E agora ouve bem e, com atenção eu tenho nojo de ti. E tu ainda não viste isso. Mas deixa lá e, agora querem obrigar o homem a acreditar naquilo que vocês acreditam. E que é só para proteger os malditos daqueles padres que não tem vida alguma. Mas espera lá e, agora é que eu estou a ver bem. E porque é que o padre e o António Maria não se tiram lá da casa da tua tia. Mas se calhar e, esta me a querer dizer e, que a minha tia é uma puta ou o k. Ou tu pensas que ela é como tu e, mais aquele selvagem e, meteram os cornos a vida toda. Mas se eu não for capaz de lhe fazer mal a ele. E um dia qualquer e, quando tu chegares de Porte e, faz ter um arrependimento para o resto da tua vida. Que eu vou-me pendurar e, é ali aonde a minha madrinha pendurava os porcos dela quando matavam. Mas tudo aquilo que eu quero e, é que faz para o raio que te partam Josué. E porque tanto tu como todos os teus primos e, mais a família do kinol e, a da Maria Antónia e, do do José Maria e, só aquilo que lhe fazem e, é estudarem o mal. E então vocês não velem que estão a dar amantes e, é a toas as mulheres que digam praticamente o bom dia ou a boa tarde ao homem e, fazem com que o homem esteja vivendo na solidão. E que é para ele estar a proteger a gente de bem. Mas não os protege e, é a vocês e, só aquilo que estudam e, é estarem a enganar o próximo e, é com a mentira. e todos vocês são e, é uns mentirosos e ordinários que andam por ai á face da terra. E tu não vês também aquela drogada da tua prima Susana e, só aquilo que estuda e, é a mentira. E depois diz então e, é a este e, aquele e, que é para irem ao pé do homem e, é sempre com a mentira pegada. E que é para vocês se rirem dele quando o revoltam. Mas vocês não velem e, que mais tarde ou mais cedo e, a verdade há-de vir ao decima. e vocês vão ser repudiados e, é por tudo e todos. e vocês ainda não viram e, que é com o bem e, é que se cria o amor de verdade e, não é com o mal. E é como vocês todos vivem diariamente e, também durante a noite e, até aquele chinita ou tuca como lhe chamam e, vai com a tua prima porem-se á porta do homem a lerem-lho o maldito do livro. Mas eu também e, já te disse e, foi muitas vezes Josué e, para tu deixares de ler o livro ó homem. E tu não queres querer e, é naquilo que eu te estou dizendo. E tu Josué já tens uma fama de feiticeiro e, que nem te passa bem pela tua cabeça. Bom mas isso era se tu tivesses alguma cabeça e, ela anda ai no sítio. Mas não serve para o bem e, só serve para o mal. E até o teu primo José peloujo e, anda também a ler o livro ao homem. É uma vergonha e, andarem a fazer excepção do homem e, é por ele ser pobre e, vocês serem ricos. Mas é pobre em dinheiro e, porque em amor e, são vocês. E nem sequer sabem e, o que isso é o amor de verdade. E tudo aquilo que o teu primo Manuel José diz e, é então e, que aquele homem lhe está tirando e, é todo o vosso orgulho. Mas o vosso orgulho só se é de serem maus e, é aquilo que vocês são todos uns diabos e, umas grandes bestas e, que levam o tempo a oprimir e, é a quem está no bom caminho e, a quem ama realmente de verdade e, é às mulheres. E não é como vocês e, que o vosso amor está e, é no álcool e na droga. Mas ele também já foi mas já não é. E aquilo é a maior perfeição que existe á face da terra, ou que já existiu. E a tua prima Maria Isabel e, diz então. Como é que ele pode saber mais que ela e, se ela é uma professora primaria. E ele apenas tem o nono ano e, foi porque o tirou nas novas oportunidades. E tu nem isso e, foste lá mas depressa lhe voltaste as costas. E o teu primo Manuel José e, que parece um porco gordo e, é daqueles que são capados para a matança. E diz também eu marrei para ter o decimo segundo ano. E como é que ele pode saber mais que ele. Mas papo e, isso tem e, é vocês muito. Mas aonde é que estão as vossas obras e, só se for nos vossos canos do cu e, é como vocês dizem ó meu deus. Mas vocês não vêem e, que não é com o dinheiro que vocês compram e, nem o amor e, nem a paz e, nem o bem e, nem a verdade. E que tudo isso e, temos que ser nós a fazer, e é o próprio ser humano e, que tem que adquirir todo o bem e, não é como vocês todos vivem. e que é de andarem e, é a perseguir e, a fazer mal e, é a quem não aceita e, é a todas as vossas mentiras selvagens. E tu ainda lhe de chamas de selvagem e, ao homem de bem ó meu deus. Mas quem é que é selvagem és tu e, que só vives na mentira e, nas feitiçarias pegadas. E és tu e, mais toda a tua família. E até aquele vitelinho e, também anda encharcado com aquele luís kinol e, se calhar eles também devem e, é ser os dois também uns gays. E também a mulher de um e, a namorada do outro andam e, só andam a viver e, é constantemente e, é em feitiçarias e, em rezas manhosas. E eles só aquilo que vivem e, é no álcool. E é porque não devem ter amor algum e é a quem devem ter ó meu deus. E aonde é que tu Josué e, andas a meter e, é as pessoas todas do outeiro. E tu não vez que ele não acredita e, é naquilo em que nós acreditamos. E tu não vês que aquele homem é que esta no bom caminho. Mas ele é um maldito e, que não quer absolutamente nada da nossa doutrina. E o que é a nossa doutrina o egoísmo e, a ganância e, as maldades pegadas como vocês vivem ó meu deus. Mas tu também não vês e, que vocês podem comprar tudo como o vosso dinheiro. Mas menos a saúde e o amor e a verdade e a razão. E sem razão e, aonde é que alguma vez e, pode existir o bem ou o amor de verdade. E como é que tu dizes e, que tens amor de verdade. E é andando a fazer mal a outro ser humano como tu e, que tem as mesmas necessidades do tu. E só porque ele não aceita a tua doutrina ó meu deus. Mas ele sabe tudo aquilo que a gente lhe tem feito e, a ele e á serradura. Mas até o Isidoro e, que ele andou com ele ao colo e, sempre o tratou com todo o respeito. E ele também anda a fazer mal ao primo. E isto não é absolutamente e, uma grande vergonha ó meu deus. E isso tudo é só por o neves lhe dar droga e, a Susana lhe dar aos cinco eirós. E que é para ele quando sai com o primo a qualquer lado e, ele lhe ir a fazer mal. Mas isto tudo é uma vergonha Isidoro. e ainda ele queria ser o secretario da junta de freguesia. Mas isto e é uma autentica vergonha ó meu deus. Mas porque é que vocês fazem mal ao homem meu deus. E é de dia e de noite e, vocês não vêem que estão no mau caminho. E é como aquele Albertino e, mais a Carla sargozinha e, que foi uma vida inteira e, ali criada ao pé do homem. E é por a tua prima Maria Isabel lhe dizer. Então ajudem a minha família que aquele maldito não quer nada da nossa doutrina. Mas não vêem que o caminho não pode ser esse de andarem a perseguir e fazer mal ao homem ó meu deus. E quando houver alguém e, esse alguém e, souber. E porque é diz que não. E a seguir é discriminado e, é por tudo e todos. Mas ele é pobre, mas é mesmo e, muito honesto e sincero. e vocês não vêem que estão metidos numa camisa de onze varas. E Não é fora e vai e, sai o fado trinta e um e, é vocês todo meu deus. Não vêem e, o que vocês tem feito e, é de tudo um pouco e, tem sido aquele homem. E o que é que vocês mudaram na forma de pensar ou de agir daquele homem. E bem dito sejas meu deus e, que é a coisa mais maravilhosa e querida que existe e, é entre todos os homens. e vocês são o quê uns animais irracionais e, é aquilo que tu és e, é mais toda a tua seita e, que só andam e, é a fazer mal e, a quem só faz o bem ó meu deus. E tu sabes aquilo que é e, é um grande carola. E ainda bem que tu me lembraste dessa ocasião fantástica. Mas quando nós e, estávamos todos lá na igreja da nossa senhora de Aires e, o padre Manuel o pôs na rua e, ainda lhe disse a ele e, o que ele era e, era um homem sem fé alguma. Mas não foi bem assim e, como é que tu já podes estar e, é para a ai a inventar. E então como é que foi, o padre e, disse-lhe para ele sair e, desde já que ele era um homem sem fé e, era daquelas estatuas de pedra ou madeira ou de ouro ou de bronze. Mas isso é que ele é e, é como o bronze e, ganha dez e, gasta onze. E aquilo que ele é e, eu é que sei. E então o que é que ele é e, é um homem que é um cavalga dura qualquer que anda ai á face da terra ó meu deus. Mas não pertence ao pai do Pedro o silvestre e, que lhe chamam a bota da tropa. Sim e, agora e, chama-lhe lá e, aquilo que tu quiseres. Mas ele é que é o homem de bem e, não és tu. E tu sabes aquilo que ele diz. E que todos aqueles homens que não se tiram lá da igreja. E que vão lá e, é para irem cobiçar as mulheres dos outros. E isso não é verdade é mais que verdade. E tu não vês o germano e, ai com a Silvina e com as outras todas. E ele passa a vida e, é a cobiçar esta e aquela. Mas a tua prima Susana e, também dizem por ai e, que o filho do germano o mais novo o Fábio Miguel e, que anda em cima dela. E não me digas uma coisa dessa que eu nem sequer quero acreditar do que aquela drogada é capaz de fazer. e ainda tem a fama e, é com mais e, quando eles vão lá para Viana e, que ele é só droga. E que os outros e, lhe o metem, mas é ali ao pé do cu dela. E que aquilo é a coisa mais maluca que possa existir á face da terra. E tu não me digas uma coisa dessa e que eu nem quero acreditar que seja mentira. Mas tu também tens culpa no cartório e, não queres e é ser sozinha. E porque tu mais aquele animal e meteste-me os cornos e, foi a vida toda. E aquele animal e, ele tem tudo. Mas tudo menos consideração e, foi para todo o bem que eu lhe fiz a minha vida toda ó meu deus. E um dia desde ele disse então á avó da estrela. E se ela não sabia os dez mandamentos. E se isso para ele conta-se para alguma coisa. E se ele também te teve e, foi de cobiçar a ti. Para poder andar contigo. Mas não é nada disso. E porque quando eu tive naqueles braços maravilhosos e agarrada ao pénis dele todo erecto. E se ele não fosse justo e, tinha sido logo naquele momento e, que ele me o tinha e, era enterrado e, com ele todo por mim a dentro. E desde já e, deixa-ta estar caladinho. E que tu nem tens habilidade para cobrir. E eu sou uma cadela aluada por aquele homem maravilhoso. E não foi logo naquele momento. E foi para ele poder vir a realizar e, foi as aparições de deus que ele teve ó meu deus. Mas é e com tanta angustia e, revolta e, que eu tenho que escrever e, é toda a pura da verdade. E é do mal que certas e determinadas pessoas me estão causando e, fazendo e, ainda hoje e, pessoas a quem eu sempre e, na minha vida toda e, eu as respeitei e, em tudo e, elas me estão e, é fazendo mal. E é por eu ser pobre meu deus. E eles estão defendendo a causa do rico e, sem haver justiça da parte deles ó meu deus. E ainda agora o Leonardo bicha e, me mandou um mau-olhado e, sem eu nunca lhe ter feito mal algum meu deus. E como é que você e, pode permitir e, é tanta ruindade e maldade no próprio ser humano meu deus. E vivendo eu na minha própria solidão e, muitas das vezes e, sem eu ter e, é algum tostão e, para eu poder contar e, quanto mais e, eu até gastar. E eu e só lhe peço uma coisa meu deus. E que você seja justo no peso do trigo e do joio e, que separe a quem ande no mundo do bem e, que condene a quem ande no mundo do mal meu deus. E se for eu e, que ande no mundo do mal. e que você faça recair sobre mim e, é toda a sua justiça meu deus. Mas eu e não ando caluniando e, é a ninguém meu deus E se eu vivo na minha própria solidão e, tudo aquilo que eu espero e, é que aja algum ser humano e, que seja digno de lhe chamarem e, é com toda a verdade e, de ser justo e, é sobre todos os homens presentes ou passados ou até no próprio futuro meu deus. E que o futuro e, ainda nunca ninguém o viu e, ninguém poderá dizer. Eu nunca vou precisar de fulano ou de beltrano. E porque eu sou um patrão e, aquele maldito é um animal que anda ai á face da terra. E que ninguém lhe passa cartão e, ninguém praticamente lhe diz o bom dia ou a boa tarde ou a boa noite. Bom mas e agora deixamos isso e, que isso não interessa para nada e, vamos ao que interessa e, ele não quer e, é absolutamente nada da doutrina católica e nem cristão. E aquilo é um ateu ou é a pior coisa que anda ai á face da terra meu deus. E se ele fosse bom já tinha casado. Mas quem é que quer um homem daqueles e, que nem quer trabalhar. E ainda por cima e, até a própria lei esta e, é do lado dos maus e, não é dos bons. E porque eu Josué Garcia é que sou o bom e, é que sou um super dotado de entendimento. E aquele selvagem é mas é um apanhadinho e um maluco e um drogado e um bêbado. Ai mas ele agora já não é nada disso. Mas não presta mas é absolutamente para nada. E anda difamando a minha família toda por toda a parte. E agora até pôs aquelas mentiras todas na internet. E que é para ele poder dizer e, que é um escritor. E sabem como é que ele escreve e, é assim e, é. E não passa disto. Mas se eu e, lhe pode-se e, era de ser bom e, eu já lhe tinha mas era feito a folha. E a folha dele é a coisa mais negra que possa existir á face da terra. E todos os meus santos me valham. E agora tem que ser um trabalho feito e, é com o são Bartolomeu e, também com o são Cipriano. Ó meu deus me faça recair todas as minhas feitiçarias em cima daquele marginal que anda por ai sem carta de condução. E a guarda nacional republicana não lhe faz absolutamente nada. E é porque eles tem medo dele ó meu deus. Mas o medo e, é de quem o faz e, se ele fosse bom e, tinha consideração, por quem lhe tem feito bem. O meu primo Manuel José disse-lhe quando garri ou com ele e, que ele não agradecia e, era a quem lhe tem feito bem e, lhe fazia bem. E ele ainda lhe disse e, se a gente lhe tinha feito algum bem e, que ele nem se quer se lembrava disso ó meu deus. E ainda esta manhã quando eu fui vender o pão á porta dele e, ele lá estava sentado a adorar a lua e o sol. E como se o sol e a lua lhe dessem comer ou algum dinheiro. E às vezes os rapazes dessem-lhe e, porque é que ele e, esta a olhar para o sol ou para a lua. E o que é ele lá vê e, ele ainda lhe diz. Então é para ver se de lá cai uma nota de quinhentos euros. E ele goza com tudo e, eu até mesmo muito desconfiado e, que ele até goza com ele próprio. E vocês não vêem que ele fez-se passar por maluco e, sem o ser. E vejam lá bem se ele é esperto ou não. E o aluga rio e, é que diz bem e, vejam lá se ele é maluco e, todos nós temos que trabalhar e, a ver se ele trabalha e, a ver se lhe falta alguma coisa. e isso é enquanto ele lá tiver aquele pai e aquela mãe. E porque quando eles fecharem os olhos e, logo vamos ver como é que será. E depois disso deve ser e, é um ninho de fome. Mas mesmo assim e a tua mulher e, ela se quer e, é pôr e, é debaixo dele. E agora e o que é que vocês querem e, que eu faça. E eu já não lhe posso fazer e, é mais e, do que eu lhe tenho feito. E também lhe tenho de tudo um pouco e, agora sabes aonde é que tu estas metido Josué. E é numa camisa-de-onze-varas e, vocês não me digam uma coisa dessas. E é muito mais que certo e, vocês não vêem também a secretaria da junta e, que também se deve andar a querer pôr debaixo dele. E é com toda a certeza e, ouve uma vez e, eu estava a vender o pão, á da prima Antónia capachinhos e, ele vinha-lhe a dizer a ela e, o que é que ela ia almoçar e, se ela ia encher o cu de carne. E eu disse á mulher e, você não vê bem a conversa daquele pardal. E eu disse á mulher e, aquela também anda a querer e, é que ele lhe pule para cima. E ela ficou toda ofendida comigo e, disse-me então e, se eu também estava e, era com inveja e, era de eu não ter também o meu cu cheio de carne. E cortaram a cabeça a são João baptista e, foi por ele ter falado a verdade. E a mim se calhar querem fazer o mesmo e, eu nunca me irei calar. E aquele ordinário e, é um ladrão e, tirou-me tudo e, tirou também toda a minha coragem e, aos outros homens todos. E houve uma vez e, que ele vinha a pé para cima e, eu estava no café do migue linho. E eu disse e, em voz alta e, matem aquele bicho que ele tirou-me a minha coragem toda. E era aquela coragem que eu tinha para viver e, que era de eu poder vir a manter a minha mentira e, era a minha vida toda ó meu deus. Mas agora ouve lá uma coisa Josué, ou tu não és como o diabo e, tinhas a mania que eras muito esperto e, foste cortando a tua ferramenta e ficaste sem nada. E será por isso que tu pegas de empurrão. Eu alguma vez. E agora diz lá mas é alguma vez e, é mais que certo Josué e, do que tu és e, é tudo aquilo que ele te diz. E o que é que ele te diz. Ele já me chamou e, foi de tudo. E tu calaste e, quem cala consente. E vocês não me venham dizer que também vocês estão do lado daquele bicho. E eu ainda lhe digo e, que é muito pior do que um bicho selvagem. E ouve esta e, que me vieram contar a mim e, a respeito daquele animal. Manuel José e, foi quando a sociedade abriu e, ele disse então ao Jaime e ao Dário e, que era para eles terem cuidado com as bocas das pessoas e, para não virem a fazer daquilo um estabelecimento comercial, num casal ventoso. e então tu a dá-lhes com a puta da farinha Josué e, tu é que tens metido a gente todos nisto. Mas eu ando-lhe com umas sedes e, que nem te passa bem pela tua cabeça. Mas tu tens e, é que ter muito cuidado com aquele bicho e, é que ele agora anda cá numa grande forma física e, até me parece que agora ainda esta melhor do que quando jogava á bola. Mas tu também estas a ficar e, é mesmo um apanhadinho Josué. E se ele já sabe de tudo aquilo que a gente lhe faz. E agora queres o quê, mata-lho ou passa-lhe por cima quando ele for andar de bicicleta. Mas ele é esperto, é esperto, ou é inteligente e, sabe todo o caminho da vida eterna. E vê lá se ele o ensina á gente e, se tu o queres saber e, também o tens que estudar e, foi como ele tem estudado. E agora queres o quê e, eu até já tenho vergonha de ir a Viana e, as pessoas já me estão a gozar e disser. Então ai e, tu lobo mau e, tu querias vestir a pele do cordeiro. E tu não vês que tens muita e, é pouca classe para deixares de ser mau e para passares a ser bom. E o que é que tu tens feito aquele homem de bem lobo mau. E tenho sido obrigado e, é a disse-lhe e, que tenho lhe andado a ler o livro de são Cipriano. E ainda ontem eu tive uma discussão com aquela puta e, tu não vês como agora ela tem o cabelo pintado e, que até parece mesmo uma prostituta lá da estação. E deve ser igual a alguma com que tu já andas-te e, o que é que ajas. Mas a gente vai lhe fazer e, é a vida negra. E a vida negra e, temos nós agora e, que as pessoas todas já sabem de tudo aquilo que nós lhe fazemos. Mas ouve Manuel José e, tu eras mesmo um apanhadinho pela serradura. E o que é que tu achas. Mas ela não te passava cartão algum passava ta bem que não. Mas dá-me revolta a mim e, é que eu andava atrás dela e, era quando ela trabalhava lá nos bares e, eu ia lá gastar o meu dinheiro e, era eu e os outros. E eram o quê e vocês. Uns cheirosos ou uns ranhosos que andavam lá. Mas aquilo é a mulher mais bonita que á aqui nas nossas redondezas. E aquele bandido e, sem lá ir gastar um cêntimo e, é ele que tem andado e, é sempre com ela. Mas tem sido e, é às escondidas. E vê lá se é assim ou não como eu te digo e, ele tem gozado e, é com a gente todos e, tem sido a vida toda. Mas a gente hoje e, vamos ataca lho outra vez. E vamos ver se ele começa a recordar o passado. E que é para ele e, começa lho a vive lho de novo. E de andar por ai de banda em banda. Mas ele era bisneto e, era do tio Zé banda que deus o agem e, que esteja e, é e, muitos ano e, sem a gente lá estar. E tu não vês como ela agora anda sempre produzida e, é desde que foi lá para o curso para Portel. E ela anda assim produzida e não é só para ele. e porque quando ele lá ia ela não se produzia assim. E então ela não se anda a fazer só a ele e, deve ser e, é a algum que ela encontrou por ai e, com dinheiro. E se tu soubesses aquilo que ela gosta de dinheiro. E nem te passa bem pela cabeça ó Manuel José. E ela então diz-me a mim e, que eu sou um gay. E que sou amante do macarrão e mais do augusto sabarigo. E se tu soubesses a vontade que eu tenho em mata-lha e, nem te passa bem pela cabeça. E porque foi ela que pôs a gente todos nisto. E se ele tem a serradura e, não abdica dela para mais mulher nenhuma. E porque é que ela anda feita parva e, que é para a gente todos lhe fazermo-nos isto ou aquilo. E não esta sendo nada correcto da nossa parte. Mas ele é só vê-lha e faz-se logo a ela. Mas ele sabe mais e, é do que o calças. E então tu não vês que ele até na casa das putas trabalhou como porteiro. E andou de bar em bar e de discoteca em discoteca uma vida inteira. E é porque ele também tem e, é o lido e o corrido. E alguém sabe bem e, quantas mulheres e, é que aquele animal já montou. E nem sabem e nem chegam a saber. E porque ele guarda tudo para com ele e, não diz nada a ninguém. E agora logo quando ela chegar adis ver bem e, é o estilo com que ela hoje foi lá para a medra do curso. E hoje ela foi para a quinta do serrado e, que é para ir aprender a servir às mesas. E aquilo deve ser para algum lhe encostar a perna e, é tiro e queda. Mas tu não tens absolutamente confiança nenhuma na tua mulher. E porque é que tu andas a fazer mal aquele homem. E é durante o dia e durante a noite. E então o nosso orgulho e, vamos ter que lhe dar tudo de mão beijada e, que deus nos livre disso. E se nós temos a fama de sermos maus e, temos que a conservar. Mas também não é desta forma e, que a gente alguma vez, vamos ter a mão dele. E tu nem sabes bem o calibre que aquele homem tem. E tu não vês que ele saiu de Viana e, nunca mais e, ninguém e, ai o, viu a beber um copo e, aonde quer que fosse. E isso deve ser a maldita daquela personalidade que ele tem. Mas tu chamas aquilo e, uma personalidade. Ou aquilo é a pior coisa que possa existir á face da terra. E só vê a parte dele e, ele ainda não consegui ver que eu não tenho mais ninguém e, sem ser a ela. Mas ó Josué e, tu tens a gente todos e, até já foste duas vezes o candidato da c.d.u. e, eras logo tu o cabeça de lista. E eu também fui convidado e aceitei a fazer parte da lista do partido socialista. E vê lá se a ele e, se houve alguém que o convida-se a fazer parte de alguma lista. Ou se alguém o convida para ele vir a exercer e, seja lá que for o cargo público. Mas aquilo não presta para nada e, as doutrinas dele ainda muito menos. E quem é que quer a vir a viver as doutrinas daquele homem selvagem. E sem ele ter algum escrúpulo. Mas olha lá bem e, que ele tem andado mas é a dar e, é música e, é á gente todos. E é também tudo por culpa do José ferrão e, que lhe foi fazer o maldito daquele blogo ou b.l.l.o.g. mas ai e, que aquele homem maldito e, que eu já lhe criei um ódio de morte e, que só eu e, deus e, é que o sabemos. Mas ai e que todos os meus santos me valham e, desde já e, que deus esta do lado daquele selvagem. E não esta do nosso lado e, ele esta tirando todo o nosso prestigio que nós tínhamos aqui e, na nossa zona. E hoje já ele teve conversas mais alteradas e, foi com Vitorino. E ele diz então e, que não há ninguém nesta terra e, que lhe tenha facilitado a vida dele. Mas eu facilitava-lhe a vida mas era com um pau atrás daqueles cornos. Mas ele não tem cornos e quem os tem e, és tu ó Josué e, é cá um par deles e, que deves riscar as ombreiras das portas e, é cada vez que entras na tua própria casa e, é assim como tu dizes e, cá na minha casa e, quem risca e sou eu. E ele ainda me anda a pregar e, é cá uns maus-olhados. E um animal daquele que nem vale a agua que ele bebe. Mas ele e esta manhã e, quando ele foi para Viana e, o rui também foi e, logo atrás dele e, também já lá estava, o meu amigo e, que é do intimo o macarrão. E é mesmo teu amigo do íntimo ó Josué. E lá estão vocês e, é a duvidar da minha própria palavra. Mas se tu e, nunca tivesses metido a gente todos nisto e, a gente não duvidávamos de ti Josué. Mas também e, todos nós e, já vimos e, é tudo aquilo que tu e, a tua família lhe andam fazendo. E é á aquele homem de bem e que não faz mal a nada e nem a ninguém e não és tu o homem de bem e, lá por teres sido tu o cabeça de lista da c.d.u. e, que foste já derrotado por duas vezes e, quantas mais vezes tu te candidatares e, mais vezes tu és derrotado. Ou tu pensas que andas e, é a ludibriar e, é a gente todos e, é com todas essas tuas lamentações. E tu pregas cada uma mentira e, é á gente todos e, que até parecem mais que umas orações. E não adie ele dizer e, que as tuas conversas até dão fastio de se ouvirem. E tu tens desgraçado a tua vida e, a da gente todos. E até Porfírio esta sendo envolvido nisto e, é tudo por tua culpa e, da tua prima Maria Isabel. E ela diz então e, é á gente e, o que é ele sabe e, se ele só tirou agora o nono ano. E foi porque teve que ser nas novas oportunidades. E se ela é uma professora primaria. Mas olha agora e, é para isto e, que eu te vou dizer. E é daquela cabeça e, é que nós todos vamos ter e, é que fazer caso. E sabes porque ele obriga-se a estar sozinho e, é só para não envolver ninguém com o mal que todos vocês lhe fazem. E tu não viste ainda que aquele homem esta ao nível das pessoas com mais sabedoria em todo o planeta. E só os parvos e, os ceguinhos e, é que não vêem. Ou então não querem e, é verem. E é como ele diz e, é tudo por causa do nosso próprio orgulho e, do nosso próprio fanatismo. E embora tu queiras continuar e, é com todas as nossas tradições e, também esta e, até tudo muito certo. Mas não contamos e, é com ele para nada. E ele uma vez disse á mariana do Porfírio e, que deus não aceitava e, era de nada religioso. E se deus é que é o nosso criador. É o nosso criador mas é uma ova, o meu criador foi o velho saias e, que deus o age. E olha tu pouco melhor figura metes que ele tinha. Mas espera lá e, é ai um bocadinho e, que o meu pai era um homem respeitador. E tu também o és e, tanto que o és e, que tens respeitado a tua mulher. E é como todos nós já sabemos. E vocês não me queiram estar a dizer e, que eu não tenho respeitado a minha mulher. E como é que tu podes ter respeitado a tua mulher e, se passas o tempo e, é metido nas casas das mulheres que se andam a prostituir. Mas eu nunca lá trabalhei e, como ele lá trabalhou. Mas ai e, não trabalhaste pois não. Mas não lhe chegas, mas é aos calcanhares dele. Mas como é que pode ser possível e, vocês sentirem-se bem consigo próprios e, andando a fazer mal a outro ser humano e, que também tem todas as mesmas necessidades que vocês te. E é por inveja ou é por cobiça ou é por vocês serem maus de impura natureza. E que nem isso e, vocês são capaz de respeitar e, são as leis de deus. Mas vocês não querem respeitar o homem porquê se quando ele nasceu e, já existiam todas as leis de deus. E porque é que nunca ouve ninguém de vocês e, antes dele e, a segui-lhas. Ou é ele que é muito inteligente ou então são vocês que são e, é mesmo e, são muito ruins. E ainda vocês não viram bem e, do que aquele homem lhe é capaz de fazer a vocês. Mas vocês também adiem ver bem e, é como o Paulo Jorge o filho do Faustino das migas e, da Antónia do pau real e, quando ele se mete a olhar para ele ou para outra pessoa qualquer e, até parece mesmo e, é um espanta campinos. E então a mulher dele a minha prima Paula e, ela prega com cada mentira e, que só quem a conhece bem e, é que sabe como ela é. Mas e se alguma vez na vida dela e, ela falar verdade e, eu nem acredito nisso. Mas deixa lá a medra dessa conversa e, vamos e, é á aquilo que nos interessa. E que é e, venha a nós o nosso reino e, que o próximo vá á fava. Mas também não é bem assim que diz o António jacinto o marido da dona Maria. E ela deve ter mais uma prega no cu do que a gente todos e, é só por ser professora ou por ter sido professora. Mas a gente é tu cá e tu lá e, aquelas que tem um curso superior. E já é o senhor fulano tal ou a senhora fulana tal e, a minha prima Maria Isabel e, também tem e, é um curso superior e, ela também já estudou a bíblia e, como ele estudou. E ela diz e, que não esta nada disso lá escrito e, é daquilo que ele diz e, que ele tem escrito. E como é que ele pode saber mais do que ela ou que alguém que tenha o decimo segundo ano. Alguma vez e, eu é que sei e, aquilo que ele é e, é um grande monstro. Mas não é marinho. Mas um monstro em ser humano e, que até parece um lobisomem. Ó Josué e, tu não digas e, é uma coisa dessas e, que isso não é verdade. Mas a tua mulher e, é que se anda e, é a querer encavalgar com ele. E ele é que tem a fama de ser ruim e, sem o ser. E só quem vive lá ao pé dele e, é que sabe bem e, é aquilo que ele é. E é mesmo por isso que ele tem umas grandes relações e, é com aquelas pessoas todas. E que muitas das vezes ele passa ao pé delas e, nem para elas olha. Mas ele lá deve ter as suas razões. E então aquele João Abílio e, mete-se a olhar para o homem e, é mesmo com uma cara e, que é daquilo que ele é. Uma cara de parvo e, era aquilo que ele te chamava a ti francelina padeira e, já estas mesmo com cara de parvo. E agora é que tu queres ser esperto e, é só por teres dinheiro. E por andares a pagar bebidas a este ou á aquele. E que é para andarem a perseguir o homem e, a lerem lhe o livro de são Cipriano. Mas isso e, sabes o que é Josué, uma vergonha e, é aquilo que vocês são todos. E não é só tu que dizes e, que a tua mulher produzida daquela forma e, que tem mesmo aspecto de prostituta. E isso foi tema de conversa no almoço dos vinte cinco de Abril. Mas ele calçou as luvas e, ainda vocês não se tinham sentado e, já ele se tinha levantado. Mas que grande homem e, que esta ali e, que vive e, é na rua de Alvito e, é na porta numero trinta e três. E o teu tio o sal vinha e, diz então e, eu pensava e, que o meu Manuel José e, é que era um homem de bem. E agora as pessoas dizem então e, que ele anda a fazer mal ao homem de bem e, até a minha filha Maria Catarina anda fazendo mal ao homem de bem. Mas ai que vergonha tão grande e, que toda a tua família ainda adie ir passar e, é perante tudo e todos Josué. E tu não vês aquilo que tu combinas com o algarvio e, que é lá o vizinho dela e, com a prima da Ermelinda a Maria João e, que foi a vida toda uma grande prostituta. E tu dizes-me e, que eu é que sou uma prostituta. Mas eu só ainda o tive a ele e, tu nem sabes como é que é a minha vagina ó Josué. E se é ao comprido ou se é de atravessado e, de tudo aquilo que tu percebes e, de pénis. E é por isso e, que tu invejas o pénis do meu amor. e olha e sabes aquilo que me vieram contar e, é que o teu primo Manuel José e, foi apanhado a beijar o filho lá do taxista de Viana na boca e, aos linguados um com o outro e, ai que vergonha tão grande e, que é e, o teu primo dizia então, E ai Qui. Filipe que lábios tão maravilhosos que tu tens e, tu sabes que a melhor coisa que a gente os dois pode fazer e, é começarmos a viver um com o outro e, é desde já. E desde já que todas as mulheres não prestam para nada e, nós os dois não temos alguma confiança nelas. E tu não vês aquela Ana serradura e, que nós os dois e, fartámos de gastar o nosso dinheiro atrás dela. E era pior do que quando os bois andam atrás da Ana baptista e, assim fomos nós os dois com ela. E aquele pardal sem lá ir gastar um cêntimo á dela e, é que anda com ela. E ela ainda por cima se deixou e, foi de se ver em parte alguma. E se alguém a quiser ver a ela e, é só quando ela vai ter com ele e, é á casa dele e, andamos nós feitos parvos e, a inventar conversas a ver se ele abdicava dela. E só assim podia ser que ela calhasse a algum da gente. Mas ele não vai e, é em cantigas da rua e, anda o neves e, mais a Susana e, é os dois feitos parvos e, a disser e, a este e aquele. E ele agora vai para a sociedade e, tu vais lá e pregas-lhe e, é uma mentira a respeito da serradura e, diz-lhe que ela já anda com outro gajo qualquer. E sabes aquilo que ela diz á angélica e, que aquele homem e, só aquilo que tem e, é bom e bem. E que ela teve a infelicidade de perder o pai e, o avô. Mas conseguiu realizar e, foi todo o sonho dela de quando era pequena. E foi de ela ter um único homem e, que foi logo o melhor de todos e, que é como pessoa e como um ser humano do mais simples que podia existir e, sem viver com alguma vaidade e, disto ou daquilo. E olha e, já não é como tu e, desde que foste para o curso para Portel e, tornaste cá uma vaidosa e, é do maior que possa existir á face da terra. Mas também faz se isso e, é com o meu dinheiro. Mas se algum dia fores para ele e, deve ser mas é um ninho de fome. E porque para ele não ganha ele e, quanto mais para ti. E tu ainda não viste que ele nunca vai casar contigo e, nem com mais mulher nenhuma e, a não ser com a serradura. E ainda ontem disse lá para a sociedade e, que todos nós só tínhamos dois caminhos a escolher. E que um era o da morte e, que o outro era o da vida eterna. E depois do estudo feito por ele na bíblia e, que todo o ser humano não vivia nada daquilo que lá estava escrito. ó meu deus e, que eu estou sendo e, é envergonhada e, é por todas as pessoas e, é tudo por tua culpa e, até do André e, que me anda oprimindo e, é de eu ir com aquele homem santo para a cama. E é por isso que ele esta e, é num altar. Mas olha bem e, ele não esta num altar. Mas é ele que entra por mim a dentro e, é cada vez que ele queira. E ainda a noite passada e, foi quase a noite toda e, que ele teve e, foi em cima de mim ou em baixo ou de lado ou às quatro estaquilhas. E era por isso que tu te ouvias e, era até aos do quinto do inferno. E tu és uma maldita e, é como ele e, eu os odeies ó meu deus. E agora anda por ai dizendo e, que a gente todos e, lhe andamos a fazer mal. E que o neves anda por ai a dizer e, é em todo o lado e, que ele é maluco. Mas maluco e, é quem lhe o chama. E agora um dia destes e, lá para Viana e, o neves estava dizendo e, que ele era um maluco que por ai andava. E o aluga rio ouviu e, caiu-se logo em cima dele. E o neves e, enrolou o rabino e foi-se logo embora. E porque quem cala e, é porque tem motivo para ficar calado. E se tem motivo para ficar calado e, é porque também consente e, todos os gays e, lésbicas e, prostitutas e também calam e, é porque também consentem e, em tudo aquilo que são. E vocês não vêem e, que ele tem chamado de tudo aquele gay e, que tem sido ao cabrão daquele padeiro. E ele tem ficado sempre calado e, também á Maria Isabel. E quando os apanha por ai á mão de semear e, que eles e elas estejam sozinhos e é que ele lhe descarga em cima deles. E quando apanha a Maria Isabel sozinha por ai no campo e, quando a vê e, chama-lhe mesmo a ela de prostituta e, é de cara a cara. E ó kinol também e, tanto faz o pai e, como o filho e, também lhe chamou de gays de cara a cara e, eles todos e, tem enrolado o rabino. E é porque tem a consciência deles e, é mesmo muito pesada. E ainda o Josué diz então e, aquele homem foi um rufia a vida toda. E agora é que querem que ele seja bom e, que eu seja o mau. Mas ele não faz mal a nada e nem a ninguém. E o Josué diz então, ai não faz mal a nada e, nem a ninguém. Mas a mim e, tem e, é me posto os cornos e, tem sido a vida toda. E agora ainda por cima não me pode nem ver ao pé da minha mulher. E é só tudo isto e, porque ele agora já tem uma namorada mas eu tenho feito de tudo e, é a ver se ele se zanga com ela mas está lá calor e, é assim como diz o David o que já foi prisioneiro. E que era para ver e, se ele ia revoltar e, voltava a viver a mesma vida que vivia do antigamente. Mas aquele homem e, agora e, já tem todo o seu poder na sua própria mente. Mas ai que aquele rufia anda dando cabo da minha vidinha toda. E anda por ai dizendo e, em todo o lugar e que eu com o macarrão e, que pegamos de empurrão. E aquilo que vocês são todos e, é uns grandes trapalhões. Mas ele é que uma vez e, vez parte desse grupo coral. E vocês não se lembram disso e, era ele e, mais o Manuel marques e, o Joaquim da irinda e, o Miguel do café e, o Claudino o filho da bernarda e, do senhor Manuel cota e, o senhor doutor da oriola. E quem é que é esse o senhor doutor da oriola. É o ezequias e, ai que ainda me faltava um o Manuel cafeeiral. E até foram actuar em palco e, cada um deles tinha cá uma bebedeira. E quem só o viu e quem só o vê agora e, que até dá gosto ver e, quanto mais se tem e, mais se quer. Mas ai que homem e, é assim que se metem elas agora e, que ele é mesmo um bonitão. E depois eu digo á minha mulher. Mas o bonitão é o Elias do Fernando laranjeira e, tu não sabes nada disso. E então conta lá tu e desde já que tu é que sabes tudo. A avó do Elias que deus a age e, dizia assim. Ai que o meu Elias e, é mesmo um bonitão e, namora uma na oriola e, outra na torre e, outra no outeiro. Ai era assim que dizia a avó do Elias e, ela dizia isso tudo. Mas como e, é que alguém e, pode vir a falar ou saber e, o que é o amor verdadeiro. E andando cometendo adultério e, injurias e, isso é mesmo muito triste e, é perante todas as leis de deus. E se deus é amor verdadeiro e, fidelidade. E como é que alguém e, sendo infiel a deus. E como pode ser fiel a um homem ou a uma mulher. e os caluniadores são todos e, uns grandes doutores e, alguns até querem ser e, tudo aquilo que não o são. E quando se é bom e, é se também um ser humano e, do mais muito bonito e, do mais belo e, do mais lindo que possa existir entre todos os seres humanos. Mas quando se é mau e, isso é a coisa e, do mais triste que possa haver entre todos os seres os humanos. Mas em todas as leis de deus e, todas elas são puras e boas para os bons. Mas para os maus e todas as leis de deus são más e nenhuma lhe convêm a eles. E porque deus e, também não tem lei alguma e, é para ensinar a ser mau ou a praticar o mal ou a viver-se na traição ou na vingança ou na cobiça ou na inveja. e se todos aqueles seres humanos e, que dessem e, falai em amor de verdade. e se não assentarem os dois pés deles e, no chão e. dizerem e, para eles próprios e, tudo aquilo que eu não quero para mim e, também não o quero para mais ninguém. e se qualquer um desses seres humanos e, a quem eu me estou referindo e, não o fizer e, nunca na sua própria vida. e que é só uma ou a vida eterna e, que é de se tornar imortal. ou então tem que submetesse ao mundo dos mortos. e todo o ser humano deve ser muito bem coerente e, de tudo isto e, que é a lei da verdade. ou a lei da mentira e, todos nós somos donos e senhores de nós próprios. e ai daquele que autorize ou permita a ser outro ser humano e, a escolher o seu próprio caminho. ou que é o de vida ou de morte. e depois de eu estar e, a ser caluniado e, é por muito boa gente e, assim o dizem eles. e fará se fossem maus e, estava um mundo ainda muito mais perdido. e depois de eu estar a ser ofendido e, desprotegido e, tem sido e, é por tudo e todos e, mesmo assim eu José Manuel corujo e, ainda me posso e, com humildade e, disser em todo o lugar e, que eu tenho na minha própria mão a minha felicidade ou a minha própria infelicidade. e se sou eu que faço a minha própria cama e, aonde eu me deito e, todas as minhas horas de descanso. e não me vou poder queixar e, é a ninguém e, se eu bem o fizer e, deus me adie agradecer. e se eu mal o fizer e deus me adie e, é de cobrar e, é por todo o meu próprio mal que eu lhe tenha causado. e depois de eu estar e, é a rejeitar e, é tanta gente casada. e que são mesmo e, é muto desavergonhadas ou então e, estão e é mesmo muito mal casadas. mas não se podem queixar e, é a mim mesmo. e porque eu nunca na minha vida e, eu escolhi o caminho de alguém. e se eu erro ou se eu peco e, tenho que ser eu a pagar e, é por todo o meu mal e, assim sucessivamente e, isso acontece com outro ser humano qualquer.
A forma de pensar e, de agir de um opressor e, também de um caluniador e, de um difamador. E tudo aquilo que ele faz na sua própria vida e, o que faz e, é sem ter alguma consciência do que é o bom ou do que é o mal. Ou de ter alguma dor e, do que é estar a pensar no próximo ou na próxima. E que me faz lembrar o pensar dessas pessoas e, é as grandes ditaduras e, que tem existido em alguns estados. E tanto essas ditaduras e, quer elas sejam do fascismo ou do comunismo. E que para mim o pensar dessas pessoas todas e, elas tem todas as mesmas formas de agir e, também com toda essas formas de pensar desses seres humanos. E tudo aquilo que fazem nas suas próprias vidas e, é o seu próprio racismo. E sem ter que haver diferenças de cor ou raça e, basta apenas não se ser da sua própria religião. Ou quer ela seja politica ou religiosa. E até no seio da sua própria família e, também existe tanto esta maldade de ingratidão. E que isso acontece perante outro ser humano qualquer e, que tenha as suas mesmas necessidades e, que elas tem todas. E assim se vai criando o ódio e rancor e, sem haver alguma diferença de cor ou raça. E até acontece de tudo isto entre irmãos e, quanto mais e, a quem não lhe é nada. Mas como eu tenho sofrido e só aquilo e, que eu e deus e, é que o sabemos. E eu não vou permitir e, que este mal de seres humanos racistas e imperialistas e, que difamem perante toda a comunidade. De seres humanos inocentes e, quem tem praticado de tudo isto perante mim e, perante outros seres humanos inocentes. E tem que ser chamados e, é em praça pública e, conforme se chamam aos touros em plenas arenas. E quem não quer ser lobo e, não lhe veste a sua própria pele. Mas de todas as pessoas e, a quem me tem feito e, é uma opressão imperialista. E tudo vem de pessoas idealistas e, sem elas serem de nada realistas. E ainda muito menos absolutista e, que me querem falar e, é em pacifismo ou em pleno de lirismo. E fora mais as grandes ditaduras e, que o meu grande e, único amor vem de um nome sem paralelo. E entre ramos e galhos e, o que eu quero e, é que vá tudo para o seu bom lugar. E sem eu ter e, é que estar a remar e, apenas me quero e, é concentrar. E sem eu ter de me desnortear e, eu hoje já pedalei e, sem me ter exaltado, ou até me ter encostado. E tenho sido mesmo e, é muito apunhalado e, até por alguém e, que diz em praça publica. Ai meu amigo do coração e, que me tiras tudo e, apenas me deixas com alguns tostões. E até se pode chamar um homem de sorte e, que a mim mesmo e, até isso me tiraram. E ainda me internaram e, me julgaram e, depois de eu ter dado tanta prova de verdade e, até ao meu próprio amor de verdade. E sem existir de nada igual e, ai o que não falta e, é uma grande desonestidade e, é em todas as mocidades e, quer elas sejam, seitas políticas ou partidárias. Mas também é e, como eu comecei e, foi dizendo e, toda a calunia que existia nesta minha terra do coração. E vou começar e, ainda agora e, eu acabei de almoçar e, desde a minha Casa e, até ao café tic tac e, desde o tio Manuel pateiro e, até ao meu parente Faustino carpinteiro. E eu tenho tido o meu pénis erecto e, é metido e, é entre muitos bons pinte lhos. E sem eu ser sequer algum costureiro e, até algum bom empreiteiro. Mas desde a minha freguesia e, até eu ouvia e, alguém dizer e, aquela a Célia do rosário e, que tem umas pernas agora e, que até parecem as de uma cegonha. Mas não é o da torre, mas mora na oriola, mas os da oriola escondem-se e, é á sombra do sol. E assim vez o Manuel José, mas não é o do outeiro. E porque o do outeiro e, tem tudo, mas muito menos bondade. E até a sua própria mãe e, que é a senhora do seu nariz. A candelária e, ela própria o diz, ó Manuel José e, tu és mesmo muito ruim. E com quem ele se embebedou e, que o traga para casa e, nem que seja de gatas. Mas não é o António da Gertrudes gata e, aquele homem tem andado e, é com todas as melhores gatas e, que existem na nossa província. Mas de tudo aquilo e, que nós lhe temos e, é estado fazendo e, não vamos conseguir tirar o nosso proveito e, não é desta forma e que vamos tirar proveito nenhum disso. E porque o homem e, só aquilo que ele faz e, é bem e, é em todo o lado que ele vá. E como é que nós podemos e, é estar insistindo e, com todas as nossas feitiçarias perante o homem de bem. E vocês ainda nunca ouviram falar e, que o bem adie vencer sempre o mal. Mas não é o neto do António Leonardo e, é a ele que lhe chamam o Venceslau. E esse também tem cá um par deles e, que deve custar e, é a entrar em casa e, é com aquele par e, é de cornos que ele tem. Mas tu ó Josué e, o que tu não queres e, é ser sozinho e, até tu dizes e, que até aqueles dois calotes, da Belmira e, mais da Clotilde e, que também andam a ler e, é o livro de são Cipriano ao homem. Mas deixa lá isso e, tu sabes e, como é que o velho laréu dizia ao filho. E olha lá meu filho e, dizem por ai e, que a tua mulher te anda e, é a pôr os cornos. E o filho dizia então, ó pai deixe lá isso e, o que eles querem e, é que nós os dois se deísmos mal. E tu também deixa lá isso Josué e, desde já que ele te disse e, foi mesmo a ti. E que já tinha perdido muitos amigos e, se te perde-se a ti e, que era com a verdade e, não era como todos os outros seres humanos. E que só vivem e, é com a mentira. E é verdade e, ele disse-me e, foi mesmo a mim e, que tinha um caso e, era com a minha própria mulher. E foi de cara a cara que ele me enfrentou tudo isso. E ainda por cima a beijou na testa e, foi na minha frente e, segurou-a nas duas mãos dela. E disse-me de cara a cara tudo isto e, ele tinha-lhe dito a ela e, que a gente todos vivíamos e, era nas feitiçarias com ele. E que agora ainda iam continuar a viver e, era com muito mais feitiçarias. E então o meu primo Manuel José e, só teve uma namorada e, que era aquela, com quem ele teve junto. E mesmo assim e, ele lhe a roubou e, por jeito e, ele ainda diz e, se eu, ou o meu primo e, tivéssemos mais alguém e, que ele ia encornar a gente os dois a vida toda. E tu não te envergonhas disso tudo Josué e, por aquilo tudo e, que tu tens e, é estado a passar e, a fazer passar e, é á gente todos. Mas aquele homem deve ter cá um par de tomates e, que só visto e, é por isso que elas querem ir com ele para a cama. E é por causa daquele verga-lho que ele tem entre as pernas dele. E é por isso que elas querem ir com ele para a cama. E é ele e, que as confessa e, tudo aquilo que ele diz e, é verdade e, que as mulheres e, é que o usaram e, abusaram dele e, foi a vida toda. E não adie ele agora ter-se revoltado com elas todas. E se aquela Ana serradura lhe faz as vontades todas dele. E se ele lhe dizer e, que é para ela e, se sentar ali numa cadeira e não se mexer e, é isso que ela faz. Mas olhem lá bem e, vocês os dois e vejam e, é bem e, é aquilo e, que vocês os dois e, estão para ai dizendo. E que não é nada disso. E ele agora um dia destes e, disse lá para a sociedade ao Joaquim António e, que todos nós viemos a este mundo e, sem ninguém pedir para nascer. E se nós não pedimos para nascer e, também não pedimos para sermos oprimidos. E é da forma que vocês estão oprimindo e, é a quem quer estar e, é com aquela rola de carne e, é por mim a dentro. Mas não é o filho do tio Celestino o António José e, que lhe chamam as rolas. Mas não é de cortiça e, aquilo que ele é, a cobiça de quase todas as mulheres que eu conheço. Mas o que é que aquilo tem e, é de tão especial meu deus. E olha lá bem e, é com atenção. E porque é que tu e, não perguntas á tua própria mulher e, o que é que ele tem de tão especial e, ela já deve saber disserto o que é que ele tem de especial. Mas como é que alguém pode ter alguma coisa de tão especial e, se não andar e, é no bom caminho e, que é o de deus único e, invencível e que não é invisível. E se não for humilde a todas as suas leis e, tem que ser também e, é com o mais novo e, com o mais velho e, com o mais pequeno e, com o maior. Mas quando eu trabalhava com os agrários e, todos eles diziam e, que os mais novos e, é que tinham que respeitar os mais velhos. E até quando havia alguém mais novo e, que era o capataz e, havia sempre alguém e, que dizia. E até de uma medra qualquer fazem um capataz. E todos eles queriam ser e, era uns engenheiros e, até mexerem no seu próprio dinheiro e, era uma grande altura de calúnia. E todos os chefes eram ladrões e, até mim o era e, quando o meu pai vendia o jornal do avante e, era o responsável pela casa do partido comunista português. E eu e á noite e, tinha algumas das vezes e, uma grande obrigação e, que era de ele o meu pai ir guardar o dinheiro na caixa. Mas não é o Ilídio de Viana do Alentejo. Mas sim e, era na caixa do partido e, conforme o meu pai dizia e, eu apanhava a chave e, eu ia lá tirar unas trocos e, que era para mim até poder ir pagar algumas dividas minhas às tabernas. E que eu só tinha dinheiro para beber uma mas queria beber duas ou ainda mais. E então tive que aprender a viver e, foi desde muito novo e, também com aquilo que não era meu. E muitas das vezes encontrava um fanhoso e, que comia as letras e, até ele dizia. Eu sou um homem de letras e, como é que um gajo daquele e, só com o segundo ano e, eu com o decimo segundo e, eu tenho que andar em mando dele. E isso a mim dá-me cá uma revolta e, não é correcto. Mas afinal e, o que é correcto. Ou é ser se um homem de bem e, de verdade. Ou é ser se um homem mau ou ser se um mentiroso. E esse tal fanhoso e, um dia disse-me e, foi a mim mesmo e, que eu era sobrinho do José João e, que era um mentiroso como ele. E eu agora vou-lhe poder responder e, é desta forma. O José João é um mentiroso. Mas não anda em feitiçarias como tu ou meu grande inimigo e, falso e, foi tudo aquilo que tu foste para mim e, foi a tua vida toda. E quando se é amigo de verdade. Respeita-se e, nem que não seja e, até depois de morto. E os amigos conhecem-se á distancia e, tu tiveste que pôr e, muitas vezes a massa na minha estancia. E eu agora e, quando eu te vejo e, até me chegam ânsias e, que me dá logo e, é vontade de vomitar e, é tudo aquilo que tu tens andado a fazer a mim e, a outras pessoas inocentes e, que isso vem de tudo e, é de seres humanos cobardes e ordinários e sem terem alguma consciência do que é amar realmente de verdade. E de pessoas que pensam que as mulheres tem as vaginas delas na testa ou nos olhos. Mas não é e, esta está e, é mesmo muito bem, guardada. E é para quem elas querem e, deixem. Mas deixem e, é de caluniar e, seja a quem for. E porque isso é a maior calunia que possa existir perante tudo e todos. E porque quem cá pôs a gente e, que nos julgue e, que não sejam outros seres humanos e, com as mesmas necessidades a ter que faze-lo. E isso é uma injustiça e, que vem do poder da força. Mas a razão adie vencer sempre a força. E é como aquela Maria rapaz e, sem eu nunca lhe ter faltado ao respeito e, andar a fazer-me mal. E andar a meter-se na minha própria vida e, isso dá-me vontade de lhe dizer. Ó Liliana deixa-me em paz e, é porque eu também já tenho e, é um amor de verdade e, que me dá tudo aquilo que eu quero e, que é amor e paz e justiça. Mas existe e, é um grande problema e, é de uma certa família da minha aldeia e, que tem feito e, é de tudo para porem as pessoas todas contra mim. Mas não tem sido nem com amor e, nem paz e, nem justiça. Mas sim e, a família da senhora cândida lobo e, embirrou comigo e, que eu tinha que aceitar as doutrinas católicas e, era á força. e toda essa família até dizem e, desde sempre que os cristãos mataram os muçulmanos e vamos mata-lho também a ele. Mas toda essa família e, tem que ver uma coisa e, que é mesmo e, muito importante e, foi quando eu nasci e, já existiam e, eram todas as leis verdadeiras de deus. E na própria doutrina católica ou cristã e, não ensinam e, em absolutamente nada e, nem a ninguém e, é de andarem a fazer mal e, a quem quer que seja. Mas eu antigamente e, não percebia e, era muito bem o motivo ou o porquê de toda essa família querem encobrir e, fosse lá aquilo que fosse. Mas eu hoje e, sim e já consegui e foi descobrir e, por qual o motivo de toda essa família e, foi com toda a graça de deus. E já sei o porquê e, é de tanta injustiça e, feitiçaria que tem sido feita, nessa família e, que tem sido perante mim ou perante com quem se deis bem comigo. E que eu e, muitas das vezes e, em certas e determinadas ocasiões e, certas pessoas e, até me podem dizer. Mas tu hoje não tens cara e, é de grandes amigos. Mas todos vocês e, também devem saber e, que eu tenho que lutar e, é constantemente com feitiçarias dessa família toda. E sem elas terem alguma consciência e, do que estão fazendo para mim e, para elas próprias. Mas toda a humanidade e, tem que saber e, é o mistério de toda essa família. E eles e até tem e, é um pouco de tudo. Mas menos de querem o bem para alguém. E olhem bem e, é todas as pessoas e, é quando acabarem de ler tudo isto, que eu aqui vou mencionar. E adiem ver bem e, se não é tudo realmente verdade. E desde a prostituição ao trafico de drogas e, aos gays e, às lésbicas e aos alcoólicos e, às maldades pegadas e, ao seu jogo sujo e, até tem e, é um pouco de tudo isto. E se houver algum ser humano e, que tiver alguma dúvida de tudo isto, que eu aqui lhe estou mencionando e, vão á da dona Maria Emília e, que ela tira-lhe e, é todas as vossas dúvidas. E são aquelas que vocês todos possam ter. E é só com a verdade e, não é como toda essa família vive e, é em bruxarias e feitiçarias pegadas. Mas todos eles são ricos, mas também morrem e, também tem as suas próprias infelicidades e, as suas próprias maldades e, que lhe adiem recaírem e, é todas em cima de vocês. E eu ainda lhe vou escrever e, é muito mais verdade e, é mesmo muito triste e, algum ser humano e, ter que andar a fazer mal a outro ser humano e, que também tem as mesmas necessidades e, que é para podermos viver e, é com saúde e, amor e paz e liberdade. Mas toda essa família e, não sabe de nada e, do que é a liberdade de um ser humano e, seja ele um qualquer de outra cor ou raça ou religião ou tenha outra politica. Mas tem que ser esse e, qualquer e, é a saber escolher e, é a todo o seu próprio caminho. Ou o caminho do bem ou o caminho do mal e, é conforme e, toda essa família vive. E quando se anda fazendo mal a outro ser humano ou a outros seres humanos e, são o quê afinal meu povo e meu deus. São seres humanos racionais ou irracionais. E é mesmo com uma grande tristeza e, que eu tenho que estar e, é a escrever desta forma. Mas se não for verdade e, é de tudo isto e, que eu José Manuel corujo e, que eu morra e, é já agora mesmo neste instante. E isso tudo fez-me a mim e, ser e, é tudo aquilo que sou e, é um homem com coragem. E é de saber enfrentar e, é a todos os meus problemas e, é de frente. E não sou daqueles e, que lhes volto as costas. Mas ignoro e, é tudo e, por uma simples razão e, o bem mais cedo ou mais tarde adie vencer o mal. E tudo graças e, eu a dou e que é ao pai do humilde e, da verdade. E todas as pessoas dessa família e, se tem e, é que conformar e, que quando eu nasci e, já existia deus. E que também já existiam todas as suas leis e, se elas não as seguem. E é porque vocês não querem. Mas deixem seguir e, é o meu próprio caminho de deus e, salvador de todas essas maldades e, que são feitas por uma família de feiticeiros e feiticeiras. E que deus me perdoe mas tudo isto é a minha pura da verdade. E louvado seja deus e, é acima de tudo aquilo que exista em todo o universo. E porque deus é amar de verdade e, é bem e, é a verdade das verdades. E quem não quer ser lobo e, não lhe veste a sua própria pele. Mas como é que todas essas pessoas e, se dizem elas e, serem homens e mulheres de bem. E andando elas e, é a perseguirem e, a fazerem mal e, é constantemente. E se houver algum ser humano e, que tenha algumas dúvidas disto tudo que eu lhe mencionei. E basta só eu e, ter que vir a Viana ou eu ter que ir andar de bicicleta. E todos vocês e, podem tirar todas essas duvidas e, sem ser preciso e, é alguém e, ter que dizer-lhe e, é alguma coisa. e tudo aquilo que me fazem a mim e, também elas o fazem e, é a outras pessoas e, basta só elas e, dizerem-lhe o não e, seja naquilo que for. E ninguém duvide de todas estas minhas palavras e, que não são de desabafo mas sim a verdade e, do que são todas estas pessoas. E eu e, também já consumi e, foi muito bagaço e, até que um dia e, apanhei e foi um grande cangaço. Mas não é o do jacinto relvas e, nem poisio e, nem Alqueva. Mas tudo isto e, até já me aconteceram e, até na cruz dos almocreves. E eu agora e, vou-lhe descrever e, o que são os grandes opressores. E que são de toda uma sociedade católica. E eles ainda dizem e, apostólica ou então são mesmo e, são muito estrambólicas. E alguns deles e, até andam e, é de antenas parabólicas. Ou tudo isto vem de pessoas e, o que elas são e, é mesmo muito diabólicas. Ou astronautas ou desequilibrados e, tudo aquilo que elas tem. E está e, é mesmo muito quebrado e, é como todas elas dizem. Nervo torto e nervo quebrado e, vai mas é dar a tua agua e, é ao mamo ou às éguas equilibradas. E em cima de uma boa montada de cavalgadura e, o meu amor e, é a mana do serradura. E tanto lhe bato e, que até lhe a perfuro e, a minha primeira-dama. E foi a filha do parafuso e, desde albergaria á velha e, a albergaria dos fusos. E existe muito má gente e, é a ver e, é tudo mesmo num grande fuso. Mas em meus tempos de juventude e, de aprendizagem e, eu já cheguei e, foi a ter e, foi grandes pesagens e, até ter que pagar nas portagens e, depois de eu ver tanta gente e, é a levar e, é na sua própria bagagem. E sem terem que pedir e, é para lhe introduzirem e, até serem elas próprias e, é a conseguirem. E a dizer e, ai meu deus e onde eu estou metido. E tanta gente e, que eu tenho desprotegido e, ainda muito mais e, até ofendido. E até e, de eu me ter e, foi vendido e, desaparecido. E a minha mulher e, já nem me tem de nada aquecido. E ainda muito menos dormido e, só o que ela tem e, é mesmo muito sofrido. E até está quase desaparecendo e, eu tenho e, é um medo tremendo. E é de eu ter que me renunciar ou até de eu me poder vir a imaginar e, em cabrão irei dar. E sem ter aquele maldito e, de nada me ele me poder vir a perdoar. Mas vamos e, é inaugurar e, sem eu ter e, é que estar e, é a pensar e, sem meu sonho e, eu um dia poder vir e, é a realizar. E aquele selvagem e, até o vento lha ajudam e, é a juntar e, a sua própria lenha. E sem eu ter isqueiro ou até um bom fogareiro e, agora e, ainda e, até me pôs a levar no meu próprio cacheiro. e tenho eu e, é trabalhado e, uma vida e, é naquela padaria. E que era do meu padrinho falecido o cangalheiro e, sem eu ser um cangalheiro. E ele tem ido e, é ao mealheiro da minha própria mulher. Mas não tem sido só da minha e, elas que digam e, é todas e, a sua própria verdade. Ou tu pensas e, que tu também e, não és um agricultor e, até tiveste e, foi o teu avô e, como teu tutor e, agora querias tu ser e, era um doutor. Mas tu também és um opressor e, que de tudo tens feito e, é para impedires e, de aquele homem maldito e, ele vir e, é a revelar toda a nossa mentira. E que vem desde sempre e, agora é que eu estou e, é mesmo desgraçado da minha vida. E se ele começa a revelar toda a verdade e, eu ainda fico e, é muito mais despedaçado do que eu já estou. E ainda esta manhã e, o homem foi perseguido e enfeitiçado. E foi por o augusto sabarigo e, depois quando chegou a Viana e, já lá estava o macarrão e, mais a mulher dele. E até os empregados do macarrão andam a fazer mal ao homem. Mas olhem bem e, é para esta e, se é calúnia não e, não é do José Manuel corujo. Mas sim do Daniel botas e, que é o neto do mil orelhas e, mais propriamente o irmão do senhor José tomates e do tio Saragoça. Mas o José tomates e, ele prega-me um ódio de morte e, sem eu nunca lhe ter feito mal algum. Mas olhem e, é agora e, para toda esta calunia ou verdade do Daniel botas. E tu ainda não sabes ó José Manuel e, de terem apanhado o meu primo augusto sabarigo e, mais a jorginha. E quem é a jorginha. É o filho das rolas e, eles foram apanhados e, foi no mel e, foi lá para a estrada de águas de peixe e, eles estavam um com o outro no mel. E tu não me digas e, é uma coisa dessas ó Daniel. Não é verdade, é só verdade José Manuel. E é agora e, que todo este mundo está e, é desgraçado. E depois de tanto me terem amaldiçoado e, só deus me pode abençoar e, me livrar de toda esta gente maldita. E a maldita da perseguição que me foi feita hoje e, é que eu não me poço e, é de esquecer. E vocês não viram bem aquele espanta campinhos e, mais a maldita daquela Antónia do pau real e, que andam neste mundo e, é por verem e, é de andarem e, é a todos os outros. E sem eles terem algumas decisões próprias. E também pagam o bem que eu lhe fiz e, é com o maldito do mal. E aquele Paulo bezerro tem cá uma arrogância. E é só por ser um simples caixeiro-viajante. Ou até eles dizem e, que eu sou e, é um protestante. Mas de tudo de bem e, eu lhe garanto e, sem amor de verdade e, sem justiça entre os homens e, as mulheres e, que nunca ninguém vai ser possível e, é alguém vir a recolher o seu próprio fruto do amor. Mas muito bem dito e bem-vindo e, que seja agradecido e, é por um deus único. E sem amor a deus e, não pode existir felicidade na vida eterna. E se todas essas pessoas que andam a praticar o mal. E elas terão alguma felicidade no interior delas. Ou só elas aparentam e, é tristezas. E é mais a minha vizinha antiga a Teresa e, o seu grande marido e, que é o senhor a mula russa da cooperativa. E por ai e o que não falta e, é mesmo e, muita gente e, é muito activa. Mas de nada e, elas são e, é de pacificas. E eu José Manuel corujo e, é que sou e, é um homem e, muito revoltado. E que não quero e nem aceito nada das igrejas. E ainda muito menos das doutrinas religiosas. E que são simplesmente a morte de todo o ser humano. E todo o ser humano não consegue abrir e, é os seus próprios olhos. E que todo o mal do ser humano e, vem e, é desde a nossa nascença. E que vem e, é do maldito do fanatismo ou da ganância ou do cinismo. E que em se estando bem. E que todo o próximo e, irá e, é ver e, é se está chovendo. Ou se está fazendo sol no pólo norte. E em todas as nossas regiões e, existem pessoas ou muito boas, ou assim e, assim ou então e, são e é mesmo muito más. E eu hoje de manhã e, tive uma grande infelicidade e, foi de ver a senhora cândida lobo e, que é a grande chefe das bruxarias. E foi assim que eu cheguei á da dona rosa veiga e, assim aquela bruxa se teve que ir e, foi encafuar na maldita daquela igreja. E dizem e, que aquela casa é uma casa de fé e, de oração a deus. E porque é que todas essas pessoas e, que são dessa seita. E elas se vão lá e, é encafuar e, é a ler o maldito do livro de são Cipriano. E é a fazerem mal a outro ser humano e, é assim que elas demonstram toda a vossa fé. Mas que malditos de seres humanos e, que em eles estarem de barriga cheia e, já não se lembram de mais ninguém. O José latas e, ele esteve e, foi a infelicidade de estar ai na minha aldeia. E sem ter de nada praticamente para ele comer. E então ele teve que fazer a sua razão de combate. E ele ia aquela igreja e, vejam lá se houve alguém daquela comunidade e, a dar-lhe a sua própria mão. E eu já para não falar em mim mesmo. Mas eu fico e, é mesmo muito triste e, é com tanto cinismo e, que existe em todo o ser humano. E quem está bem e, que nunca se lembra e, é de quem está mal. E é assim que deus vai dar o seu perdão e, a quem quer que seja. E que viva na maldita das feitiçarias pegadas. E isso é que é a maior opressão e, que possa existir entre todos os seres humanos. E eu não me falo contigo e, tu não és da minha seita ou quer politica ou quer religiosa ou não és da minha região. E então vou-te fazer a vidinha negra e, nunca ninguém adie saber daquilo que eu lhe faço. E depois acontece o mesmo e, que todas essas pessoas dizem e, é de mim mesmo. Quando tu fores andar de bicicleta e, o que devia acontecer e, eras de tu partir as duas pernas. E o que tu és e, é mesmo um zarolho. E que tudo aquilo e, que tu só vês. E é tudo aquilo que te interessa. E eu desejando a morte a mim mesmo e, de tudo aquilo que eu não quero para mim e, que também não o quero para mais ninguém. E depois eu é que sou o zarolho. E adiem ver bem e, quem é que está no bom caminho. Ou se sou eu José Manuel corujo ou se são todos os religiosos e, não interessa qual a religião. E porque o sistema consiste e, é a mesma coisa em todas elas. E do pai-nosso e, elas só sabem e, é aquilo que lhes interessa. E olhem bem e, eu nem o sei e, quanto mais eu ter que dize-lo. E quanto mais ainda eu ter que o fazer. Mas é o bem e, é a quem e, me o faz também a mim mesmo. E que é de eu pagar o bem e, que me fazem. E com aquele do melhor e, bem possível e, que eu lhe poça dar. E em sendo em amor e paz e verdade e já deve ser muito bom. Ou todas essas pessoas e, não estão e, é habituadas e, é a serem e, muito bem tratadas. Mas eu ontem e, também foi muito bem tratado e, foi por algumas pessoas da minha freguesia. Ou até da minha própria família e, estou começando e, por a minha própria mãe. E se ela pode-se e, eu até para me levantar duma cadeira e, eu lhe tinha que pedir a sua própria autorização. E ainda hoje e, eu tive a ouvir uma conversa e, de nada engraçada. Mas não foi uma conversa da Engrácia do galego. E foi uma conversa do meu pai e, da minha mãe e, com um ditador do partido comunista português. Ai meu deus e, eu até me estava e, era esquecendo e que eu nasci e, foi numa opressão. E que era uma ditadura salazarista. Mas acabou o Salazar e, a ditadura continuou e, ainda tem continuado uma ditadura muito pior para mim mesmo. E tem sido a minha vida toda e, de viver em ditadura e, que também tem sido feita na minha própria família. E quer dos meus pais e, como de quase todos os meus familiares. E é como se costuma dizer e, tu tens tido a vida que tens tido e, podes dar graças aos teus pais e, por a teres tido conforme a tens tido. Mas ai de mim e, se eu não fosse crente e, num único só deus e, o que já teria sido feito de mim. E desde as guardas nacionais e, até as internacionais e, tem sido tudo e, é a querer-me capturar. E tudo porque eu sou um homem e, que vive num mundo sozinho. E é como me disse a mim mesmo, os sete meses. E tu e, é que tens a carta de maluco. E eu até lhe podia ter respondido. Mas limitei-me a ficar calado. E quando chegou a minha hora e, de eu me retirar e, foi aquilo que eu fiz. E que muitas das vezes mais vale um minuto no silencio do que ter que estar a dar alguma explicação ou disto ou daquilo e, a quem quer que seja. Mas o que é mesmo muito triste e, foi aquilo que me aconteceu ontem á tarde. e quando eu ontem á tarde e, deixei lá ficar o meu pai na rotunda do café do Miguel e, os bancos estavam cheios de pessoas e, até estava lá o meu vizinho Manuel Claudino e, também o meu parente clermino e, eles sabendo que eu sou um condutor e, sem estar habilitado para tal e, nem sequer foram capaz de me avisarem. Mas eu também tenho que reconhecer e, que eles é que estão certos e, que eu tenho que ser e, é ainda muito mais punido por isso. E é conforme diz o padeiro da freguesia e, que é muito pior ainda do que o padre da paroquia. Mas vou deixar isso agora e, vou-lhe recordar ainda mais uma vez e, é um nome muito caricato da minha região. E ele dá dinheiro e, dá droga e, dá o seu próprio anos e, dá também a sua própria mulher e, é a quem lhe faça um jeito ou um favor e, é assim e, conforme ele diz e, é o senhor rui neves e, ele trafica droga e, anda em liberdade e, faz tudo aquilo que bem lhe apetece. E um pobre e, que anda a ver e, se consegue administrar e, é o seu próprio dinheiro e, que é para poder andar de cara limpa e, é perseguido e, acusado e, é por tudo e, por todos. E que deus me perdoe e, se eu não estou sendo justo consigo meu deus. Mas eu assistindo e, vendo de tudo isto e, é em seres humanos e, que tem metido a mão deles e, é no mesmo prato que eu. E o que é que lhe poço chamar e, é de traidores ou de invejosos e, que só aquilo que eles vivem e, é cheios de medo e, é por não fazerem nada para amarem de verdade. E nem a quem devem amar de verdade e, ainda muito menos a deus. E eu já o escrevi e, foi inúmeras vezes e, que deus é fazer bem e, é amar de verdade. E depois ainda me dizem e, tudo aquilo que eu sou e, é um ignorante. E eu agora e, vou-lhe responder. E muito mais vale eu ser um ignorante. Do que eu andar a oprimir e, é a quem quer que seja. Ou a fazer mal a outro ser humano e, que também tem todas as mesmas necessidades que tenho para poder viver com saúde e, amor e paz. E que é para eu e um dia e, poder vir a ter e, é o meu bocadinho de felicidade. E eu não me armo em arrogante e, é como acontece todos os opressores. E o chefe e, é que tem sempre razão. Ou então senta-te ai nessa cadeira e, ficas calado ou calada e, que tu nem tens boca para abrires. E é assim o procedimento de um opressor e, de tudo isto que eu lhe estou demonstrando e, é aquilo que é um opressor. Mas como o opressor e, como ele consegue ser e, é de tão injusto e, é para com ele próprio e, quanto mais com o próximo. E eu com uma grande infelicidade na minha vida e, é que tenho vivido e, é de tudo isto no seio familiar. E quem é que pode ser feliz e, sendo oprimido constantemente e, sem terem razão para o fazerem. E eu até poço ser um homem muito pobre. Mas com toda a graça de deus e, que eu aprendi e, foi a respeitar a ideia do próximo ou a respeitar a melhor opinião e, que sirva para o bem de toda a humanidade. E que é de viver em paz e amor. Mas alguém consegue viver em paz e amor e, sem ter saúde. E em tudo nesta vida e, tudo se compra e, até muitas das vezes me dizem. E que em havendo dinheiro e, já se tem de tudo. Mas adie haver o dia e, que não adie existir saúde. E que é para poder vir a gastar o seu próprio dinheiro. E se não existe saúde no próprio ser humano e, não pode existir felicidade e, nem vontade e, seja daquilo que for. E ai sim e, já recorrem a deus. Mas se por acaso e, ainda estão numa idade privilegiada e, recuperam a sua própria saúde. E ai esquecesse e, é logo nesse minuto e, que deus existe. Mas o que eu quero e, é que fique e, é tudo muito bem claro. E que deus é que é o justo dos justo. Mas foi deus e, é que ditou e, as suas próprias leis e, na sua própria terra e, em seu todo o universo. Mas existe e, é muita gente e, que é opressora ou é fanática e que é a mesma coisa. E pode-me dizer a mim e, é esta frase. Mas tu não queres mesmo nada da nossa doutrina católica ou cristã. Mas quando tu nasceste e, já existia a nossa religião. Mas eu como sou um homem e, muito humilde e, eu agora e, vou-lhe dar a minha resposta e, é com uma grade humildade. E olhem bem e, é agora, mas todos nós só temos e, é dois caminhos a escolher e, é o bem ou é o mal. E quando eu nasci e, também já existia as vossas doutrinas e a vossa religião. Mas também antes de vocês nascerem e, já existia as leis de deus. Ou vocês esquecesse e, que foi deus que fez do pó o homem e, o moldou á sua própria imagem e, do homem vês-lhe a sua própria mulher e, foi para eles se amarem e respeitarem a vida eterna. E para eles poderem educar os seus próprios filhos e, era com a verdade e, com o bem. E não em opressões ou em guerras e, tal e qual como aconteceu com Eva e Adão e, como todos os outros que estão na historia dos cristãos. E quando ele disse a Moisés e, para se amarem a eles de verdade e amarem o próximo como se amam a eles. E é a fazer mal a outro ser como eles e, que amam de verdade o próximo. Ou é tudo por uma simples vaidade de riqueza ou de se querem comparar com o diabo. E que foi cortando a sua própria ferramenta e ficou praticamente sem nada. E que só lhe serve e, é praticamente para ele poder mijar e, não lhe serve para mais nada. E deus disse também a Moisés e, que era para ele dizer ao seu próprio povo. E para não adorarem se não a um único deus invisível. Mas que ele estava bem presente dentro de nós. E para não se adorar nada feito por mão humana. Ou que teve-se figura humana ou de algum animal. Mas olhem bem para isto e, é agora e, eu já fui posto na rua de um local e, que é o centro de dia da minha aldeia. E a senhora que me pôs na rua a mim e, ela para os animais tem uma grande gentileza e, que é a dona Maria de Jesus e, até á quem lhe chame e, é a Maria dos cães. Mas como o ser humano e, ele próprio e, consegue ser e, é mesmo muito desumano. E o antigo presidente da republica o senhor doutor Jorge Sampaio e, ele editou um livro e, que foi sobre cidadania. E o senhor doutor escreveu sobre este tema e, que todos nós tínhamos os nossos direitos e deveres. Mas também todos nós e, teremos o dever ou o direito de fazer mal ao próximo. E é isso que tem acontecido e, que acontece nesta minha terra de tristezas e, de mágoas. E sem eu sequer interferir e, é em absolutamente nada dos actos homogéneos da cidadania desta minha freguesia. E em primeiro lugar e, eu não sou nenhum filial de algum partido politico ou até mesmo um militante. Ou nem sequer ao menos me passa pela minha cabeça e, eu e me inserir numa comunidade de religiosos. E o que eles são e, é mesmo uns preguiçosos. Mas ai meu deus e que não era bem isso que eu queria dizer. Mas sim e, é uma comunidade de maldosos. E a filha da senhora cândida lobo e, ela diz então e, é a toda a gente. e o que é que aquele homem sabe da vida. Mas aquilo e, o que ele é mesmo e, é um cabeça de vento e, um cabeça de abóbora e que nem a própria carta de condução e, ele consegue tirar. Mas eu e, também não fiquei e, foi de escrever a ninguém. Mas sim e, é tudo aquilo que eu tenho estado escrevendo e, é a pura da verdade. E sem eu ter e, é que estar e, é a viver na ilusão ou na mentira e, é como acontece no maior acto de cidadania desta minha freguesia. E o senhor Josué padeiro e, ele tem grandes actos de cidadania. E que são alguns grandes exemplos e, que podem ficar e, é para todo o ser humano. E que tenha a sua própria consciência tranquila e, que queiram ser justos e, que é para poderem avaliar e, sem terem que estar e, é a interferir e, seja naquilo que for. E o meu partido comunista e, é aquele que defende o trabalhador e, que faz exigências sobre o governo do senhor engenheiro José Sócrates. E só não os manda e, é porque não tem poder para tal. E agora isto é para todo o cidadão. E vejam e, é bem e, isto tudo que eu lhe vou escrever. E na altura das eleições anteriores e, que foram para o mandato antárctico e, ele fez-me tanta injuria e, tanta feitiçaria, a um certo ponto. E se eu um dia e, lhe poder ser um homem e, do melhor que poça haver e, ainda o vou ajudar. Mas é a saltar para dentro de um poço e, sem fundo. E foi tudo isso que ele me tem feito a mim. E se todo o ser humano que tiver alguma consciência de humano e, se eu um dia lhe fizer esta pergunta. E que sejam muito coerentes e, não estejam nem do lado do vinho e, nem do seu próprio fanatismo. Mas sim da verdade e, de onde é que pode existir a razão. E olhem bem e, não existe razão e, sem existir verdade. Mas em todos os actos de cidadania. E todos nós e, somos livres e, de sermos nós próprios e, a escolher e, quer o caminho politico ou religioso. Mas isso não acontece e, é com esse tal mau fulano. E se ele pode-se e, só os dele e, é que comiam e, mais ninguém tinha a ordem de comer e, fosse aquilo que fosse. E se todo o ser humano e, parar um bocadinho e, que é para poder vir a pensar e, ver todos os exemplos que existam e, é em nossas vidas. E ai sim e, irão ver e, é aonde existe o homem de bem e, aonde existe o homem mau e, o opressor e, o ditador. E tudo aquilo que ele pensa e, é em criar uma dor ao próximo. E porque é que ele é mesmo tão ambicioso. E se for preciso ele mata e, é a quem lhe aparece pela sua própria frente. E depois ainda ele diz. Mas eu tenho sido e, é um homem da frente e, que me tenho exposto e, é em tudo aquilo que seja um acto de cidadania. Mas sem ninguém sequer poder ter a sua própria liberdade e, sem sequer querer poder dar ou expor a sua própria opinião de escolha. E o meu partido e, é que é o bom. Mas sem ter pretexto para poder vir a justificar e, aonde está o melhor ou aonde está o pior. E o meu partido e, não é só para quem trabalha. Mas sim para toda a nossa comunidade de portugueses. E que é de uma democracia indirecta e, que é aquela e, em que todos nós vivemos. E é aquela democracia a que todos nós temos que respeitar ou sejam bons os governantes ou sejam maus governantes. Mas foi o povo e, que os elegemos para defenderem a todos os nossos direitos ou eles próprios meterem todas as nossas obrigações. Mas nos grandes chefes religiosos e, já não acontece de nada disso. E são eles que se elegem e se nomeiam e, é a eles próprios. E de tudo isso acontece na doutrina católica ou cristã e, não são todos os praticantes que os elegem. E não é assim que acontece com a eleição do papa. E depois ainda lhe chamam o santo padre. E só aquilo que lhe falta e, é de lhe fazerem um altar e, é em pedra ou ouro. E depois dizerem, ó meu santo padre e, me livra de todo este flagelo que me está acontecendo na minha família. E aquele homem está e, é revelando toda a verdade da minha família. Ó meu deus e, porque é que tu tens e, é que estar e, é do lado de um ex. toxicodependente. E não estas do lado da minha família e, esta e, é sendo mesmo injusto para comigo meu deus. E é como se costuma dizer e, é o mal para uns e, o bem para outros. Mas a Isa bela e, ela e, não tem e, é mesmo nada de alguma consciência e, é aonde e, é que ela se está e, é metendo. E não existe e, é nem uma única vez e, que ela venha buscar as pessoas idosas da minha rua e, que ela não venha e, é com feitiçarias. E ainda hoje e, o seu rico sobrinho e, mais a sua futura rica sobrinha e, me fizeram e, foi e tudo aquilo e, que você meu deus viu. E quem é que está no caminho da verdade sou eu ou são aquelas pessoas e, sem elas terem e, é alguma consciência e, do que é amar realmente de verdade. E todas as pessoas e, que vivam o fanatismo e, seja daquilo que for e, elas vendem-se e, é por a camisola e, não por a verdade e, quanto mais a razão. E essa tal fulana da Isa bela bota e, ela diz então e, é às outras pessoas. Ai aquele maldito e, não quer absolutamente nada da nossa religião católica. E eu ainda hoje presenciei e, foi a uma grande tradição católica e, que é de irem e, é levarem os mortos á cova. Mas existe e é também muito má gente. E que em vida nem os podem ver e, depois de mortos ainda tem e, é a coragem de se mostrarem nesses locais. Mas aonde é que existe a verdade de todas essas pessoas meu deus. E eu tenho lutado e, é com tanta coisa de ruim e, que eu até poderia ter em mim. Mas agora e, de querem de eu ter que viver e, é com aquilo que não é meu e, isso é o quê meu deus. E que é de me querem obrigar e, é a acreditar e, é naquilo e, que não existe e, a não ser e, é a ilusão e, o mal desses seres humanos que são e, é uns autênticos diabos meu deus. E ainda hoje e, em plena via publica e, esse tal indígena do senhor luís ribeiro e, ele teve e, foi uma grande coragem e, foi de me querer provocar um acidente e, que até poderia ter sido de morte ó meu deus. Mas aonde e, é que pode existir e, é o bem nessas pessoas meu deus. Ou essas pessoas e, quando elas estão bem e, que as outras todas que se a venham meu deus. E é isso que essas pessoas todas são e, até de elas querem chegar e, é ao ponto de querem elas a virem a representar uma autarquia. E sem elas terem e, é alguma consciência e, de quem é que está bem ou de quem é que está mal ó meu deus. Mas se isso um dia e, fie-se acontecer e, era o mesmo de o mar estar sem alguma agua meu deus. Mas todas essas pessoas da seita e, até o filho mais velho e, mais novo do meu amigo de infância o Joaquim José. E é de elas andarem e, é a querer meter o seu próprio bico e, aonde elas não são chamadas. Á mas eles já está e, são ligados e, é á família dos belos bicos. Mas canta bem mas é umas medra. E era assim que dizia o seu falecido pai e, que deus o age. Mas como é que todo o opressor e, ele próprio e, consegue ser feliz e, estando ele a oprimir e, é e até e, a sua morte e, um dia vir ou chegar e, um dia esta a dormir e, outro acordado e, o outro nuca mais se levanta e, nem se espreguiça. Ó morte maldita e, que tu nunca tens e, é a tua própria preguiça. Mas tanta gente e, que existe e, sem ter alguma consciência e, do que é a morte malvada e, sem ter de nada agradável e, tudo tem de indesejável e, sem ser de nada palpável e, chegou a hora de algum amável e, sem ser o amável o irmão do jacinto Quitéria e, ó morte maldita e malvada e que tens já engolido tanta terra e sem de nada teres permitido ó morte maldita. Mas como é possível e, que todo o pecador e, ele próprio consegue fazer a sua própria opressão e, sem a sua própria morte impedir. Mas com toda a vida que existe em todo o ser humano e, é uma coisa que se tem e, é com toda a minha certeza e, que é mesmo certa a morte malvada e sem ser a malvada e que é tão amável e, sem ser interminável ó morte maldita. E sem ser permeável ou de nada aconselhável. Mas sim de partir e, esquecer e, sem ela nunca mais existir ó morte e, de nada para ela se poder aquecer e, se eu um dia e, a pode-se esquecer ó morte feia e maldita e, que tiras tantas vidas bem ditas e, sem ser culpa de alguém. Mas sim e, é de quem lida com ela e, sem ter o amor dela e, ó morte. E que dás tantas angustias e, tristezas. Mas mesmo assim e, as próprias pessoas e, que se idolatram e, que se esquiam e, sem elas terem e, nunca o adiem ter e, é amor verdadeiro. E tanta gente e, que esta e, é no seu momento derradeiro e, ó morte interesseira e, sem teres de alguém e, é uma boa companheira. e que muitas das vezes te tornas mas é uma grande desordeira e, sem ter vida e, teres que pensar e, é em quem cá fica e, ter que poder arrumar e, até a ti ó morte e, depois de tudo e, tu desorganizar e, a ninguém e, eu me vou poder aconselhar e ó morte triste e, sem seres de nada confortável. E que para mim e, é és mesmo detestável ó morte minha inimiga. E depois de eu e, já ter perdido e, foi tanta gente minha amiga de verdade e, ó morte e, tu tens tudo de mau e, até a tua falsidade e, sem seres de nada perdoável. E ainda muito menos invejável e, nem sonho e, nem a dormir e, ainda muito menos acordado. E de um dia e, eu e, é te ter e, é que segurar e, até te palpar e, depois de eu me revoltar ó morte maldita. E de onde tu vieste e, que para ai e, tu vás ó morte maldita. E porque eu tenho e, é de tudo mas menos a ti ó morte inconsolável e, sem tu seres e, é de nada agradável. E dos meus antepassados e, eu me estou e, é recordando e, um dia eles dormiam e, outro dia pediam a sua próprio folia e, depois de tantas orgias e, tu me apareces e, de tudo de bem que existe e, tu ó mote maldita e, tudo tu me levas. Ó meu deus e, só tu me tens esse poder e, que é para ti um dia e, me viesses e, era a esclarecer a morte maldita. E nem que não seja ao anoitecer e, de ti ó morte e, eu me vou esquecer. E que nem tu me serves e, nem para aqueceres e, nem para tu me arrefeceres ó morte maldita. Mas de ti e, eu não te quero e, é mesmo nada ó morte maldita. Ó morte e que tu tens vindo e, é de geração em geração e, sem ti nem se quer e, é de tu ouvires e, é alguma boa ou má oração. E sem teres alguma piedade e, nem do pobre e, nem do rico e, nem do injusto e, nem do justo. Ó morte faminta e, é de carne e, de tristezas e, que tu tiras alegrias e, é a todas as famílias mundiais e, nem tens alguma piedade e, é de quem te tem rancor ou ódio e, ao teu nome imortal ó morte maldita. E que tu e, já me tiraste e, foi tanta gente querida e, que eu fico e, é com tanta feridas e, magoas inesquecíveis para o resto da minha vida ou curta ou longa ó morte maldita. E que tu és mesmo invisível ou invencível ó morte maldita. E que tu não tens e, é mesmo misericórdia de ninguém ó morte e, sem teres alguma razão de tu existir ó morte maldita. E tu continuas a subsistir e, a atrair e, a vingaste ó morte maldita. E em tantas seitas e, quer elas sejam políticas ou sejam religiosas e, ainda nunca existiu e, foi alguém e, que teve-se a sua própria coragem e, foi de te enfrentar ó morte maldita. E que nem sequer te posso ver á minha frente ó morte infernal. E que tanto morre o novo e, como o velho e, como o homem ou a mulher ou os meninos ou as meninas ó morte maldita. E tanta angustia que tu me deixas ó morte maldita. E se todas as pessoas e, que tenham a sua pura consciência tranquila e, quando um dia e, terminarem de ler todo este meu texto e, adiem ter e, é mesmo muita atenção e, é a frase por frase. E tanto morre os nossos familiares queridos ou como morrem todos os nossos inimigos. E se houver alguém que tenha a coragem e, é de dizer. Mas eu dos meus inimigos e, nunca mais me vou recordar deles Mas daqueles que são os meus amigos e, é que eu nunca me irei e, é de esquecer. Mas isso não é verdade e, todos nós somos pecadores e, todos nós temos as nossas boas qualidades positivas e, como todos nós temos os nossos maus defeitos. E se já alguma dia existiu e, foi alguém perfeito ou se já algum dia e, existiu alguém justo. e todos os homens ou todos os seres humanos e, tem um ponto de referencia e, que muitas das vezes e, é o do lado negativo ou do lado maligno e, que todos os seres humanos tem esses lados ou bons ou maus. Mas se todo o ser humano consciente e, sem vestir uma camisola de fanatismo. E muito dificilmente irão entender e, é a todas estas minhas letras. Mas quem boa letra escrever e boa leitura o adiem ter. Mas quem ruim letra escrever e, ruim leitura o adiem ter. Mas deus e tanto nos julgam e, como deus nos absolve. Mas não é na hora da nossa morte. E como eu oiço e, é quando morre alguém. Mas deixem lá que ele já deve ter ido para o céu. Mas isso não é verdade e, na terra se nasce e, na terra se morre. E tudo aquilo que existe e, dá o seu fruto ou a sua semente. E o homem tudo arranjou para o combater o bem e viver o mal. E porque todos nós os seres humanos conscientes ou inconscientes e, somos os maiores predadores e, que possam existir e, é perante tudo e todos. E se todos aqueles e, que já estudaram as leis de deus. E elas ainda nunca na vida humana e, serviram para ninguém. E tudo por esta simples razão. Quem é aquele é rico. Então é um senhor de bem. E quem é aquele é um marginal. E ele não quer e, é fazer absolutamente nada. E se é pobre ou porque nunca teve ninguém a dá-lhe a mão e, é marginalizado e, é por tudo e todos. E porque não tem e, é muitas das vezes e, nem dinheiro para poder comprar a sua própria alimentação. E quanto mais dar a alguém e, é aquilo que um homem rico lhe pode dar e, é tristezas e arrependimento e, de terem errado e, foi com quem nunca o deviam ter feito. E porque esse alguém e, também é gente. Mas sente-se desprezado e abandonado e, é por tudo e todos. E só por saber lutar e, é com todas as suas forças do bem. E tudo isso e, só pode ser feito e, é duma maneira amar de verdade e respeitar de verdade. E é viver sem medo de quem viva no mundo do mal. Mas também tem que saber e, é aonde é que pode existir o perigo e, aonde é que pode haver alguém. Com um ombro e, sem ser interesseiro e, como é a própria morte maldita. Mas eu vou ser e, é mesmo muito bem claro e, o que é o fanatismo religioso no próprio ser humano. E tudo isto que eu lhe vou escrever e, é a pura da verdade. E eu ontem e, foi a um funeral e, que era duma pessoa da minha terra e, que era e, que continua a ser meu amigo. E o senhor falecido era o senhor Francisco do rosário e, esse tal senhor. E á por ai uns vinte anos e, ele e a sua falecida mulher e, tinham revogado o cataclismo por outra religião cristã. Mas não era a católica e, que era a religião da mana. E esse senhor um tempo mais tarde juntou-se com uma prima direita de minha mãe. E que era como a minha mãe é, uma beata. Mas a minha mãe agora já não vai á igreja como todas as outras e, é porque já não pode e, é com os tarros dela. E ontem na hora da despedida desse tal senhor e, nem ai sequer lhe deram o seu respeito que ele tinha o seu direito próprio. E em primeiro lugar as pessoas fazem de um funeral uma sala de imprensa. E depois o homem tendo revogado tudo aquilo que ele não acreditava e, ainda queriam que ele leva-se um padre. Mas esse tal senhor que desempenha essa tal função não aceitou fazer o funeral e, com todo o sentido e, toda a sua lógica. Porque o senhor já tinha revogado a religião deles a católica. Mas uma tal senhora e que é muito importante na minha aldeia a dona Suzete. E porque foi professora primaria na minha escola e, ensinou e obrigou muita criança a seguir tudo aquilo que ela acreditava e, sem sequer ela dar uma única hipótese de escolha. Se não levavas uma tareia de arromba. E então na hora da despedida para eles. Porque para mim está e, é bem presente. E porque dentro de mim eu consegui arranjar o espaço que era o dele. E lembraram-se de começarem a fazer orações católicas. E nem ai o conseguiram respeitar e, quanto mais na vida dele e, isso é um impuro do fanatismo. Ou és nosso ou morres. Mas de tudo isto me tem feito e, é a mim mesmo. Mas eu ainda cá estou e, é graças a deus e, que me protege e, como a todo o humilde e, a todo o ser humano que se arrependa de todo o mal. E eu muitas das vezes e, quando entro e, é em conflito com a minha mãe. E eu digo-lhe e, porque é que ela e, não dá a língua dela aos porcos. Pelos menos eu já sabia que ela tinha uma língua porca. Mas sendo ela humana e, eu sendo filho dela e, muitas das vezes eu poço ter errado com ela. Mas o maior erro é o dela e, é em querer que eu siga um caminho de que não é o da verdade e nem é o do bem. E sem alguém viver na humildade e, ele próprio conseguirá viver na verdade e, no bem meu deus. E depois de tanto de eu ter sido humilhado e, tem sido desde a minha infância. E que muitas das vezes e, eu ficava perturbado com as atitudes de outras pessoas incoerentes ou até são elas e, é mesmo umas mal dizentes. Mas em tudo na minha vida e, eu fui crescendo e, fui aprendendo e, que só com o bem e, é que eu poderia chegar ao perdão de deus e, vencer a própria morte. E depois de tanto e, eu ter sofrido e, de eu ver sofrer e, sem ao menos eu sequer poder dizer ou até poder fazer alguma coisa de bem para outro ser humano e, que tenha um sofrimento de morte. E ainda se torna muito mais doloroso e, muitas das vezes choroso e, tudo isso só pode acontecer esse reconhecimento e, é em pessoas bondosas. E apesar de eu ter e, é uma má fama de ser ruim e, sem sequer eu interferir e, é em nada e, nem com ninguém. Mas quando alguém nos toca numa ferida profunda e, que nos dá uma dor e, que muitas das vezes é pior do que a própria morte. E os grandes conflitos e, que eu tenho tido e, é com a minha própria mãe e, tudo vem e, é de ela e, ao menos e, não medir e, é às suas próprias palavras. E de ela própria se esquecer-se e, que eu também sou um ser humano e, que tenho as mesmas necessidades que ela tem. E eu e até posso ter os meus defeitos. Mas também tenho as minhas boas qualidades como outro ser humano qualquer. Mas tenho tido e, é mesmo muitos sentimentos e, haverá alguém e, que goste que brinquem com os seus próprios sentimentos. E é aonde existe o sentimento de culpa do próprio ser humano. Ou se é um mau homem ou se é uma má mulher ou então tem se o sentimento de morte. Mas quando se ama e, respeita de verdade e, sem sequer poder utilizar ou dizer essa palavra. E é porque não se tem e, é absolutamente ninguém para a poder vir a dizer. E vai ter que ir guardando tudo para comigo próprio. E quando eu estou um pouco mais bem-disposto e, terá que haver e, é sempre alguém a magoar o meu intimo e, o meu interior. E que muitas das vezes me dá vontade de sei lá o quê. E que nem sequer ao menos tenho palavras para poder vir a dizer. E isso é mesmo muito triste e, é quando se vive num mundo sozinho e, sem sequer ter alguém para lhe poder dizer. Meu amor como eu te amo como eu te quero e, como estou deprimido e, depois de tanto e, eu ter sofrido. E tudo aquilo que eu tenho feito e, tem sido tudo por uma justa causa de toda a humanidade. E mesmo assim e, eu sou e, é mesmo muito ofendido e penalizado. Mas quando alguém nos fala a verdade dos nossos defeitos e, nós ai ficamos e, é mesmo muito ressentidos. E até mesmo pensando para nós próprios. E se eu um dia te poder ser bom e, eu ia-te fazer a folha ou um dia se eu poder e, vou-te fazer mas é a folha. Mas isso não é de nada correcto e, é porque se está vivendo e, é em martírio e, em vingança. E que muitas das vezes e, até na hora da morte se vive em grande conflito e, sem sequer ao menos existir respeito e, é perpétuo e, mutuo por parte de quem não sabe usar o seu próprio sentimento de respeito. E de saber dar e, que é para um dia poder vir a receber. E é tudo aquilo que ele conseguiu e, foi por mérito próprio e, ele não ficou e, foi á espera que deus viesse ao seu encontro. Mas sim e, ele o procurou e, foi de corpo presente. E estão fazendo de tudo e, é por o fazerem sofrer e, sem terem razão alguma. E em toda a vida e, existiu o mais fraco e, o mais forte e, o bom e, o mau e, o bem e, o mal. Mas haver ou existir outro ser humano e, andar a fazer mal e, é a quem quer que seja. E só por se dar bem comigo e, isso é e, é mesmo muito triste. E sem eu sequer ter e, é alguma boa ou má explicação. E que é para eu poder vir a dar e, é a quem não julga a ninguém. Não tem maus pensamentos e, nem de vaidade ou não passa por um impostor como tu Josué ou como o teu primo e são aquilo que vocês são e, sem vocês sequer serem e, é alguns doutores. Mas aquilo que existe e, é sim e, é mesmo e, é muita gente egoísta e, gananciosas e, ignorantes e, é de onde pode existir um amor de verdade. E sem existir amor de verdade e, alguma vez na vida e, alguém poderá conseguir chegar á sua própria imortalidade. E é como diz o meu tio boneco são coisas da vida. E antes de tu existir e, elas já existiam. Mas amar de verdade e já alguma vez na vida e houve alguém e, que o viesse ou o prova-se a toda a humanidade. E que tudo tem o seu fruto e, onde é que pode existir o fruto do amor. E sem haver duas pessoas que se amem de verdade. E como é que algum ser humano pode viver e, é em liberdade e, em plena confiança na pessoa que ama de verdade. E se o amor é a coisa mais maravilhosa que existe. E não existe de nada e, nem alguma coisa linda e bonita e, que é o amor de verdade. Mas também tem e, é que ser vivido e, sem ser de nada impedido ou oprimido. E também tem que haver um respeito mútuo e, tem que se saber respeitar e, é a ideia de pensar do próximo. E tem que se lhe dar toda a sua própria liberdade e, de ser ela ou de ser ele e, é a escolher e, todo o seu caminho. Ou o do amor ao homem ou á mulher que se ama de verdade. Ou então de querer e, é de viver na concupiscência do mundo. E que é de ter amor ao dinheiro e, não ao próximo ou á próxima. E porque quem ama o dinheiro e, não tem amor de verdade e, é a ninguém e, ainda muito menos a deus e, que é amor de verdade. E se está escrito e, que é e, quem serve a deus e, não pode servir o dinheiro ao mesmo tempo. Mas em tudo na vida humana e, o que está em primeiro lugar e, é o amor de verdade. Mas também e se houver algum ser humano e, que consiga dizer. Eu tenho dinheiro e sou feliz e, sou realizado financeiramente. Porque de resto e, eu só lhe poço dar e, é esta resposta és feliz á tua maneira. Mas não és feliz á maneira de deus e, que é dar amor e, receber amor ao mesmo tempo. E sem o amor ofender e, nem sequer ao menos duvidar da sua forma de pensar ou de agir e, tanta gente que me anda a querer agredir. E é só por eu lhe transmitir e, é toda a verdade que existe e, que me andam a querer agredir. Mas eu ando por ai e em qualquer lado que eu me apeteça andar e, é entre todos os seres humanos. E não existe alguém e, é em toda a humanidade e, que queira um amor de verdade. E sem ter que estar a viver na sua própria maldade. E sem ter que estar a dizer. E tu vê lá bem e, é aquilo que tu fazes e, olha bem. E aquele homem e, que só aquilo que ele tem e, é o dia e a noite. Mas ele também sabe e o que é amar e respeitar de verdade. E é como aquele grande homem do mal e, ele diz e, que é o senhor Josué Garcia. E aquilo tudo que ele tem e, é o sol e a lua e, deve ser isso que lhe dá comer e, beber e, deve ser isso que é o deus dele. Mas deus é invisível mas também é invencível e, é quando se ama e, como se deve amar de verdade. E eu agora até lhe vou dar um exemplo e, que é do mais real que possa existir. O meu veículo automóvel avariou e, teve que levar um motor novo. Mas um ser humano não pode mudar a sua própria cabeça. Mas também ele pode e, é mudar as suas próprias atitudes. E que são de deixar e, é a quem quer que seja e, de ser ele próprio a escolher e, é aquilo que ele quer para ele próprio. E se é a vida eterna ou se é a maldita da morte. E sem ter que estar e, é a fazer um jogo e, do mais sujo que possa existir e, que é fazer opressão e, a quem nunca lhe devia passar pela sua própria cabeça de faze-lo. E ainda por cima lhe anda mas é a ler e, é o maldito do livro de são Cipriano. E é assim que dizem em Viana e, é ao lobo. E que ele disse ao Qui. Filipe. Ou tu ficas comigo ou ficas com a Teresa. Ou gostas mais de mim ou gostas mais dela. E tens e, é que me dares essa resposta. Mas isso não é meu mas sim de alguém e, que diz. Eu vou-me mas é prender a ele e, depois fazemos-lhe o mesmo do que da outra vez. E ele tem que ser internado e, nós damos como maluco. E eu em todo o lado e, digo e, é em voz bem alta. Aquele homem é mesmo um coitadinho e, é mesmo um apanhadinho e, é pela irmã do, serradura. Mas eu também tenho e, é mesmo e, todas as minhas boas razões ou tenho e, é bem as minhas e, todas razões. E porque é que eu sou e, é um apanhadinho e, é pela serradura e, ninguém tem e, é absolutamente nada e é a ver com isso. Mas não é mesmo ninguém e, que diz, ai e que não lhe doía. Mas anda ai e, é mesmo e, é muita gente e, á sua própria toa. E depois de tanto eu ter andado a cavalo e, foi numa proa e, foi desde o Barreiro e, até ao terreiro do paço de Lisboa. E á ai e, é mesmo muita gente e, que se quer e, é mesmo levantar e, é da minha beira e, não á rainha e, sem ser á minha própria beira e, eu em cima da proa. E depois de tanto charme e, eu ter e, é dado e, até vendido. E apesar de eu ser e, é um homem muito dedicado e, ainda por cima o sou mesmo e, é muito apunhalado. E de tanto eu ter andado encostado e, até de ser e, é mesmo muito alvejado. E depois de meu amor e, eu o ter acariciado e, ela me ter desejado. E existe e, é mesmo e, é muita gente e, é com dor de burro. Mas ai e, que eu estava-me e, era me esquecendo e, que essa seita. E eles dizem então e, que eu próprio sou e, é um cabeça de burro. Mas tenho muita ou pouca consciência e, do que é ser uma pessoa devota. Mas é a fazer mal e, é a quem não faz mal a nada e, nem a ninguém. E tudo tem e, até mais alguém e, tudo faz e, é por o bem e, do amor de alguém. E sem ter que andar e, é a imaginar ou a inventar e, sem ter que estar e, é a presenciar e, é a grandes discussões. E sem ter que fazer alguma oração. Mas sim e, é de me erguer e, um dia e, eu muito bem e, eu poder vir a dizer. E louvado sejas meu deus e, tu é que me tens mantido e, é sempre e, muito bem erguido. E depois de algumas vezes e, eu te ter ofendido e, que foi inconscientemente. E tudo aquilo que me vem á minha mente e, é amor e, sem eu ter e, é que estar e, é a dar ou a pedir e, é mesmo algum sermão. E é mesmo por isso e, que aquilo que eu quero e, é de ter na minha própria mão e, anda cá ó meu amor de colusão. E depois de tanta noite esquecida e, já eu te o pus e, foi ao pé e, da tua própria barriga. E aquilo que tu és mesmo e, é uma boa rapariga ó meu amor de justificação. E só aquilo que eu espero e, é um dia eu poder vir a fazer e, é a nossa proporia canção, ó meu amor do coração. Mas como é que pode existir e, é alguém e, a vir-me falar e, é em amor no coração. E andando esse sujeito ou esses sujeitos e, é a fazer mal a outro ser humano como eles. Mas de tudo isto e, acontece e, é com a maioria das pessoas da minha própria aldeia. E que isso é mesmo e, é muito doloroso ou é mesmo muito triste e, é para quem o está fazendo ou causando mal a outro ser humano como eles. E todo o ser humano e, pode ter a certeza e, é de uma coisa e, quem viva no mundo de deus e, do bem e, da verdade e, de nada lhe poderá acontecer de mal e, de nada de grave lhe vai acontecer. E tudo tem a sua própria raiz e, todo o ser humano diz. Mas as nossas raízes e, são os nossos filhos. E aonde isso não é verdade. E a maior raiz que pode existir e, é em todo o ser humano e, é amar e respeitar de verdade. E como é que alguma criança e, ela pode vir a nascer num lar de amor e paz. E se os pais deles não o vivem. E vivem sim, mas é em guerra e, em desordens constantes uns com os outros. E como isso acontece e, é em todas as comunidades. E é porque nunca fizeram, mas foi de nada para amarem ou respeitarem a ideia do próximo. E isso é perante todas as leis de deus. E isso é mesmo muito monótono ou é mesmo muito sufocante e, depois de eles terem e, é de viver e, é em grandes prantos. E eu agora e, até lhe vou transmitir uma historia verídica. Eu na quinta-feira passada fui ao meu psiquiátrico a uma consulta de rotina. E como eu tenho direito a transporte público e, é por ser um doente psiquiátrico. Ou como a senhora Josefa cachopa diz e, até os malucos tem direito a transporte público. E como se fosse eu e, que posse se alguma lei ou quer ela seja de deus ou quer aquelas que se vivem na sociedade comum. E as leis que se vivem e, é na sociedade comum e, até são mesmo e, é muito engraçadas. E que são e, é o pobre e, cada vez mais pobre. E o rico cada vez mais rico. Mas todos eles se esquecem e, é que perante deus e, todos nós somos iguais. E não existe e, nem o perfeito e, nem o imperfeito. Mas existe sim e, é a justiça de deus e, são perante todos nós os pecadores. E cada um tem que pagar e, é por o seu próprio pecado e, quer ele seja rico ou quer ele seja pobre. E é por isso e, que nas escrituras e, que está escrito e, que não existe alguma a ensinar o mal. E quer ela seja cristã ou quer ela seja muçulmana ou quer seja budista ou quer sejas Judeia e, seja ela qual for a escritura de um dos livros sagrados que existe á face da terra. Mas também e, como eu ia falando e, eu fui transportado e, foi pelos bombeiros voluntários de Portel. E eu e até pensava e, era para comigo próprio e, que aquelas pessoas eram voluntários e, que eram os soldados da paz. E então e eu estava e, era mesmo muito sinceramente enganado. Mas como um engano e, qualquer um tem. Mas agora eles e, planearem o mal para outro ser humano. E que já tem os problemas que tem e, isso é o quê afinal. A bondade de quem faz o bem e sem cobrar nada a ninguém. Ou é daquele e, que estuda e, é o mal e é para o seu próprio interesse. E é por isso e, que os grandes chefes religiosos e, nunca na vida deles e, chegaram a um bom senso uns com os outros. Mas como é que pode existir e, é o bom senso e, se tudo aquilo que eles fazem na vida deles e, é sem eles terem e, é algum bom senso. E aonde hoje me aconteceu mais uma historia de vida e, que é verídica e, autentica e, que é proporcionada pela família da senhora cândida lobo. E mais do seu rico sobrinho e, é que cada vez que a guarda nacional republicana e, ela vem á minha aldeia e, então essa gente pensa em mandarem prender. Ou é por eu conduzir e, é sem carta de condução automóvel ou é por eu andar e, é sem capacete na motorizada do meu pai. E essa família e, dá-se ao luxo e, é de durante a noite e, de eles fazerem turnos e, que é para eles me estarem e, é a ler o maldito livro de são Cipriano. E será o porquê dessas pessoas e, de elas ser e, são tão devotas. Mas é a fazerem mal a mim mesmo e, a outras pessoas e, é aquelas que não aceitem as ordens deles. Ou aquelas que não acreditem e, é naquilo que eles acreditam e, eles só não os matam e, é se não forem capaz. A minha prima nilsa que deus a age andava á escola com a Maria Isabel e, ela teve a felicidade de entrar para a universidade e, foi primeiro que ela. E agora vejam bem e, foi aquilo que lhe aconteceu e, o José calvário levou-me para a Alemanha e vejam bem aquilo que aconteceu e, ao filho e, o meu tio José que deus o age e, ele levou-me para a casa dele e vejam bem aquilo que lhe aconteceu e, a Ana nascimento e, a Maria João e, elas as duas davam-se bem comigo e, vejam bem aquilo que lhe aconteceu e, o meu primo clérmino ajudou-me quando eu mais precisava e, vejam bem e, foi tudo aquilo que lhe aconteceu. E isto é toda a verdade e, é aquela que pode existir á face da terra. E essa família faz mal a qualquer uma pessoa que se dê bem comigo. E é porquê meu deus. E elas então ainda dizem. Mas ele não quer e, é mesmo nada das igrejas. E a senhora cândida lobo e, se ela não teve-se interesse nelas. E alguém pensa que ela queria alguma coisa delas. E agora olhem bem e, normalmente todos os anos e, fazem as festas do verão na minha aldeia. E em todas elas ou muito ou pouco, mas em todas elas e, se tem lucro. E ela diz então e, logo o meu azar e, que foi naquela festa e, que eu era a dirigente principal e, deu resultado negativo. E como é que alguém e, que viva o fanatismo e, seja daquilo que for. E ainda pode vir a falar e, é em o bem para toda a humanidade. E um fanático e, é um puro ou é, um impuro ditador. E isto é tudo e, é porque eu tenho e, é sofrido na minha própria carne. E todo o sofrimento que eu tenho tido e, tem vindo de todas essas pessoas e, que tem sido com a consciência delas da maldade. E é tudo aquilo que tem visto. E sabem o porquê meu povo. Eles são tão bons e, que até as próprias mulheres deles. E elas não querem ter e, é nada com eles. Mas comigo e, é só e, eu disse-lhe. Vamos fazer amor e, é porque eu estou e, é cheio de tesão e, tenho vontade de meter todo o meu pénis erecto e, é por ti a dentro. E tu não me queres fazer essa tua boa vontade ó Susana Garcia e, que é de tu me deixares meter o meu pénis todo erecto por ti a dentro. E sabem aquilo que ela me diz. Á mesma hora e, no mesmo sitio. E é por isso que eles andam a fazer mal a mim e, às pessoas que tenham boas relações comigo. E que é para eu ter que estar e, é sempre a viver na solidão ou na meditação com deus. E o que é eu te fiz ó meu deus e, foi assim de tão grave. Mas eu e, agora e posso-lhe dizer e, é toda a verdade e, é a toda a humanidade e, o que é a vida humana. E vocês dizem o quê. Os nossos santos é que são de ouro ou de prata ou de uma pedra que lhe dão o nome, pedra de olho-de-sapo. E é porque não passa e, é absolutamente de nada disso. E se vocês forem lá á loja e, é dessa tal fulana e, ela deve lá ter e, é com toda a minha certeza e, é mesmo muita coisa idolátrica. E é para quê. Para ela ganhar e, que é para depois ter dinheiro e, que é para depois andar e, mandar me fazer mal a mim e, às outras pessoas que se deis bem comigo. Mas se não gostam de mim e, porque é que vocês não fazem e, é o mesmo que eu. E que é de me ignorarem e, nem sequer no meu nome falarem. E isso é que é justiça e, não é da forma que vocês fazem ou da forma que vocês agem. E agem como uma alcateia desorientada. Mas eu sou um homem solitário. Mas já comi e, foi pão amassado e, foi pelo vosso próprio diabo. E isto é que é a pura da verdade e, não é aquela calúnia que vocês apregoam e, é por ai e, é em praças públicas. E sem seguirem e, é as leis da nossa republica. E é como o vosso ídolo Jesus e, o disse. E é muito mais fácil e, é ver os alqueires nos olhos dos outros. Do que a trave que tem nos vossos olhos hipócritas e reaccionários e, selvagens de irracionalidade. E nem sequer sabem e, é quem é o vosso próprio pai. E é como a outra dizia e, então quem é o pai e, eu sei lá estava de costa e, até faziam bicha que nem sei bem e, foi quem me o entalhou por mim a dentro e, até ao fundo. Mas ainda hoje e, o senhor Josué Garcia e, mais a sua própria mulher Susana Garcia. E eu vindo na minha própria mão e, eles os dois vindo de frente a mim e, com ela ao volante e, não é que me tentaram e, foi atropelar. E eles ainda dizem e, é às pessoas todas da minha aldeia. E aquilo que eu não e, é de os ver juntos e, olhem bem e, que mentiroso e, também eu o sou. Mas agora uma mentira e, que é dum tamanho desses e, é que não pode ser e, ainda é pior e, é do que a outra. E então tu não sabes o que é um abaganho. Eu não e, então olha bem e, é um pénis deste tamanho. Mas aonde este grande pénis entra e, não dá a sua própria autorização e, é de mais nenhum lhe tocar ou até sequer beijar. E vejam bem e, se sou eu o opressor ou se são e, é todas essas pessoas. E que elas só aquilo que elas vivem e, é na inveja e na cobiça. E ainda lhe vou dizer mais esta e, esse tal hipócrita do senhor doutor, mas ai e que ele não é doutor. Mas só aquilo que ele queria e, era ser o actual presidente da junta de freguesia. Mas as pessoas da minha terra e, a maioria delas e, pensaram como eu. E como ele não serve para realizar a sua própria mulher sexualmente e, também não serve para ser o nosso presidente. E isto ainda é muito pior e, é do que uma dor e, é de dentes, ou então a dor de uma parturiente. E quanto tu mais te mexes e, muito mais ainda e, ele te entra e, é por ti a dentro. E esse individuo ainda teve e, foi a coragem de dizer e, foi á sua esposa. Passa-lhe por cima com a carrinha e, fazemos-lhe o mesmo e, que se faz a uma garrafa de vidro e desfase toda. Mas de nada disso aconteceu e sabem porquê. Deus está sempre e, é do lado da verdade e, do bem e, não é e como toda essa família vivem. E que até podem ser muito bons, mas é para eles próprios. E do pai-nosso e, eles só sabem e, é aquilo que lhe convêm. E é porque de resto são tão bons e, que nem o enviado de deus os quer ver ao pé. E é ai que está e, é toda a sua boa bondade. E é de serem prostitutas e, homossexuais e., transexuais e, ainda é pior do que aquele da Vidigueira. Que foi á televisão a um concurso do Fialho Gouveia e, do Raul soldado. E que era a vaca da Cornélia e, o Fialho Gouveia perguntou-lhe e, você sabe e o que é um homem que come outro. Sei sim senhor e, o carro está no papo. Ó senhor Fialho Gouveia e, então o que é. Lá na minha terra chamamos-lhe paneleiros e, aqui em Lisboa dizem, que são homossexuais. E o Fialho Gouveia disse-lhe então, não é não senhora. E o tempo de nossa senhora e, já se acabou. E então o que é um canibal. Mas não é o Aníbal neves e que tens cá nesta terra e, é umas grandes contas e, é a ajustar. Mas o meu mal e, não é do senhor Aníbal neves. Mas sim e, é do seu filho e, mais da sua esposa. E o divertimento deles os dois e, é depois de eles estarem e, é drogados ou bêbados e, é de andarem e, é a perseguir e, a lerem o livro de são Cipriano. E depois todas as mulheres na boca deles e, todas elas tem amantes. E eles é que são os perfeitos e, eles até conseguem e, é difamar-se e, é a eles próprios. E eu quando me cruzo com eles e, é em qualquer parte e, isto é a pura da verdade e, se eu não fosse um cidadão de bem e, de eu saber e, é tudo aquilo que eu quero para mim mesmo. E podem ter e, é toda a certeza e, que eu até poderia estar numa prisão ou num hospital dos malucos. Mas aqueles dois irracionais e, não tem e, é o espelho e, é na sua própria vida deles e, na família deles. E aquilo que eles são para mim ou para alguém de bem e, é uma grande vergonha autentica. E que ele prefere e, é estar drogado do que ter relações sexuais e, é com a prostituta da mulher dele. E se a guarda nacional republicana e, ela tiver alguma duvida e, é daquilo que eles praticam clandestinamente. E eu José Manuel corujo e, até posso ou até lhe tiro-lhe e, é todas essas duvidas que possam ter. E eles desgraçam-se a eles e, aos filhos de outros. E ai deles e, se eu um dia e, eu for pai e, é ai e, é que está e, é o caldo todo entornado. E é que eu também já fui toxicodependente. Mas eu e, graças a deus e, eu nunca na minha vida trafiquei estupefacientes e, nem sequer eu fiz mal a alguém. E nem andava a ensinar o mal a ninguém. E quando eu estava lá no buraco fundo e, quando chegava lá alguém novato ao grupo. E foi depois de eu saber e, o que era a maldita da droga e, eu dizia-lhe e, era logo a eles. E olhem bem e, que esta vida não interessa a ninguém. E é que eu já cá estou á tantos anos e, os mais velhos que eu e, que andavam ou que andam nesta vida e, são um problema constante e, é para eles próprios. E não são só para eles próprios. Mas também o são e, é para alguém e, que ainda tenha algum amor e, é a eles ou que lhe tenham ainda e, é alguma amizade. E isto não é vida para ninguém e, só se for vida e, é para os grandes traficantes. E que é o caso deles. E eu quando vivia nessa vida e, era muitas das vezes para poder guardar de toda a minha dor. Mas ainda por cima e, eu vivia e, era com uma dor maior e, que se tornava num sofrimento e, que muitas das vezes parecia um sofrimento de morte. E muitas das vezes era para ver e, se eu me podia rir um pouco. Mas eu e, até me podia rir. Mas era, com grande amargo de boca e, era tudo e, por causa de eu me estar a esconder e, era atrás de uma dependência. Mas eu podia e era hoje em dia e, de lhe servir de exemplo e, era para toda esta juventude desgraçada. E que a maioria deles está e, é seguindo e, é a todo aquele mau caminho que eu segui das malditas das dependências. E se houver alguém e, que pense e, que os nossos grandes amigos e, que são aqueles que estão num poço sem fundo como nós. E que era como quando eu lá estava e, estão se e, é enganando a eles próprios. E eu ainda lhe vou dizer e, é mais isto. Um traficante não tem amigos e, nem ama a ninguém e, não tem amizade de verdade a ninguém. E tudo aquilo que ele faz e, é só para o seu bem e, para o seu próprio proveito. e é mesmo muito triste e, é essas duas pessoas e, tanto faz o rui neves e, como a sua esposa a Susana neves e, elas dão-me nojo e, é só de eu os olhar e, ainda ela diz. Mas ele e, o que não quer e, é mesmo nada da nossa religião. Mas eu não terei a liberdade e, é de ser eu próprio e, a escolher e, é aquilo que eu quero para mim. E eles os dois ainda conseguem dizer e, que eu é que sou um zarolho e, que só compreendo e, é aquilo que me interessa. Mas tudo isto que eu escrevo e, é a pura da verdade e, umas coisas são minhas e, outras coisas são do meu povo. E embora eles sejam maus ou sejam bons. Mas são o meu povo e, se eles gostam da terra deles e, eu também gosto. E eu também sou de cá e, não sou como o pardal e, que está cá. Mas não é de cá. Mas eu tenho compreensão e, é para quem me respeita. E quer que seja naquilo que for. Mas eles nem sequer ao mais e, eles sabem e, o que é respeitar e, seja a quem for. Mas quem não ama de verdade e, alguma vez na sua própria vida e, poderá saber e, o que é amar e, respeitar de verdade. E elas quando escrevo e, lhe falo e, é em amar e, respeitar de verdade e, é também nas ideias e, que o próximo possa ter ou que tenha e, quer sejam boas ou sejam más. Mas que deus me livre e, é de todas essas ideias más. E embora aja pessoas com ideias positivas ou elas tenham e, é também ideias negativas. Mas também são e, é um ser humano e, como eu o sou. E que também tem e, é as mesmas necessidades que eu tenho. E quem sou eu e, é para o estar a querer julgar ou a julga-lhos e, é a quem quer que o seja e, só a deus e, é a ele que tem essa missão e, não somos nós o ser humano que temos essa obrigação para o poder-mos fazer. Mas de todo esse mal e, essa seita me tem feito a mim próprio e, até de eles me querem obrigar e, é a acreditar e, é em tudo aquilo que eles acreditam. E eles estão procedendo e, é mesmo muito mal e, estão mesmo muito errados e, é comigo. E porque se eu fui livre no meu nascer e, também eu sou livre e, é de ser eu próprio, a escolher e, o meu próprio caminho e, quer ele seja o bom ou mau. E desde que eu não ande e, é a proceder da mesma maneira que eles andam e, a partir dai e, já eu estou no bom caminho. E que não é de eu andar feito opressor ou ditador e, é como vive toda esta sociedade. E quando eu lhe escrevi e, que todo o nosso mal e, vem desde a nossa primeira raiz. E é tudo por uma simples razão. E sem nós vivermo-nos na verdade e, seja daquilo que for e, o que é nós estão sendo. Uns egoístas e, que só vimos e, é o nosso lado e, é assim e, que eles vivem todos os fanáticos e, seja lá daquilo que for. Mas isto também acontece e, é porque eles não querem dar o seu próprio braço á razão e sem verdade não existe razão. Mas também é e, sem eles sequer terem e, é alguma consciência e, do que é a fé do próximo ou do que o próximo pensa ou no que o próximo respeita ou do que o próximo ama. E eu escrevo assim e, é sem eu ter e, é que dar alguma explicação e, a quem quer que seja ou a alguém. E porque em tudo na nossa vida e, todos nós somos donos e, senhores do nosso nariz e, de se limparmos e, é quando bem nós queremos ou quando nós temos essa necessidade. E sem nós termos e, é que viver a nossa fé e, é com alguma responsabilidade ou disciplina. E o que é a disciplina de deus e, que ainda nunca existiu e, foi alguém a querer aceita lha e, todos o que fazem á lei de deus e, é revoga lha. E foi assim que me disse uma vez e, o cabidela. E em primeiro lugar nas nossas vidas e, está é o dinheiro ou o nosso poder económico. E que é que somos nós e, sem nós termos o nosso poder económico. E eu disse-lhe a ele e, que para mim e, o que estava em primeiro lugar na minha vida e, que era a minha própria saúde. E em eu tendo saúde e, é porque vivo e, é todas as leis de deus. E que eu a seguir e, já conseguia arranjar e, era o resto que me faz falta ou com mais facilidade ou com maior dificuldade. Mas o ser humano que está neste mundo e, não é para servir a deus. E é para deus o servir a ele. E isto é o que acontece a todo o ser humano que viva em primeiro lugar o dinheiro. E é assim que eles pensam ou agem os religiosos ou os opressores ou os ditadores. Mas como eu sou e, é um idealista e, tudo aquilo que eu vivo e é, em realismo absoluto e, é por isso que sou um homem e, é muito resoluto e, tanto eu luto e, tanto eu bato e, tanto eu me empenho e, anda cá e, é ao pé de mim e, o que tu levas e é um sardenho. Ou eu e, ate no meu próprio idealismo e, é avante camarada e, que aquele que eu tenho e é entre as minhas pernas e, já não vale e, é mesmo nada e, o que ele está e, é completamente ultrapassado. E depois de tanto eu ter passado e, até aquele passado me encornou e tanto que eu o tenho amaldiçoado. Mas o Manuel Romão e, é que uma vez me disse e, foi a mim mesmo. O Josué tem mesmo uma cara e, é mesmo muito engraçada e, então aquelas conversas maravilhosas que ele tem. E diz mesmo e, que em todas as terras e, ele já andou com uma mulher ou com uma gaja e, ele é mesmo o homem mais querido de todas as mulheres. Mas ó Manuel Romão e, vê lá bem essa conversa e, que não é bem assim como ele diz. E se ele já teve-se andado com tanta mulher como ele diz. E a mulher dele não se agarrava ao meu pénis. E eu é que lhe disse a ela e, se ela quisesse ter algum caso comigo e, que ela tinha que se divorciar. E porque eu tinha e tenho um amor de verdade e, que não a troco e, é por nada deste mundo. E desde que ela também e, não me dê algum mau pretexto e, a alguém. Mas eu também sou e, é mesmo muito brincalhão e, até o meu antigo patrão, ou o meu antigo amigo, o Toninho fadista. E que também e, já me apareceu e foi alguém e, com grandes cantigas da rua e, sem serem uma obra de arte e, um grande fadista e, que também me o chamam e vejam lá bem aquele fadista. Mas quando eu comecei e, foi como automobilista e, até eu já cheguei e, foi a um ciclista. E sem ser daqueles que diz e, é o Faustino borda. Os ciclistas que dão á gente lá no centro comunitário são os raios do feijão-frade. E sem ser o senhor José frade que me ensinou e, foi a tirar a roupa às sobreiras e, a umas á sombra e a outras ao sol. Mas também e, o que anda e, é tudo atrás de um padre e, quando ele reza e, é aquelas lindas orações e, que até chega o sonho e, é aquelas crianças de colo. E então o António Maria e, ai também que ele canta e, tem cá uma voz e, é para um arame farpado e, o mundo agora e, está e, é todo desgraçado. E depois de tanto essa seita e, me ter e, é amaldiçoado e, é como diz a bela. E quando tu fores andar de bicicleta e, o que te devia acontecer e, era de partires as tuas duas pernas. E como essas pessoas são tão boas e, que não querem o mal para elas próprias. Mas para os outros e, é um ver se te avias e, daqui até eu ir a Pavia e, nem um dia. E quanto mais tempo e, tu demoras a chegar a mora e, mais depressa eu me vou embora. E anda cá ao pé de mim e, que tu já vais ver e, é tudo aquilo que tu me tens e, é feito e, tens também e, é estado e, é separar o trigo do joio. E como se separa o trigo do joio e, é com a verdade. E não é como algumas mulheres casadas e, elas me fazem e, que me andam e, é assediando e, algumas delas é a mim e também a outros homens. E é tudo aquilo que algumas mulheres me fazem e, depois elas e, ainda tem e, é a sua própria coragem e, de elas dizerem. E que é para eu lhe dar a minha ilusão sexual. E se eu também vive-se e, é de ilusões. E isto é como eu ter o meu prato na minha própria mesa e, de eu ficar e, é só a olhar para ele e, não lhe meter comida e, não a mastigar e, o meu aparelho digestivo não a dissolver. E se essas mulheres são felizes e, é só com a ilusão e, elas vão e, é que a pedir e, é a outro ser humano e, não a mim e, que deus me livre de todas essas pessoas inconscientes. E é daquilo que elas estão e, é fazendo. E elas estão e, é fazendo adultério e, isso perante deus e, é mesmo muito imperdoável. E é como todas essas mulheres e, elas andarem e, é a mostrar a sua própria nudez e, sem ser só ao seu próprio marido. E muita gente e, até me pode dizer a mim. Mas olha lá e, aquilo que tu és e, é mesmo um antiquado. Mas eu e, também lhe posso responder e, é com a verdade e eu dizer-lhe. Mas quando eu nasci e, também já existiam e, era todas as leis de deus. E que todas vocês e, as tem e, é revogado. E aquilo que vocês preferem e, em primeiro lugar e, é servir as vossas vaidades ou os vossos caprichos. E do que vocês servirem a deus. Mas quando eu lhe falo e, em servir a deus e, é de corpo presente. E não é de vocês me estarem a servir a mim e, é como se costuma dizer e quem lhe rói a carne e, que lhe roía os ossos. E porque também e, eu não sou deus. E eu até posso ser o seu servo de deus e, o mais dedicado que possa existir. Mas eu também não sou um ídolo e, não sou eu que tenho e, é posto as leis de deus. E porque se eu não as seguir e, eu também estou e, é sujeito e, é aquilo que acontece a qualquer um ser humano. E que é às suas penas das leis. E eu peço e, é por tudo que aja neste mundo de bem. E que todas essas mulheres casadas ou comprometidas e, que me deixem e, é em paz. E que elas sejam e, é mesmo muito felizes. Mas não é comigo. E porque eu jurei a deus e, se houve-se algum dia e, alguma mulher e, a chamar-me de homem dela. E que ela também e, que teria e era que viver e, é aquilo que eu vivo. E que é amar e respeitar a mim e, a deus e, a todas as suas leis e, a todas as pessoas que mereçam ter o nosso respeito. E porque quem não nos respeitar e, só temos e, é uma coisa a fazer e, é ignora-lhos e, é o mesmo de eles estarem mortos em nossas vidas. E que tenham de tudo do bom e, do melhor e, muito mais e melhor do que eu tenho ou do que eu possa ter. Mas deixem em paz e, é por favor. E é mesmo fora de questão e, é de mim mesmo, José Manuel corujo e, de eu ter que ter e, é alguma mulher e, é como minha amante. E sem ela me ser fiel e, é a mim e, é a deus. Mas eu hoje e, já soube e, foi uma grande novidade e, foi da Ana Isabel nascimento. E que o lobo mau diz então e, que ela é a sua namorada. Mas como ela é a namorada dele e, o que é eu posso fazer á minha vida e se eu a amo de verdade e vou ter que a respeitar e, é em todo o lugar. Mas ela também diz e, que ela nem sequer sabe e, é de nada e, que nem o pode ver e, é á frente dela e, como é que as pessoas conseguem e, é ser tão ruins e, só para o seu próprio interesse. E Maria Isabel também diz e, que a Ana Isabel e, que também tem andado e, é por onde ela bem tem querido e, é com este e, com aquele. Mas eu agora e, até lhe poderia responder e, é aonde é que ela tem andado e, ela bem tem querido e, até o meu pénis e, ela o tem metido e, é aonde ele bem tem querido. Mas como eu sou e, é um homem e, mesmo muito extravagante e, que até ela me e, deu-o e, foi um lindo encante. E como é que as pessoas e, elas próprias conseguem e, é levantar tantos falsos testemunhos. E grande papa açúcar e, que tu deste e, foi um grande empurrão e, sem haver alguém para lhe dar a sua própria mão. E agora ó sal vinha e, estas e, é dentro de um penico e, quando tu cantavas e, até repenicavas e, para mim tu olhavas e ainda mais tu me amaldiçoavas. Mas de nada e, tu encantavas, ó sal vinha e, eu já tive e, foi dentro e, de tanta ratinha e, sem ser de alguém da família dos ratinhos. E raios te partam e, é agora mesmo. E é que eu já entornei e, foi o meu prato e, sem haver alguém para me impedir de eu agir. E até de ser eu e, é já a gerir e, sem o meu mal e, ser algum. E eu algum dia e, terei que ir e, é admitir e, é todo o meu mal causado e, é a inocentes e, já está e, é mesmo tanta gente doente e, é tudo por causa de um homem e, que é um doente psiquiátrico. E sem haver e, é de nada e, sem haver confusão e, o mundo e, já está e, é todo na radiodifusão. E aonde é que vai e, é tudo parar e, sem haver alguém e, é para um dia e, poder vir e, é a orar e, eu hei-de e, é ir guardar e, de meu amor e, eu me estou a recordar e, dia após dia me vou lembrar e, sem de ruim recordação, eu guardar e, apenas daquilo que eu me lembro e, é onde e, é eu tenho que ir e, é parar. E sem o nome dela e, eu sequer e, é ter que repetir ou de eu o ouvir. E o meu amor está e, é sempre presente e, sem eu ser e, é de nada obediente. Mas é a esses selvagens que vivem e, é lá na outra margem. E quando nós o fazíamos ir á barragem e, que ele se metia ao pé da barragem e, que ele até soava e, só de meu amor e, eu recordava. E sem haver alguém e, era para eu lhe poder vir a dizer. E ai e, que grande dor e, grande sofrimento e, tanta lágrima chorada e, sem haver magoas guardadas e, de meu amor e, eu o imaginava. E sem eu ter que estar e, era sempre a dizer. E o que é que eu te fiz a ti ó meu deus. E eu sem ti meu amor e, eu não consigo viver e, nem sequer me imaginar nas minhas ilusões e, elas vão e, é ficar e, eu vou mas é desandar e, sem haver alguém para me poder segurar. E meu amor e, eu e, o vou mas é agarrar e, sem eu ter e, é que oprimir e, eu ter que me crucificar e, no meu lado forte ou medíocre. E quando eu chorava nas terras da quinta do duque. Mas tanto sofrimento de dor e, sem haver alguém e, é para me poder vir e, é tirar a minha própria dor e, sem ser preciso e, é de eu querer ir ou ter que ir e, é ao doutor. Mas sem o próprio ser humano e, ter a sua boa determinação e, que é de saber dizer o sim e, de saber dizer o não. E como é que ele pode vir e, é amar de verdade e, sem ele viver e, é de corpo presente e, é para quem ama de verdade. E eu agora vou ser e, é do mais claro que possa haver ou existir. E é porque eu vivo e, é de corpo presente para mim mesmo e, para deus e, para a mulher que eu quero ter e, que eu luto e, é constantemente e, é para eu e, a poder vir e, é a ter nos meus braços. E não é eu ter e, é que andar a fazer mal e, é a quem quer que seja e, nem com feitiçarias ou maldades perante outro ser humano. E eu ainda lhe vou dizer e, é muito mais. E uma mulher ou um homem e, que vivam no feitiço ou mais tarde ou mais cedo e, se irão arrepender. E porque também a minha doutrina é a da verdade e, a do bem e, a do amor e, a da fidelidade e, é perante tudo e todos. E é também e, de eu saber e, é estar e, é aonde e, eu tenho que estar e, é em todos os bons ambientes possíveis. Ou são os ambientes da nobreza ou são os da pobreza. Mas em estes dois ambientes e, também lá residem e, é boas pessoas, Mas também lá residem e, é mesmo e, muito más pessoas. Mas eu também lhe garanto e, que não pode existir e, é ninguém mesmo que ame de verdade. E estando esse alguém, servindo a dois senhores ao mesmo tempo. Ou se serve o bem ou se serve o mal. Ou se serve a verdade ou se serve a mentira. Ou se serve o amor de verdade ou se serve o ódio. E alguém mesmo e, consegue ser feliz e, é andando injuriando a outro ser humano e, é com as suas vaidades. E esse ser humano mais cedo ou mais tarde vai pagar tudo e, é perante deus. E porque deus é que é o justo dos justos. E já existiu alguma vez e, algum homem justo. E se ele existiu e, eu ainda não o conheço. Mas eu e, também lhe garanto e, sem haver lealdade ou fidelidade a deus e, como é que pode haver fidelidade ao homem que se ama ou á mulher que se ama de verdade. E eu tenho por experiencia própria e, que todo o ser humano e, vive e, é assim e, tu agora fizeste-me isto e, eu agora e, ainda te vou fazer e, é ainda muito pior ou ainda e, é muito mais mal. E como é que esses seres humanos estão vivendo. No ódio e, aonde existe ódio e, existe também e, é de tudo aquilo que é de ruim e, que não presta e, é para qualquer um ser humano e, viver em amor e, em paz consigo próprio e, quanto mais com os outros. E eu uma vez e, eu disse ao meu padrinho cândido horta. E que as amantes não prestam e, é para nada e, que muito mais vale um homem e, ter que ir e, é às prostitutas, do que um homem, ter uma amante. E um homem ter uma amante e, é o mesmo de estar a fazer filhos e, é a mulheres alheias. E se elas são mulheres alheias e, vejam e, é bem aquilo que elas são interesseiras e, é do seu próprio interesse. E quando nós só pensamos no nosso próprio interesse. E como é que esse alguém e, pode amar alguém de verdade. E que deus me livre e, é a mim e, é de toda essa inveja e cobiça que possa existir e, é em todos esses casais de anormais. E eu é que sou um doente mental. E é por eu saber e, é dizer que as mulheres dos outros não são minhas e, se elas são prostitutas e, não o são comigo e, não o irão ser comigo. E porque eu já tive a padeira nos meus braços. E eu graças a deus e, soube-lhe dizer e, que não era assim como ela queria e, porque a minha cabeça de cima e, ainda mandava e, manda e, é muito mais do que a cabeça debaixo. E que eu tinha tesão, mas que o modo de vida que ela tinha e, que ela tem e, que a mim não me interessa e, é para nada. E porque eu só uso meias e, é só nos pés e, nem é sempre. E não é vivendo em caprichos ou em jogos sujos que se ama de verdade. Mas sim e é vivendo em amor e paz e, é em todo o lugar e, que eu possa estar. E eu ainda lhe vou dizer e, é mesmo e, muito mais e, que deus me livre e, é de todas essas seduções sem terem algum nexo. E sem elas saberem e, o que é amar de verdade. E é elas andarem e, é a injuriarem e é a quem elas dizem que amam de verdade. E se eu com a mulher que eu amo de verdade e, quanto mais eu a tenho e, mais eu a quero ter. E se eu não quero de nada de mal para mim e, como é que eu e, posso querer alguma coisa de mal para a Ana Isabel nascimento. E porque é aquela mulher para quem eu vivo e, é aquela mulher que eu amo de verdade. E é aquela mulher a quem eu sou fiel e, é aquela mulher que eu me confesso. E não é a mais nenhuma e, ainda muito menos as outras mulheres que vivam outras doutrinas ou que vivam as suas vaidades ou as suas tradições. E isto que fique e é mesmo muito bem claro. E que eu não tenho e é mesmo nenhum interesse e, é nenhumas delas e, que elas sejam casadas ou sejam comprometidas com outros homens ou que vivam as suas tradições ou os seus caprichos ou as suas vaidades. Mas eu nas religiões e, aquilo que eu não vejo e, é nada de humildade e, é perante as leis de deus. E porque de vaidades e, aquilo que existe e, é sem haver igual e, é em toda a humanidade. Mas então a inveja e, que é praticamente de todas aquela pessoas que estão inseridas e, é naquelas doutrinas católicas ou cristãs ou muçulmanas ou as prostitutas das suas manas. Ai meu deus que eu nem quero e, é ouvir e é aquilo que ele agora está escrevendo e, que eu e, até estou e, é com um medo tremendo. E o meu maior medo e, era se eu um dia e, o fie-se e, era o perde. E ai que homem que me dá e, é tanta alegria e, é ao longo de todos os dias. E que me dá cá uma força de viver e, que só eu e, deus e é que o sabemos. E se calhar a força que tu tens e é aquela que vem do martelo dele. E olha lá meu palerma e, tu pensas que ele é como tu. Mas ele não é como tu e, que eu já sou e, é uma cadela aluada e, é por aquele homem bondoso. E tu nem tens habilidade e, é para aquilo que deves ter e, nem para tal. Mas deve ser e, é o martelo dele e, que deve ser e, é de aço. Mas não é de aço, mas é cá um pecado de carne que vai lá vai. Mas não é pecado mortal dele e, porque aquilo que ele tem e, é amor verdadeiro a mulheres. E não é como tu e, aquilo que tu és e, é aquilo que eu cá sei. Um gay que andas por ai e, que até me metes e, é mesmo nojo e, é de eu olhar para ti, seu palerma e, sabes aquilo que ele te dizia de ti e, aquilo que tu tinhas e, tens e, era mesmo uma cara de parvo. E quanto mais tu queres-me obrigar e, é de eu ter que ir contigo para a cama. E eu vou sim e, é para a cama. Mas é com aquele manequim. Mas não é o Manuel Joaquim. E quem é que é esse. Era aquele que era muito amigo dele, quando ele andava lá por Viana nos engates. E tu também sabes bem ó mulher e, com quantas mulheres e, é que aquele homem e, ele já foi para a cama. E então é por isso que ele é um grande artista. E que dá vista às cegas e fala ás mudas. E deixa-te e é disso e, vamos e, é aquilo que nos interessa. E é aquilo e, que eu te estava e, era dizendo sua desavergonhada e, que me apanhas a dormir e, vai-te e, é enroscar com aquele grande homem. Mas aquilo é um grande homem, Mas é aquilo que eu cá sei. E o que é tu sabes daquele homem e, é que ele já foi para a cama e, com mais mulheres, do que cabelos tu tens na tua cabeça sua piranha. E ainda és e, é muito pior do que uma cobra e, que passa o tempo a sobrar. E ele é que é e, ora mais depressa e, ora mais devagar e, á aqueles pecados que eu até perco e, é todo o meu ver. Mas depois com aquele jeito que ele tem e, dá-me mais uma volta para aqui e outra para acolá e, lá estou eu outra vez com ele e, é por mim a dentro e, é tão bom. E que eu nem tenho e, é alguma palavra e, é para eu poder explicar e, é a quem quer que seja. E todas elas e, o queriam e era ter o meu lugar. Mas aquele homem e, ele não é como os outros homens. E é cá um homem e, que sabe e, é dar todo o valor a uma mulher e, á aquilo que ela tenha o seu direito. E o direito dele também. Ai é tão bom e, é quando ele se mete e, é em cima de mim ou debaixo ou á canzana e, é de todas as maneiras e feitios. E é como eu quero e, como ele quer. E ainda te digo mais e, é fantástico e, é a coisa mais maravilhosa que possa haver e, é entre um homem e uma mulher. E é a mais linda história de amor verdadeiro e, que alguma vez existiu, entre um homem e uma mulher. Mas também e o que tem acontecido aquele homem de mal e, temos sido nós que lhe o temos feito. E ainda hoje e, esta noite e, tu e o teu primo lobo e, tiveram praticamente a noite toda a ler o livro ao homem. E eu hoje dei-me cá uma graça e, foi de o lobo dizer. E foi então e, que ele queria a serradura e, que ela não o quis a ele e, quis o homem mais querido de todas as mulheres. E que agora ele também já não a queria. E era como se ela também o quisesse a ele. Deixa lá, vocês todos são mesmo e, é muito poucochinhos. E vocês não valem mas é a água que deus nos dá. E é vocês e, andarem e, é sempre a fazerem jogo sujo e, é com o homem de bem. E vocês ainda dizem, que estão no bom caminho e, é de andarem a perseguir o homem, ou fazei-lhe feitiçarias pegadas que vocês estão no bom caminho. E é assim que a tua tia cândida dizia. Ai que o meu Manuel José é que é um homem de bem. E é ele andando a fazer mal a outro ser humano e, que tem as mesmas necessidades que ele tem. E vocês nunca se esqueçam e, que aquele homem foi quatro vezes internado por nossa causa e, da nossa seita religiosa e politica e, dos nossos amigos das festas e dos casamentos e, eles estão todos envolvidos nisto por nossa causa. E somos nós é que temos andado a fazer mal ao homem. E não é como vocês dizem e que ele é que tem feito mal á gente. E isso não é verdade e, ele é que é o meu amor de verdade e, é ele que é o bom e, é em tudo. E vocês não valem e, é mesmo absolutamente nada. E só para aquilo que vocês prestam e, é cá para aquilo que eu cá sei. E que também e, toda as pessoas já o sabem e, é aquilo que vocês são. Ou queres também que eu te diga e, é aquilo que tu és e, que o teu rico primo e, o é também ou não vale apenas eu estar a dizer-te outra vez. Deixa lá e, andarem a fazer constantemente mal ao homem. É a maior vergonha que pode existir e, é á face da terra. E és tu e a tua família toda, ou a tua tia cândida e, ela pensa que ela um dia e, não vai pagar e, é todo o mal que tem feito aquele homem de bem. E que ele não faz absolutamente mal a ninguém. E aquilo que vocês são e, é uma vergonha autentica. E não sou eu que sou a culpada do mal que fazem ao homem. E é assim como vocês o dizem e, que é por causa de mim e, é que vocês estão metidos nisto. Mas eu vou começar e, é a odiar-lhos e, vocês ainda não viram isso também. Mas alguém consegue ver e seja lá aquilo que for e, estando e, é a viver e, é em fanatismo absoluto, ou em guerras. E é com quem não faz mal a nada e, nem a ninguém e, tudo o que aquele homem faz e, é por amor verdadeiro a ele e, á Ana serradura. E vocês vêem e, é muito menos do que um carapau frito e, quando sou eu a arranja-lhos e, a frita-lhos e, eu e, até lhe tiro e, é os olhos aos carapaus e, que é para eles não espirrarem muito no óleo ou no azeite. E é mesmo aquilo que ele é e, muito mais fino do que o azeite de moura. E o homem é mesmo um mouro ou um Tadeu ou um muçulmano e, não quer e é absolutamente nada da nossa doutrina católica. Mas ele e, seja lá daquilo que ele quiser ou for. Mas nós vamos ter e, é que respeita-lho a ele. E porque ele também respeita a gente. E tudo aquilo que ele diz e, é mesmo verdade. E que os nossos santos e, que não passam apenas de ídolos abomináveis. E isso também está escrito na bíblia e, que é para se adorar e, é a um s ó deus. E para não adorarmos e, é a nada que seja feito pela mão humana. E agora e, o que é vocês querem fazer, nada absolutamente nada. E agora temos que darmos-lhe um beijo e, que ele é nosso filho e, é todos os nossos feitiços ou as abominações. Que nós lhe temos feito e que tem sido e, é a maior vergonha, que possa existir. E ele ainda por cima culpa a gente todos e, é de tudo de mal que lhe tem acontecido e ele diz que temos sido nós que lhe o e, é temos feito. Culpa está bem que não e, é mais que verdade que sei lá o quê. E nós temos-lhe feito e, é os trinta e um. E agora o que é nós lhe vão e, é fazer e, é só já aquilo que nos resta e, é se o formos acusar e, é á guarda. E que é para quando ele for buscar o carro a Viana e eles apanharem-no. Mas eles não o querem apanhar e, vocês ainda não viram isso. Mas é aquilo que a gente cá sabe e, a guarda já sabe que o homem não faz mal a nada e, nem a ninguém. Agora só já temos uma hipótese e, é de continuarmos a fazer-lhe e, é ainda muito mais jogo sujo. E agora vamos combinar aqui uma mentira daquelas grandes que é para quando ele for a Viana e depois ele desatinar com Ana. E vamos dizer que a serradura já anda com outro qualquer ou dizemos que ela anda comigo. Ou então fazemos o mesmo que o Joaquim gordo lhe fez e, foi lhe dizer que ela estava a trabalhar no olival. E ó que linda rama que ela tem, mas é para aquele bandido, ou como a dona Luísa o chamava a ele e, ao manequim os marginais andam á solta e, é preciso e, é de ter e, é mesmo muito cuidado com eles. Mas quem é que pode e, é de ir e, é com um cão daqueles á caça. E se ele sabe e, é absolutamente de tudo o que vocês lhe fazem. E não vêem bem e, que ele e, até as nossas conversas e, ele ouve. E agora e é que está e, é todo o caldo entornado. Mas é o esperma dele e, é logo á noite e, é por mim a dentro. E se vocês soubessem e, é a beleza e, a bondade que aquilo tem por dentro dele. E vocês nem conseguem imaginar bem e, é o homem que ali está. E é cá um homenzarrão. E ainda o pior de tudo e, é que ele ainda goza e, é com a gente todos. Mas vocês e, também já viram bem e, que até ele a conduzir com o carro dele e, que ele imita e, é a gente todos. Mas aquilo é um super dotado que está e, é ali e, que mora e, é na rua de Alvito e, é na porta numero trinta e três. Mas eu e, em todas as terras e, que eu já passei e, em que tive e, lá eu tenho deixado grandes recordações ou boas ou más e é conforme o pensar do próximo. Mas sempre foi e, com grandes verdades e, em algumas e, até amores de verdade eu deixei e, noutras grandes amizades deixei. E sem eu ter que estar a dar e, era alguma explicação e, do que era a minha ou do que é a minha vida ou do que eu penso e, é em fazer da minha vida. Mas o mal não é e, com toda a minha certeza e, não é para ninguém. Mas uma coisa e, eu também lhe garanto e, é a todas as pessoas que confiam em mim e, que acreditam em mim e, que eu não quero e, é mal algum, para ninguém mesmo. E ainda muito menos para os meus amores e, desde sempre que me chamavam de um bom sedutor. Mas dos meus amigos de verdade e, eu lhe tenho guardado e, é a todas as boas recordações que eu lhe deixei e, que eu tenho deles. Mas também para os meus amigos ou para as minhas amigas e, eu lhe vou deixar e, é uma explicação e, que nunca na minha vida e, eu me esqueci e, foi de vocês e, nem em todos aqueles, os meus maus momentos. E um amor ou um amigo e, são os maiores monumentos que possam existir e, é á face da terra e, são de carne humana e, desde sempre que o meu amor é de Viana. Mas uma coisa e, eu lhe digo e, sem serem e, é vocês todos e, a decidirem e, é aquilo e, que é e, o que vocês querem e, é para vocês e, ninguém lhe vai poder ajudar e, é sem vocês saberem e, é aquilo que vocês querem viver e, se é em amor e paz. Ou se é, em grandes orgias ou em grandes conflitos e, quer eles sejam espirituais ou quer eles sejam em guerras absurdas de ganância ou de ambição ao poder. E sem vocês terem e, é o amor no vosso coração e, não vai haver ninguém e, é para os poder a vir a ajudar e, é a vocês mesmos. Mas como eu sou um homem e, é mesmo muito descarado e, aquilo que eu tenho visto e, é mesmo muita gente. A terem sido e, é envergonhados e, é por outros seres humanos e, do mais simples e humildes que possa existir e, é entre todos os homens de verdade. E porque todo aquele homem e, que ele seja vaidoso, ou toda a mulher que seja vaidosa. E eles vão ter e, é com toda a minha certeza a sua ambição de fazer mal ao próximo. E porque quando existe a ambição e, existe também a maldade, no próprio ser humano. E eu hoje nem sei bem e, é aquilo que eu hei-de e, é de despir e, só aquilo que eu espero e, é que aja alguém e, que me livre e, é de tanta gente e, que me tem e, é andado a oprimir e, sem eu e, de nada consentir e, apenas aquilo que eu quero e, é de me divertir. E sem ser só no carnaval e, é quando existem muitas pessoas mascaradas. E sem eu ter e, é que cantar e, é á descarada e, só aquilo que eu quero e, é ter toda a minha liberdade de eu ter e, é a minha eterna namorada. E embora ela seja uma mulher e, é mesmo muito descarada e, sem ela sequer ter e, é alguma papa e, é na língua dela. E porque eu tenho tido e, é uma grande honra e, sem ter que ser e, é galardoado. E embora eu e ela e, sejamos e, é mesmo muito amaldiçoados. Mas aonde existe a maior disciplina e, que possa existir e, é entre todos os seres humanos. E é de se e, amarmo-nos e, respeitarmo-nos de verdade e, sem termos que estar e, é a ouvir algumas más satisfações. E que toda essa seita e, o que ela prega e, são grandes sermões e, sem terem que estar dar e, é alguns tostões. E está e, é na hora de eu me ir e, é embora e, é para aonde meu deus. E embora que ela venha e, é sem ter e, é sequer e, é de ouvir e, é a esses sermões que nós lhe pregamos e, é a ele. Mas só que ele não vai e, é nas nossas cantigas. Mas como é que tu o podes ou o vais e, é de ti o poderes e, é de impedires e, é de ele agir e, é com toda a verdade que possa existir á face da terra, e sem isso ter e, é alguma graça e, anda cá á de mim, ó José palhaço e, que é aquilo que existe e, é ai na nossa seita. E é mesmo muita gente e, sem sequer eles terem e, é alguma graça. E como é que eles podem dar e, é a sua graça e, é a quem quer que seja. E desde já e, neste sistema e, é em que todos nós os seres humanos vivemos. E é em tudo na vida e, nós temos que pagar e, também será e, que até para eu poder amar e respeitar de verdade e, também eu e, que terei e, é que vir a pagar a bom preço. Mas sem eu ter e, é alguma obrigação de eu amar e, respeitar de verdade e, é a quem quer que seja. E é de eu ter que vir a viver e, é sem eu ter e, é que ter e, é alguma obrigação. E tudo aquilo que eu lhe peço e, é por o meu amor do coração. E sem eu ter e, é que vir a fazer e, é alguma boa oração. E sem eu ter que estar e, é sempre a pedir e, é a deus e, que deus me perdoe e, é de todos os meus pecados. E porque o meu maior pecado e, é aquele que eu tenho e, é entre as minhas pernas. Mas também e, eu não o dou e, não o vendo e, tudo aquilo que eu faço com ele e, é por amor de verdade. Mas ai minha machadinha e, aquilo que eu cá vou fazer e, é calçar um grande pare de botas e, sem ser ninguém da família dos botas. E também e, aquilo que existe e, é mesmo e, tanta gente irritadiça ou espantadiças. Mas ai a medra e, é da minha preguiça e, que nem tu tens e, é alguma habilidade e, é para te pores e, é em pé, ó seu grande animal e, que tu tens e, é de tudo. Menos alguma consideração e, é por quem tem feito e, é bem e, ó seu grande canibal. E sem vocês serem e, é de nada engraçadinhas e, quando eu te vir ao pé da minha namoradinha. E a partir dai e, já podes dizer e, que também já és um homem responsável. E é por todos os teus actos e sem serem e, é os actos dos apóstolos romanos. E sem ser a romana a mulher José cabaço e, é aquela que é a irmã do Vicente o albardeiro. E aquilo que tu és e, é um grande pantomineiro e, também já tens e, é agastado e, é mesmo muito dinheiro e, sem ser teu ó seu chulo da medra que andas por ai á face da terra. E também tens e, é a grande manha e, é aquelas das pessoas egoístas e gananciosas e maldosas que andam por ai. E anda cá ó seu ranhoso e, aquilo que tu andas e, é de casa às costas. E tem existido e, é tanta gente e, é a apunhalar-me pelas minhas próprias costas. E aonde é que eu estou e, é metido e, deve ser e, é entre quatro tábuas. E enquanto aquele ordinário e, aonde ele deve estar metido e, é entre as pernas e, é daquelas que ele bem quer e lhe apetece. E quanto mais eu o puxo para mim e, mais ele entra e, é pelas entranhas e, até a mana do serradura. E não alguma hipótese e, é de haver alguma mulher e, é a tirar o lugar aquela serradura. E nem a gente fazendo o nosso jogo sujo e, damos-lhe amantes a ela. Mas ele não vai nisso e só se lhe fizermos o mesmo que lhe temos feito até aqui. E vamos dizer que quando ele andava lá em Viana e, ela foi de ferias para o Algarve com as amigas dela e Maria João que deus a age. E houve um guarda algarvio e, que até veio cá á dela para lhe meter ciúmes a ele. E vamos lhe dizer e, que foi o algarvio que lhe tirou a virgindade e, desde já que o cachola não foi capaz de o fazer. Mas eu agora e, até vou ser humilde e, sem ter alguma responsabilidade e, é de tudo aquilo que possa a vir a acontecer. Mas é ele que tem o confessionário delas e, é entre as pernas dele. E ai que pernas que aquele homem tem e, é desde as solas dos pés á ponta do cabelo. Á ponta do cabelo mas é uma medra. E ele até já vai estando e, é mesmo careca. Mas é do careca que elas mais gostam. Mas não é da cabeça de cima. Mas sim e, é daquela que ele tem e, é entre as pernas dele. Mas não é o pernas da oriola o genro do César e, ainda muito menos o César de Alvito. Foge que ele uma vez com o cangaço e, ele puxou e, foi da fosca para eles e, para mais uns de vila nova. E então aquela que namorou o botas da tropa e, aquilo que ela tinha e, era mesmo cá uma boca de boxista. E anda cá ó meu alarve das quintas de Évora. E até o José Nunes um dia destes me veio dizer. E o que é a gente andavam e, era a fazer ao homem. E que não era bem e, com toda certeza dele. E que toda a gente já sabe aquilo que a gente lhe faz. E que a culpa não é dele. Mas sim é delas e, aquilo que elas querem. E é que eles as montes e, nem que não seja e, é atrás de um monte qualquer. Mas aquilo é, um amor e, de qualquer uma boa mulher. Mas existe e, é também e, são tantas lamentações. E que elas vem e, é desde que nós sermos crianças e, que aprendemos a dizer e, aonde é que nos doía. E ai que tanta dor e, que tanto sofrimento que eu tenho e, tanto medo que eu tenho e, é em perder e seja lá aquilo que for. Mas ainda nunca existiu e foi alguém que se arrepende-se e, foi de pecar e, de praticar ruins acções e de praticar maldades e, que tem sido e, é perante tudo e todos. E todos nós se lamentamos e, é a tudo e, a todos e, até a deus e, porque é que tu meu deus e, fizeste isto ou aquilo. Mas ainda nunca existiu e, foi ninguém mesmo e, a querer seguir e, é a sua doutrina meu deus. E porque as doutrinas religiosas e, é que são as mais maravilhosas que existem entre todos os seres humanos. E em elas tendem dinheiro e, é tudo aquilo e, que lhes interessa e, é a elas e, em elas tendem dinheiro e, é aquilo tudo que elas querem e, é dinheiro. E até mesmo com a própria morte maldita e, eles conseguem fazer e, é grandes fortunas. E sem haver alguém e, a dizer assim e, já basta a tanta morte e, o que é nós fazemos de errado perante deus para estarmos a pagar a todo este sofrimento. E será que é com todo o tipo de mal que eu pratico perante deus e, que eu faço e, que é perante deus e, perante tudo aquilo que existe e, é em toda a natureza e, perante nós próprios seres humanos. E eu hoje em dia e faço e, é muitas vezes e, é esta pergunta e, é a mim mesmo e, a deus. E se não será mais fácil a nós próprios seres humanos. E praticarmos o bem e, vivermos a verdade, do que nós praticarmos o mal e, de estarmos a viver na mentira. E se não é a coisa mais linda e, que possa existir em qualquer um ser humano e, que possa ter. E que é de viver em amor e paz e, é em todo o universo. E quando eu oiço ou eu vejo e, é com os meus próprios olhos e, é os nossos governantes a falarem e, a agirem e, é desta forma. E vamos reforçar e, é o nosso contingente e, arsenal militar. E a seguir a isso e, eles ainda conseguem e, é de dizer. E que todos nós os portugueses e, estamos e, é em grande crise económica ou financeira e, que todos os portugueses. Vamos ter e, é que se esforçar e, é para ultrapassamos e, é toda esta crise económica ou financeira em que estamos todos nós os portugueses. E é o caso do senhor deputado Paulo portas e, isto é aquilo que ele e, se o governo acabasse com o rendimento mínimo e, ajudasse mais as pequenas e, medias empresas. E que o governo assim conseguia resolver todos os nossos problemas nacionais. Mas se a minha fraca memoria e, se ela não me falha. Mas o actual deputado o senhor Paulo portas e, também ele próprio e, ele já foi o ministro da defesa de um governo português. E ele conseguiu acabar com os problemas dos pobres ou dos ricos. Mas ele ainda vez e, foi ainda muito mais pobres do que existiam. E ele ainda foi gastar aquilo que eu nem sei bem sequer e, que era para eu lhe poder escrever a verdade. E foi em reforçar do nosso contingente e, arsenal militar. E é havendo guerras e, que se consegue viver e, é sem medo e, seja lá daquilo que for meu deus. Mas sim e, consegue-se viver sem medo e, é em amor de verdade e, em paz. Ai que eu me estava e, era esquecendo e, que é também e, como os grandes chefes religiosos dizem. E foi necessário haver uma guerra santa para o mal de uns e, para o bem de outros. Mas quanto mais pobre e, mais sofrimento e, mais dor e, mais lamento se tem e, é perante quem. Em primeiro lugar é perante deus e, em segundo lugar é perante quem nos governa a nós. E isto tudo é por causa do próprio sistema que existe entre nós. E que vem e, é desde os nossos princípios humanos e, que vem desde sempre de família para família. E quer também aquilo tudo que nos ensinaram nas escolas e, que nos obrigavam a seguirmos, se não toma lá disto e, não pias. Mas agora o senhor deputado Paulo portas, a vir e, é com essas conversas todas, para a praça pública. E ainda ele querendo fazer e, era mais fome e, é do que aquela que existe já. E porque é que ele não diz e, é assim e, vamos reduzir o orçamento de estado. E vamos deixar governar e, é a quem foi eleito ou o escolhido pelo povo, para nos governar durante estes quatro anos consecutivos. E depois vamos fazer a nossa campanha e vamos ver se arranjamos pretexto com a verdade e, que é para o povo me escolher a mim e, sem eu estar a fazer racismo na própria pobreza e, raça. E vamos começar e, é por já e, é reduzir o orçamento de estado. E é acabando com a assembleia da república. E existe algum cidadão português e, que consiga vir a dizer em praça pública. E em quanto fica um deputado da assembleia da república portuguesa. E é a todos nós os portugueses e, o senhor deputado Paulo portas também se esquece e, que o pobre também é português e, tem as mesmas necessidades de que um rico tem. E ele ainda diz e, porque é que as pessoas que estão no rendimento mínimo. E elas não querem e, é trabalhar, ou não vão e, é trabalhar. E isto não serve para mim e, porque eu já estou reformado. Mas serve e, é para quem tem imensas dificuldades e, é para poder sobreviver e, sem ter que andar e, é a fazer mal e, é a quem quer que seja. E quando o senhor Paulo portas diz e, porque é que eles não vão trabalhar e, se ele é um homem com tantas capacidades na puta da sua língua. E por que é que ele não resolve e, é o problema de todas essas pessoas pobres ou com necessidades para arranjarem o sem emprego ou o seu trabalho. Mas não existe e, é na vida humana e, nem um sequer bom opressor ou um bom ditador. E tudo aquilo que eles causam na sociedade e, são dores e tormentos constantes e, é a outros seres humanos, que tem todas as mesmas necessidades que eles tem. E se o senhor Paulo portas e, se ele fosse um homem de bem e, ele não falava e, era da forma que fala em praça publica. E porque quem precisa e, fica e, é mesmo muito jogado e, é com todas essas palavras efectuadas pelo senhor deputado Paulo portas. E se ele hoje é um homem de posse ou de poder económico e, se calhar ele. Não pode só dar graças e, é só á sua inteligência. e porque deus esta acima dele e, de todos nós e, deus é que nos pôs no mundo e, deus é que é o nosso julgador e, mais ninguém num estado democrático, nos pode vir a julgar e, é a hora da nossa morte. E isto é com toda a minha certeza e, que ele falando assim e, que ele também esta e, é fazendo racismo de outro ser humano. E até pode ser da mesma cor ou raça. E é como se costuma dizer e, quanto mais magro está e, é o cão e, mais a rabugem dele, o aperta. E ele também me pode dizer a mim mesmo e, que ele vive num pais democrata e, que diz e, é tudo aquilo que lhe bem apetece. Mas isto também é a minha forma de pensar e, de eu agir. E tem sido depois de tanto me oprimirem a mim e, que até muitas das vezes me tiraram e, foi o meu sorrir. E acima de tudo e, se não fosse deus. Se calhar eles e, até já me tinham e, eram agredido. e depois de tanto eu ter sofrido e, de eu ter sarado e, sangrado e, algumas das minhas feridas e, chagas e, ainda me ficam e, são e, é as minhas grandes mazelas. Mas como eu sou um homem e, que luto e, é de unhas e, dentes e, é pela minha própria liberdade de opinião. Mas também conservo e, são todas as boas opiniões que me têm dado. E sem eu ser e, é de nada engraçado e, até alguns dos encarapuçados e, já me deram e, foi muitos rebuçados. E isto tudo é depois, de tanto eu ter sido penalizado. E é por eu ser um homem directo ou indirecto e, é com todas as minhas conversas ou as minhas palavras. E sem elas serem e, é de um doutor ou de um professor. Mas sim de um antigo agricultor e, sem eu ter e, é algum tractor. E ainda por cima e, é sem ter alguma e, é experiencia efectuada sobre a agricultura. E só aquilo que eu espero e, é por eu ter e, é a minha eterna namorada. E um dia na vida dela e, ela ser uma mulher e, é do mais honrada e glorificada, que possa existir. Mas o meu amor por ela e, fica sempre e, é sempre e, é á janela e, nem que ela esteja e, é atrás de algum almofariz e, eu já bebi e, foi em alguns lugares seguros e de dia ou de noite ou até no escuro. Mas também e, já existiu e, foi tanto opressor e, a querem partir e, era o meu nariz. E até a comadre Beatriz e, sem ela ser uma imperatriz. Mas deus e, já me livrou e, foi imensas vezes e, foi de essas maldades descaradas e, que vem e, é de pessoas irracionais. E até me chamam de um grande animal e, sem eu ser canibal. E alguns desses opressores até de tudo aquilo que eles gostam mesmo. E é de sexo oral e, anal e depois ainda dizem. E aquilo que eu gosto e, é que me façam e, é de tudo a mim. E que é para eu poder gozar e, é as coisas mais predilectas, que existem e, é entre todos os homens. E ai meu deus e, se tu não me socorres e, é desde já e, que mais ninguém me acode e, me vale afinal. Mas em tudo e, nas nossas vidas e, tudo tem um bom principio ou um mau principio. E eu até poderia ter tido um bom principio e, depois com o decorrer dos meus anos. E eu até me poderia ter tornado num homem e, mesmo muito mau ou muito revoltado com uma sociedade desobediente a todas as leis de deus. Mas com toda a graça de deus e, que ele me tem ido e, é libertando e, é aos poucos de toda essa sociedade desgraçada e amaldiçoada por eles próprios. E eu e também e, sempre ouvi dizer e, foi esta pequena frase. E era ao António fadista e, deus ajuda e, é sempre, a quem precisa, ou a quem está no bom caminho. E se eu esteve-se no mau caminho e, deus não me teria libertando de todas essas pessoas sanguinárias e, ordinárias. E se eu tive no mau caminho e, foi a maioria das vezes e, um homem mesmo muito inconsciente e, era daquilo que eu estava fazendo de errado comigo mesmo e, com deus e, com as pessoas que eu amo de verdade. Mas os ditadores e, alguma vez eles e, nas suas próprias vidas deles e, eles conseguem ver e, é aos seus próprios erros. E ainda por cima de eles assumirem e, é em praça pública e, a todos os seus erros. E é como eu tenho feito e, é perante toda a humanidade e, sem haver alguma falsificação de todas estas minhas palavras ou frases e que se tornam num texto verdadeiro e, tudo aquilo que eu escrevo e, é por amor verdadeiro e, sem eu estar e, é a pedir algum dinheiro a essa sociedade desobediente. E eu e, até posso ser um homem mesmo muito persuasivo e, é com toda esta minha matéria verdadeira. Mas é de tudo aquilo que me acontece a mim e, que tem sido e, é durante o dia e durante a noite. E se eu e, só aquilo que eu quero e, é seguir a todo o bom caminho. E todo o caminho do amor de verdade e, todo o caminho do bem e, da verdade. Mas afinal e, quem é que vive na persuasão. E serei eu ou serão as pessoas devotas ao mal e, á mentira e, às suas próprias feitiçarias. E que é de tudo isso que eu lhe mencionei e, que toda essa seita maldita e, eles me fazem e, é constantemente. E sem eles abdicarem e, é unicamente e, de eles estarem e, é a fazerem mal a eles próprios e, quanto mais aos outros inocentes. E eles até conseguem fazer mal e, aos deles. Mas as pessoas fanáticas e, elas ainda não viram bem e, foi com os seus próprios olhos. E que mais cedo ou mais tarde e, eles irão pagar e, é todo o seu próprio mal. E é com as suas próprias vidas e, que não haverá ninguém para os poder salvar a eles. E nem os seus próprios santos e, nem as suas próprias doutrinas e, nem os seus amiguinhos da esquina e, nem as suas próprias vizinhas e, não haverá deus e, é para quem pratica o mal e, é constantemente. E eu sou e, é um homem e, mesmo muito consciente e, do que é o bem e, do que é o mal. Mas também sou consciente e, que eu e, não sou um homem perfeito. Mas de tudo aquilo que existe e, subsiste de mal e, é tudo por causa da persuasão. E eu hei-de e, é de rejeitar e, é a quem viva na persuasão e, sem eu ter e, é que me estar e, é transformar em um homem de mal. Mas são vocês persuasores e, é que tem que viver e, é no seu próprio mal. E ainda hoje e, eu vi e, foi com os meus próprios olhos e, foi de pessoas que vivem na persuasão e, a rirem-se de mim. E é tudo por causa de eu mesmo e, as ignorar e, que nem o meu olhar e, elas merecem e, se eu estou errado e, que deus me perdoe e, é de todo este meu acto. Mas essas pessoas e, elas não conseguem e, é ver e, é com os seus próprio olhos e, é o mal que estão causando aos outros inocentes. E depois ainda dizem, mas ele não quer e, é mesmo nada da nossa doutrina. E eu e, á dias disse ao orelhas da boa fé. E que nós só tínhamos e, era a dois caminhos, a seguir e, um era o bem e, o outro era o mal. E se eu e, se mais algum dia sequer e, se eu pensasse em consumir álcool ou droga e, que mais valia e, era de eu morrer e, era logo nesse instante. E depois e, essas pessoas e, elas ainda me vem e, é falar assim. E que eu não quero e, é mesmo nada das doutrinas deles e, nem das igrejas. Mas as pessoas que me conhecem bem e, sabem muito bem, a minha humildade e, que é aquela, que eu tenho e, foi aquela que deus me dê. E todas elas também sabem e, é a opinião que eu tenho. E que é de onde me metem na rua conscientemente e, que deus me livre e, é de eu e, lá ter e, é que voltar a entrar. E sem essas pessoas terem todo o seu arrependimento. E que é, de todo o tipo de mal possível que possa existir entre nós próprios, os seres humanos. E porque deus não tem mal para ninguém e, não faz mal a ninguém. Mas sim e, deus tem e, é a sua própria justiça e, é com todos nós os seres humanos. E todos sabem também e, que deus é que é o meu próprio treinador. E quando ele me diz e, vai mais devagar e, eu respeito. E vocês fazem o quê e, deve ser e, é assim. E aquilo que eu quero e, é que deus vá dar e, é uma grande curva. Mas enquanto eu oiço e, é a todas essas pessoas devotas. E elas falarem e, é em amor paz e, elas andarem e, é a fazer mal a outro ou a outros seres humanos. E como é que todas essas pessoas se podem sentir e, é com elas próprias. E se deus é amor e bem e paz e, sem nós vivermos o bem e, como é que poderemos viver o amor e, ainda muito menos a paz. E a paz esteja e, é com todo o ser humano de bem. E a paz também está e, é com a fé e, é em único deus. E não é como o Dário diz. E é disto e, é que o meu povo gosta e, é de haver prostituição com fartura e, de haver fanatismos loucos e, é por coisas que não fazem sentido nenhum. E que é, para se poder viver em alegria e felicidade. E se nós não vivermos em amor e paz e como é que nós podemos viver em alegria e felicidade. E isto serve e, é para todas as pessoas e, é de todas as idades. E se tu queres ser um bom relógio e, nem te adiantes e nem te atrases. Mas sim e, tens e é que te manteres e, é sempre certo em todos os locais que tu possas estar de corpo presente. E se essas pessoas fanáticas e, são e, é pela sua própria morte. E elas ainda dizem e, é esta calúnia e, é de mim mesmo. E ai que mente tão perversa e, que é aquela que tu tens ó José Manuel corujo. E tu não vês e, que não existe ninguém mesmo e, é a querer nada da tua doutrina. E como também e, se eu lhe esteve-se e, era dizendo a elas ou a eles. E que era para eles crerem em mim, ou para elas seguirem a minha doutrina. E vocês sabem e foi aquilo que eu uma vez disse ao Ruben, o filho da clementina e do jacinto bolinhas e, ao Sérgio o filho da Noémia e, de um rapaz da minha idade o Sérgio Silvério. E que era para eles fazerem e era aquilo que eu lhes dizia a eles. E para eles não fazerem aquilo que eu fazia ou aquilo que eu já tinha feito no meu passado doloso e muito penoso. E depois de toda essa seita e, eles andarem e, é de frutuoso em frutuoso a mandarem fazer mal a este ou aquele ou a esta ou aquela. E tanto que eu me tenho e, é empenhado e, é em resolver a todos os meus problemas. E é de frente e, eu não lhe volto as minhas próprias costas. Mas sim e, é de frente e de cara a cara e que eu resolvo todos os meus problemas e, uns com maior facilidade e a outros com maior dificuldade. Mas ai e, o que não falta ai e, é mesmo muita gente torta. E eles são bem pior e, do que era a minha avó, que deus a age e, a vida eterna sem mim. Mas como é que todas essas pessoas e, que fazem parte de uma seita católica ou cristã e, sem elas terem e, é nem pés e, nem cabeças, para elas me estarem e, é a caluniar, ou elas estarem a fazer-me mal a mim e, aos meus. E como é que todas essas pessoas e, elas conseguem caminhar no mundo do bem ou do amor ou de elas viverem e, é em paz com elas próprias. E sem que aja alguém e, é a alerta lhos a eles. E olha lá bem e, é aquilo tudo de mal e, que tu andas fazendo ao homem de bem e, mais á família do homem e, á família da namorada do homem. E vê lá e, é tu bem e, é aonde e, é que tu andas a meter e, é a gente todos ou aonde tens estado a meter e, é a gente todos. E se todas essas pessoas fossem inofensivas e, eu até lhe estava grato e, era por eles terem e, era essas grandes atitudes deles. A respeito familiar, ou se elas não tivessem espelhos e, era na sua própria família. E ai sim e, eu até os poderia e, era honrar e, era acima dos sete céus. Mas eles tem tantos exemplos maus e, ruins e, é nas próprias vidas deles. E eles ainda conseguem e, é andar a fazer mal e, é a este e, aquele e, era como se outro ser humano fosse um objecto nas vidas deles. E como é que tu meu deus e, lhe tens e, é permitido tanta maldade pegada e, é de toda essa seita de homens maus e de mulheres más. E depois só aquilo que eles conseguem dizer e, é que eu não quero e, é mesmo nada das igrejas e, nem do partido comunista deles. E isso é como se eu fosse um homem que vive-se e, era a politica e, é como eles vivem. E que é uma politica de interesse. Mas é para os próprios bolsos deles e, se alguém já viu e, foi alguém dessa seita e, eles fazer o bem a alguém e, a quem quer que seja. E sem eles terem e, era alguma coisa na manga deles. Mas eu José Manuel corujo e, vou louva lhos aos sete céus e, é desde já. E que a crença deles e, não é aquilo que eles vêem e, é com os próprios olhos deles. E isso tudo é por causa do prestígio que eles ganharam nas vidas deles. Mas foi quando eu andava e, era a vadiar ou a trabalhar em Viana e, que eles tinham muitos amigos ou amigas. E que eu e, só procurava uma coisa e, que era o meu amor de verdade. Mas isso de eu procurar o meu amor de verdade e, foi desde sempre. E tudo aquilo que eu fiz na minha vida adulta e, foi procurar a mulher dos meus sonhos. E ela tinha que ser de Viana e, tinha que se chamar Ana Isabel nascimento. Ai meu deus e, que eu estava-me e, era esquecendo e, que o Manuel José lobo Fialho. E que ele diz e, que Ana Isabel nascimento e, é que é a namorada dele. E como eu e, não foi nessas cantigas deles. Mas ele ou eles ou elas e, lembraram-se então e, foi de lhe darem e, foi amantes e, foi á Ana Isabel. Mas eles e, também se estão e, é esquecendo e, que Ana Isabel e, que ela dorme e, é comigo e, é comigo que ela se deita e, é comigo que ela se levanta. Mas eu e, agora e, ainda lhe vou dizer e, é mais estas verdades. E olhem e é bem e, é para aquilo e, que vocês têm e, é em vossas casas ou nas vossas famílias. E vocês vejam lá bem e, é se vocês gostam e, é de estarem e, é a ser difamados. Ou é com a verdade ou é com a mentira. Ou se vocês gostam do bem para vocês. Mas porque é que vocês e, andam a fazer mal e, é a outros seres humanos. E que também tem e, é todas as mesmas necessidades e, que vocês também tem. E é assim que vocês têm e, é mesmo muito amigos ou amigas. Mas também e, só se elas também forem e, é da mesma laia e, que vocês são. Mas em vocês mesmo e, também existe e, é tanta gente boa. Ó joaninha voa e, é daqui e, até Lisboa e, eu e também já fui e, foi para a cama e, com tanta mulher boa e, sem serem e, é dessa seita maldita. Mas também e, é sem existir igual e, é aquela mulher e, que eu carrego e, é com toda a minha grande confiança e, é naquela que deus me a abençoo e, foi para eu e, a amar e respeitar a vida infinita. E também é aquela e, por quem também e, eu tanto tenho sofrido e, é por o mal que me tem feito a mim e, a ela e, sem eu e, a ter e, foi ofendido e, só simplesmente a tenho e, é protegido. Mas só aquilo que eu lhe tenho feito a ela e, é tê-la surpreendido e, é por a positiva. E também foi e, depois de eu na escola e, de também eu ter tido e, foi algumas notas negativas. E sendo ela a mulher mais compreensiva e, que eu e, já alguma vez eu vi. E foi a partir dai e, que o meu amor por ela e, eu o descobri. E depois de tanto eu a ter e, foi procurado e, aquilo que ela até me chama e, é mesmo e, olhem lá bem e, foi o namorado que deus me deu e, foi logo o mais desavergonhado de todos. E aquilo que ele tem de bom e de bem e, também o tem e, é a isso tudo e, é em comum e, é de ele ser e, é um homem mesmo muito desavergonhado. Mas ele e, também e, tem uma cara e, que é e, é mesmo muito engraçada. E não devia eu e, foi logo de ter engraçado e, foi com ele e, foi logo á minha primeira vista e, quando ele me olhou e, foi por a sua segunda vez e, eu até me arrepiei e, foi toda. E ai que loucura de homem que anda por ai á deriva. E aquilo que ele já deve ter feito e, foi muitas boas conquista e, foi em muito boas raparigas. Mas também e, foi sem ele ter sido e, foi um militar. Mas existe e, é ai e, é mesmo muito e, é aquilo que a gente cá sabe. E que é de eles deixarem e, é mesmo muito a desejar. Mas aquele homem e, é um desejo incomparável de qualquer mulher e, ele tem conversa e, é para tudo e, todos. Mas aonde é que aquilo e, ele foi buscar e, foi tanta sabedoria. Mas só que a sabedoria e, não se vai esperar que ela caia do céu. Mas sim e temos que ser e, é nós a procura-lha. E que é para depois nós a podermos conquistar e, nem que não seja ao pequeno-almoço ou á hora de almoço. Mas a barriga de moço e, ela não tem e, é mesmo ouço. E tudo aquilo que tu dizes-te e, ele esteve e, foi a ouvir. E ai que grande moço e, não é assim que fala o meu amigo António José Fialho botas e, que também, é o mais conhecido e, é aqui e, é por toda a nossa redondeza o trinca na pêra e, mais tarde se vão colher as peras. Mas aquilo que tu já fizeste e, foi já na tua própria vida e, isto e, é com toda a minha certeza e, que também, já deves ter ido e, é mesmo e, com muita boa baronesa e, sem ser em cima e, é de alguma ou em nenhuma marquesa. E ai e, aonde é que tu e, está e, é metida e, é também toda a nossa religião, do nosso santo António e, também a da nossa madre Teresa. E aonde é que tu tens estado e, é a meter a gente todos ó meu deus. Mas eu e, também e, não meto, mas é mesmo nada e, é porque elas também não querem e, é mesmo nada de mim. E elas e ainda tem e, é a coragem e, é de elas dizerem e, é assim. Mas tudo aquilo que existe de bom e, é entre todos os homens e, aquele maldito daquele homem e, é assim como a seita me tratam a mim. E ele sozinho consegue ter de tudo tão bom e, é como todos os outros homens que existem á face da terra e, nós todos juntos e, não temos e, é aquilo que ele tem de bom. Mas ai e, que o padeiro e, mais a padeira e, dizem e, é a todo o povo e, que eu e, que não os quero e, é ver juntos a eles. E que eu e, é que os ignoro a eles e, eles é que estão no bom caminho e, que eu e, é que estou no mau caminho. Mas eu e, agora e, também e, vou-lhe dizer e, se vocês e, soubessem e, era de tudo aquilo de mal que lhe faziam. E o que é que vocês faziam e, se vocês pudessem ou se quisessem também. Mas como eu e, sempre eu dou e, digo e, se eu existo e vivo e, é com toda a graça de deus. E também todas as pessoas que me conhecem e, todas elas sabem e, que eu vivo e, é sempre, por amor de deus e, que é o grande e, o único senhor de todo o universo. Mas todo o ditador tem mentes e, que são mesmo e, é muito introversas e incorruptíveis e, sem elas serem de nada tranquilas. Mas todas essas mentes intranquilas e, são e, é mesmo e, um medo constante de todos esses seres humanos intransigentes. Mas o medo de todas essas pessoas e, é do quê meu deus. Mas todos esses ditadores e, aquilo que eles não querem e, é mesmo e, é de admitirem e, é os seus próprios pecados e, os seus próprios erros e, o seu próprio medo incorruptível. E eles próprios e, nem querem e, é ouvir e, é a quem tem algo de bem ou de verdade para lhe dizer ou até lhe poder contar ou ensinar e, é a todo o bom caminho, que serve para qualquer um ser humano que se arrependa de todo o mal. Mas tudo aquilo que eles pensam e, é em explorar e, é a tudo aquilo que mexa. E é muito pior do que o outro, ai filha e, tu não te mexes. Mas só se eu mexer e, é os meus olhinhos. E porque tu e, aquilo que estás e, é quase e, é mesmo e, muito bem carregado e, é em cima de mim. Mas ai de mim e, de outro também e, eu só entendo e, é aquilo tudo que me convêm. Mas também e, não é por o mal e, que eu lhe tenha e, é feito. E é apesar de tudo e, é de eu não ser um homem e, até mesmo muito perfeito. Mas o Josué Garcia e, Só aquilo que ele queria mesmo e, era para ele e, era ter o lugar do actual perfeito da freguesia e, tudo aquilo que ele fala e, não será ou não é e, é em demasia. Mas sem ele ter e, era algum jeito e, era para poder vir a desempenhar o cargo e, sem ele estar e, era a fazer o seu próprio racismo, contra ninguém. E é também como dizem os algarvios. Mas que jeito que tu tens moço para estar a criar a tua própria teia. E tu e, desamparam, mas é a minha loja. E a tua mulher e, é da mais formosa que possa existir e, é entre todas as mulheres ou bem me quer ou mal me quer. E ele ainda consegue e, é dizer. E que sou eu e, que lhe ando a arruinar e, é a casa dele e, que lhe ando e, é a cobiçar e, é á mulher dele. E ela uma vez e ele e, convidaram para a adiava das suas próprias casas e, ela no fim convidou todos os homens que lá estavam. E que era para eles todos irem ver a sua casa nova. Mas para eu ficar e, era aonde eu estava e, que eu invejava e, era tudo de toda a gente. E foi por isso e, é que ela se agarrou ao meu pénis e, seria para ela ver e, se o meu pénis seria igual ao do seu próprio marido. Ou se era mais duro ou maior do que o dele. E uma vez eu foi lá sua padejaria e, foi com o meu amigo manequim. E ela veio para me dar um pontapé nas minhas nádegas. E como se ela me teve-se a querer dizer. E que era para eu me ir embora. Mas hoje em dia e, tanto faz ela como ele e, eles podem e, é estar e, é mesmo muito bem descansados e, é comigo mesmo. E porque eu já sou um homem e, é comprometido e, é com tudo aquilo que é devido. Mas ela que tenha e é mesmo muito cuidado e, é comigo mesmo e, é quando eu desembainhar e, é tudo aquilo que eu tenho e, é debaixo do meu avental e, vai haver e, é um grande festival e, tanto faz que seja na hora do intervalo e, só aquilo que eu quero e, é está-lho e, é a enterra lho. Mas em tudo na vida e, existe e, é tempo e, que é para se fazer de tudo e, ora para se estar e, é a brincar ou ora para sermos e, é seres humanos e, responsáveis por todos os nossos actos e, quer eles sejam positivos ou negativos. E depois de tudo aquilo que todos esses opressores e, ditadores e, tudo aquilo que eles me tem feito e, é de mal a mim e, a todas as pessoas que se dêem bem comigo. E é mesmo muito triste e, é por a parte de todas essas pessoas. E aquilo que elas não querem para elas de ruim ou de mal e, elas tem a coragem e, é de andarem a fazer mal, aos outros. E depois elas ainda tem e, é a coragem e, é de elas dizerem. E que eu é que lhe tirei e, foi toda a sua coragem. Que eles tinam e, que era para eles viverem e, era a fazer aquilo que eles queriam e bem lhes apeteciam de mal. Mas se eles se arrependessem e, era de todo o mal. E não seria e, era mesmo muito mais fácil e, era para eles encontrarem e, era a sua própria felicidade. E serem elas pessoas honestas e, pessoas de bem. E não é como todas essas pessoas vivem. E só aquilo que elas fazem e, é mal a outros seres humanos. E que muitas das vezes eles nem tem pão para comer e, nem ninguém sequer, para poderem dizer. E ai que dor tão grande que eu tenho e, não tenho absolutamente ninguém para dar um ai. E se não eles ainda me correm e, é á pedrada. E tantas pessoas dessas e, só aquilo que elas querem e, é o bem e o amor e a paz para elas. Mas porque é que elas querem ter isso tudo de bom para elas. Mas elas conseguem e, é de andarem e, é a elas todas e, é no mau caminho. E não pode existir ninguém que viva no fanatismo ou na opressão ou nas ditaduras inexplicável a outros seres humanos. e que estejam no bom caminho. E é como aquela oração que está no livro sagrado, de David a deus a pedir a sua libertação. Ó meu deus e, tu me livra e, me liberta e, é de todos os meus opressores. E porque se eles são meus opressores e, também são, meus inimigos. E eles ainda conseguem dizer e, ai meu amigo do coração e, que tu já não me queres e, é dar a tua mão. Mas todos os meus amigos e, são aqueles que me respeitam a mim. e tanto faz na minha forma de pensar ou de agir. E um dia se adie ver e, quem é que esta, no bom caminho e, se é o humilde ou se é o arrogante.
E eu e agora vou ver se consigo e, é pensar e, sempre em bem e, em amor de verdade. E porque eu e, já estou e, é mesmo farto e, é de falar e, escrever e, é sempre em maldades de outros seres humanos. E porque eles ainda não se aperceberam e, que o bem adie vencer e, é sempre o mal e, não existe nada e, que seja oculto e, que venha e, é a verdade e, é sempre ao decima. E isso é porque todos os seus deuses e, que são os dos pagãos e, eles têm boca. Mas eles não comem e, nem bebem e, nem falam. Mas ai que desgraça e, que é tão grande e, que me está acontecendo e, a minha própria mulher e, ela está e, é mesmo aluada e, é por aquele marginal e antipático. E se lhe dá para ele falar com as pessoas, ele fala. Mas também e, se lhe dá e, é na maldita daquela cabeça e, ele ignora e, é a tudo e, a toda a gente. E eu estou e, é desconfiado e, que ele e, até o pai dele e, que se farta de trabalhar para ele. E que ele e, que também o consegue ignorar. Mas ele na ignorância e, é mesmo rei. Mas ouve lá ó Josué. E se tu dizes e, que a tua mulher está e, é mesmo aluada por ele. E é porque ele também, deve ser rei e, é em mais algumas coisas. Mas aquilo que vocês são mesmo e, é uns grandes desgraçados. E quando eles se estão a rir e, é mesmo e, sem eles terem e, é alguma graça. E ouve lá mais uma coisa ó Josué. E ele tem cá uma lata e que nem te passa e, é mesmo bem e, é pela tua cabeça. E desde já e, que foi em plena luz do dia e, que foi no café do Miguel e, que ela se agarrou á ferramenta de trabalho dele. Ou eras tu que não lhe davas e, era aquilo que ela queria. Ou então é ele e, que é um grande artista. Mas agora e, vocês e, deixem-se lá vocês e, é disso tudo e, vão mas é já e, é parar e, é com toda essa vossa conversa. E porque tu e, tudo aquilo que tu és e, já todos nós sabemos. E queres saber e, é aquilo que tu és, e, és um gay e, és tu e, aquele maldito, daquele macarrão. E ouve lá bem e, é isso tudo e, que tu estás e, é para ai a dizer. E porque aquele homem é o meu melhor amigo e, quando eu preciso e, é de um ombro amigo e, é aquele homem que me o dá. E ele deve-te dar o ombro e, também deve ser e, é mais alguma coisa ó Josué. E lá estão e, são vocês e, são e, é todos e, é com a mesma conversa. E é como se costuma dizer e, volta o disco e, toca o mesmo. Mas ouve e, é lá bem e, és tu e, quando a conversa não te agrada, ou quando se fala e, é a verdade e, todas as pessoas dão e, é a ver e, é logo e, é aquilo e, que elas são. E tu estas a dar e, é a ver e, é tudo aquilo que tu és e, que és e, é mesmo e, um homem muito mau ó Josué. E se ele um dia te bater e, é os pés dele e, foi como ele já te fez e, tu nem sabes bem e, é aonde te deves e, é de meter. E tu e, a tuas mulher e, vocês os dois e, enganavam e, era á gente todos e, com todas as vossas conversas. Mas ele agora esta escrevendo e, é mesmo toda a verdade e, é daquilo tudo que vocês lhe fazem. E é por isso que vocês o querem ver morto. E é porque vocês passam a vida e, é a desejar a morte ao homem e, já não basta e, é vocês e, andarem e, é a Fazer-lhe mal. E se não e, ainda por cima e, vocês e, andarem e, é a desejarem-lhe e, é a sua própria morte e, isso não se faz e, é a ninguém ó Josué. Mas eu e agora e, já estou e, é mesmo e, é ficando e, é muito desiludido. Mas não é por quem e, já eu estou ou por quem eu sou e, é atendido ou até correspondido e, é em todas as minhas grandes aflições. Mas todas essas pessoas que me tem ofendido e, elas são e, é mesmo pessoas e, de muito má porte. E algumas delas e, até querem e, é que eu ande e, é a galope e, é a dá-lhe de trote. Ou então é de eu estar e, é a espeta-lhe e, é a todo o meu garrote. E anda cá ó fadista do Alentejo e, que eu e, já passei e, foi de muita margem e, foi de margem em margem. Mas fim dar e foi sempre á mesma margem e apesar e é de haver ai e, é mesmo muita sacanagem. E já chegou e, foi, a hora e, foi de haver e, foi o fado dos trinta e um. Mas como eu sou um homem e, que já passei e, foi um pouco de muita coisa e, algumas delas e, até serem prejudiciais e, era para mim mesmo e, também para outras pessoas e, sem elas serem e, nem vistas e, nem achadas. Mas já existe e, é ai mesmo e, é já muita gente e, é já e, é encaixadas no galho daquele maltês e prego e, é um peio e, mato e, é aqueles três malteses que se metam e, é á minha frente. E quando elas comem e, bebem e, até dizem elas e, é até que elas possam e, é sem haver e, é algum impedimento desnorteado. E tudo aquilo que eu quero e, é que vá e, é mesmo tudo e, é para um grande laboratório. E sem ser e, em algum auditório. E está e, é mesmo e, é na minha hora e, é de eu me ir embora e, de meu amor e, sem eu lhe ter e, é algum parentesco. E ai meu deus e, que eu e, já estou sendo e, é mesmo muito massacrado e, enxovalhado e, depois de tanto eu o ter e, foi amaldiçoado. E também já chegou e, foi a hora e foi de toda a gente me ir e, é encarando e, é aquele mal que eu lhe tenho feito. E até são e, são aquelas pessoas todas, em quem eu mais confiava. E a Francisca do Alberto e, uma vez disse-me e, foi a mim mesmo e, então o que é que tu querias e, tu pusestes lá em casa aquele bicho e, agora e o que é que tu querias. E agora e, o que tu já ganhas-te e, foi cá um par e, foi deles e, que até e, quando tu entras e, é em tua própria casa e, aquilo que tu deves fazer e, é teres de entrar e, é mesmo de lado e, se não tu e, aquilo que fazes e, é riscares e, é às ombreiras das tuas portas. Mas aquele homem e, até parece mesmo e, que eu o estou e, é vendo e, era quando ele trabalhava lá na dance teria. E o que devia haver e era lá na dance teria e, era mesmo muita vacaria e, ele devia ter feito lá e, foi uma grande leitaria. Mas agora e, já não é só na dance teria e, também já me calhou e, foi a mim e, havia ai tantos e, teve que me calhar e, foi logo a mim mesmo. E havia ai tantos cabrões e, agora é só mais um e, também e, teve-me e, foi que calhar e, logo a mim e, numa altura destas do campeonato. E o que é que eu lhe fiz a si ó deus. E é para eu ter tido tanta sorte na minha vida e, foi em eu ter perdido o meu pai e, a minha mãe e, se isso já não bastava meu deus. E se não e, ainda em ter e, foi um par deles e, logo na minha cabeça e, já me nasceram e, foi tantos negócios na minha cabeça. Mas agora um par de chifres e, é que eu não estava e, era nada mesmo á espera. E agora como é que eu vou entrar e, é nas minhas ombreiras das minhas portas. E se eu não entrar de lado e, vou ter e, é que entrar e, é de frente e, isso é com toda a minha certeza e, que as vou e, é riscar e, é às ombreiras das portas. E o que é que eu vou fazer á minha vida. Ó meu são Cipriano e, meu santo sagrado, ó meu são Bartolomeu me falham e, que desde agora e, ninguém mais me vale nada. Mas agora tu ó minha cara de parvo e, que é aquela a que tu tens e, o que é que tu querias mesmo e, era seres e, era um homem e, mesmo muito esperto. E tu ó meu grande cabrão e, tu usaste e abusaste comigo e, foi a tua vida toda e, foi de mim e, dos meus pais e, era por isso e, é que tu te fazias meu amigo. E tudo aquilo que tu és e, é um homem e, sem teres e, é alguma consciência e, do que é saber dar e Receber amor verdadeiro. E porque quando se ama alguém de verdade e, não se vive e, é para mais ninguém. E não se vive e, é a ser e, é para quem se ama de verdade. E todas as pessoas e, elas também já sabem e, que eu e, em primeiro lugar na minha vida e, que eu deixei e, foi de viver e, foi as vossas doutrinas e, quer elas sejam politicas ou religiosas. E foi para eu viver para o meu amor-próprio e, que foi também para eu poder vir a amar a deus e, é como eu me amo e, é a mim mesmo. E sem eu ter que ter e, era alguma responsabilidade assumida e, com quem quer que seja. Mas todas as pessoas e, elas também e, já o sabem e, é hoje em dia e, no meu presente e, se eu algum dia e, se eu tiver que falhar na minha palavra ou nas minhas acções. E é porque e, isso de eu falhar e, que não depende e, é só de mim mesmo. E no antigamente e, todas as pessoas gozavam e, era comigo e, foi quando eu fui dizer á mana do António Manuel nascimento e, que eu a amava de verdade. E que ia fazer e, era tudo aquilo, que eu tinha visto, nas minhas aparições. E todas as pessoas me diziam. Mas só tu é, e que viste e, alguém vai acreditar num mentiroso ou num toxicodependente. Mas eu e, hoje em dia e, eu dou e, é graças a deus. E porque foi deus, que me tem ido libertando e, que tem sido e, é aos poucos e, é de todo o mau caminho que eu vivi ou que eu estava e, era vivendo. E deus e, é que me tem e, é ensinado e, é a todo o bom caminho. E como é que eu adi fazer e, que é para eu pode ir e, é eliminando e, é ao mal e, é pela sua própria raiz. E ainda hoje e, o neves fugiu e, foi de mim e, foi nas ruas de Viana e, seria porquê. E ele ainda dizia então. Mas ele não fez e, foi nada daquilo que a gente queria que ele fizesse. Mas mesmo agora eu fiz e, foi aquilo que eles queriam e, foi de eu me sentar e, foi na minha própria casa de banho e, de eu fazer e, era tudo aquilo que eles queriam que eu fizesse. Mas como é que todas essas pessoas e, elas conseguem ter e, é alguma felicidade e, é andando elas e, é a fazer mal e, a praticar más acções perante quem sabe e, é tudo aquilo que ele quer para ele mesmo. E ainda hoje e, aquele pão sem sal do Adriano e, que ele, está e, é mais morto do que vivo. E ele próprio e, consegue andar atrás de mim e, é fazer me mal. E não será e, que é aquilo que ele é, um triste em vida. E ai daquele homem e, que embrenhe e, é pelos ouvidos de uma mulher e, é um homem e, sem ter e, é alguma determinação ou alguma qualidade de vida de bem. E tudo aquilo que ele vive e, é em ilusões e, ambições e, em pregações da falsa palavra e, que provem a mentira. E é tudo isso e, que todas essas pessoas que vivem na mentira e, elas são e, é também e, todas elas e, aquelas pessoas que vivem nas ilusões e, que é disto ou daquilo umas grandes mentirosas. E haverá alguém dessas pessoas e, que vivam na mentira e, quer seja disto ou daquilo e, que sejam felizes. E eu falo e, é por mim mesmo e, quando eu minto e, eu fico e, é mesmo muito triste. E porque é que tive que mentir e, sem haver alguma necessidade de o fazer. E é também e, porque eu também sou mentiroso por minha própria conveniência. E quando minto e, eu agora ou mais logo e, eu arrependo-me e, é porque é que tive e, foi que mentir. E quando se esta a mentir e, também se esta e, é praticando o mal e, é também com nós próprios e, quanto mais com as outras pessoas que são umas charlatãs e, que usam as palavras como um jogo sujo ou perdido. E sem elas terem e, é alguma boa imaginação de bem, mas as imaginações do mal e, essas estão lhe e, é sempre bem presentes e, é dentro delas. E elas muitas das vezes nem se apercebem e, é bem e, é o mal que possam estar causando e, é para elas próprias. E eu digo e, é mesmo e, muitas vezes e, é á minha própria mãe. E porque é que ela não dá e, é a língua dela e, é aos porcos. E porque assim e, já toda a gente sabia e, que ela tinha e, era uma língua mesmo muito porca em palavreado. E quanto mais e, é todas essas pessoas devotas e, que muitas das vezes elas vivem e, é num silencio absoluto. Mas aquilo que elas tem e, é por dentro delas e, é uma ruindade e, que é do pior que possa existir na fase da terra. E elas e até são e, é capazes e, é de dar fala e, é a quem, não a tem. E de elas dizerem e, é tudo e mais alguma coisa e, é de quem esteja e, é a viver o seu próprio mundo. E com uma grande fé e, absoluta, em um único deus e, vivente e, subsistente e, que é perante todo o ser humano vivente. Mas sem ele ser e, é de nada absorvente e, é de quem esteja e, é num mau caminho e, desnorteado e, sem terem alguma definição do que é o bem ou do que é o mal. E eu mesmo e, já caminhei e, foi tantas vezes e, nesse mau caminho. E eu chegou uma altura e, que eu mesmo me arrependi e, foi de todo esse mau caminho e, desnorteado e, sem terem algumas soluções e, tanto faz para isto ou como para aquilo. E será que todas essas pessoas e, elas nunca se irão arrepender e, é de elas mesma e, é de elas andarem e, é a fazerem mal a outras pessoas inocentes. E sem elas serem e, é nem vistas e, nem achadas e, é no mal que todas essas pessoas provocam entre si mesmas. E eu uma vez e, ouvi esta frase e, foi á Ana Maria a mulher do Isa urino e, que é a filha do senhor Joaquim batalha. E que todas as beatas e, aquilo que elas eram e, eram umas grandes feiticeiras e, que ela estava e, era desconfiada e, que todas elas andavam e, era a dar ao ânus e, era com o padre ou então com o António Maria. Ai meu deus e o que é que nós estamos e, é fazendo de mal e, é aquele homem. E se eu foi livre no meu nascer e, se eu e, também posso ser livre no meu morrer. E porque é que eu não posso e, é seguir a minha própria fé. Ou eu terei e, é que acreditar e, é naquilo que todas essas pessoas fanáticas acreditam. Mas só que o mal de todas essas pessoas devotas e, não vou ser eu próprio a carrega lho. Mas sim e vão ter que ser e, é elas mesmas e, é a carrega lho e, deus e é que está cá e, é para nos julgar e, é a todos nós e, quer seja a mim ou também e, como a todas essas pessoas devotas. Mas o mal dessas pessoas devotas e, não deve ser e, é esse. Mas sim e, é e que todas elas devem e, é ter e, é muitos segredos ou mistérios e, deve ser e, é com este ou com aquele. Mas como todas essas pessoas e, elas são e, é mesmo muito simpáticas. Mas elas são simpáticas e, é mesmo com elas próprias. E porque não existe ninguém simpático e, sem ter também antipatia. E é por isso e que deus dá muito valor e, é a quem saiba e, que também venha e, é a decifrar a simpatia e, a antipatia. Mas sem terem e, é que vir e, é a marrarem e, é com todos os outros e, aonde esteja tudo no seu bom lugar. Mas tanto que eu tenho e, é caminhado e, tem sido e, em varias estradas e, em algumas estradas boas e, outras e, são aquelas e, por onde toda a gente caminha. E umas são de pedras duras e, outras de pedras mole e, outras de predico e, numas eu caminho e, é com muito mais vontade de caminhar e, outras eu tenho e, é muito menos vontade e, é de eu caminhar e, nem devagar e, que muitas vezes me dá e, é vontade e, é de tudo aquilo que eu cá sei. E nalgumas tenho e, é aonde e, eu me pode vir e, é segurar. Mas anda e, é mesmo e, é ai e, muita gente e, são e, é mesmo enganadas e, é no decifrar de onde devem e, é caminhar. E até dos seus próprios apelidos e, eles nuns tem nomes próprios e, não lhe os chamam. E a outros ou a outras e, os seus nomes próprios e, que foram posto e, por quem e, os seus pais convidaram e, que são os seus padrinhos e, que era para lhe os porem e, para lhe os poderem chamar. Mas como as pessoas e, todas elas e, são tão simpáticas e, que e lhe puseram e, foi na sua própria cabeça o apelido. Mas ai e, que te puseram e, foi e, esse teu nome e, que é tão esquisito e, que é tão difícil de nós o podermos dizer. E que nós agora e, vamos-te, mas é chamar e, é aquilo que nós queremos e, bem lhe apetecemos e, vamos-te chamar. Mas é outro nome e, uns são e, é os picanhas e, outros são e, é os pica miolos e, outros são e, é os gatos e outros são e, é os lobos. E eles dizem e, que os lobos actuam e, é sempre em alcateia. Mas se um dia e, um corujo entra nessa alcateia e até lhe devora e, é a sua própria carne. Mas quando eu hoje e, eu vi e, foi uma grande mulher e, que é dessa alcateia dos lobos. Ó Maria Isabel e, eu estou cá com uma vontade e, que é de eu te ver e, é á cor das tuas cuecas. Ou tu não usas cuecas, mas tu Maria Isabel e, tu não me queres dizer e, de qual cor e, São mesmo as tuas cuecas. Mas aquilo e, que eu gostava e, era mesmo ó Maria Isabel e, era mesmo e, muito e, era de fazer amor contigo. Mas era mesmo e, era e, sem tu teres e, era as tuas cuecas e, se tu quisesse e, era e, já mesmo e, era agora e, também não havia e, era necessidade e, era de mim te as ter e, era que te as estar e, era a tirar e, era as cuecas. Ou tu não queres fazer amor comigo e, cá para mim e, é em qualquer lugar. E tanto me faz e, é a mim e, tanto seja por cima ou seja por baixo e, é desde que tu não me deixes e, é ficar desiludido Maria Isabel. Mas tudo isto e, tem sido e, é depois e, de ti tanto e, me teres e, é oprimido ó Maria Isabel. E ainda e, muito mais e, tu me tens e, é ofendido. E até á e, quem o diga e, que eu sou um cara e, que aquilo que eu sou e, é mesmo muito atrevido. Mas tu e, também e, já sabes e, é que eu tenho e, é a fama e, até na beira e, cá para e, nem á eira e, nem beira ó Maria Isabel. Mas de tudo isso que tu estas pensando e, é agora Maria Isabel e, se tu queres tirar e, é todas essas duvidas. E eu e só te posso e, é fazer e, é mesmo uma coisa, Maria Isabel e, que é de eu te tirar e, é a todas as tuas duvidas que tu tens e, é a meu respeito sexual. Ou tu queres-me fazer a mim e, é o mesmo que esta escrita e, é nas passagens bíblicas. E isso tudo para ti e, é mesmo e, é uma passagem na vida. Mas tu é que não queres e, é nada das leis de deus Maria Isabel. E o que são os dez mandamento para ti e, com todas leis de deus ó Maria Isabel. Mas tu agora e, eu ainda te vou ser e, é um pouco mais atrevido e, é contigo Maria Isabel. E tu não queres e, é mesmo vires ter comigo e, que é para te poderes vires e é comigo e, é na minha cama Maria Isabel. E quando eu te vi hoje e, vou ser e, é mesmo muito sincero contigo Maria Isabel. E apeteceu-me e, foi mesmo e, cá uma vontade e, foi de eu te abrir e, era as tuas belas pernas Maria Isabel. E depois de nós se virmos e, era os dois e, que era para te poderes e, era sorrir Maria Isabel. Mas uma coisa e, eu te vou dizer e, eu não te garanto e, é quando nós os dois e, se estivermos e, é os dois a virmos-me e, que não aja e, é ninguém e, é a estar-nos e, é a vermos. Mas a ouvir-nos e, é um caso e, que só tu o podes vir e, é a dizer Maria Isabel. Mas tu queres ou não mesmo e, é fazer amor comigo e, é já neste momento e, neste instante e, neste local. Mas eu e, também e, muito eu caminhei e, foi em muitos bons ou maus locais. E em uns e, até foi sempre e, um homem e muito bem-vindo e, noutros nem por isso. Mas na minha própria terra e, eu tenho e, é sido e, é mesmo muito atraiçoado e, discriminado e, se eles pudessem e, eu já estava e, era mesmo todo minado. Mas mesmo assim e, eu ainda quero e, é ir e, é contigo para a cama, Maria Isabel. E depois de tanto tu e, me teres e, é mesmo e, muito amaldiçoado e, sem eu ter culpa alguma Maria Isabel. E è de todos os seus actos praticados e, quer os teus e, como todos os actos da tua família toda. E se vocês fizerem e, é sempre o bem e, é a todas as pessoas e, isto é com toda a minha certeza. E que nunca ninguém lhe irá cobrar e, é mesmo nada dos seus maus actos. Mas quando se anda e, é no mau caminho e, que tem sido e, é o vosso mau caminho e, tem que ser vocês a pagar e, é por o seu próprio mal. E o seu próprio mal e, é mesmo este Maria Isabel. E tu e a tua família toda e, vocês não querem o mal para vocês. Mas depois e, tanto faz tu e, como toda a tua família e, andam a fazer mal e, é a mim mesmo e, também a outras pessoas inocentes e, que nem sequer elas e, são vistas ou achadas para tal vosso acto Maria Isabel. Mas tu hoje e, filha tu és e, amanhã e, tu mãe e, poderás vir a ser. E é dessa tua forma de vida e, que se apregoa e, é a palavra de deus. E é de tu andares e, é a fazer mal e, é a outros seres humanos e, que também tem e, é a todas as mesmas necessidades, do que tu tens Maria Isabel. E que é para elas e, poderem e, é viverem e, é em amor e paz e, é nas nossas vidas ou nas vidas de outras pessoas com outras crenças diferentes da tua Maria Isabel. E não é só as nossas tradições ou as tuas tradições e, que interessam e, que é para outros seres humanos e, que não creiam e, é em tudo aquilo que tu crês Maria Isabel. Mas sim e em primeiro lugar na vida de qualquer ser humanos e, esta e, é ter toda a sua tranquilidade. E que é, de se viver e, é de consciência tranquila e, que tem que ser com ele e, como com qualquer um ser humano e, não interessa a cor ou a raça ou a religião. E aquilo e, que não devemos e, é absolutamente nada e, é a outro ser humano. Mas sim e, tudo aquilo que devemos e, é a deus. Mas ao próximo e, também e, todos nós e, também lhe temos divida. E agora e, olha bem Maria Isabel, eu quando era um alcoólico ou um drogado e, eu só aquilo que eu fazia e, era mesmo medra. E sabes porquê. E porque eu também vivia as vossas tradições e, era também um irresponsável e, era por certas e determinadas atitudes que eu tinha e, que não eram de nada correctas para com outros seres humanos como eu. E porque e, eu também fui ensinado e, foi a viver e, como tu vives e, como todos os outros viviam ou vivem. E eu nessa altura da minha vida e, eu nunca soube e, o que era a felicidade e, o que era ser feliz. Mas depois e, de eu ser dado e, tratado como um maluco no meio de vós. E tu sabes e, que eu a partir dai e, consegui encontrar um bocadinho da minha felicidade. Mas tu também sabes e, porque é que eu e, tenho a fama de maluco. E é por eu não ir e, é nas vossas cantigas e, que é. E é de eu seguir e, é a todo o caminho da verdade e de deus. E sem haver verdade e, nunca ninguém vai conseguir e, é chegar e, é ao caminho de deus. E se existem pessoas que tenham amor de verdade e, é á sua própria vida e, eu sou um deles. E a viver e, é a tudo aquilo que vocês vivem e, diz-me lá tu Maria Isabel, és uma mulher feliz ou realizada como mulher e, sem tu estares a viver o amor de verdade e o bem. E agora é sincera e, é como eu e, estou sendo e, é contigo. E se tu soubesses e, era todo aquele de mal e, que te faziam a ti. E tu ainda quererias ir com essa pessoa para a cama. Ou o que é tu fazia Maria Isabel. Ou tu e, vingavas-te e, era nessa pessoa. Mas ouve agora e, é a isso tudo mesmo e, que tu e, todos os teus familiares e, me tem feito e, é a mim e, sem eu ter culpa alguma do vosso próprio mal Maria Isabel. E agora e ouve e é mesmo muito bem, e é a tudo isto que eu te vou dizer. E que é e, quando eu saio e, é da minha própria terra e, seja para aquela terra que eu for. E eu lá e, sinto-me um homem respeitado pelas outras pessoas em geral. Mas na minha terra e, sabes aquilo que eu sinto e, é dentro de mim mesmo. Sinto-me e, é apunhalado e, é por as minhas próprias costas. E sabes e porque ou o porquê de tudo isso. E é só por eu saber dizer e, que é e, tudo aquilo que eu quero para mim e, tudo aquilo que eu não quero para mim e, que também e, que não o quero e, é para mais ninguém Maria Isabel. E é também eu saber dizer e, é o sim e, é quando eu o tenho que dizer. Mas também saber dizer e, é o não e, é quando eu o tenho que dizer. E seja lá a quem for Maria Isabel e, vê lá bem e é a tudo aquilo e, que tu não queiras para ti e, que tu também e, não o queiras e, é para mais ninguém. Se não tu nunca vás chegar e, é á tua própria justiça e, que é de tu saberes amar e respeitar e, é a quem te respeita de verdade e, tanto faz a ti e, como a toda a tua família. E tu sabes e, se eu hoje em dia e, eu não fosse um homem justo e, é perante toda a minha palavra dada a deus. E eu se calhar já tinha e era posto um grande par deles e, se calhar era a alguns dos teus familiares queridos Maria Isabel. E sem de nada eu vir e, era a ocultar a verdade. E vê e, é lá e, mesmo muito bem. E que eu não tenho e, é as habilitações literárias, do que tu tens. Mas eu e, já comi e, foi pão amassado e, foi por o vosso próprio diabo Maria Isabel. E porque São vocês e, que criam e, é todas essas vossas ilusões e, disto ou daquilo. Mas amar de verdade e, tem que se saber e, é estar e, é em todo o nosso lugar. E porque quando eu falo no nosso lugar. E é porque e, aonde eu não me sinto bem e, é para comigo mesmo e, eu não vou ou não estou lá dentro. E agora e, tu já percebeste e, é a tudo aquilo que eu te tenho estado a dizer. E o que é o amar de verdade e, amar de verdade e, não é só sexo e, nem é só ter-se prazer sexual e, nem só ter-se dinheiro e, com abundância. E porque tu isso vem da maldita da vossa ganância. E se vocês pudessem e, só vocês é que comiam. E se tu queres saber e, é tudo aquilo que um homem pobre e, tudo aquilo que ele tem. E que é também e, para te poder dar e, tu tens que vir e, é ter e, é cá ao mesmo lugar. E tu e também sabes e, é às horas e, é que tu te tens e, é que te vir e, é no mesmo lugar e, que é para te poderes voltar e, é a vires-te e, que é para te poderes voltar e, é a sorrir e, sem ninguém e, te poder e, é oprimir Maria Isabel. Mas como eu e, já passei e, foi tanta desilusões e, que tem sido em toda a minha vida e, que tem sido prejudicados, principalmente por outros seres humanos irracionais. E aquele teu primo ou aqueles teus dois primos e, já não estou eu e, é contando e, é com o teu rico namorado. E que o teu namorado e, ele deve ter e, é um pouco de tudo de mal. Mas ele e, também me parece a mim, ó Maria Isabel e, que ele nas tuas mãos e, é um burrinho das laranjas. Mas quando eu te disse e que ele o que devia ter e, era um picadinho de tudo de mal e, é porque e, de bem e, tu também não o tens. E como é que tu e, podes vir e, é por bem e, é ter comigo ó Maria Isabel. Mas hoje a tua futura tia e, ela estava e, era como sempre e, era a ler me e, era o vosso tal livro misterioso. Mas se ela não é tua tia e, é porque. Vais deixar o teu namorado e, que é o tal burrinho das laranjas e que aguenta e, é aquilo que eu e, tu sabemos e, vamos ficar e, é os dois no silencio. Mas se tu e, o fosses deixar e, era ao teu namorado e, até poderia ser e, que eu um dia e, era se tu quisesses e, era seres e, era minha querida namorada. E sem nós sermos e, era só amantes e, era um pouco mais de estimulante e, até eu podia a vir a ser e, era um grande galante. Mas eu agora vou-te fazer esta minha confissão minha querida e, é quando eu estou e, é com o meu pénis e, é todo erecto e, só aquilo que eu estou pensando e, é mesmo em ti ó minha querida Maria Isabel e. E tu e também tens e, é um nome e, que me fazes lembrar e, é daquilo de que tanto eu gosto. E que é de mel e, até de agua mel, mas haverá alguém que mexa no mel e, que nunca irá e, é lamber e, é aos seus próprios dedos. E eu vou ser e, é mesmo muito mais sincero e, é contigo minha linda e, minha querida. Mas se eu viesse e, era a mexer no mel e, eu também tinha e, era que lamber e, era aos meus próprios dedos. Mas tu e, às vezes e, também deves ter e, é seis dedos e, é nas tuas mãos. E quando tu contares os seis dedos nas tuas mãos e, alguma coisa não pode estar certa e, o que é tu lhe fazes a seguir ó Maria Isabel. E vás Meter e, é aonde e, é ao sexto dedo e, é entre as tuas belas pernas e, apertadas. Mas então e, se queres e, é vir e, é agora e, é abrires e, é agora mesmo e, é às tuas belas pernas e, é só para mim. E se tu vires bem e, também adies ver e, que nesta altura do campeonato e, que eu também e, aquilo que eu não uso e, são as meias e, nem agora e nem nunca. E se eu algum dia tiver alguém e, é como minha namorada e, ela vai ter que me ser e, é fiel. E se ela estiver e, é aborrecida de mim e, ela e, só tem e, é mesmo uma coisa a fazer. E é e, se ela está mal e, vai e, é que se ter e, é que mudar-se e, é para bem ou para quem lhe possa dar e, é tudo aquilo e, que eu não lhe possa dar e, que é, de ela ter descanso e, é entre as suas próprias pernas. E que deus me dê força e coragem e, a mim e, ao meu companheiro e, que eu o uso e, sem ser preciso e, é de haver algum dinheiro. Mas também e, ainda não existiu e, até á data de hoje e foi mulher que me mete-se medo. Mas ai e, a juíza e, é quando eu me tenho e, é sentado e, que tem sido e, é no banco do réu. E ela tem me dado e, é a toda a sua sentença e, eu e até lhe pedia e, era com toda a sua licença e, mais a sua penitencia ou abstinência e, ai aquele bar o tendências. Mas com esta conversa toda agora e, fez-me lembrar e, era aquela anedota e, que era o cigano e, mais a sua cigana e, eles estavam os dois zangados e, era um com o outro. Mas estavam os dois deitados e, era um como o outro. Mas durante a noite fria da atmosfera e eles começaram e, foi a encostarem-se e, foi a um ao outro. E a cigana sentiu o pénis do cigano erecto. E disse ao cigano e, ai cigano ouve lá ó meu marido e, tu agora e, vais deixar vir e, é a quem ai vem. E que Não é ele que tem culpa alguma. Mas quem tem a culpa e, é você e, que tem toda essa culpa e, que é no cartório. E existe e, é ai e, é mesmo e, é muito má gente e, com grandes culpas e, é no seu próprio cartório. E os teus ricos primos dizem sermões e, que até me parecem e, é aquilo e, é quando alguém está e, é no cartório. Mas em tudo na minha vida e, eu e, sempre agi e, foi sempre e, era de graça. E sem ele ter e, é alguma graça e, ele faz e, é mesmo alguma coisa de graça ou alguma coisa por alguém. E tudo aquilo que ele é mesmo e, é um homem e, sem ter e, é algum perdão. E tu sabes Maria Isabel e, que toda a tua família e, todos eles dizem e, que eu sou e, é um homem e, sem ter e, é perdão algum. Mas eu agora e, vou-te dizer e, é mesmo só a ti e, a mais ninguém precisa e, é de saber e, é de nada disto que eu te vou dizer. Mas tu vens ter comigo e, é agora na hora de almoço ou não. E tu sabes e, foi ontem agora de manhã e, eu vi lá em cima o teu pai. E eu pensava que eras tu e, o meu pénis ficou logo nesse instante e, foi a querer e, era a entrar e, era por ti a dentro. Mas quando nós tivermos a fazer amor e, nunca digas e, é a esta frase. E que é para eu me despachar e, tu também sabes e, que eu sou um alentejano de ginjeira. E então e, é por isso e, que tu e, ainda não tens ninguém. E tu sabes e, é porque eu faço e, é tudo nas minhas calmas. E é assim o tipo e, é do tio Manuel carreta e, é como ele dizia e, quantas carradas carregam hoje os carreiros e, é até á hora do almoço. Mas se tu quiseres e, é fazer amor comigo e, é com toda a minha certeza e, que é, e é até eu poder dizer. E é ai meu deus e, que eu já me vim e sem ter alguém e, era a poder dizer e, aonde é que eu vou e, é ter e, que é para eu te poder e, é espremer e, sem ter que ouvir e, é ai meu amor e, que eu estou e, é a sofrer. Mas todas as pessoas e, que são e, é da tua família Maria Isabel. E todas elas e não sabem ou elas não querem e, é mesmo saber e, é de tudo aquilo que vocês me tem feito ou me fazem. E tudo na vida para vocês e, em havendo dinheiro e álcool e droga com fartura e já vocês tem e, é o vosso próprio orgulho. Ai mas tu nem se queres e, tu consomes ou droga ou álcool mas fazes-me mal e, é constantemente. Mas a tua prima Susana e, mais o querido do marido dela e, eles são e, é mesmo, duas pessoas e, que são e, é mesmo, muito bem exemplares em toda a sociedade. E ela até tem a honra e, é de dar catequese e, é às crianças inocentes. E como é que todas essas crianças e, a quem ela está dando catequese e, elas podem vir a ter um bom comportamento e, cívico em toda a sociedade. Mas a tua prima Susana neves e, ela e ainda consegue e, é de ter a sua própria coragem e, é de ela mesma dizer. E que eu e, é que sou e, é um zarolho e, que sou eu e, é que vivo em fanatismo absurdos disto ou daquilo que não existe. Mas tudo aquilo e, que eu peço a deus e, é só isto. E se sou eu e, que estou errado e, é no meu comportamento ou no meu caminho de lealdade e verdade. E que deus me dê e, é todo o seu justo castigo. Mas também e, se sou eu e, se estou certo e, é em todo o meu caminho actual e, só peço e, é isto que eu peço e, é a deus. E que deus venha e, é a ser justo e, é no peso e na medida e, que não venha e, é a pagar, o justo pelo pecador. E se eu e, não teve-se e, era toda a certeza e, era de tudo aquilo, que eu lhe tenho escrito e, que tem sido e, é para todo o ser humano e, todos eles saberem e, como é a comunidade fanática e religiosa e politica da minha própria aldeia. E se eu e, tiver errado e, é com algum inocente e, eu peço-lhe e, é todo o meu perdão e, que deus me perdoe desse tal acto incorrecto da minha parte. Mas agora e, isto e, toda a humanidade e, vai e, é que o ter e, é que vir a saber ou mais cedo ou mais tarde. E que são e, é todas aquelas pessoas daquela tua família querida. E que são e, é todos vocês que me andam a fazer mal e, sem sequer eu e, olhar e, é para vocês. E tudo aquilo que vocês são e, é aquilo que eu cá sei e deus também o sabe. E é de tudo aquilo que vocês fazem e, é durante o dia e, durante a noite. E é assim e, é que são as pessoas boas e, que tem e, é exemplos de sobra e, é na vossa família e, é de tudo aquilo que vocês são. Ou é mais fácil e, é a vocês todos e, verem e, é os alqueires nos olhos dos outros do que a própria trave e, que vocês tem e, é nos vossos próprios olhos. E se eu já tive algumas grandes desilusões na minha vida. Mas foi e, é com toda a minha certeza e, é com toda a família da senhora, cândida loba. Ou essa senhora e, ela não é tua pura e santíssima e, santa mãe. Mas é e, de ela andar e, é a fazer me mal e, é a mim e, também a outras pessoas inocentes e, que nem se quer são vistas ou achadas para o caso. E isso de vocês todos e, é mesmo um nível e, que é mesmo muito baixo e, que é de toda a vossa família. E sem vocês olharem e, é para os seus próprios exemplos ou não tem e, é espelhos da vossa família. E è se não tivessem espelhos e, alguns de vocês e, já os poderiam e, era de os ter partido e, era com as vossas próprias cabeças. E é mesmo e, é muito triste e, é todas essas pessoas fanáticas ou egoístas ou gananciosas e, se vocês pudessem e, era só vocês e, é que comiam e, mais ninguém e, comia e, era nada. E vocês quererem ser e, é tudo aquilo e, que vocês e, que não o são pessoas democratas, ou sociáveis e, que é para viverem e, é em democracia. Mas existe e, é alguém da tua família e, que diz e, aquilo que eu não quero e, é mesmo nada e, é da família gay. Mas eu sou um homem e, que vive e, é em democracia e, que dou e, é a graça a deus e, que é por eu saber e, o que é viver em democracia. Mas será e, que é e, porque é e, que essa pessoa da tua família e, ele diz isso e, será que ele é aquilo que me está passando e, é agora mesmo, por a minha cabeça, mas é a respeito e, é daquilo que ele é ou que deve ser e, é ainda e, um bocadinho e, é muito mais e, é daquilo que eu estou escrevendo ou que eu já escrevi. E ele fala e, quer meditar e, é comigo e, depois então ó meu são Cipriano e, me amarra e, é aquele maldito e, só se eu e, não poder e, é que eu não lhe faço e, é a folha. Mas tudo aquilo que ele vive e, é tudo menos em paz e, em amor. Mas sim aquilo que ele vive e, é na maldade e, que é assim também e, que vive e, é toda a tua família Maria Isabel. Mas hoje eu e, nem sei e, é bem aquilo que eu vou comer e, nem sei bem e, é aquilo que a minha mãe me vai dar para o meu jantar ou se é um pitéu de galinha ou se é gancha de galinha. Mas ai e que ela e, também tem e, é um nome e, que é tão bonito e, que é quanto ela é. Mas isto é e, com toda a minha sinceridade e, é quando eu a vejo e, só aquilo que eu me apetece fazer e, é tirar-lhe e, é aquele fio dental que ela costuma usar. Mas existem e, é muitas e, que devem ser e, é mesmo porcas e, é porque eu nunca teve essa ousadia e, foi de ver elas mudarem e, era aquilo que elas usam ou usavam e, foi de chegar a saber e, se elas usavam fio dental ou se usam tanga ou se usam cuecas. Mas também e, não é para eu tirar e, é a carne de galinha dos meus dentes. Mas toda a tua família e, um dia e, ainda irão e, é ter e, é uma grande dor e, que é muito maior e, do que é aquela que vocês me tem causado e, tanto faz no presente ou como no passado. E apesar de tudo e, não existe e, é mesmo ninguém e, que possa hoje em dia e, vir a dizer e, que eu ando e, é á procura de mulher comprometida. E porque eu hoje em dia e, com toda a graça do meu deus e, que para mim deus é verdadeiro. E deus teve e, foi toda a sua honra e, foi de me guardar e, de me entregar nos meus braços e, foi logo, a mais linda de todas as mulheres que eu e, alguma vez e, os meus olhos já viram. E tanto aquela mulher e, ela tem de beleza no exterior e, como beleza no seu próprio interior. E ela também teve e, foi a honra dela e, até ao momento de hoje dela e, de ser eu mesmo e, foi a conhecer e, a todo o seu interior. E até o filho e, de um ex. pastor e, é que teve essa honra e, sem alguém alguma vez poder vir a duvidar e, tanto da palavra dele e, como da palavra dela. Mas ai e, na tua família e, o que não faltam e, é mesmo ai e, muitos impostores e, caluniadores. Mas sem eu ter e, é mesmo alguma excitação e, é de eu e, vir a guardar e, é a algumas das suas maldades. Mas sim e tudo aquilo que eu sigo e, que eu quero seguir e, é a todo o caminho da verdade e, da paz e do amor. E sem ser assim e, é mesmo impossível e, é haver alguém e, a chegar e, é ao caminho de deus. E é assim e, como eu digo e, é mesmo muitas vezes e, é á minha mãe. e quem não pede amor e paz a deus e, alguma vez, poderá ter saúde ou ser perdoado e, é por quem cá nos pôs e, que foi a todos. Mas em toda a tua família Manuel José e, não vivem e, nem pensam em amor e paz. Mas vocês e, dizem e, que eu é que sou um fanático e, que eu só vejo e, é a minha parte e, aquilo que me interessa a mim. E Não sendo essa a pura da verdade da vossa família Manuel José. E se houver algum ser humano hoje em dia e, que queira ser justo á face da terra e, eu sou ou quero ser um deles. E isto é que é, mesmo a pura da verdade. E se tu Manuel José e, se tu pensas e, que eu José Manuel corujo e, que eu tenho algum medo de ti ou de algum ser humano de homem que exista á face da terra. E tu estas e, é mesmo muito enganado ou outro homem qualquer e, que pense dessa forma. Mas tu podes ter e, é mesmo toda a minha certeza e, que tu e, estas e é mesmo e, muito enganado e, é em toda a tua forma de vida. E na tua forma de pensar e, tu pensas e, é desta forma Manuel José. Mas cá para mim e, tu não tens cabeça alguma e, eu é que tenho e, não é assim que tu pensas Manuel José. Mas é toda a tua arrogância e, que não te deixa ver e, é a verdade. E aonde existe a verdade e, existe também o bem e, a razão Manuel José. Mas tu e, alguma vez e, tu já aceitaste algum ser humano humilde Manuel José. Mas tu e, também devias ter e, era mesmo e, muita humildade ó Manuel José. Mas só se for e, é no teu ânus ó Manuel José. Mas tu pensas Manuel José e, que todo o ser humano de bem e, que não sabem e, é tudo aquilo que tu és. Ou tu queres que eu te o diga e, é de cara a cara seu cobarde e, que tu foste discutir comigo e, sem tu teres razão alguma Manuel José. E tu pensavas que me comias e, era com os olhos ou com a tua arrogância. Mas tu estas e é mesmo muito enganado Manuel José e, é comigo. E tu sabes e, foi aquilo que eu te fiz e, foi a tua vida toda. E quando tu te arrimavas e, era em alarve e, tu sabes aquilo que eu te fazia e, comias e, era logo por as minhas próprias mãos ou por os meus pés. E eu e, ainda te vou dizer e, é mais isto Manuel José. E se tu um dia tiveres a tua sorte e, é de te meteres comigo. E eu e, até poço ter o meu azar e, que é, de eu ter que ir e, é parar á prisão. Mas isto é com toda a certeza e eu juro a deus Manuel José. E se eu um dia e, não te o faço a ti ó Manuel José e, é aquilo que eu ontem disse na sociedade ai se eu um dia se te puder ser bom e, eu logo te o digo Manuel José. Ou tu és e, é a mesma coisa e, do que o teu pai é. E que não podem e, é com um gato e, é por o vosso próprio rabo Manuel José. Mas a maldita da vossa língua e, é mesmo e, é muito traiçoeira e, é tudo aquilo e, que tu e, toda a tua família são Manuel José. E vocês e, até podem ser e, é pessoas muito boas. Mas não são e, nunca foram bons para mim. E todos vocês faziam-se passar e, era por meus amigos. Mas era para o vosso próprio interesse. Mas esse tempo e, para mim já passou Manuel José. E é assim e, como vocês todos dizem, a nossa dinastia já terminou e, já acabou a nossa mentira. Mas eu ontem e, tive e, foi mais uma obra de arte e, sem eu ser, algum artista. E tive e, foi trabalhando na mecânica da minha nova bicicleta. E sem eu ser um atleta de competição. Mas tudo aquilo que eu faço e, é por a minha própria manutenção. Mas foi na oficina do senhor Manuel Reto Irio e, que eu tive e, foi efectuando o meu trabalho e, sem eu ser um mecânico de profissão. Mas quando eu terminei o meu trabalho e, aquele que eu sabia efectuar e, tudo de resto e, coube ao mestre da arte e, foi a efectua-lo e, eu assim e, que terminei a obra e, paguei e, foi aquilo que o mestre Manuel me pediu. Mas o senhor sal vinha e, foi ai á uns anos atrás e, também fez o mesmo que eu fiz ontem. Mas foi e, também que não e, os canos do ónus dele. Mas desde que eu trabalho na mecânica e, foi desde dessa altura e, que eu deixei e, foi de ligar a prostitutas. E agora eu vou fazer uma pergunta e, é a toda as pessoas que me andam a perseguir e, é quando eu ando de bicicleta ou quando eu ando de carro ou quando eu ando a pé. E ainda foi esta manhã e, foi a ultima vez que isto tudo aconteceu e, também foi mesmo muito curtido. E foi de eu ver e, foi de ver tanta gente atrás de mim. E que eu já parecia o Joaquim bastinhas. E em primeiro lugar e, foi a bela botas e, mais a sua irmã a Maria Antónia e, elas até tem mesmo e, é muita graça. Mas não fazem e, é mesmo nada de graça. E logo a seguir e, vinha atrás e, foi alguém que eu não consegui e, foi decifrar. E quem era o motorista ou se era o marido ou se era a filha da senhora cândida lobo. E logo mais atrás, alguns segundos e, era um grande aventureiro e, eu é que sou, um toureiro. Mas ai e que me faltava e, era um ou uma ou era o Josué Garcia ou era a sua esposa ou mulher. E é assim como ele diz. Mas ela e, mal ou bem e, ela me viu e, o meu pénis e, ficou e, foi logo, em ombro arma e, vamos marchar e, sem existir alguém para nos incomodar. E sem haver necessidade e, de alguém o segurar. E porque e, aquilo que ele quer ter e, é aquilo e que até todos os bichinhos gostam. E não hei-de eu adorar e, é tanto e, é de fazer sexo em qualquer lugar e, sem existir alguma responsabilidade. Mas tem que ser e quando tem que ser e, tem que se ter e, é mesmo e, é muita força e, é no pénis. Mas sem ter e, é que estar e, é a gastar e, é alguns dos poucos tostões que eu ganho. Mas ainda mais e, eu foi andando e, mais alguns quilómetros á frente e, quem é que eu devia ver. O Miguel Ângelo e, mais o joguinho e, é assim que ele é tratado e, é pela juventude da sua piara. E foi ontem e, que eu ouvi e, foi pela primeira vez esse nome do filho do Silvino. E foi ao Álvaro e, ao roberto os neto do tio luís oca na. E ai que maravilha que é aquele homem. E para que é eu te quero e, se tu não queres mesmo nada comigo e, só aquilo que tu pensas e, é naquele verga lho, daquele animal. Mas aquele homem e, o que ele é mesmo e, é muito racional. E havendo em certas alturas da minha vida atlética e, que é de eu andar e, é de bicicleta. E eu também acompanhava e, era com o senhor Henrique. Um guarda nacional republicano reformando. Mas eu e, antigamente e, até tinha e, era muitas vezes esta versão. Uma pascoa feliz e, um carnaval com muitas amêndoas. Mas não é a pascoa, a sobrinha do Manuel Romão e, a neta do senhor que me ensinou e, foi a tirar cortiça o mestre José frade. E ai que nesta minha terra desolada e, ai e, que já á e, é aqui e, ai e, que tanta mulher aluada e, algumas delas e, ainda me dizem a mim mesmo. E elas ainda dizem e, é a umas e, às outras. Ai que eu já nem sei bem e, o que é eu hei-de fazer e, é á minha vida e, só aquilo que eu penso e, vejo e, é aquele homem maravilhoso todo nu e, em cima ou debaixo de mim. Mas o Josué Garcia e, ele diz e, aquele gordo e, o que é que ele terá e, é de tão especial e, é para as mulheres. Mas aquilo que a tua mulher quer e, é tanto e, é saber e, é bem e, é ao meu peso que ele tem. E eu vou escrevendo e, é um pouco e, é de tudo aquilo que me vão fazendo a mim diariamente. Mas sem isto tudo que eu escrevo e, sem ser e, é um diário pessoal. Mas como eu e, também tenho todos os dias a minha conta diária. Mas por ai e, o que não falta e, é mesmo muita gente ordinária. Mas todos esses ordinários e, também são mesmo muito engraçados. Mas sem eles terem e, é alguma graça nas suas acções diárias e, tanto faz em grupo e, como as suas acções pessoais. Mas aquela caraça do José palhaço e, é mesmo muito engraçada e, é quando o Miguel do café e, lhe chama a ele e, é aquele bonito nome e, que nenhum homem o quer ser. Mas a culpa e, muitas vezes e, nem é do homem, mas sim e, é de eles darem e, é muito mais atenção e, é á vida mundana. E eu quando estou com toda a minha pontaria afinada e, vou trazendo alguma caça debaixo das minhas calças. Mas não é em dias de calor. e porque eu em dias de calor e, eu não uso as minhas calças e, porque de repente e, foi assim que morreu o e, foi com os chibos a difamáramos, ou então com alguma overdose de cansaço de trabalho diário e, muito esforçado. E é o que fazem muitos desses homens e, que também tem esse nome tão bonito e, que é de serem uns espanta campinos. Mas cá para mim e, qualquer cantinho serve para fazer mais algum espanta campinho. Mas também é hoje em dia e, é por eu nem sequer beber e, é um copinho e, dois copinhos e, existe e, é aqui mesmo na minha aldeia e, é muita gente parvinha por vinho. Mas cá para mim e, só existe e, é uma e, que é a rainha-mãe de todo o homem humilde. E sem sequer ter alguém para lhe poder dizer. Mas que linda e, que tu hoje estas e, anda mas é, para a frente e, para trás e, tanta que ela trás e, é atrás e, tanto sossego na casa de algum bom homem que por aqui existe e, de todo o mal desiste. Mas também e, anda ai e, é um grande alvoroço e, anda e, é mesmo muita boa gente e, é a quererem e, é agarrar-se ao meu pescoço. Mas algumas e, até estão e, é á beira de um poço e, se eu um dia te pego e, é pelo teu pescoço e, nunca mais e, tu vens e, é a achar o chão. Mas a minha dama e, é aquela a mais querida e, mais apaixonada que eu alguma vez e, eu já vi e, nunca lhe toquei. Mas para aquele lá da rua de Alvito e, sem lá ir gastar um cêntimo aonde ela trabalhava e, é que anda e, é a gastar aquilo tudo e, vai mas é para o raio que te partam. E ela canta e, é que se farta e, é quando está e, é com ele por ela a dentro. Mas ela não canta e, é á desgarrada. Mas ela canta e, é quando esta e, é mesmo muito bem acompanhada. E sem ela ser vista a dar algumas observações a quem quer que seja. Mas aquilo já deve decorrer e, é desde que ele trabalhava lá na discoteca. Mas que bons serões e, que ela me tem dado e, sem ela sequer me dizer e, tu tens que me dar e, é isto ou é aquilo e, simplesmente ela só me diz amor e, meu grande e, meu único amor e, já chega. e que tu estas dando e, é comigo mesmo numa mulher doida. E se eu não o fosse também um homem doido por ti meu amor. Mas para se chegar a um posto galardoado e, sem ser amaldiçoado e, tem que haver e, é mesmo amor de verdade e, é de ambos os dois. Ó meu amor de perdição e, quando tu te chegas ao pé de mim e, eu jogo-te logo e, é para o meio do chão e, sem haver alguma maldição da tua parte. Mas da minha parte e, são e, é mesmo as maldições pegadas. Mas ouves bem meu amor. Mas aquele homem podia-me dar e, era o seu perdão. Mas o Josué Garcia e, ele ainda tem e, é toda esta coragem e, é de dizer. e que eu e, é que sou um homem e, é sem ter algum perdão a quem me faça mal e, aos outros seres humanos inocentes. Mas eu agora e, estava-me e, era mesmo esquecendo e, que ele diz e, que eu lhe tirei e, foi toda a sua coragem viver. E que era aquela coragem toda que ele tinha para viver na mentira e, na maldade e, quer perante mim e, como perante outros seres humanos como eu e, que também tem todas as mesmas necessidades para viverem em saúde e, amor e, paz e, como esse senhor o Josué Garcia tem. Mas se eu foi e, sempre honesto e sincero e verdadeiro e, foi com ele e, como é que eu sou um homem ruim e, é como ele diz e, que eu é que lhe arruinei a sua própria casa. Mas eu e, até penso para mim mesmo e, que eu e, que até sou como ele é. Mas como ele e é que eu não quero ser nada ó meu deus e, me livre e, é de eu ser e, é como aquele homem manhoso é. E até consegue ser ainda e, é muito mais verdadeiro do que eu e, ele disse-me e, foi mesmo a mim e, que me punha os cornos e, foi de cara a cara. E eu é que sou mentiroso Josué e, falei-te a verdade e, foi de cara a cara. Mas ai e, que eu estava-me e, era esquecendo e, que eu é que sou um homem pobre e, ele é que é o homem rico. E o rico e, toda a gente o ouve e, ao pobre toda a gente o repudia e, o ignora e, toda a gente diz. E tu não tens e, é porque a tua cabeça não te ajuda ou então vai mas é trabalhar e, é em vez de andares e, é por ai e, sem tu fazeres e, é mesmo nada e, aquilo que tens feito até hoje e, é vivido e, é a tua vida toda e, é á custa dos teus pais. E tu aquilo e, que tens sido até hoje e, é um pedinte. E é por isso que deus me ouve e, me tem ouvido e, eu só lhe pedi saúde amor e, paz. E é porque quem não pede e, deus não o ouve. E é porque o orgulho de um homem que não sabe e, o que é pedir e, também não sabe e, o que é praticar o bem ou o que é praticar o mal. E porque eu José Manuel corujo e, eu felizmente ou infelizmente e, também sei e, é com toda graça de deus e, o que é os dois caminho ou o da verdade ou o da mentira. Mas como é bom e, é quando eu engano e, é á minha própria mãe e, que eu a roubo e, lhe digo a ela. Mas tu não sabias e, era aquilo e, que tu lá tinhas guardado. E agora você estame dizendo e, que foi eu que tirei de lá o dinheiro. Mas o cigano honesto e, não rouba nada a ninguém e, o cigano honesto só pegou na corda e, atrás da corda vinha o trem. Mas como o cigano e é que paga e, é a todo mal que é feito e, sem ser só ele e, é a praticar o mal e, a fazer mal nesta sociedade desonesta. Mas quanto mais magro está o cão e, mais a rabugem lhe aperta. E tem que existir alguém e, é com um grande toque de classe e, sem ser de magia e, nem de ilusionismo, mas de classe. Mas viver-se assim em democracia e, é mesmo muito triste e, vai mas é, fora e, a todos esses homens desequilibrados. E que só vivem e, é para o lado negativo da vida mundana. E eu hoje sou um homem e, é mesmo muito revoltado e, é com algumas mulheres e, homens. Que não me querem deixar viver e, é em plena democracia. E eu e, até poço ser e, sou um homem pobre e, audaz. Mas eu e, também sei estar e, é em democracia e, eu também aprendi e, foi a lutar e, com toda a minha dignidade perante toda a comunidade de invejosos. E foi assim que eu procurei o caminho de deus. E sem eu viver na minha comunidade em democracia. Mas como se vive num pais corrupto e, fazem e, é tudo e, é com muito ilusionismo. E é aquilo que toda a classe política faz e, é ao José povinho, ilusionismo. E ele vivem e, dizem e, apelam e, que é para tudo viver e, é com uma grande democracia. Mas se isso acontece e, é só se for e, é nas casas deles. E eu agora vou-lhe descrever e, é uma historia e, que é mesmo verídica e, que foi entre mim e, um antigo tesoureiro da junta de freguesia da minha aldeia. E eu e, ele e, estávamos os dois dialogando e, era sobre isto e, sobre aquilo e, eu toquei-lhe e, foi num ponto muito crucial da vida politica actual e, com toda a minha dignidade e, respeito perante a quem esteja pelo lado de quem precise pão e, amor e, paz. E eu disse-lhe e, foi a ele ao senhor cândido pombinho. E se todos os homens e, mulheres e, se viviam e, era com grandes dificuldade, ou se todo o planeta estava, em crise económica e, era tudo por causa do actual sistema politico existente entre todos os seres humanos. E se não seria mais fácil fazer a democracia de igualdade e, era para todos e, só haver duas classes sociais. E uma era as dos mestres e a outra era a dos serventes. Ou uma era a dos oficiais e, a outra era a dos aprendizes. E todos nós tínhamos que trabalhar ou ter todas as mesmas obrigações ou termos todos e, os mesmos direitos. Ó cigano e, tu que até ao domingo e, tens que trabalhar. E se não o teu gado não tem de comer ou não tem de beber. E todas as pessoas que venham a ler e, é a todo este meu versículo e, parem um bocadinho e, que é para poderem e, é para pensarem e, é em quem tem fome e, em quem tem sede e, em que tem vontade de fazer justiça e, é pelas suas próprias mãos. E a quem pede e, é a sua justiça e, é com lealdade e, que seja deus e, que nos julgue e é conforme todos os nossos actos. E sem ser e, é os actos dos apóstolos dos cristãos e, que é um acto da vida dos mortos. Mas e é sim e, é o acto da vida real e, actual de todos nós e, tem que ser e, é da vida dos vivos e não da vida dos mortos. E porque os mortos e, só aquilo que nos restam ou são as sua boas ou más recordações, ou são as suas famílias e, que as guardam ou são as suas regas ou as suas leis e, que Ainda subsistem e, é entre todos os seres humanos. Mas deus e, é que é o subsistente e, é que é o eterno no meio de todos nós os crentes e, é em um único deus invisível, mas que é real e, que é actual entre todos os crentes. Mas porque e, é que todo o ser humano e, rejeita as suas leis e, que são as de deus. e que é, de todos nós e, sermos livres no nascer e, também de todos sermos livres e, é de escolhermos e, é ao nosso caminho ou é, o da salvação ou é, o da morte ou é, o do bem ou é, o do mal ou é, o da verdade ou é, o da mentira. E se todo o ser humano e, ele próprio parar e, é um bocadinho, para poder reflectir e, ele vai pensar e, é desta forma. E é conforme eu mesmo penso e, se isto é ruim ou não presta para mim e, também não vai prestar e, é para mais e, ninguém mesmo. E haverá alguém feliz com a morte de alguém. E olhem e, é mesmo muito bem e, é eu até poço ignorar a muita gente. Mas eu e, também e, menosprezo e, são a todas aquelas pessoas que se riam mim e, que gostavam de usar e, abusar e, era com os meus sentimentos ou com os sentimentos do próximo. E eu lhe vou contar e, ainda mais isto e, é quando um poder autárquico e, eles próprios me deixaram e, foi com uma mão á frente e, a outra atrás. E eu e, muitas vezes e, nem sei bem e, é aquilo que eu hei-de dizer e, é na minha hora de minha revolta e, é com todas essas pessoas que tem ou tiveram a sua culpa no seu próprio velório. Mas como eu e, já me habituei e, é ser, um homem desprezado e, abandonado e, é por quase todas as pessoas da minha aldeia. E é tudo por eu não crer e, é em tudo aquilo que eles creiam. Mas que seja deus e, é a julgar-nos e, é por todos os nossos actos ou sejam eles bons ou sejam eles maus. Mas que deus nos dê e, é a todo o seu devido julgamento e, nem que não seja e, é na hora da nossa morte ou na hora do nosso arrependimento de todo mal perante deus e, perante o próximo. E porque todos nós somos seres humanos e todos nós temos as mesmas necessidades e, as mesmas carências e, as mesmas coisas dignas e, é de sermos julgados por deus. Ou é por o nosso bem prestado e, é perante deus. Ou é por o nosso mal prestado perante deus. M as quando nós estamos a fazer mal e, é a quem quer que seja e, também estamos fazendo mal a deus e, também fazemos mal e, é a nós próprios. Mas como eu e, tenho estado e, é a ser interrompido e, é por eu revelar e, é a todo o segredo que existe no ser humano. E que tem sido e, é por toda essa seita de feiticeiros ou feiticeiros. E todos eles e, todas elas e, são pessoas e, que fazem e, é tanta falta e, quanto a fome no ser humano. E eu só espero e, é que me deixem e, é terminar e, é a toda aquela conversa que eu comecei a descrever e, é entre mim e, o senhor cândido pombinho. E eu e, até para ser e, é o mais correcto que possa existir entre todos os homens e, eu e, até estou a ver e, é as imagens neste momento e, é de toda essa conversa, entre mim e, o senhor cândido. Mas ao senhor cândido e, quando eu lhe toquei e, foi no ponto doentio de um ser humano e, que só aquilo que vive e, é o fanatismo ou da ganância e, ele atirou-se e, foi logo contra mim nesse instante. E foi com sete pedras para cima de mim. Mas como eu e, já estou habituado e, é essas situações e, que fez-me tanta a diferença dele e, como a fome e, é entre todos os seres humanos maus. Mas só que eu e, dou graças a deus e, é quando eu digo e, é isto ou aquilo e, é porque eu e, tenho e, é toda a consciência e, é de tudo aquilo que digo ou que afirmo. E também é e, de ser e, é um homem humilde e, é de tudo aquilo que eu digo. E se eu alguma vez errar e, é porque eu também sou um ser humano e, também tenho e, é os meus quê e, os meus porquê. Mas todo o ser humano e, com quem eu erre e, podem ter e, é toda certeza e, que eu sou um homem coerente e, capaz de assumir e, é a todo o meu erro que aja perante outro ser humano qualquer. Mas quando eu disse e, foi ao senhor cândido e, que o sistema politico e, religioso e, que não era o correcto existente em toda a humanidade. e ele olhou para mim e, como se me quisesse e, era para eu dizer e, era aquilo que eu pensava e, que eu penso neste momento que estou escrevendo a todas estas minhas linhas de revolta com todo o sistema politico ou religioso implantado em toda a humanidade. E o senhor cândido dizime e, então diz lá e, é a tua alternativa e, sem ser de toureio ou sem haver algum rodeio. Mas se todos os governantes e, eles pensassem e, era em fazer dinheiro e, em distribui lho e, era por partes iguais e, não acabariam e, era logo nesse instante e, era com todo o mal existente em todo o planeta. Mas todos vocês e, querem saber e, qual foi a resposta do senhor cândido pombinho. Olha lá e, era aquilo que tu querias e, porque é que tu não fazes e, é aquilo que eu tenho feito e, que é arranja-lho a bem ou a mal. Mas se fosse hoje em dia e, eu até lhe podia e, era dizer. E olhe lá senhor cândido, mas a vida para uns até pode ser fácil ou terem mais inteligência ou esperteza ou maldade e, que é para poderem arranjar dinheiro, ou às escuras ou ás claras. Mas você também sabe e, que eu sou um homem muito ressentido e, é com tudo aquilo que me tem feito e, é nesta minha terra. E que é de me fazerem mal e, tanto às escuras e, como às claras. E todas essas pessoas dessa seita maldita e, eles e, elas e, até me tem e, é ameaçado de morte e, tem feito e, é trinta por uma linha. Mas olhe lá e, é muito bem senhor cândido e, deus escreve e, é por linhas direitas e, não é como nós todos os seres humanos e, escrevemos e, é por linhas tortas. E em a gente estando bem e, já não se lembramos e, é de quem precise e, é de um pouco de pão ou de pouco de amor ou de um pouco de paz. Mas quando falta a saúde e, é a alguém e, é logo tudo. Ai coitadinho e, como tu estas e, tu estas e é mesmo muito mal e, muito doente. E que deus te ajude e, que deus te proteja. E eu e, até não tenho e, é dinheiro algum. Mas com toda a graça de deus e, que eu sei e, o que é amar e, respeitar e, é de verdade e, seja em qualquer parte que eu esteja. E eu e, até muitas vezes e, eu me posso exaltar sem razão. Mas eu hoje em dia e, também e, sou e, é um homem e, é muito magoado e, ofendido e, é por quase todas as pessoas da minha terra. Mas quando alguém precisa ou tem necessidade e, seja lá daquilo que for. Mas ai e, já sabe dar e, é valor e, é ao que custa a vida para todo o ser humano necessitado. Mas quando eu li e, foi as escrituras e, li os provérbios de Salomão. e que ele dizia assim e, tudo aquilo que o homem levava de cá, deste mundo e, era tudo aquilo que comia e, que bebia. Mas cá para mim e, como eu e, já vim noutra geração ou já vivo noutra geração. E com muitos séculos mais á frente desses todos nossos antepassados. E por mera casualidade e, eu não vejo e, é a vida e, é da mesma forma e, do que Salomão ou os antigos profetas viam. E tanto faz ser o Maomé ou o Jesus ou o buda. E eles e tem sido e, é uma referência, para toda a humanidade. Mas todo o ser humano e, se esquece ou se esqueceu e, foi ao nosso criador e que é só um o deus do amor e da verdade. Mas a minha forma de vida presente e, não tem e, é mesmo nada da minha forma de pensar ou de agir do meu antigamente. E tudo isto é depois e, é de ter vivido e, tanto faz a vida boa e, que é aquela de eu praticar e, só o bem. E também aquela vida má e, que era de eu praticar e, era o mal. E como eu já lhe descrevi e, foi um pouco da minha vida passada ou lhe descrevi aos poucos a minha autobiografia. E é como se diz e, eu nunca fui uma flor e, que se e, cheira-se. Mas existe e, é mesmo muita gente e, é a admirar-te. Mas eu e, não foi e, nem sou e, é nenhum santo. E é por isso também e, que eu sou e, é um pecador e, é como outro ser humano qualquer. E é por isso e, que eu lhe digo e, que não existe e, é mesmo nada e, de mais verdadeiro. E do que é amar e respeitar de verdade. Mas também existem e, é vários tipos de amor. E um é, existe o nosso amor e, é aos nossos pais e, que muitas das vezes e, nós não lhe damos e, é todo o seu devido valor. E porque é também e, é aquela a geração e, em que eu tenho vivido. E que tem sido e, é por muita mera culpa e, a grande e, responsável e, que cabe esse acto aos mais velhos. E porque eles assim nos educaram e, que também nos obrigaram e, era a certas culturas e, tradições e, que são as maiores culpadas e, é de todas as gerações. E tanto que eu tenho errado, mas também e, é de ser eu mesmo e, é a errar e, é comigo próprio. Mas porque é que todos os outros serdes humanos e, não assumem o seu próprio erro. E é como eu e o tem feito e, é de eu assumir e, a todos os meus erros. Mas existem outros erros e, que são os maiores e, é tudo por culpa e, é do próprio sistema que existe em toda a humanidade. E que o sistema existente em toda a humanidade e, é só um e, único e, tanto faz ele seja o cristão ou como o muçulmano ou como o budistas. E é tudo uma mentira e, é de todos os nossos antepassados. E que todos nós e, estamos e, é pagando e, é no presente e, é a todos os erros cometidos por os nossos antepassados. Mas eu vou ser e, é ainda e, muito mais claro e, é com todas aquelas pessoas e, que também se tem revoltam e, é como eu. E é com todo o sistema político e, religioso e, que é de eles nos quererem e, é a obrigar e, é a seguir e, é a toda a mentira gananciosa das pessoas religiosas. Mas se eu for dizer e, é isto tudo, a um ancião e, ele vai-me e, é dizer e, é a mim mesmo. Mas tu rapaz e, não vês rapaz, que eu nasci e, foi muito primeiro do que tu e, o que é que tu sabes da vida humana rapaz. Mas se eu for para a escola e tirar um curso superior e, sem eu fazer mestrado ou doutoramento e, todas essas pessoas dizem e, até as são anciãs e, elas já dizem. E vocês não vêem que aquele homem ou que aquela mulher e, ela ou ele e, tem tido e, é muito boa cabeça, para os estudos. E tu se quiseres e, tens e, é que andar e, é cá no pau da gaita como todos nós. E sem ser o José Joaquim e, que é o filho da senhora Beatriz e, do senhor Joaquim Miguel. Mas aonde e, é que tu vais, mas é fazer o teu ninho e, tu tanto andas e, é devagar e, como devagarinho e, espera e, é por mim e, é só mais um bocadinho. E foi assim e, desde que eu comecei e, foi a ser moço de recados. Mas existe e, é ai e, é tanto sistema dado de capo e, é por todo o ser humano e, se calar e, consentir e, é às maldade descarada de outros seres humanos perante eles e, isso tudo e, é mesmo inadmissível e, é perante os actos da nossa cidadania. Mas em todas as idades e, sempre existiram e, foi pessoas com inteligência e, sem terem e, foi alguma boa oportunidade na sua vida e, para as poderem demonstrar e, era a todas as suas boas capacidades e, quer elas sejam feitas ou às escuras ou às claras. Mas existe e, é mesmo aqui e, é na minha própria terra e, é a pessoas e, é a quem e, eu hei-de ir e, é lavar e, a sua própria cara. E sem eu ter e, é que trabalhar e, é no centro de dia e, o que fazem de noite e, também o fazem de dia. E é a todas essas pessoas idosas e, abandonadas e, ainda lhe dão e, é algumas grandes orelha das. E ai que eu mesmo agora e, me estou e, é lembrando e, é da minha irmã de criação e, que todo o mal e, vem de geração em geração. E já existiu alguém neste mundo e, voluntariamente e, sem estar e, é á espera e, de tirar e, é o seu próprio proveito. E existe e, é mesmo tanta gente e, é a querem ser prefeitos. E em tudo e, nós achamos e, é aos seus próprios defeitos. E vocês sabem e, é tudo aquilo que se está fazendo e, é quando se está e, é a pôr defeitos noutro ser humano. E nós ai e, está-se e, é julgando e, sem se estar e, é aperfeiçoando a ele próprio. E que é mudar o que está ma nele mesmo e, que é para um dia a próxima geração e, não diga ou não venha e, é a escrever e, é aquilo tudo e, que eu estou fazendo e, a tudo eu me tenho submetido e, tanta coisa me tem infringido e, alguns sistemas e, eu tenho corrompidos. Mas sem nada eu ter e, é admitido e, existe e, é neste mundo e, é muita gente intrometida. Mas atrevido e, é isso e, que eu sou e, eu até posso ser e, é mesmo muito directo e, é em todas as minhas palavras. Mas não me venham e, é querer dizer e, que se vive e, é num mundo perfeito. Ou que existe alguém prefeito e, se alguém o dizer e, eu digo-lhe e, é mesmo de cara a cara e, que está e, é mesmo mentindo. Mas o que é um homem e, que seja, dependente ou de drogas ou de bebidas alcoólicas. E se existir e, é alguém e, com uma consciência pura e, tranquila e, é de ver e, é tudo o que são eles mesmo os dependentes. E todas as pessoas que me conhecem e todas elas sabem o homem que eu era e era quando eu era um dependente. Mas todas elas e também sabem e é aquilo que eu hoje sou no meu presente. Mas todo o ser humano que só veja e é os alqueires nos olhos dos outros e, deixam e, é mesmo e, é muito a desejar e, é a uma geração perdida e falsificada e, é por as dependências irónicas e de fantasias. E porque e tu ó diabo do Josué e, porque é que tu e, também e, bebes e, é tanto e em demasia e, sem tu teres e, é alguma alegria e, é no teu próprio interior e, tudo aquilo que tu me tens feito a mim e, a outras pessoas inocentes. E metes-me e, é mesmo e, é muito horror e, sem tu e, se queres e, é teres e, é alguma coisa de louvor. E aquela que tu chamas de tua mulher e, não é uma mulher qualquer e, porque ela é uma mãe de dois filhos. Mas só aquilo e, que ela pensa e, que ela quer e, é mesmo e, é ser um amor de mulher e, sem tem que ser e, é com um homem qualquer. E porque e, é que toda a tua família e, lhe dão amantes a ela. E sem ela sequer saber e, o que é fornicar e, é com alguém. E tu ó diabo do Josué e, vê lá e, é mesmo muito bem e, é com quem tu te metes e, se algum dia na tua vida e, e tu tiveres a tua pouca sorte ou a tua ousadia e, levas e, é cá uma comedia e, é de fazer mal e, é aquele e, que é meu amor de mulher. E sou eu mesmo e, é aquele homem e, que tu viste e, foi á porta do café do senhor Manuel ferrão. E tu também sabes e, o que é que aquele homem e, que te é capaz de fazer. Mas eu e, tanto respeito a tua mulher e, como os teus filhos e, a ti também e, seu grande palerma e, é aquilo que tu és. E porque se eu não te respeita-se e, tu sabes e, era aquilo que eu já te tinha feito e, era com aquele amor de mulher. E que é uma tesura e, que é também minha desejada e, um dia e, também e, o adie ser e, é por mim e, é mesmo muito acarinhada e, é também e, muito bem aconselhada. E toda a tua família e, não tem e, é exemplos e, é na vossa própria família. E sabes aquilo que tu e, toda a tua família e, são e, é mesmo e, é pessoas e, mesmo nojentas e zarolha e, que é aquilo e, que vocês dizem de mim. E se eu algum dia errei e, foi com a Susana e, eu um dia e, gostava e, era tanto de lhe pedir e, era as minhas desculpas e o meu perdão. E se eu errei com ela e, foi também por tua culpa ó seu parvo. E era aquilo que eu te chamava e, era a ti e, era quando tu te fazias e, era meu amigo. E sem tu e o seres e, era meu amigo. Mas tu sabes e, é uma coisa e, é com o José Manuel corujo e, ninguém usa e, nem ninguém abusa. E é como eu costumo dizer e, quem não mama e, não abusa. E se eu algum quisesse ter usado e abusado e, era da tua mulher e, eu já o tinha e, era feito. E porque eu e, foi muito peremptório e, foi com ela e, foi quando eu a tive e, foi nos meus braços. E que eu lhe disse a ela e, que tu do aquilo que tu merecias na vida e, era um grande par de chifres. E tu sabes o porquê desta conversa toda ó diabo do Josué e como é que tu te chamas, ó diabo, Josué. E é que tu e, és um homem casado. Mas tens e, é usado e é á tua mulher e tem sido a tua vida toda e, ainda mais e, tu abusaste e, foi a tua vida toda e, foi de mim e, da minha família e da tua própria mulher. E eu disse-lhe, a ela e, se ela quisesse ter algum caso sexual comigo e, que ela só tinha e, era uma coisa a fazer. E que era ela ter que se divorciar e, depois sim. E é vir ter comigo aos meus aposentos e, eu a partir dai e, eu logo e, lhe vou arranjar e, é um bom assento. E sem ter que haver algum aceno e, ainda muito menos um impedimento. E tudo aquilo que você tem feito e, é a outras pessoas inocentes e, não se faz e, é absolutamente a ninguém e, tu ó diabo do Josué. E que deus te leve e, é para bem longe de mim e, se tu pensas e, que eu não sei e, é tudo aquilo e, que tu és mesmo. E eu não ando a mentir e, é a outras pessoas e, nem uso e, nem abuso de outras pessoas. E se tu lhe perguntares e, é a ela e, é com toda minha certeza e, que ela te vai falar a verdade. Ou ela e, é também da tua laia e, foi tudo planeado por vocês os dois. Mas eu e, uma vez e, ouvi e, foi esta conversa e, foi do senhor padeiro e, foi no café do Miguel. E estava ele a conversar e, era com a senhora tónica e, a conversa foi esta. E foi a respeito de ele comprar luvas para a sua mulher e, ele dizia e, que nenhuma lhe ficavam boas e, que ela tinha e, era umas mãos e, que nem uma grande besta. E a senhora tónica disse-lhe e, tu não digas isso da tua mulher e, que ela é uma mulher tão boa. E ele respondeu e, foi desta forma e, foi á senhora tónica. Mas bom sou eu e, aquilo e, que eu sou mesmo e, é um santo e, é por eu ter e, é que aturar e, é aquela besta. E eu agora e, vou modificar e, é algumas coisas e, é a respeito desse tal fulano o senhor padeiro. Mas também e, sem mudar e, é mesmo de nada e, é das suas conversas e, onde eu estava presente. Mas um homem e, que se elogie e, é a ele mesmo e, tem e, é mesmo e, é muito falta de nível e, é perante toda a humanidade. E quem somos nós os homens e, para nós se estarmos e, é a elogiarmos e, é a cima e, é de todos os outros homens. Ou a cima e, é do único santo e, que existe e, é em todo o planeta e, que é o santo dos santos e, que é o deus do amor e, o deus do bem e, o deus da verdade. Mas como e, é que tu e, consegues e, é ser e, é mesmo um grande palerma Josué. Mas tu Josué e, que tu dizes ser e, é um homem santo. E è quando eu te vejo e, é á minha frente e, se tu soubesses e, é a vontade e, que eu tenho e, é de te pôr e, é um pé e, é por detrás e, é dos teus chifres. E tu e, ainda tens e, é a coragem e, é de tu disseres e, que és um santo. E é de tu andares e, é a fazer mal e, é a mim e, a toda a minha família e, a todas as pessoas que dêem bem comigo. Mas ouve lá e, é ó sua francesinha padeira. Mas tu e, só serves mesmo e, é para limpares e, é o ónus e, é aos meninos pequeninos. Ou tu e, também e já tens e, é mamado e, é o ónus de algum adulto. E sem ele ter alguma necessidade e, é de ti o fazeres. E tu ainda dizes e, é aquela conversa toda e, é á frente de alguém que já comeu e, foi o pão amassado por ti mesmo e, ó diabo do senhor Josué. Mas tu ainda tens a coragem e, é de tu dizer e, que és o único santo e, que existe em todo o planeta. Mas tu e, me diz e, é cá e, ó sua francesinha padeira. E o que é que tu e, o macarrão e, vocês os dois andam fazendo e, é lambem do e, é o ânus a um ao outro. E que é e, de tudo aquilo e, que vocês os dois e, mais gostam e, é de mamarem e, é o pénis a um ao outro. E tu és capaz e, é de chegar e, é ao pé de mim e, de tu me vires e, é a dizeres e, que tudo isto e, é uma grande mentira e, é com palavras e, não é como tu fazes e, que é com as tuas feitiçarias e, que são diárias e, nocturnas. E é como tu vives e, ó seu piolhos e seu ranhoso e, é por isso e, que toda a tua família e, me andam e, é também e, é a fazer mal. E sem eu e, se quer olhar e, é para ti e, para a tua querida mulher. E eu não sou e, é nenhum santo. Mas sou e, é um homem e, é com tesão e, tudo aquilo que eu faço e, é sem ter que fazer e, é alguma oração. E tudo aquilo que tu pregas mesmo e, são e, é mentiras e, que parecem as tuas más orações. E tu sabes e, porque é que eu não entro e, nem saio e, é aonde e, tu tiveres e, tu sabes e, é o porquê. Ó seu paranóico e, seu grande irreversível e, aquilo que tu és e, é um gay e, que és mesmo assumido. E se tu e, um dia e, te revogares e, é a todo o mal que tu fazes a outros seres humanos inocentes e, eu e, sem ser nenhum santo e, eu vou louvar-te acima dos sete céus. Mas é também e, é a todo o ma e, que tu me tens causado. Ou tu estas e, é esquecido e, que eu e, já fui e, foi quatro vezes internado e, foi tudo e, por culpa das vossas bruxarias e, também daquele cachola. E que não teve e, foi habilidade e, foi de fornicar e, foi com a sua ex. namorada e, eu a dormir e, fiz aquilo e, que ele não foi capaz de fazer acordado. E ainda te digo mais e, se eu fosse assim e, como tu és e, como aquele cachola e, que tem cá uma cara e, que parece e, é mesmo a cara de um parvo. Mas quando e, eu estou a recordar e, a ver aquela cara e, é a rir e, se ele soube-se e, era a vontade e, que eu tinha e, era de lhe perguntar. E era se eu tinha e, era alguma cara engraçada ou de palhaço. Mas os maiores palhaços e, no meio disto tudo. E quem é que é o palhaço e, é no meio disto tudo. E sou eu, ou são e, é vocês os dois e, que só serviram e, foi para as mulheres e, foi para as andarem e, era a passear. E ele e, como não queria a coisa e, pulava-lhe mas era para a boa coisa e, que elas tinham e, tem e, é entre as pernas dela. E o que é que vocês os dois são, ou homens ou burros de carga. E ainda vocês e, tem e, é a sua própria coragem e, é de andarem a fazer mal e, é a quem não faz mal a ninguém e, que não se mete na vida de miguem. Mas aquele burro e, daquele cachola e, diz então. E que eu lhe roubei e, foi a namorada dele. E como se eu e, a teve-se e, era obrigado a ela e, era ela a fazer alguma coisa e, que ela não quisesse fazer comigo. Mas também e, tanto quanto eu e, que é de amar e respeitar de verdade e, é a um e, ao outro. E se alguém pensa e, que mete a sua colher e, é entre mim e, a minha futura mulher e, foi assim que eu disse e, foi á dona Luísa. E foi também e, quando eu errei e, foi com ela e, com mais algumas pessoas e, que lá estavam presente. Mas eu e sou um ser humano e, que o meu sangue e, me corre e, é pelas minhas próprias veias. Mas também e toda a gente sabe e, é quando me passa e, é aquela coisa e, é pela minha veia. E eu até reviro e, é os meus próprios olhos e, até os meus cabelo e, do meu ónus e, também ficam e, é em pé. Mas existe e, é mesmo muita gente e, é a querer-me dar e, é o seu bom pé de atleta ou para ir dar uma volta á discoteca. Mas quando existem e, é mesmo e, muito más administrações e, quem paga e, é sempre aquele e, que muito mais precisa e, é tudo e, é por culpa e, de alguém e, que usa e, abusa e, é de alguém e, muito mais necessitado do que ele próprio. E existem e, é mesmo e, muitas coisas e, em hipotecas ou imobiliárias e, é quando a minha diária e, ela não me chega se quer e, é para eu poder aquecer e até eu ficar e, é mesmo e eu ficar e, é a tremer e, sem nada e, eu hoje dever. Mas também e, foi aquilo que eu fiz e, foi no meu passado de toxicodependente. E que era de eu ganhar dez e, gastar onze e, era de eu pôr algumas coisas no prego e, era á da cigana e, tanto que ela cheirava e, que até ela mesmo e, se admirava. Mas ela e também me dava e era grandes louvores e a tudo ela cheirava mas menos a flores. Mas tudo aquilo que eu lhe entreguei e, foi de mão beijada e, sem nunca mais e, eu lhe pôr e, foi as minhas mãos e, foi em cima de tudo aquilo que eu lhe entregava e, era de mão beijada e, era para as mãos da cigana. Mas que vida desgraçada e, era aquela que eu tinha e, era a de toxicodependente. E sem existir e, era alguma coisa engraçada e, era naquela minha vida. E era mesmo uma vida, despedaçada e, que eu tinha e, era e, nem amigos e, eu os tinha. E uma vida de toxicodependente e, é mesmo uma vida desgraçada e, tanto para quem o é e, mais para os seus familiares. E até que chega a hora da verdade e, se fica e, é mesmo abandonado e, é no mundo. E a partir dai e, se é e, é mesmo muito escorraçado. E até lhe chamam de marginal, mas quando eu e, andava e era de marginal em marginal e, era sempre e, á espera e, era do mesmo sinal. E ai meu deus e aonde e, é que eu vou e, é parar e, sem ter e, é mesmo ninguém e, que é para me estar e, é a interrogar. E eu e já andei e, foi de altar em altar e, sem santo e, eu ser. Mas era tudo e, era pela boca de alguém e, que eu estava e, era mesmo e, era á espera e, de eu poder vir a ter e, era a minha mulher divina. E sem ser á da fina e, aonde é que tu e, estas e, é mesmo e, é metendo a gente todos ó rui neves. E tu tens visto bem e, é aquilo e, que tu e, a tua santa mulher e, é aquilo tudo e, que vocês os dois e, andam fazendo e, é aquele homem. E se vocês os dois e, estão fazendo mal e, é a quem e, não faz mal e, é a ninguém. E também estão e, é fazendo mal e, é á gente todos. E tu sabes ó rui neves e, porque e, é que a tua mulher e, é uma santa. E é porque ela anda e, é de mãos em mãos e, às vezes e, ela e até pega e, é mesmo e, é como os carros de mão. E pegam e, é mesmo e, é de empurrão e, eu e também vivo e, é mesmo e, é sem um tostão. Mas tu e, és mesmo e, é um grande atrevido e até existe e, é alguém e que diz e, é esta palavra e, que te fica e, é mesmo muito bem. Ó rui neves e, és mesmo e, é um grande cornudo. Mas ai e, que eu agora e, estou dizendo e, é mesmo e, é uma grande verdade. Mas eu hoje e, tive e, foi mesmo e, foi um grande empenho e, sem haver algum tipo de desempenho. Mas e até que em fim e, chegou e, foi o momento e, foi de eu entrar e, foi em acção e, foi de eu chamar e, foi a atenção e, foi ao senhor padeiro e, como é que tu te camas, ó senhor diabo, eu chamo-me Josué. E sem eu lhe dizer e, foi algum palavrão. Mas ai e, que eu hoje e, ele disse-me e, foi mesmo e, foi umas grandes verdades e, foi de cara a cara. E sem eu ter que estar a andar e, era de motocicleta ou até de eu lhe mostrar e, era as minhas qualidades de atleta. E em bem novo e eu a ensaiei e, mais tarde algum tempo e, eu e, ainda não a executei. E com os decorrer dos meus anos e, eu me tenho ido aperfeiçoando e, a padeira está quase e, é mesmo me beijando. E eu com muito cuidado mesmo e, vou entrando e, o meu pénis se vai aconchegando e, sem eu lhe dizer e, ainda estas e, és mesmo muito apertada. E mete-te mas é toda e, á tua vontade e, manda mas é á medra e, é às tuas comadres todas e, até aquele animal irracional e, Daquele padre e, me disse e, foi a mim mesmo e, que eu era um homem e, sem ter fé alguma e, era naquilo que ele estava vendo nas costas dele. E se aquilo um dia me sai-se á sorte a mim e, eu até as dava e, era a todas aquelas obras de arte e, que foram feitas pela mão humana. Mas ai e, que desejo tão grande e, que eu estou tendo e, é mesmo agora neste instante e, é por aquele homem com que eu me cruzei á instantes. Mas se eu um dia e, te pego e, tu vais ter e, é toda a tua certeza e, é daquilo tudo e, que eu te sou capaz de fazer. E é aquilo tudo que tu vês em mim e, que é de eu e, todos os meus dias e te dar e é todo o meu melhor. E todos os dias da tua vida e, eu só aquilo que eu te quero e é dar o meu melhor. Mas como é que pode haver o melhor e, sem haver amor de verdade entre nós os dois. E sem existir amor de verdade e, alguma vez na vida e, pode existir respeito entre nós os dois Josué. E eu uma vez e, disse e, foi a um homem e, que hoje em dia e, ele já faleceu de carne e osso. Mas de espírito e, ele está e, é sempre muito bem presente e, á tanto tempo e, que eu estava e, era á espera e, era de enfrentar e, era a um boi bravo Josué. Mas ele e, é mesmo e, é como a outro membro da alcateia e sem estarem em alcateia e já não sabem agir e orientar-se. E que é como o seu parente Manuel José lobo Fialho. E seguem os dois e, é o mesmo exemplo e, bravos de língua mas de acções e, são e, é mesmo aquilo e, a que todas as pessoas e, que elas todas tem e, é assistido e, é aos seus espectáculos e, que são e, é mesmo muito triste e, eles e ainda se dizem e, serem pessoas de bem. E é de andarem e, é a fazer mal e, é a outros seres humanos que tem as mesmas necessidades que eles têm. E quando eu e, lhe escrevi anteriormente e, que era para todas as pessoas da minha região e, que tivessem alguma duvida e, era de tudo aquilo que eu lhe escrevia. E ainda existe alguém e, é com alguma dúvida e, é de tudo aquilo que eu lhe tenho escrito. Mas se houver alguém e, que tenha alguma duvida e, o filho da senhora Maria barbara e, mais do senhor Manuel José corujo e, ele está sempre disponível e, é para dar e, receber e, é conforme e, é o toque e, é assim e, é que é a sua dança. Mas eu hoje e, vi o Paulinho pinga e, tanta pinga e, que nós os dois bebemos juntos e, então aquelas charadas e, ainda existe e, é por aqui e, é mesmo e, é muita charada e, muita gente desalinhada. Mas aonde é que eu tenho andado e, é com toda esta minha conversa desalinhada. Mas ainda agora e, eu fui á da minha namorada e, o Manuel José lobo Fialho e, diz então. E que ela não sabe e, se eu fosse arrogante e, é como são todos os guardas nacionais republicanos. E eu até lhe poderia e, era de eu lhe responder. Mas vou guardar e, é tudo isto e, é para mim e, para a minha eterna namorada. E cada dia que passa e, mais passado estou e, ainda hoje me quiseram e, foi entregar e, foi aos guardas nacionais republicanos. E era para eles me apanharem. E foi porque me foram acusar e, foi já para hoje e, para amanhã. E se ainda nunca ouviram dizer este provérbio e eu vou-lhe o escrever agora mesmo. E quem não quer ser lobo e, não lhe veste a sua pele. Mas como a vida e, ela tem coisas e, é do mais maravilhoso e, que possam existir e, que ninguém mesmo e, quer e, é de nada delas. Mas com tanto sofrimento e, que me tem causado e, é a mim mesmo e, um dia destes e, eu ainda vou ser e, é um homem e, muito bem casado. E sem ter alguém mesmo e, é para me poder transtornar e, é na hora de eu me acomodar. E ai e, é do dia e, que o teu caldo e, se vai e, é entornar e, é em cima de alguém e, de quem não se devia e, era entornar. E até me dá e, é vontade e, é de eu desaparecer e, um pouco de tudo e, eu vou ter que esquecer. E existe e, é tanta gente nesta terra e, que me querem e, é aquecer e, sem eu ter e, é que desaparecer. E o meu amor e, eu e o vou ver e, é alguns anos depois de eu e a ter e, foi muito surpreendido. Mas também e, sem eu ter e, é absolutamente nada e, para eu e, lhe poder e, é oferecer. Mas amor e, não é só nós recebermos e, sem de nada nos se apercebermos. Mas eu e também lhe tenho e, é que oferecer e, é muito amor e, sem eu lhe ter e, é que lhe estar a dizer e, aonde é que tu estas ó meu amor de imaginação. Mas existe e, é mesmo nesta terra e, é mesmo e, muita gente e, a querem lhe oferecer e, é umas boas prendas e, sem ela as ter e, é que desembrulhar e, tanta garrafa do navegante e, que tu já desenrolaste. Mas também e, existem e, é algumas boas galantes e, é a querem destapar e, é a voz do seu cante e, sem elas poderem sequer e, é dizer. E aonde é que tu estas e, é metendo e, é á gente todos. E ainda hoje e, eu foi andando e caminhando e, até assobiando e, sem eu ter e, foi que lavrar e, até destapar, mas anda cá ó meu par e, do meu amor de verdade e, eu agora vou falar. E sem de nada ela me falsear e, existe e, são tantos enganos ou desenganos. E ai a maldita da mana do pica e, sem ser o pica bilhetes. Mas aquele pica miolos e, eu até lhe devoro e, é aqueles miolos. E á quem o diga e, quem o afirme e, que eu sou também e, é um homem e, é mesmo de pulso firme. E sem existir e, é alguém mesmo e que o desafie e, é quando ele se afia e, se empina e, é desde da pinha e, até á torre e, ai daquela e, que morra e, é lá na torre. E adie haver amor e, é na beira e, até na eira e, foi assim que se debulhou a sementeira. E sem haver e, nem eira e, nem beira e, não havia sementeira. Mas o falecido pai do meu amor e, ficava e, era para lá da beira e, existe e, é mesmo muita boa gente e, é a perder as suas próprias tripeiras. Mas sem ter e, é algum mau incomodo e, tudo tem sido e, é com a graça de deus e, eu tudo acomodo. E sem terem e, é algum bom incomodo e, vivem elas e, é em grande conforto. Mas muito mais-valia e, era á minha própria nascença e, era a minha mãe e, era ela ter tido e, era um aborto. E ai e se eu um dia e, se eu te pego e, se eu te abraço e, só já aquilo e, que eu vejo e, é tanta gente e, é de corda ao pescoço. E se eu te pego e, é pelo teu pescoço e, ai que grande moço e, sem ser de mandados. Mas sim de forcados e, foi assim que eu aprendi e, me desenvolvi e, de tudo aquilo que eu tenho feito e, é de eu mesmo e, é de o ter e, o tenho e, é admitido. E sem haver e, é alguém mesmo e, é para me impedir e, até de eu mesmo e, é um dia e, eu poder vir e, é a agir e, sem de nada ruim e, eu lhe garantir. Mas meu amor e, eu o vou e, é ouvir e, é a dizer e, chegou e, foi a nossa hora e, é de se irmos e, é os dois embora. E sem eu ter que cavar e, é daqui para fora. E vai fora e, que já chegou e, foi a tua boa hora. E aonde é que tu te vens agarrar e, que é para eu te poder vir e, é a segurar. E um dia tu o adies dizer e, que maravilha que me veio e, foi calhar a mim. E sem haver nada para se encalhar. Mas de ramo em ramo e, de galho em galho e, é assim e, que a rola enche e, é o papo e, é às suas próprias crias. E eu não era só para isso que eu te cria. Mas sim e, era também para encastramento e, um dia vir dar e, era em casamento. Mas ai que grande atrevimento e, ainda aquilo de pior e do que tu tens e, é aquele teu jeito e, que vai dar e, é sempre naquele teu atrevimento. Mas que grande encantamento e, ai que grande casamento e, é aquele e, que tu vais ter e, é de pegar e, não largar e, o teu grande amor e, também se está e, vai-se e, muito bem comportar. Mas eu hoje e, estou e, é mesmo muito desiludido e, é com certas e, determinadas pessoas e, que só aquilo que elas me fazem e, é mesmo muito mal e, é diariamente e, nocturna mente e, sem elas crerem e, é em mim mesmo e, como é que elas podem ter a sua ousadia e, é de me estarem e, é a pedir e, é constantemente e, é aquilo que eu adquiri e, foi com toda a mina e verdade e, também com toda a sua verdade ó meu deus. E ainda hoje e, algumas pessoas dessa seita maldita e, elas tendem as suas próprias doutrinas e, tendem as suas próprias leis. E porque é que não pedem e, é aos seus deuses e, às suas tradições e, é aquilo que vocês mais querem, ou então aos vossos ídolos. Mas uma coisa e, eu e, lhe garanto e, é a todo ser humano e, que revoguem e, é a todo o tipo de mal que possam fazer a mim ou a outro ser humano qualquer. E que revoguem também e, é a todas as suas tradições e, a todas as suas doutrinas espirituais ou imaginarias e, sem serem e é mesmo nada de perdoarias e é perante deus. Mas também e, é com toda a minha certeza e, que vocês podem e, é adquirir e, é a vossa própria saúde. E em havendo saúde e, já nós temos e, é mesmo uma grande sorte e, também e, já temos e, é todas as nossas condições e, é de partir para a vida e, é com toda a nossa segurança e, que só existe e, é um único deus e, sem haver igual. E que é aquele deus e, que dá a fala aos mudos e, a vista aos cegos. Mas se todas essas pessoas e, elas pensarem e, que é melhor viver e, é nas maldades deles. E até ai e, tudo muito bem. Mas comigo e, com o meu deus e, podem ter toda a sua certeza e, que comigo e, que ninguém conta e, quer seja e, é para aquilo que for de mal e, quer seja a respeito disto ou daquilo e, que não seja de um ser humano justo. Mas quando existe consciência e, é de onde e, pode estar o homem de bem ou onde pode estar e, é o homem de mal. E ai sim e, todos vocês e, podem tirar e, é a todas as suas conclusões de vida. E de vocês e, deixarem e, é de viver e, é na ilusão e, então e, começarem e, é a viver em amor de verdade. E sem alguém viver e, é em amor de verdade e, alguma vez na sua vida e, pode ter a sua própria saúde. E sem se ter saúde e, alguma vez pode ter o seu bem-estar. E é de estar de bem com ele mesmo e que não vez e não faz mal a nada e nem a ninguém e, ai e é que se pode estar em bem comum. E é com quem mais se adora e, que é a deus e, que é o verdadeiro e, o invencível. E já alguma vez na vida e, alguém conseguiu vencer a deus. Ou em dobra-lhe e, é em alguma sua atitude ou em mudar alguma das suas leis. ou de mudarem e, é o dia para a noite e, a noite para o dia. mas qualquer um ser humano e, pode mudar as suas acções e, é da noite para o dia ou do dia para a noite.

1 comentário: